Ginástica Circense

A ginástica circense é majoritariamente praticada em circos e compreende um conjunto de demonstrações artísticas de habilidades físicas na forma de espetáculo.

Ginástica circense é o nome dado a um conjunto de práticas realizadas por artistas de circo. Acompanhe nesta matéria você conhecerá um pouco sobre a história dessa manifestação corporal e cultural, bem como suas características. Além disso, saberá quais os movimentos e as práticas que a compõem.

O que é a ginástica circense?

A ginástica circense é uma modalidade que se refere a práticas gímnicas realizadas a partir de atividades artísticas circenses. Logo, ela é composta principalmente por ações que envolvem equilíbrio, contorcionismo, acrobacias, malabarismos e manipulação de objetos. Seu principal objetivo consiste em demonstrar essas ações por meio de movimentações corporais, especialmente organizadas na forma de espetáculos.

A respeito de suas origens, registros históricos de atividades artísticas circenses podem ser encontrados em pinturas da China que remetem a cerca de 5000 anos atrás. Essas pinturas retratam acrobatas, contorcionistas e equilibristas realizando suas apresentações. Também há registros dessas atividades que remetem ao início das civilizações do Egito, da Grécia e da Índia.

Na modernidade, a década de 1770, em Londres, constitui um marco na história das ginásticas circenses. Isso porque, nesse contexto, surgiu o Circo Moderno, com a criação do Anfiteatro de Philip Astley (Astley’s Amphitheatre, em inglês). Assim, apresentações de espetáculos com equilibristas, palhaços e saltadores passaram a ser organizadas nesse anfiteatro.

Atualmente as ginásticas circenses são amplamente conhecidas, especialmente por conta da notoriedade de companhias de circo contemporâneas, como o Cirque du Soleil, o Circus Oz e o Circo Gran Fele. No entanto, o caráter de espetáculo dessa modalidade, muitas vezes, contrasta com concepção de ginástica circense como meio para obter um bom condicionamento físico, ou mesmo para mantê-lo, devido à estética da aparência física dos artistas circenses.

Como é praticada a ginástica circense?

A ginástica circense pode ser praticada de diferentes maneiras, pois, como comentado inicialmente, é composta por ações diversas. Entre as ações mais comuns estão as acrobáticas, que envolvem o uso do próprio corpo para realizar movimentos em solo, movimentações aéreas e também figuras/formas.

Essas movimentações podem incluir o uso de aparelhos, como o tecido, o trapézio, o trampolim, a lira e a cama elástica. Os objetos da ginástica circense são bastante associados aos malabarismos, em que são utilizados principalmente bolinhas, bastão chinês, argolas e bolas maiores.

Para demonstrar as movimentações gímnicas, é importante que os artistas aprimorem habilidades motoras fundamentais, como: equilíbrios, saltos, rotações, e manipulações (lançamento, recepção). Essas habilidades são importantes, pois constituem a base dos movimentos realizados nas apresentações. Desse modo, veja a seguir alguns desses movimentos.

Movimentos

  • Rolamentos: os rolamentos podem ser feitos para trás ou para frente e, em geral, iniciando-se da posição em pé, sendo também finalizados nessa posição. As possibilidades de execução incluem rolamentos grupados (com as pernas flexionadas junto ao tronco) ou carpados (com as pernas estendidas). Eles podem ser utilizados como elementos de ligação entre dois movimentos na apresentação e também com manipulação de objetos, como entre um lançamento e uma retomada.
  • Paradas de mão: esses são movimentos em que há uma inversão de eixo (ficar “de ponta cabeça”) e a realização de um movimento estático/em equilíbrio apoiado sobre as mãos. Incluem diferentes formas de entrada (de frente, de costas, ligados a outros movimentos) e de saída (em pé, em rolamentos, em saltos, com giros). Eles também podem ser realizados em conjunto, compondo figuras coreográficas/acrobáticas, por exemplo.
  • Equilíbrios: os movimentos de equilíbrio podem ser realizados de diferentes formas, seja em solo, em cima de objetos equilibrando objetos, de modo estático ou dinâmico. São movimentos de equilíbrio comuns nas ginásticas circenses as figuras, realizadas em conjunto, em que os artistas são sustentados em equilíbrio por seus pares em diferentes posições, a partir de técnicas específicas envolvendo o uso de diferentes partes do corpo (mãos, pés, queixo, pernas, costas).
  • Pirâmides: constituem uma das figuras que compõem as apresentações de ginástica circense, feitas a partir da colaboração entre os artistas. Elas podem ser organizadas de forma a compor uma base mais larga e que é reduzida conforme sobem os níveis, mas também podem ser organizados como “pirâmide invertida”, em que a base é composta por uma única pessoa. No entanto, a pirâmide humana é composta por no mínimo três pessoas.
  • Saltos acrobáticos: são movimentos caracterizados por uma fase aérea e por demonstrações de destreza corporal (força, velocidade, agilidade, resistência, flexibilidade). Em geral, são saltos feitos entre dois acrobatas ou mais, partindo do solo ou não (trapézios e trampolins, por exemplo) e que envolvem movimentações pendulares, giros equilíbrios organizados de formas criativas e colaborativas na apresentação.

O aprendizado adequado das movimentações da ginástica circense é fundamental para praticá-la, minimizar os riscos e garantir a segurança dos artistas e demais praticantes. Para isso, vale ressaltar a importância de um processo rigoroso de aprendizagem e treinamento das técnicas e possibilidades de adaptação dos movimentos de cada modalidade circense.

A ginástica circense no Brasil

A ginástica circense começou a ser praticada no Brasil a partir da chegada do circo, no século XIX. O circo foi trazido ao país por famílias imigrantes vindas da Europa que realizavam aqui suas apresentações teatrais. Ao mesmo tempo, o país recebia também povos ciganos que faziam demonstrações públicas de suas habilidades, incluindo a domesticação de animais e o ilusionismo.

Assim, a partir do contato com o público, as personagens representadas pelos membros dessas famílias em suas apresentações eram adaptadas e ganhavam traços característicos, moldados no contato com a cultura brasileira. Exemplo disso é o do palhaço, personagem europeu que se comunica mais pelo uso de mímica e que, no Brasil, adquiriu uma característica mais falante e cômica.

Após a chegada dessas famílias foi criada a primeira escola de circo no país, fundada pelo palhaço brasileiro Piolin, em 1977, e sediada no estádio do Pacaembu, em São Paulo. Posteriormente, em 1982, foi criada a Escola Nacional de Circo, no Rio de Janeiro. Essa escola, dedicada exclusivamente ao ensino de técnicas circenses a jovens de diferentes classes sociais, contribuiu para a disseminação da ginástica circense pelo país.

Curiosidades

  1. No dia 27 de março comemora-se o Dia Nacional do Circo. Essa data foi criada em homenagem ao palhaço brasileiro Piolin (Abelardo Pinto), um dos precursores da arte do palhaço e da ginástica circense no país.
  2. Os números de contorcionismo e saltos acrobáticos realizados nas ginásticas circenses compunham partes de rituais sagrados indianos.
  3. Números voltados à demonstração de força, paradas de mão e contorcionismo, praticados nas ginásticas circenses, compunham modalidades olímpicas praticadas na Grécia Antiga.
  4. No Brasil, existem atualmente mais de 2000 circos. Desses, cerca de 80 são de porte médio e grande (com capacidade para acomodar mais de 1000 pessoas).
  5. A exibição de animais ferozes, presentes em terras dominadas pelos faraós do Egito, era comum durante desfiles militares realizados após essas dominações. Assim, haviam homens que cuidavam desses animais com essa finalidade exibicionista. Esses foram considerados os primeiros domadores de animais selvagens da história.
  6. Os circos modernos são organizados em três grandes modalidades de atração, aquelas voltadas às habilidades técnicas e de destreza física, às cenas de palhaços e à exibição de animais selvagens domados/domesticados. Contudo, essa última tem sido reduzida e até mesmo proibida em alguns casos, devido ao grande índice de maus-tratos aos animais.

As ginásticas circenses apresentam diversas curiosidades e elementos que despertam o interesse de espectadores. Entre esses elementos se localizam, sem dúvida, os próprios espetáculos.

Saiba mais sobre a ginástica circense

A seguir, você encontra alguns vídeos a respeito da ginástica circense para complementar o conteúdo apresentado e aprender mais sobre essa manifestação da cultura corporal:

A origem do circo

Nesse vídeo, você vai aprender sobre a origem do circo e a importância das praticas corporais para o entretenimento e desenvolvimento humano. Aproveite o vídeo para aprofundar seus conhecimentos sobre a ginástica circense.

Corda bamba

Veja nesse vídeo uma apresentação de corda bamba feita pelo artista circense Jan Leca na 3ª convenção praiana de malabarismo. A corda bamba, também chamada de funambulismo, é uma das modalidades praticadas na ginástica circense e que compõe os espetáculos de circo. Assista para conhecê-la.

Atividade para treinar o malabarismo

No vídeo, o professor Edmilson ensina como praticar o malabalismo. Com dicas e exercícios fáceis, você pode comecar a treinar esse tipo de ginástica circense agora mesmo. Se não tiver uma bolinha em casa, tente fazer uma bolinha de papel e treine bastante!

A ginástica circense é uma importante manifestação corporal e cultural humana, sendo reconhecida como um dos conteúdos da educação física, abrangendo o campo de conhecimento das ginásticas. Você pode saber mais a respeito desse campo e complementar seus conhecimentos acerca das práticas gímnicas conferindo as matérias sobre a ginástica artística e a ginástica acrobática.

Referências

A Ginástica e as atividades circenses (2010) – Marco Antonio Coelho Bortoleto.

Atividades circenses: possibilidades de significação e representação do movimento nas aulas de educação física (2013) – Jackeline Maria Simon.

Conteúdos ginásticos no âmbito circense (2016) – Isa Xavier, Andréa Souza de Araújo, Débora Leite Soares Menezes, Ana Rita Lorenzini.

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor mestrando em Educação Física formado pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Ginástica Circense. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/ginastica-circense. Acesso em: 08 de October de 2021.

Exercícios resolvidos

1.

A respeito da ginástica circense, avalie as afirmações a seguir.

A) É praticada apenas com o corpo.
B) É praticada apenas em grupos.
C) É praticada apenas com objetos, como malabares, cordas e bolas.
D) É praticada apenas no circo.

É correto o que se afirma em:

I) A.
II) D
III) B.
IV) C.
V) Nenhuma das alternativas.

A resposta correta é V) Nenhuma das afirmações é verdadeira.

A ginástica circense é praticada com o corpo, sim, mas também inclui o uso de objetos. Além disso, ela pode ser praticada tanto em grupos quanto individualmente, embora comumente apresentada em grupo. Quanto ao local da prática, embora se constitua como uma prática de circo, não se restringe a esse espaço, dado que, como mencionado na matéria, há também escolas especificamente dedicadas ao ensino e à prática dessa manifestação.

2.

Dentre as ações (ou números) descritas abaixo, qual não compõe os espetáculos de ginástica circense:

A) Equilibrismos.
B) Contorcionismos.
C) Alongamentos.
D) Acrobacias.
E) Malabarismos.

A resposta correta é a alternativa C.

Embora exercícios de alongamento possam compor rotinas de treinamento físico dos artistas circenses, não compõem os números apresentados nos espetáculos.

Compartilhe

TOPO