Teocentrismo

O Teocentrismo é uma doutrina segundo a qual Deus é o centro do Universo e de tudo que nele há.

O Teocentrismo – do grego theos (“Deus”) e kentron (“centro”) – é uma doutrina que toma Deus como o fundamento de toda a ordem existente no mundo e que vigorou na Idade Média.

Essa doutrina pode ser entendida como característica da Idade Média, pois nesta época, todos os questionamentos circundavam a ideia de Deus, em razão da dominância do pensamento teológico cristão.

Santo Agostinho é o principal responsável por este modo de pensar, porque discorre sobre a salvação espiritual e sobre a condição do homem no mundo, concluindo que há a dupla origem do homem – sua origem divina e origem do pecado original.

teocentrismo
Imagem: Reprodução

Em suas exposições, Santo Agostinho aponta para a corrupção do homem através do pecado original e é por isso que o homem passou a ser visto como criatura inferior, imperfeita, criada por Deus e necessitada de buscar a salvação.

O teocentrismo na Idade Média

Sabe-se que, na Idade Média, não haviam instituições voltadas ao conhecimento, e assim ocorreu de a Igreja assumir o controle do conhecimento sem maiores empecilhos. A busca da salvação espiritual passou a ser predominante no pensamento e comportamento medieval, além da perspectiva de Deus como estando acima de tudo, inclusive do homem.

A natureza é vista como obra divina e as relações entre o homem e a natureza tem Deus como mediador: A posição de Deus, como centro do universo e controlador da natureza (clima, mares e terras), é a ideia chave para entender a posição do homem na natureza. A Natureza do homem, mesmo que seja criação divina, é a de submissão com relação a Deus.

Portanto, a natureza é caracterizada como física por existir concretamente e teológica por possuir uma relação de dependência com o divino, por depender deste para existir. Assim, Deus cria a natureza e ela é a prova de sua existência.

Deste modo, o Teocentrismo embasou a visão de mundo em torno de Deus, a visão do homem como um pecador cuja necessidade é a salvação e a visão da natureza ligada ao divino e dependente dele.

Referências

Teocentrismo Vs. Antropocentrismo – Vincent Cheung

Santo Agostinho e a Fé Medieval – Mariana de Sá Vaez

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [ENEM]:

“(…) Depois de longas investigações, convenci-me por fim de que o Sol é uma estrela fixa rodeada de planetas que giram em volta dela e de que ela é o centro e a chama. Que, além dos planetas principais, há outros de segunda ordem que circulam primeiro como satélites em redor dos planetas principais e com estes em redor do Sol. (…) Não duvido de que os matemáticos sejam da minha opinião, se quiserem dar-se ao trabalho de tomar conhecimento, não superficialmente, mas duma maneira aprofundada, das demonstrações que darei nesta obra. Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques: as verdades matemáticas não devem ser julgadas senão por matemáticos.” (COPÉRNICO, N. De Revolutionibus orbium caelestium)

“Aqueles que se entregam à prática sem ciência são como o navegador que embarca em um navio sem leme nem bússola. Sempre a prática deve fundamentar-se em boa teoria. Antes de fazer de um caso uma regra geral, experimente-o duas ou três vezes e verifique se as experiências produzem os mesmos efeitos. Nenhuma investigação humana pode se considerar verdadeira ciência se não passa por demonstrações matemáticas.”(VINCI, Leonardo da. Carnets)

O aspecto a ser ressaltado em ambos os textos para exemplificar o racionalismo moderno é:

a) a fé como guia das descobertas.

b) o senso crítico para se chegar a Deus.

c) a limitação da ciência pelos princípios bíblicos.

d) a importância da experiência e da observação.

e) o princípio da autoridade e da tradição.

 

02. [UNEB]: Leia atentamente os relatos a seguir:

“O pintor que trabalha rotineira e apressadamente, sem compreender as coisas, é como o espelho que absorve tudo o que encontra diante de si, sem tomar conhecimento”.
“Experiência, mãe de toda a certeza”

“Só o pintor universal tem valor”

São trechos de Leonardo da Vinci, personagem destacada do Renascimento. Neles, o autor exalta compreensão, experiência, universalismo, valores que marcaram o:

a) Teocentrismo, como princípio básico do pensamento moderno.

b) Epicurismo, em alusão aos princípios dominantes na Idade Média.

c) Humanismo, como postura ideológica que configurou a transição para a Idade Moderna.

d) Confucionismo, por sua marcada oposição ao conjunto dos conhecimentos orientais.

e) Escolasticismo, dado que admitia a fé como única fonte de conhecimento.

01. [ENEM]

Resposta: D

a) FALSA. Grifando os últimos dizeres de Copérnico (“Se alguns homens ligeiros e ignorantes quiserem cometer contra mim o abuso de invocar alguns passos da Escritura (sagrada), a que torçam o sentido, desprezarei os seus ataques…”), podemos ver que a fé não é posta como elemento seguro à descoberta das verdades.

b) FALSA. A utilização do senso crítico não esteve ligada ao conhecimento do divino em nenhuma das falas oferecidas pela coletânea.

c) FALSA. Os textos apartam a interferência da esfera religiosa na obtenção do conhecimento.

d) VERDADEIRA.  O experimento e a observação são colocados aqui como elementos indispensáveis para que um argumento tenha base de sustentação lógica. Nesse aspecto, tanto Copérnico como Da Vinci, privilegiam o uso de tais elementos.

e) FALSA. Fora do experimento e da argumentação lógica, os renascentistas não reconheciam as noções advindas das autoridades e tradições.

 

02. [UNEB]

Resposta: C

a) FALSA. O teocentrismo é elemento fundamental do pensamento medieval.

b) FALSA. Esta noção remete ao pensamento filosófico da Antiguidade.

c) VERDADEIRA. O humanismo é um dos princípios norteadores que legitimam uma nova forma de conhecimento de si e do mundo.

d) FALSA. Os humanistas da era renascentista foram visivelmente influenciados pelos valores da Antiguidade Ocidental.

e) FALSA. A escolástica é típica do período medieval.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO