Arte contemporânea

Liberdade criativa, experimentação, hibridismo e interação são algumas propostas da arte contemporânea.

A arte contemporânea propõe que tudo possa ser usado como espaço para a expressão e que a própria escolha das materialidades artísticas promova a reflexão no público. Leia a matéria e conheça alguns movimentos contemporâneos em que os suportes artísticos são os mais diversos, desde objetos, passando pela manipulação digital até o próprio corpo dos artistas!

Resumo

A arte contemporânea surgiu após a Segunda Guerra Mundial, por isso também é referenciada como a arte do pós-guerra. Em um contexto em que o mundo tentava se reconstruir, as produções artísticas expressavam esse desejo e as transformações sociais, políticas e culturais da época, delineando uma outra visão sobre a arte que rompeu com os padrões até então estabelecidos. Um desses rompimentos foi a distância entre a obra e o público.

O panorama das novas tecnologias, da globalização e da cultura de massa influenciou fortemente a arte contemporânea trazendo outras linguagens para o campo de experimentação. Assim, um novo pensamento sobre a arte foi se constituindo a partir da valorização do processo criativo e da atitude dos artistas que buscavam, sobretudo, promover a reflexão no público. Outras formas de criar surgem a partir de uma preocupação com as sensações provocadas em detrimento da obra como produto estético final.

A importância da arte contemporânea

A arte contemporânea surgiu em um contexto de questionamentos e reflexões sobre qual o papel da arte no mundo e na vida das pessoas. Diferente dos movimentos artísticos anteriores, o contemporâneo buscou se aproximar do cotidiano, ampliando o seu alcance de produção e de recepção. Logo, qualquer temática pode inspirar as criações que também questionam o conceito de “beleza” no universo da arte gerando impacto no espectador.

O modo como o público pode receber determinada obra de arte e reagir diante dela é muito importante para o artista em seu processo de criação.

Características

A liberdade criativa é a condição essencial para os artistas contemporâneos. A seguir, veja as características que configuram essa liberdade:

  • A ideia é o elemento fundamental do trabalho artístico. As emoções geradas no criador e no espectador são mais importantes que a materialidade do produto final;
  • Abandono de padrões e mistura de diferentes estéticas artísticas;
  • Uso de múltiplas materialidades, linguagens, tecnologias e mídias;
  • Experimentação, efemeridade e hibridismo;
  • Interação dos artistas e das obras com o espaço e os espectadores;
  • Novos tipos de relação entre o espectador e a obra de arte. O espectador sai da condição de passividade para a de interação e de transformação da obra;
  • Trabalhos visualmente fortes e teoricamente complexos.

A seguir, confira como essas características compõem os movimentos artísticos e estão expressas em suas múltiplas produções.

Movimentos artísticos contemporâneos

Diferentes movimentos estéticos buscaram experimentar novas formas de produzir arte a partir dos anos 1950. Conheça alguns deles abaixo:

Arte conceitual

Capa para Jovens cerejeiras protegidas contra lebres (1945), de Marcel Duchamp. Fonte: WikiArt

Na arte conceitual, a ideia que embasa a obra é mais relevante que as questões estéticas e o uso de materiais tradicionais no campo das artes. Assim, o conceito utilizado para a criação da obra se sobrepõe à materialidade dela. Nesse movimento, os artistas buscavam provocar reflexões nos espectadores com o choque frente às produções (questionando a natureza da arte) e a própria indagação sobre os padrões estipulados para a arte.

Arte urbana

Trem da sopa (1981), de Freddy. Fonte: WikiArt

A Arte urbana, conhecida como street art, surgiu na década de 1970 nos Estados Unidos e contempla manifestações desenvolvidas e expostas em espaços públicos, por isso promove o contato direto da arte com as pessoas que transitam pela cidade. Dentre as vertentes artísticas do movimento estão: dança, música, grafitti, pixo, lambe e estátua viva.

Arte digital

Mapa da UE (2021), de Gretchen Andrew. Fonte: WikiArt

O desenvolvimento dos computadores no séc. XX trouxe novas possibilidades de experimentação no espaço digital. Logo, a arte digital é a manifestação produzida a partir de meios eletrônicos, como o computador, e seus programas para o desenho, a edição e a manipulação de imagens e sons. As artes digitais são variadas, dentre elas se destacam: web art, colagem, pintura, fotografia, animação e vídeos 2D ou 3D.

Body art

O corpo é a obra (1970), de Antonio Manuel. Fonte: Itaú Cultural

A body art usa justamente o corpo como suporte para a arte. O corpo do artista é a obra “viva” que se relaciona com o tempo/espaço em que está inserido e com o público, por vezes, em um contexto de “ritual” ou “apresentação pública”, o que liga essa manifestação ao happening e à performance. Na body art, o corpo é metafórico e propõe novas leituras sobre si e seus artefatos.

Performance arte

Rio do Fundamento (2014), de Matthew Barney (Fonte: WikiArt

A Performance arte é uma vertente artística de expressão corporal que contempla o teatro, a música e as artes visuais. O artista ou performer coloca o seu corpo em ação numa relação com o espaço e o espectador que envolve o improviso e o improvável.

Outros movimentos considerados contemporâneos são: Fotografia, Instalação, Pop Art, Hiperrealismo, Minimalismo, Op Art, Arte cinética etc.

Modernismo X contemporâneo

Em uma linha temporal, as vanguardas artísticas do início do século XX abriram caminhos para o desenraizamento da arte, a partir das novas relações entre os sujeitos no ambiente urbano. Na sequência, o movimento modernista propôs uma ruptura com a hierarquia da arte, trazendo outras materialidades para o campo artístico. A arte contemporânea, por sua vez, é caracterizada pela inovação, ao ser produzida de formas jamais vistas até então na história da arte.

Arte contemporânea no Brasil

O início da arte contemporânea no Brasil se dá com o movimento Neoconcretista na cidade do Rio de Janeiro na década de 1950, do qual participaram Ferreira Gullar e Lygia Clark. A partir de então, alguns artistas buscaram formas inovadoras de expressão, assim como diferentes recursos e suportes para materializar a arte. Alguns nomes do cenário brasileiro são: Hélio Oiticica, Amilcar de Castro, Lygia Pape e Cildo Meireles, entre outros.

Principais artistas e obras

Conforme você viu até aqui, a arte contemporânea se desenvolveu a partir de diversos movimentos estéticos. A seguir, conheça importantes artistas do cenário mundial e suas respectivas obras:

[ a y s h ]

Ayshia Taskin é uma artista britânica que trabalha com gravura, escultura, performance e métodos 3D e 2D. Ela desenvolve projetos interartísticos misturando performances, novas mídias colaborativas e peças de vídeo.

Merge (2020), de [ a y s h ]. Fonte: WikiArt
Como você desenha uma linha sob pressão (2020), de [ a y s h ]. Fonte: WikiArt
Limites ecléticos (2019), de [ a y s h ]. Fonte: WikiArt

Cildo Meireles

Artista brasileiro destacado no movimento da arte conceitual. Trabalha com pintura, gravura, escultura e instalação. Suas instalações são caracterizadas por terem grandes dimensões e estimularem a experiência de interação do espectador:

Desvio para o vermelho 1: Impregnação (1967), de Cildo Meireles. Fonte: WikiArt
Eureka (1975), de Cildo Meireles. Fonte: WikiArt
Babel (2001), de Cildo Meireles. Fonte: WikiArt

Banksy

Banksy é um grafiteiro anônimo que vive na Inglaterra e se tornou muito famoso por não se apresentar ao público. Suas obras apresentam críticas políticas e sociais com técnica em stencil e estão espalhadas por paredes e pontes de várias cidades no mundo:

Morte (2005), de Banksy. Fonte: WikiArt
Palhaço insano (2001), de Banksy. Fonte: WikiArt
Mantenha-o impecável (2007), de Banksy. Fonte: WikiArt

Marina Abramovic

Performer sérvia reconhecida mundialmente, Marina ficou famosa por realizar ações em que seu corpo é colocado em risco a partir da interação com o público, como você pode ver nas imagens a seguir:

Rhythm 4 (1974), de Marina Abramovic. Fonte: WikiArt
Rhythm 5 (1974), de Marina Abramovic. Fonte: WikiArt
Imponderabilia (1977), de Marina Abramovic. Fonte: WikiArt

Lygia Clark

Artista brasileira, trabalha com pintura, escultura, bory art e instalação. Foi uma das fundadoras do movimento Neo-Concreto e, a partir de 1960, passou a planejar formas de os espectadores interagirem com suas obras:

Máscaras sensoriais (1967), de Lygia Clark. Fonte: WikiArt
Trepante (1965), de Lygia Clark. Fonte: WikiArt
Bicho em si (1962), de Lygia Clark. Fonte: WikiArt

As produções contemporâneas são múltiplas e variam conforme as características de seus movimentos artísticos. Para revisar o que você aprendeu até aqui, confira as videoaulas a seguir!

Vídeos sobre a arte de hoje

Amplie o seu repertório de informações com os três vídeos abaixo que abordam as diferenças entre as produções modernas e contemporâneas, além dos contextos de criação e de recepção da arte contemporânea!

Dá para entender a arte contemporânea?

Neste vídeo, a Vivi explica com muito humor o que é a arte contemporânea, suas características e como a recepção das obras tem relação intrínseca com as experiências e as memórias de cada pessoa. Vivi ainda dá dicas de elementos que podem te auxiliar da interpretação das obras. Confira!

De onde vem a arte contemporânea?

Revise a trajetória da arte, desde a moderna até a chegada da contemporânea, com a criação de novas estéticas que, por seu caráter inovador, não foram bem aceitas de imediato. Também aprenda sobre a arte conceitual e a ausência de senso comum na interpretação da arte contemporânea.

Arte moderna ou contemporânea

Confira uma linha do tempo em que a Aline Pascholati explica o que é a Idade Moderna e a Idade Contemporânea. Ela mostra que é preciso separar esses conceitos dos de arte moderna e de arte contemporânea. Parece confuso, mas aperte o play para entender!

Agora que você já conhece a arte contemporânea, aprofunde os estudos sobre um de seus movimentos artísticos: o Pop Art. Boa leitura!

Referências

Arte contemporânea e ensino médio: desafios e contribuições da body art como conteúdo de arte (2012) – Isaura Ramos Cauduro

A Arte Contemporânea para uma Pedagogia Crítica (2015) – Mónica Oliveira

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Arte contemporânea. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/arte-contemporanea. Acesso em: 09 de October de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

Na exposição “A Artista Está Presente”, no MoMa, em Nova Iorque, a performer Marina Abramovic fez uma retrospectiva de sua carreira. No meio desta, protagonizou uma performance marcante. Em 2010, de 14 de março a 31 de maio, seis dias por semana, num total de 736 horas, ela repetia a mesma postura. Sentada numa sala, recebia os visitantes, um a um, e trocava com cada um deles um longo olhar sem palavras. Ao redor, o público assistia a essas cenas recorrentes.
(ZANIN, L. Marina Abramovic, ou a força do olhar. Disponível em: http://blogs.estadao.com.br. Acesso em: 4 nov. 2013.)

O texto apresenta uma obra da artista Marina Abramovic, cuja performance se alinha a tendências contemporâneas e se caracteriza pela:

a) inovação de uma proposta de arte relacional que adentra um museu.
b) abordagem educacional estabelecida na relação da artista com o público.
c) redistribuição do espaço do museu, que integra diversas linguagens artísticas.
d) negociação colaborativa de sentidos entre a artista e a pessoa com quem interage
e) aproximação entre artista e público, o que rompe com a elitização dessa forma de arte.

Resposta: D
Justificativa: A divisão do espaço e a troca de olhares com cada um dos visitantes caracteriza uma performance com negociação colaborativa de sentidos entre artista e espectador.

2. [UEL]

Leia o texto a seguir.
A produção de Rivane Neuenschwander caracteriza-se por uma atenção incomum ao detalhe. É um olhar que implica inclinar-se, deslocar-se do ponto de vista cotidiano de um bípede ereto, ver o chão e vê-lo de perto, sempre através de uma lente de aumento. […] Opera-se uma mudança de escala, não na imagem, mas em nosso ponto de vista, em nossa percepção.
(Adaptado de: ZACCAGNINI, C. Rivane Neuenschwander. In: PEDROSA, A. (org.) Através: Inhotim. Brumadinho, MG: Instituto Inhotim, 2008, p. 310.)

Com base no texto, na figura 1 e nos conhecimentos sobre arte contemporânea, assinale a alternativa correta sobre o trabalho de Rivane Neuenschwander.

A) Constitui um circuito a partir do qual é possível conferir no cotidiano as relações que até então eram invisíveis.
B) Requer que a percepção seja ativada por um movimento, e isso resulta em olhar para o mundo de modo acelerado.
C) Demonstra a alteração do campo perceptual de modo que o ponto de vista cotidiano apreenda os grandes eventos.
D) Repercute os sentidos da vida cotidiana ligados à alimentação e, por essa razão, nos apresenta elementos advindos dela.
E) Sugere que os objetos presentes no cotidiano, como texto, copo, água e ovo, são obras de arte.

Resposta: A
Justificativa: O título “Mal-entendido” e os materiais que compõem a obra formam um jogo em que o olhar guia a compreensão. Esse olhar pode ver apenas os objetos do cotidiano ou pode captar as outras relações (in)visíveis provocadas por esses objetos e códigos combinados.

Compartilhe

TOPO