Instalação artística

Na instalação artística, objetos são dispostos no espaço ressignificando lugares e proporcionando experiências sensoriais ao público.

Você já se deparou com alguma exposição artística em que podia tocar nos objetos e elementos dispostos pelo ambiente? Ou mesmo percorrer caminhos, labirintos, ouvir sons e experimentar sensações? A instalação artística propõe essas interações estabelecendo relações entre os objetos, o espaço e o público. Saiba mais sobre o assunto a seguir!

O que é uma instalação artística

A instalação artística corresponde a uma obra formada por elementos dispostos em determinado espaço físico que faz parte de sua composição. Assim, ela pode acontecer em diferentes cenários de áreas internas ou externas que são importantes na produção de significados. Geralmente, as instalações provocam sensações no espectador a partir do tato, odor, audição, visão, temperatura etc. O termo “instalação” surgiu na década de 1960 para denominar espaços criados em galerias e museus.

Assim, esculturas, quadros e demais suportes artísticos saíram dos pedestais e de paredes, passando a ocupar outros locais, além de se unirem a materialidades não convencionais no campo artístico para a composição da obra. Kurt Schwitters e Marcel Duchamp deram visibilidade ao conceito de instalação artística chamando a atenção do público para as suas produções inovadoras.

Características

As instalações artísticas podem ser compostas com os mais variados materiais, ambientes e intenções do artista. Veja algumas características interessantes a seguir:

  • Interação com o público: os espectadores participam da obra interagindo com seus elementos, cores, objetos e construções. É comum que as pessoas se movam pelas instalações, caminhando ou percorrendo suas aberturas.
  • Ressignificação dos espaços: a instalação se apropria de um espaço e se constrói com ele, podendo criar outros significados para o lugar, que se transforma em um cenário.
  • Efemeridade: pode existir apenas no momento da exposição, como também pode ser montada posteriormente em outro espaço, assumindo (ou não) novos sentidos.
  • Composição multimídia: pode ser criada com as mais diversas linguagens, como vídeos, áudios, esculturas, pinturas, performances, tecidos, plantas, animações 3D etc.
  • Tempo e espaço próprios: ao trabalhar com a desconstrução de espaços, conceitos e ideias e ao existir através da experiência de contato, a instalação só faz sentido se apreciada em seu tempo-espaço, materializando-se apenas na memória do espectador.

Conforme você leu, os efeitos de recepção da obra são fundamentais às instalações artísticas, que provocam as mais diversas sensações a depender da proposta.

5 exemplos de instalações artísticas

Separamos instalações de diferentes artistas, materialidades e proporções. Algumas foram planejadas para espaços internos e uma delas trabalha com o ambiente externo de um grande prédio. Conheça!

1. Tropicália

(Fonte: WikiArt)

Instalação do brasileiro Hélio Oiticica realizada no Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, em 1967. Corresponde a um labirinto sem teto com dois penetráveis – PN2 (1966) “Pureza É um Mito” e PN3 (1966-1967). Nesses penetráveis, há diversos materiais por onde as pessoas caminham, como areia e pedras, além de tecidos, plantas, araras, poemas-objetos e um aparelho de TV ligado.

2. Dinner Party

(Fonte: WikiArt)

Instalação da artista feminista estadunidense Judy Chicago em exposição de 1979. Depois disso, a obra já passou por 16 países. A instalação contempla 39 lugares à mesa triangular para 39 mulheres famosas da história. Cada lugar apresenta um prato de porcelana pintado à mão, talheres, cálice e um guardanapo bordado com o nome da convidada. Em 37 lugares da mesa, também há vulvas esculpidas de formas e cores particulares nos pratos.

3. Wrapped Reichstag

(Fonte: WikiArt)

Instalação do casal Christo e Jeanne-Claude realizada no Parlamento Alemão em 1995. O projeto “Reichstag Embrulhado”, que contemplava o embrulho do prédio histórico com 100 mil metros quadrados de tecidos e quilômetros de cordas azuis, demorou 23 anos para ser aprovado. A instalação durou apenas 14 dias e recebeu 5 milhões de visitantes. Para o casal, ocultar elementos do espaço público estimularia a imaginação e a arte poderia ser contemplada por todos.

4. Transarquitetônica

(Fonte: Museu de Arte Contemporânea USP)

Instalação do brasileiro Henrique Oliveira construída no Museu de Arte Contemporânea da USP em 2014, envolvendo arquitetura, escultura e pintura. Lâminas de madeira usadas em tapumes de obras e, depois, descartadas ganharam uma nova oportunidade para serem árvore. Uma estrutura em forma de raízes e galhos criou túneis por onde os espectadores podiam fazer diferentes percursos e explorar o espaço com o olhar, o toque das texturas e o cheiro.

5. Skin Toned Garden Mapping


(Fonte: WikiArt)

Instalação da artista estadunidense Jessica Stockholder, realizada em 1991. O trabalho lembra um espaço em reforma, com andaimes, quadros pendurados, tijolos, cavaletes de madeira e portas de geladeira. A disposição conflituosa das peças – assim como a presença de camisetas e de jornais velhos e um forte cheiro de tinta esmaltada – promoveu reflexões sobre os conflitos entre o velho e o novo.

Outros diversos exemplos de instalações podem ser encontrados em movimentos artísticos como a Land Art e a Minimal Art, além das intervenções urbanas.

Vídeos sobre uma arte sensorial e provocativa

Para ampliar o seu repertório de conhecimentos, separamos vídeos que discutem o conceito de instalação artística e que apresentam mais artistas e obras. Assista!

O que é uma instalação artística?

Aqui, a Regia Rodrigues explica a origem do termo instalação artística, apresenta alguns exemplos famosos e discute a experiência de desconstrução dos espaços proposta pelas obras.

Artistas brasileiros

Esse vídeo apresenta o trabalho de dois estúdios brasileiros que unem arte e tecnologia produzindo instalações artísticas que dialogam com as cidades. Conheça diferentes exemplos de obras!

The Dinner Party

Nesse vídeo, a Patrícia de Camargo discute a obra The Dinner Party, de Judy Chicago. Ela apresenta alguns nomes das mulheres homenageadas pela artista, além de características e curiosidades da instalação. Confira!

Chuva de luzes

Acompanhe esse vídeo da artista Maristela Mitsuko Ono na instalação multimídia Lumines Cências, realizada em 2018 no Brasil.

Gostou do conteúdo? Agora que você já sabe o que é uma instalação artística, continue aprendendo sobre a arte contemporânea lendo a nossa matéria sobre pós-modernismo!

Referências

Há 20 anos: Parlamento alemão era “embrulhado” (2015) – Made for Minds
Henrique Oliveira. Transarquitetônica (2014) – Museu de Arte Contemporânea da Universidade de São Paulo
Instalação (2021) – Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Instalação artística. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/instalacao-artistica. Acesso em: 07 de May de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [SEE-MG]

A instalação Jardim de Narcizo, de Yayoi Kusama, que fica no Inhotim, conta com 500 esferas de aço inoxidável que, ao flutuarem sobre um espelho d’água, refletem a natureza exuberante do lugar e o próprio espectador. A instalação é um tipo de arte experimental.

Esse fazer artístico produz obras que:

A. ficam estáticas em um determinado local, dialogando apenas com o ambiente natural e/ou arquitetônico.
B. interagem com ambiente em que se encontra, ressignificando o local ou direcionando o foco a outros aspectos dele.
C. provocam no espectador uma necessidade de interatividade direta com a obra, ou seja, o toque.
D. questionam a tensão de um determinado material, princípio fundante de uma escultura.
E. representam, de forma simbólica, elementos oníricos distribuídos num determinado local.

Resposta: B

Justificativa: as instalações caracterizam-se por dialogar com os espaços físicos onde são projetadas, assim podem propor outros significados ao local, como faz a obra “Jardim de Narcizo”.

2. [ENEM]

A instalação Dengo transformou a sala do MAM-SP em um ambiente singular, explorando como principal característica artística a:

a) participação do público na interação lúdica com a obra.
b) distribuição de obstáculos no espaço da exposição.
c) representação simbólica de objetos oníricos.
d) interpretação subjetiva da lei da gravidade.
e) valorização de técnicas de artesanato.

Resposta: A

Justificativa: conforme a foto, é possível perceber que a instalação transformou a sala do MAM em outro espaço pela interação promovida entre público e obra, visto que as estruturas de crochê que ocupam a sala foram dispostas para o contato com os visitantes.

Compartilhe

TOPO