Filósofos pré-socráticos

Os filósofos pré-socráticos buscam abandonar a condição de deuses nos céus, e passam a acompanhar a cosmologia buscando explicações para a gênese do universo.

Os filósofos pré-socráticos constituem um grupo de homens que ocuparam suas reflexões com a cosmologia. Abandonando a prática explicação da habitação dos céus/Universo por deuses, eles passam a considerar outras posições.

Os pensadores da época que antecedem o grande filósofo Sócrates procuram a formulação de ideia sobre a gênese do Universo. A partir de observações rotineiras, a ideia era descobrir como era a realidade de um infinito ainda mais vazio que hoje.

Tudo tem início com o observar da Terra; da natureza. Ao olhar para o mundo das matérias, questionam-se sobre como tudo ao redor foi criado. Buscava-se assim, um findar em comum da ação de um elemento que originasse a tudo.

Afinal, qual seria a causa-fim da existência? Qual seria o meio através do qual tudo fora criado? Nestas duas ponderações em questão, haveria um princípio similar de origem do Universo; da natureza.

filósofos pré-socráticos
(Imagem: Reprodução)

Características dos filósofos pré-socráticos

Os filósofos que antecedem Sócrates preocupavam-se com a origem da vida, basicamente. No entanto, havia outras questões norteadoras que instigavam os pensadores. Entre estas podem ser citadas:

  • Tudo o que é vivo depende da água para existir;
  • O conceito de apeíron dizia que tudo se originava de variadas formas e o que está presente hoje é “ilimitado”;
  • O ar daria origem a todas as coisas. As coisas seriam, para alguns filósofos pré-socráticos, nada mais que ar rarefeito ou denso;
  • Para Heráclito, por exemplo, o devir (movimento permanente) era a única coisa que se mantinha no Universo;
  • Para Pitágoras, os números eram os únicos elementos capazes de união e geração de vida;

Alguns dos principais filósofos pré-socráticos

Entre os principais dos filósofos pré-socráticos, é possível citar:

Tales de Mileto (624 a.C. – 548 a.C.)

Nascido na cidade de Mileto, Tales foi um dos principais nomes da filosofia pré-socrática. Para ele, a água era o componente principal da vida. O que era vivo necessitaria de água para perdurar.

Tales ainda foi mentor de Anaximandro de Mileto (610 a.C.- 547 a.C.). O discípulo acreditava que o princípio de tudo estava interligado ao elemento “áperion”. Posteriormente Anaximandro foi mentor de Anixímenes de Mileto (588 a.C.-524 a.C.). Este, por sua vez, acreditava que o princípio de tudo estava no ar.

Heráclito de Éfeso (540 a.C. – 476 a.C.)

Nascido em Éfaso, Heréclito ponderou e estudo sobre a ideia de fluidez dos elementos/de todas as coisas. É considerado o “Pai da Dialética”. Para este filósofo pré-socrático, o elemento fogo estava contido em todas as coisas, fossem elas vivas ou não.

Pitágoras de Samos (570 a.C. – 497 a.C.)

Pitágoras nasceu na cidade de Samos. Além de filósofo, era também um matemático. Por causa disso, sempre aliou os números às suas filosofias e reflexões. Para ele, inclusive, os números eram os elementos principais que consistiam a natureza. Seu grande apogeu foi o desenvolvimento do Teorema de Pitágoras.

Zenão de Eléia (490 a.C. – 430 a.C.)

Nascido em Eléia, Zenão foi discípulo do filósofo Parmênides. Suas ideias eram bastante pautadas nos conceitos dos paradoxos. Não à toa o seu grande destaque é o “Paradoxo de Zenão”. Esse, basicamente, questionava a existência do tempo como métrica e estipulação.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Compartilhe nas redes sociais

TOPO