Ginástica Artística

A Ginástica Artística é um esporte olímpico em que atletas fazem uso de aparelhos para demonstrar o controle do corpo por meio de conjuntos de movimentos técnicos.

As técnicas executadas por atletas da Ginástica Artística requerem o controle do corpo para a demonstração de força, agilidade, flexibilidade, coordenação, equilíbrio e ritmo. Nesta matéria, abordaremos as modalidades e os aparelhos envolvidos nessas demonstrações.

História da Ginástica Artística

A Ginástica Artística (gymnastique artistique) é uma manifestação corporal constituída a partir da necessidade de reerguer a Prússia após a Batalha de Jena, em 1806, contra a França. Após a derrota prussiana, o pedagogo alemão Johann Friedrich Ludwing Cristoph Jahn, incitou os jovens prussianos a se prepararem fisicamente para expulsar o exército francês do reino. Com esse intuito, Jahn sistematizou movimentos fundamentais (caminhar, saltar, lançar e sustentar-se) e passou a utilizá-los na simulação de batalhas com os jovens. Com isso, em 1811, inaugura a prática de ginástica ao ar livre, no Volkspark Hasenheide (Parque do Povo, em tradução livre).

No parque do povo, Jahn promovia a preparação do corpo com a utilização de recursos naturais (galhos, troncos, rochas, etc.), dando origem aos primeiros movimentos característicos da Ginástica Artística. Além disso, seu trabalho alterou os hábitos culturais em relação às práticas do corpo na Alemanha, assim como a própria linguagem. Em decorrência desse movimento, novos termos e significados foram sendo construídos, como turnen (praticar ginástica), turnplatz (local de Ginástica), turner (ginasta), voltigieren (balançar), entre outros.

É em decorrência disso que Jahn é considerado o “Pai da Ginástica” e precursor-criador da ginástica alemã – que, futuramente, viria a se constituir como uma escola. Seu trabalho foi fundamental para o surgimento da Ginástica Artística, também denominada Ginástica Olímpica, Ginástica Desportiva ou Ginástica de Solo e de Aparelhos.

Os ideais difundidos pela prática de ginástica, possibilitaram que, em 1815, a Prússia fosse reerguida. Com isso, tal prática se ampliou, expandindo-se para toda a população, o que fez com que a prática adquirisse um caráter pedagógico hierárquico, dividindo os alunos por idade, capacidade, gênero e outras categorias.

Desdobramentos

iStock

A hierarquização da prática turnen se deu junto com a introdução de aparelhos, como a barra horizontal e as barras paralelas. Nesse processo, em 1861, foi organizado o primeiro festival de ginástica, em Berlim. A popularidade e a dimensão alcançada pela prática de ginástica fez com que, em 1919, Jahn fosse vítima de “perseguição pedagógica” e fosse detido durante cinco anos. Do mesmo modo, outros ginastas e instrutores foram perseguidos nessa época, o que os levou a se refugiarem em outros lugares do mundo, contribuindo para a disseminação da ginástica.

Com contribuição da ginástica pedagógica proposta por Guts Muths, os exercícios de Jahn foram estruturados e passaram a compor práticas escolares e de clubes na Alemanha, com efeitos sobre a prática em todo o mundo. A partir disso, em 1896, é criada a Federação Internacional de Ginástica (Federation Internationale de Gymnastique–FIG) que, a partir de 1952, filia-se ao Comitê Olímpico Internacional (COI). Também nesse ano, nas Olimpíadas da Finlândia, a Ginástica Artística (Olímpica) é reconhecida como uma modalidade esportiva, passando-se à definição oficial de regras, aparelhos, sistema avaliativo e de julgamento, bem como outros aspectos das modalidades.

Modalidades da Ginástica Artística

As modalidades da Ginástica Artística demonstram corpos em fase aérea, realizando figuras acrobáticas e coreografias com elevados níveis de complexidade e precisão de movimentos. Nessas demonstrações, equilíbrio, agilidade, concentração e força são elementos fundamentais e que estarão presentes nas apresentações de todas as modalidades. Oficialmente, dez modalidades compõem esse esporte, sendo elas disputadas nas Olimpíadas quadrienalmente. São seis modalidades masculinas e quatro modalidades femininas, como abordaremos a seguir. No entanto, duas modalidades (a mesa de salto e o solo), por serem disputadas por ambos, são consideradas modalidades mistas.

Modalidades Masculinas

As modalidades masculinas são realizadas em seis aparelhos: cavalo com alças, argolas, mesa de salto, barras assimétricas, barra fixa e solo. Vejamos algumas características desses aparelhos.

Barra fixa

iStock

Nesse aparelho, o que conta são as diferentes formas e sentidos e o número de giros que o atleta realiza. Além disso, as trocas e retomadas, bem como as maneiras de segurar na barra também constituem parâmetros avaliativos. Não é permitido tocar na barra com os pés e os braços do ginasta devem estar sempre estendidos. Piruetas, giros e passadas de mão são elementos característicos desse aparelho. As notas são atribuídas aos elementos obrigatórios, mas os elementos de conexão recebem bonificações dos juízes. A barra é feita em aço polido e possui 2,40m de comprimento por 2,8mm de diâmetro, sendo posicionada a 2,5m do solo. A apresentação possui duração de 15s a 30s.

Barras paralelas

iStock

As barras paralelas exigem dos ginastas bastante força nos membros superiores, pois mantém essa musculatura em tensão e atividade a maior parte do tempo, para sustentação. Aterrissagens, posições estáticas, deslocamentos, rotações, saltos, balanços e saídas são movimentos padrões avaliativos desse aparelho. O aparelho é composto por duas barras de fibra com 3,5m de comprimento e distância de 42cm a 52cm entre uma barra e outra, posicionadas a 1,95m do solo, permitindo aos ginastas a realização de movimentos apoiados tanto nas mãos quanto nos braços (apoio braquial).

Cavalo com alças

iStock

Além de força nos membros superiores, esse aparelho exige que os ginastas executem movimentos que demonstrem o controle do corpo em relação a ele. É nesse sentido que se considera a avaliação da postura dos ginastas pelos juízes. Aterrissagens, deslocamentos, rotações e balanços são os padrões de movimento que compõem os cinco elementos obrigatórios do cavalo com alças. O aparelho tem comprimento de 1,60m, com largura de 35cm a 37cm. Revestido em couro, ele é disposto a uma altura de 1,10m em relação ao solo. Possui duas alças de madeira, de 12cm de altura e 40cm a 45cm de distância entre elas, sendo a base de sustentação para os ginastas. Com exceção das alças, nenhuma outra parte do cavalo pode ser tocada durante a apresentação, que dura em média de 40s a 50s.

Argolas

iStock

As argolas são dois anéis de madeira ou fibra de vidro com medida de 18cm de diâmetro externo, suspensas a 2,5m do solo por duas correias, as quais são fixadas a 5,5m de altura. A distância entre elas é de 50cm, sendo esse o espaço onde os ginastas se posicionam durante as séries. Entre os padrões de movimento desse aparelho estão: aterrissagens, rotações, balanços e posições estáticas. Nesses padrões, são avaliados movimentos de impulso e parada de 2s, apoio invertido e controle de força.

Modalidades Femininas

As modalidades femininas são realizadas em quatro aparelhos: barras assimétricas, trave de equilíbrio, mesa de salto e solo. Vejamos algumas características desses aparelhos.

Barras assimétricas

iStock

O aparelho se caracteriza por movimentos contínuos e rápidos, além de largadas e retomadas. Balanços, suspensão, saltos, rotações, deslocamento e aterrisagem são movimentos padrões avaliados nesse aparelho. A ginasta deve obrigatoriamente usar tanto a barra superior quanto a inferior em sua série, assim como realizar diferentes empunhaduras. Para isso, executam movimentos de passagem entre uma e outra barra, em um espaço de 1m. As barras possuem largura de 2,40m. A barra menor tem de 1,40m a 1,60m de altura e a menor tem de 2,20m a 2,30m, variando conforme a altura das ginastas.

Trave de equilíbrio

iStock

A demonstração de movimentos que requerem habilidade de equilíbrio é o foco deste aparelho. Essas demonstrações se dão por meio de posições estáticas, deslocamentos, rotações, saltos e balanços, além dos movimentos de aterrissagens avaliados durante as acrobacias e as fases de entrada e saída das ginastas. Durante as séries, as ginastas devem percorrer toda a extensão do aparelho em um tempo de 70s a 90s, realizando as acrobacias obrigatórias. A trave mede 5m de comprimento e 10cm de largura, ficando suspenso a 1,20m do solo.

Modalidades Mistas

A mesa de salto e o solo são os dois aparelhos categorizado como modalidade mista. Vejamos algumas de suas principais características.

Mesa de salto

iStock

A mesa surgiu como aparelho para substituir o cavalo, antes utilizado para saltos de atletas masculinos e femininos nas posições longitudinal e transversal, respectivamente. Com o tempo, a partir de estudos e pesquisas, foi desenvolvida a mesa de salto, com uma maior superfície de contato, oferecendo mais segurança para os/as atletas. Nesse aparelho os/as ginastas executam uma corrida de aproximação de no máximo 25m e, então, entram na mesa por meio do trampolim Reuther. A entrada pode ser de frente ou de costas e, nela, apoiam as mãos para ganhar impulsão para o salto. As formas e possibilidades de movimentos executados nos saltos são diversas, ficando a critério de cada ginasta e sendo avaliada a complexidade e dificuldade dos movimentos executados. Aterrissagem, deslocamento, rotações e saltos são padrões de movimento desse aparelho. A altura da mesa na modalidade masculina é de 1,30m e na modalidade feminina é de 1,20m.

Solo

iStock

Considerado um dos aparelhos mais clássicos da Ginástica Artística, o solo chama a atenção pela diversidade de elementos acrobáticos que podem ser executados pelos/pelas ginastas. Em ambos os solos, masculino e feminino, as medidas do tablado são as mesmas: 12x12m. Movimentos de aterrissagem, estáticos, deslocamentos, rotações e saltos são padrões avaliativos obrigatórios nesse aparelho. Normalmente, é nesse aparelho que todas as modalidades da Ginástica Artística têm início, com a demonstração dos movimentos básicos que serão utilizados nos demais aparelhos. O tempo da coreografia na modalidade masculina é de 50s a 70s, enquanto na feminina é de 70s a 90s, acrescido de acompanhamento musical. É fundamental o uso de todo o tablado, assim como a realização dos espaços diagonais, que contribuem para as corridas dos/das atletas.

Em todas as modalidades de aparelhos apresentados os/as ginastas começam a ser avaliados desde a entrada no espaço de apresentação. Para participar da classificação geral da Ginástica Artística, os ginastas precisam realizar todos os aparelhos de suas respectivas modalidades. A cronologia dos aparelhos disputados, bem como as acrobacias e os movimentos obrigatórios para cada um, é estabelecida pela Federação Internacional de Ginástica.

Ginástica Artística no Brasil

A chegada da Ginástica Artística no Brasil se deu com a colonização alemã no Rio Grande do Sul, em 1824. Essa colonização se associa ao período de “Bloqueio Ginástico” (1820-1842), em que ginastas e instrutores tiveram de povoar outros locais do mundo para fugir da perseguição pedagógica mencionada anteriormente. No período de 1845 a 1942 foram criadas sociedades, fundações e federações de ginástica no Rio Grande do Sul. Em 1948, as ginásticas começaram a ser praticadas também em São Paulo, por meio da Federação Paulista de Ginástica e Halterofilismo.

Em 1950, no Rio de Janeiro, foi fundada a Federação Metropolitana de Ginástica, atualmente Federação de Ginástica do Rio de Janeiro. Os primeiros campeonatos oficias de Ginástica acontecem em 1951, sendo organizados pelo Conselho de Assessores de Ginástica da então Confederação Brasileira de Desportos (CAG-CBD), atual Confederação Brasileira de Ginástica. O Estatuto da Confederação Brasileira de Ginástica foi aprovado em 1978, incluindo a Ginástica Artística como esporte a receber as orientações desse órgão, mantendo-se assim até hoje.

Veja algumas apresentações!

A seguir você encontra vídeos demonstrando algumas das regras e dos movimentos nos aparelhos apresentados nesta matéria.

Regras do Jogo

Esse vídeo é básico para quem quer saber mais sobre a Ginástica Artística, pois aborda as principais regras de cada aparelho.

Demonstrações

Esse vídeo, além de comentar sobre as regras e características das modalidades e dos aparelhos da Ginástica Artística a partir de vídeos de competições oficiais, também apresenta as outras modalidades olímpicas de Ginástica (acrobática, aeróbica, rítmica e de trampolim).

Brasileirinha

Esse vídeo mostra uma apresentação de ginástica solo da atleta Dayane dos Santos, que representou o Brasil nos Jogos Olímpicos de Pequin em 2008.

Retomando: a formação da Ginástica Artística enquanto esporte se dá a partir dos exercícios propostos por Jahn, da Alemanha para o mundo. As modalidades e os aparelhos possuem particularidades que encantam e atraem diversos admiradores, perpetuando o valor atribuído pelos gregos à contemplação do controle sobre o corpo. Atualmente, as modalidades de ginástica, em especial a Ginástica Artística, são os esportes olímpicos mais atrativos por sua complexidade e beleza. Abaixo você encontra algumas questões a respeito do conteúdo abordado nesta matéria. Confira também a matéria sobre o Atletismo, outro esporte de grande estima nos Jogos Olímpicos.

Referências

MONTEIRO DE MIRANDA, Antonio Carlos; NAKASHIMA, Fernanda Soares. Ginástica Escolar. 2016.

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Pesquisas focalizando Cultura Física, Discurso, Corpo e Subjetividade.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Ginástica Artística. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/ginastica-artistica. Acesso em: 30 de September de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [SEDUC-2011]

1 – A Ginástica Artística é um esporte individual que desenvolve a força, o equilíbrio, a agilidade e a destreza, enfim, o domínio do corpo. Como se divide a Ginástica Artística?
a) Ginástica aeróbica e Ginástica Rítmica
b) Ginástica de solo e Ginástica de Aparelhos
c) Ginástica Localizada e Ginástica de Solo
d) Ginástica de Aparelhos e Ginástica Aeróbica

A RESPOSTA CORRETA É “b) Ginástica de solo e Ginástica de Aparelhos”

2. [NUCEPE-2019]

A ginástica artística originou-se dos exercícios ginásticos realizados na Alemanha no início do século XIX, preparando os soldados para a
guerra e tendo aparelhos criados e adaptados para sua prática. Atualmente, existem provas realizadas por homens e mulheres em aparelhos
como:
a) Solo, trave de equilíbrio, arcos, trampolim e argolas
b) Salto sobre a mesa, cavalo com alças, mãos livres, solo e minitrampolim
c) Trave de equilíbrio, salto sobre a mesa, argolas, cavalo com alças e solo
d) Bolas, maças, arcos, cordas e fitas

A RESPOSTA CORRETA É “c) Trave de equilíbrio, salto sobre a mesa, argolas, cavalo com alças e solo”

Compartilhe

TOPO