Arte urbana

A arte urbana surgiu no século XX e abrange uma ampla quantidade de expressões que intervém no espaço público reconfigurando os cenários das cidades e seus sentidos.

A arte urbana ou arte de rua tem origem na expressão inglesa street art que surgiu na década de 1970 nos Estados Unidos. Corresponde a manifestações artísticas desenvolvidas e expostas em espaços públicos, por vezes, sem autorização institucional. Nesse sentido, muitos artistas estão suscetíveis a repreensões de entidades (públicas ou privadas) e podem ter suas produções destruídas. Conheça melhor este estilo de arte a seguir!

O que é arte urbana

A arte urbana é uma prática social que abrange expressões desenvolvidas nas ruas de diferentes formas. Os espaços públicos tornam-se suportes para a manifestação artística que compreende as relações construídas pelas pessoas com determinados lugares urbanos e as significações atribuídas a eles. Performance, história e memória se entrelaçam pelas cidades na construção de significados. No campo das artes visuais, por exemplo, é comum que os artistas transitem por diversas vertentes.

História da arte urbana

Como é conhecida hoje, essa arte provém da cena underground – movimento cultural que foge dos padrões comerciais e midiáticos, influenciado pela contracultura da década de 1960. Movimentos como o Hip Hop e o Punk relacionam-se com a cena underground compartilhando o intuito transgressivo de normas e a crítica à configuração e ao uso das cidades. Entretanto, a arte de rua surgiu muito antes, com a intervenção das pessoas sobre o espaço público.

A arte urbana no Brasil

A arte urbana surgiu com força no Brasil na década de 1970, com o grafite na cidade de São Paulo e as expressões da contracultura como resistência à ditadura civil-militar. Como em outros lugares do mundo, essa arte foi inicialmente marginalizada, mas ao longo dos tempos adquiriu importância frente ao seu caráter de crítica social, política e econômica. A arte urbana é desenvolvida com maior intensidade nas grandes metrópoles do país.

Características da arte urbana

Abaixo, listamos alguns elementos que caracterizam as diferentes práticas de arte urbana:

  • Acontece na rua;
  • É performática e independente;
  • Reflete sobre o uso do espaço público;
  • Possui um caráter dinâmico e efêmero;
  • Interage com o local e o espectador.
  • O contexto dinâmico de criação e materialização dessa arte no espaço urbano está estritamente ligado às características de cada expressão.

    Tipos de arte urbana

    A seguir, veja as particularidades e o caráter performático da arte urbana em seis vertentes. Também conheça alguns artistas de cada área!

    Grafite

    “O Estrangeiro”, Os Gemeos – São Paulo, posteriormente removido (Fonte: WikiMedia)

    O grafite é uma técnica de desenho e pintura com tinta spray realizada em muros, painéis, prédios, pontes e demais superfícies urbanas. Surgiu na década de 1970, no movimento Hip Hop junto com o rap, a discotecagem e o break que também são elementos da arte urbana produzida nas ruas de todo o mundo. O grafite se subdivide em diferentes tipos, dentre eles: bomb, throwUp, wildstyle, 3D, hall-of-fame, rash-train.

    Principais artistas:

    • Os Gemeos;
    • Kobra;
    • Magrela;
    • Nina Pandolfo;
    • Bansky;
    • Smug
    • Sasu;
    • Lady Aiko.

    3D


    Obra de Edgar Mueller (Fonte: FL Condomínios)

    A arte em 3D é uma técnica de pintura do grafite que transmite a ilusão de ótica em três dimensões. As pinturas são feitas em superfície plana, mas passam a sensação visual de uma profundidade. Geralmente, são realizadas no chão ou em paredes criando imagens de abismos, penhascos ou cenas impactantes que promovem uma interação com o público.

    Principais artistas:

    • Edgar Mueller;
    • Kurt Wenner;
    • Daim;
    • Sergio Odeith;
    • Insane 51;
    • Scaf.

    Stencil

    “The Flower Thrower”, Bansky (Fonte: Revista Veja)

    O stencil é uma técnica de reprodução de imagens através da aplicação de tinta em uma prancha com o desenho vazado, retirada a prancha o desenho fica aplicado na superfície (seja em paredes, papeis ou tecidos). O stencil tornou-se popular no movimento da contracultura dos anos 1960 ao reproduzir desenhos e frases de caráter político-social.

    Principais artistas:

    • Bansky;
    • Bete Nobrega;
    • Alex Vallauri;
    • Carlos Matuck.

    Lambe-lambe

    (Fonte: Código Urbs)

    O lambe é uma imagem ou cartaz colado em espaços públicos com cola feita à base de farinha. Originário do Renascimento com Saint-Flour e, depois, Toulouse-Lautrec que representava o subúrbio de Paris. Influenciado pela propaganda popular, pode ser único feito em série por meio da reprodução de cópias a serem coladas. No Brasil, o lambe foi muito usado por artistas durante a ditadura civil-militar como uma forma de denúncia e resistência ao regime.

    Principais artistas:

    • Simone Siss;
    • SHN;
    • Fabiano Carriero.

    Poemas urbanos

    Postesia (Fonte: Blog Sarau do Binho)

    Os poemas urbanos abrangem uma categoria grande de manifestações, desde os versos escritos nos muros até os lambes, os poemas pendurados em árvores, os saraus, os slams e as batalhas de rima realizadas em locais públicos. O agitador cultural Binho, por exemplo, desenvolve o movimento “Postesia” com a colagem de poemas em postes da cidade de São Paulo. Durante a quarentena de 2020, poemas também foram projetados em prédios no projeto “Projetemos”.

    Principais artistas:

    • Binho;
    • Allan da Rosa;
    • Giovani Baffô;
    • Marcelo Rocha;
    • Robert Montgomery;
    • Mass Poetry.

    Estátua viva

    Estátua viva na Avenida Paulista (2013) (Fonte: WikiMedia)

    A estátua viva é uma performance que chama a atenção, a intenção é criar uma dúvida no espectador sobre ela ser material ou humana. Após prender a atenção das pessoas por algum tempo, ou quando alguém joga uma colaboração em dinheiro, a estátua se mexe. Muitos artistas se pintam de cores que remetem ao bronze, à prata, à pedra ou ao ouro para enfatizar a impressão de uma estátua real.

    Principais artistas:

    • Cido Estátua Viva;
    • Gladys Wosiack;
    • Moyses Duarte;
    • Maria Ines Banegas;
    • Tania Mujica.

    Além das manifestações artísticas citadas, existem diversas outras expressões desenvolvidas no espaço público, como o teatro de rua, as instalações visuais, a sticker art, além dos artistas circenses (malabaristas, equilibristas e palhaços), por exemplo.

    Vídeos sobre a arte das ruas

    A seguir, selecionamos três vídeos que complementam o conteúdo abordado nesta matéria. Veja o que pensam os artistas sobre as suas práticas e conheça outros temas para argumentar sobre o assunto!

    A arte urbana e suas expressões

    Nesse vídeo, a professora Beatriz Maia fala sobre o que é a arte urbana, sua história e expressões, além de citar alguns artistas. Também menciona que arte urbana busca levar a arte cotidiana às ruas, sair de lugares consagrados, como museus e teatros. Acompanhe!

    Como escrever sobre a arte urbana

    Este vídeo apresenta questões que podem ser discutidas nas redações sobre a arte urbana, desde problematizações a elementos históricos que caracterizam as manifestações brasileiras.

    Lambe-lambe

    Cauê Novaes, do Coletivo Tranverso, fala sobre a importância do uso social da palavra no espaço público e apresenta a produção de diferentes coletivos que trabalham com o lambe na cidade de São Paulo. Confira!

    Agora que você já conhece a arte urbana, aprenda sobre outro movimento do século XX que também está ligado ao universo das cidades, a Pop Art.

    Referências

    PALLAMIN, Vera Maria. Arte Urbana: São Paulo, região central (1945-1998): obras de caráter temporário e permanente. São Paulo: Annablume, 2000.

    SILVA, Paulo Henrique. “Estátua viva”: uma profissão em risco de extinção. Jornal Hoje em Dia, 2014.

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Arte urbana. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/arte-urbana. Acesso em: 21 de October de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [FGV]

As imagens acima são exemplos de arte urbana em Cuiabá. Trata-se da intervenção do grupo “7 anões da lata” que, usando a técnica do estêncil, imprimiram imagens sobre postes, em cartazes colados nas paredes ou diretamente nos muros das ruas. A respeito da arte urbana, assinale V para a afirmativa verdadeira e F para a falsa.

( ) A arte urbana é uma manifestação de protesto ilegal, realizada em edifícios e espaços privados.
( ) A arte urbana enfoca a relação entre a arte e a cidade, as expectativas e as expressões criativas de seus moradores.
( ) A arte urbana se materializa através do grafite, do estêncil, de cartazes e adesivos, entre outros.

As afirmativas são, respectivamente:

A) F, V e F.
B) F, F e V.
C) V, F e F.
D) V, V e F.
E) F, V e V.

Respostas: E
Justificativa: A afirmação de que “a arte urbana é uma manifestação de protesto ilegal” é muito genérica e não corresponde a todas as expressões artísticas urbanas. Muitos trabalhos nem sequer infringem leis e são autorizados em determinados espaços. As demais alternativas estão corretas.

2. [ENEM]

Toca do Salitre — Piauí Disponível em: http://www.fumdham.org.br. (Foto: Reprodução/Enem)
Arte Urbana. Foto: Diego Singh Disponível em: http://www.diaadia.pr.gov.br. (Foto: Reprodução/Enem)

O grafite contemporâneo, considerado em alguns momentos como uma arte marginal, tem sido comparado às pinturas murais de várias épocas e às escritas pré-históricas. Observando as imagens apresentadas, é possível reconhecer elementos comuns entre os tipos de pinturas murais, tais como:

A) a preferência por tintas naturais, em razão de seu efeito estético.
B) a inovação na técnica de pintura, rompendo com modelos estabelecidos.
C) o registro do pensamento e das crenças das sociedades em várias épocas.
D) a repetição dos temas e a restrição de uso pelas classes dominantes.
E) o uso exclusivista da arte para atender aos interesses da elite.

Resposta: C
Justificativa: Os elementos em comum entre a pintura rupestre e o grafite contemporâneo consistem na imagem de seres humanos e de outros elementos gráficos que representam os pensamentos e as crenças de cada época.

Compartilhe

TOPO