Herbert Spencer

"Os mais aptos sobrevivem". Conhecido por ser o pai do darwinismo social, Hebert Spencer foi um filósofo e sociólogo inglês que aplicou o evolucionismo nas teorias sociais.

Frequentemente conhecido como o pai do darwinismo social, Herbert Spencer foi um filósofo e sociólogo inglês do século XIX que aplicou os conceitos das ciências naturais às teorias sociais. Defensor do liberalismo clássico e do positivismo, foi influenciado pelos empiristas, por isso, também foi um defensor assíduo do ensino das ciências nas escolas.

Biografia

Retrato de Hebert Spencer.Fonte: Wikipedia

Herbert Spencer (1820 — 1903) foi um filósofo, sociólogo, biólogo, antropólogo e educador inglês, defensor do liberalismo clássico e do positivismo. Spencer era filho de um professor, mas não frequentou a escola regularmente. O filósofo era avesso ao ensino tradicional e preferia observar os fatos externos e não os ensinamentos oferecidos pelos métodos tradicionais. Interessou-se pela filosofia e pela teoria da evolução natural.

No campo pedagógico, como um liberal clássico, Spencer defendia a não intervenção do Estado na educação. Outra influência do liberalismo em seu pensamento foi sobre a liberdade individual. É dele a famosa frase “a liberdade de cada um termina onde começa a do outro”.

Ele também foi um grande defensor do ensino das ciências, pois pensava que a escola, além de formar moralmente o indivíduo, deveria oferecer conhecimentos úteis e práticos. Na verdade, por ser influenciado pela corrente empirista, para Spencer, o método científico foi a maneira de elaborar todo o seu pensamento, sobretudo com base nas ciências naturais.

Spencer e o evolucionismo

Segundo Spencer, o desenvolvimento, em seu processo, seguia a mesma lei em todas as esferas, desde a formação do universo até a transformação das espécies. Antes de ter acesso às teorias de Darwin, Spencer entendia a evolução biológica segundo a teoria de Lamark, que se baseava na concepção de que as gerações seguintes de uma mesma espécie herdavam das anteriores as características adquiridas pelo ambiente que habitavam. Quando Darwin apresentou a sua teoria da evolução, cujo princípio era a seleção natural, Spencer reformulou sua teoria.

O filósofo cunhou sua teoria social nos fundamentos das ciências naturais, sobretudo, a biologia. Para ele, a sociedade existe para os indivíduos e é formada pelos atos e feitos desses indivíduos. No entanto, os sujeitos competem entre si para sobreviver socialmente. A ideia de progresso, para Spencer, é uma necessidade, é por isso que a competição existe. Para a sociedade evoluir, é preciso que os mais aptos sobrevivam.

Principais obras de Herbert Spencer

As principais obras do filósofo são:

  • Estática Social (1851);
  • Sistema de Filosofia Sintética (13 volumes);
  • O Indivíduo Contra o Estado (1884);
  • A Educação Intelectual, Moral e física (1863);
  • Os Princípios da Sociologia (1874-1896).

Darwinismo social

O conceito de darwinismo social, quando referido a Spencer, é controverso. Primeiramente, ele nunca usou o termo “darwinismo social”. Em segundo lugar, a teoria elaborada por ele vai, muitas vezes, contra a própria teoria de Darwin. Por isso, muitos pesquisadores usam o nome de spencerismo social.

É de Spencer a célebre frase “o mais apto sobrevive”, muitas vezes creditada a Darwin. A teoria de Spencer parte do princípio de que a evolução é um progresso, diferente de Darwin – que entende a evolução como apenas uma mudança e não necessariamente essa mudança representa um progresso. Para esse progresso acontecer, segundo Spencer os indivíduos pertencentes de uma determinada sociedade devem competir entre si.

Para Spencer, os indivíduos, em suas realizações, é que formam a sociedade e essa só existe para que o indivíduo se realize nela. Assim, pode-se dizer que, para o filósofo inglês, o indivíduo é mais importante (é uma categoria superior) do que a sociedade. A relação indivíduo-sociedade é uma via de mão única, em que apenas o indivíduo se movimenta.

No darwinismo social, as sociedades são hierarquizadas, haja vista que existe uma disputa entre os indivíduos para sobreviverem socialmente. A principal ideia é aplicar a teoria da seleção natural às dinâmicas sociais, como se pudesse existir uma relação direta entre a evolução das espécies e a evolução das sociedades. Segundo André Masiero (2002) “para o filósofo, todas as dimensões humanas, inclusive as psicológicas, tinham caráter evolutivo e, se nada perturbasse esse caminho natural, que era para ele um princípio universal, a humanidade se aperfeiçoaria com o passar do tempo”.

Por ter a hierarquia como base, ou seja, uma seleção entre os melhores e os piores em que os piores são subjugados, essa teoria motivou as ideias de eugenia, racismo, fascismo, nazismo e imperialismo, além das guerras entre etnias nacionais, baseadas no pseudo-argumento da superioridade de um povo sobre o outro.

5 frases de Herbet Spencer

Estas são algumas frases e citações de Spencer:

  1. Os mais aptos sobrevivem.
  2. Para a direta conservação própria, para a conservação da vida e da saúde o conhecimento mais importante é a Ciência. Para a indireta conservação própria, o que se chama ganhar a vida, o conhecimento de maior valor é a Ciência. Para o justo desempenho das funções de família o guia mais próprio só se encontra na – Ciência. Para a interpretação da vida nacional, no passado e no presente, sem a qual o cidadão não pode justamente regularizar o seu procedimento, a chave indispensável é a Ciência, e para os fins da disciplina intelectual, moral e religiosa – o estudo mais eficaz é, ainda uma vez, a Ciência.
  3. O progresso não é um acidente, mas uma necessidade.
  4. A liberdade de cada um termina onde começa a do outro.
  5. O grande objetivo da educação não é o saber, mas a ação.

Nessas frases, é possível sintetizar as principais ideias de Spencer e os princípios que ele defendia, como a primazia da ciência, face às outras disciplinas, e o seu caráter prático.

Veja os desdobramentos da teoria do darwinismo social na sociedade

Nessa matéria, foram definidas as principais ideias de Herbert Spencer, como o darwinismo social, pautado do evolucionismo. Veja como essa teoria influenciou diversas políticas de governo e como ela afetou nossa sociedade.

Surgimento das teorias evolucionistas

No vídeo do canal Doxa e Episteme, Marcos Roberto apresenta o contexto histórico do darwinismo social e das teorias evolucionistas.

Darwinismo social no contexto brasileiro

No vídeo da professora Lili Schwarcz, ela explica como as teorias do evolucionismo aplicadas às sociedades, como o darwinismo social, foram introduzidas no Brasil e como ainda reverberam na nossa sociedade.

Darwinismo social: as origens do imperialismo

O vídeo do professor Jener Cristiano explica o conceito de darwinismo social e as implicações dessa teoria na história da humanidade, como o racismo, a eugenia e o imperialismo. Mas primeiro, o professor explica as teorias de Darwin.

Nessa matéria, vimos as principais ideias de Herbert Spencer, sobretudo a sua teoria do evolucionismo social, em que compreendia que a sociedade evoluía, de forma a progredir, como acontece na natureza na evolução das espécies. Vimos também que essa teoria motivou diversos movimentos eugenistas e racistas pelo mundo.

Gostou da matéria? Leia sobre o Imperialismo para entender melhor a relação entre esses dois fenômenos.

Referências

ARANHA, M. L. A., MARTINS, M. H. P. Filosofando: introdução à filosofia. 4ª ed. São Paulo: Moderna, 2009.
BAIARDI, D. C. Conhecimento, evolução e complexidade na Filosofia Sintética de Herbert Spencer. Dissertação (Mestrado). Departamento de Filosofia – Universidade de São Paulo, USP. São Paulo, 2008.
LUCAS, M. A. O. F., MACHADO, M. C. G. A influência do pensamento de Herbert Spencer em Rui Barbosa: a ciência na criação da escola pública brasileira. Revista Edufoco, fev. 2010.
MASIERO, A. L. Psicologia das raças” e religiosidade no Brasil: uma intersecção histórica. Revista Psicologia: ciência e profissão. v.22 n.1 Brasília mar. 2002

Marilia Duka
Por Marilia Duka

Graduada em Filosofia pela Universidade Estadual de Maringá em 2016. Graduanda do 4º ano de Letras Português/Francês na Universidade Estadual de Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Duka, Marilia. Herbert Spencer. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/filosofia/herbert-spencer. Acesso em: 21 de September de 2021.

Exercícios resolvidos

1.

O Darwinismo Social pode ser definido corretamente como:

a) o estudo da vida biológica em sociedade, como as sociedades das abelhas, das formigas etc.

b) a tentativa de igualar, ao nível de organização social, os animais superiores, como os mamíferos, e a sociedade dos homens.

c) o período da atividade intelectual de Charles Darwin em que o naturalista inglês dedicou-se à criação da Sociologia, ao lado de nomes como August Comte.

d) a transposição da teoria da evolução das espécies e da seleção natural do terreno da ciência natural para a realidade sociocultural.

e) a tentativa de estabelecer relação entre o comportamento animal e o comportamento humano a partir de experimentos psicológicos.

Alternativa D é a correta.
O Darwinismo Social foi elaborado por intelectuais como Herbert Spencer, que procurou adaptar as teses do naturalista inglês Charles Darwin sobre a evolução das espécies e a seleção natural à estrutura da realidade social e cultural.

2.

Podemos dizer que uma das consequências da doutrina do Darwinismo Social, elaborada no século XIX, foi:

a) o aperfeiçoamento das sociedades democráticas e a evolução tecnológica ocidental.

b) as lutas pelos direitos civis e pela “igualdade racial”.

c) as políticas de segregação racial do século XX.

d) as leis de segregação racial implementadas no Brasil durante o período republicano.

e) a dessegregação racial nos Estados Unidos na primeira metade do século XX.

Alternativa C é a correta.
O Darwinismo Social deu sustentação teórica para políticas de segregação racial do século XX justamente por fazer crer que há “raças” inferiores e “raças” superiores. Exemplos disso foi a política de discriminação racial na Alemanha nazista em relação aos judeus, nos Estados Unidos com o aparthaid e na África do Sul, com relação aos negros.

Compartilhe

TOPO