Pós-modernismo

O pós-modernismo apresenta produções artísticas múltiplas influenciadas pelo avanço tecnológico e pela comunicação de massa.

As transformações da área da comunicação influenciaram de forma direta o campo das artes ao longo do século XX. Diferentes movimentos como a intermídia, as artes de instalação, a arte digital, a arte conceitual, o minimalismo e a body art surgem nesse momento. Conheça melhor o pós-modernismo, caracterizado pela liberdade estética e pela interação de suportes materiais.

O que é o pós-modernismo

O pós-modernismo é um movimento dos campos da cultura, da filosofia e da crítica que surgiu em meados do século XX com uma perspectiva de pensamento diferente do modernismo. As primeiras produções artísticas fortaleceram-se após a Segunda Guerra Mundial (1939-1945), sendo que o apogeu do movimento ocorreu na década de 1960 acompanhando o contexto de avanços tecnológicos com a comunicação de massa e a indústria cultural.

Desconforto e desilusão com as grandes narrativas que explicavam a totalidade da existência humana e o funcionamento da realidade caracterizam o pensamento pós-moderno. Por isso, o movimento sugere uma nova concepção de mundo e de arte, rompendo com o paradigma da arte ocidental que correspondia à criação de um artista para ser apresentada a um público espectador passivo. Assim, a arte pós-moderna preza pela participação e interação do público.

Características

A arte pós-moderna é múltipla e inconstante. Elementos como a metalinguagem, o humor e a surpresa são alguns de seus traços. Veja outras características:

  • Prazer do espectador: muito mais do que consumir coisas, o ser humano deseja ter sensações e experiências marcantes, logo a arte busca interagir e provocar o público.
  • Espetacularização: aspectos do cotidiano são transformados em um espetáculo que chama a atenção das pessoas em espaços de circulação comum, como a rua, assim a arte brinca com a realidade multifacetada.
  • Mistura do real e do imaginário: o cotidiano se mistura à fantasia, para isso a Internet, as mídias e as tecnologias da informação contribuem na composição das peças, como as hiper-reais, por exemplo.
  • Ausência de valores e regras: o pós-modernismo constitui uma arte fragmentada e plural com a mistura de diferentes estilos, por isso não há hierarquias. Produções muito diversas compõem o movimento caracterizado pela liberdade de expressão.
  • Linguagem híbrida e intermídia: no lugar dos suportes tradicionais de cada vertente artística, as produções misturam tanto as vertentes quanto as suas linguagens na composição das obras. Performances, artes de instalação e exibições com vídeos são alguns exemplos.

Agora que você já conhece algumas características da arte pós-moderna, aprofunde seus conhecimentos sobre o tema na área da arquitetura.

Pós-modernismo na arquitetura

Casa Vanna Venturi (1964) (Fonte: Buyenlarge/Getty Images)

Enquanto a arquitetura moderna prezava pelo planejamento racional visando a ideia de futuro, a pós-moderna trabalha com a espontaneidade, o ecletismo, a heterogeneidade e as relações de mercado que mudam constantemente. A partir de 1929, surgem propostas arquitetônicas que criticam o estilo internacional e trazem elementos como a história e a cultura popular para as obras. Alguns nomes importantes da área são: Denise Scott Brown, Robert Venturi e Charles Jencks.

Pós-modernismo no Brasil

No Brasil, o pós-modernismo desenvolveu-se nas artes plásticas com os desdobramentos do neoconcretismo e a influência da Pop Art. Lygia Clark e Hélio Oiticica são alguns nomes que construíram trabalhos interartes já na década de 1960. No campo da performance, Flávio de Carvalho foi um dos pioneiros, em 1956 ele caminhou pelas ruas de São Paulo vestindo seu New Look composto por meia-calça, saia e blusa, o que escandalizou a sociedade na época.

Pré-modernismo e pós-modernismo

O pré-modernismo foi uma transição, entre os séculos XIX e XX, com produções que se afastavam dos movimentos já delineados. Assim, o modernismo surge buscando o novo, o choque e a ruptura com a arte do passado, valores que não importam mais no pós-modernismo diante da descrença nas grandes ideologias e da avalanche de informações e tecnologias. Logo ressignificar é a ação do pós-modernismo que articula passado e presente em novas expressões.

Principais artistas e obras

Conheça abaixo cinco artistas que apresentam produções pós-modernas em diferentes áreas como a arquitetura, o design, as artes plásticas e a performance.

Philip Johnson

Philip Johnson (1906–2005) foi um arquiteto estadunidense, o primeiro a ganhar um Pritzker, o prêmio mais importante da arquitetura mundial. De defensor do estilo internacional, Johnson passou a criticá-lo trazendo elementos da história para seus projetos, como a inspiração em um “armário antigo” que dá forma ao arranha-céu da AT&T na imagem abaixo:

Edifício da AT&T, Nova Iorque (Fonte: Dezeen)
Catedral de Cristal, Garden Grove (Fonte: WikiMedia)
Casa de Vidro, New Canaan (Fonte: WikiMedia)

April Greiman

April Greiman (Nova York – 1948) é uma designer estadunidense, pioneira no uso do computador para a produção de peças gráficas. Considerada uma artista transmídia, ela atuou nas fronteiras entre o moderno e o pós moderno, com a saída do analógico para o digital. Veja algumas de suas produções a seguir:

Isso faz sentido? (1986) (Fonte: idsgn)
Selo comemorativo do Sufrágio Feminino (1995) (Fonte: WikiMedia)

Allan Kaprow

Allan Kaprow (Atlantic City, 1927 – Encinitas, 2006) foi um pintor e performer estadunidense. Criou o conceito de happening no fim dos anos 1950 para nomear espetáculos que combinam artes visuais e teatro, de modo que o espectador participe da cena proposta pelo artista. Performance, artes de instalações, pinturas e colagens compõem seu trabalho.

Words (1962) (Fonte: WikiMedia)
18 Happenings in 6 Parts (1968) (Fonte: WikiMedia)
Subway with Self Portrait (1965) (Fonte: WikiMedia)

Hélio Oiticica

Hélio Oiticica (Rio de Janeiro, 1937 – idem, 1980) foi um artista interarte. Suas produções caracterizam-se pelo experimentalismo e pela participação do público que também constrói as obras, como em sua famosa performance Parangolés, primeira imagem abaixo, que envolvia dança, poesia, bandeiras, capas, cores etc.

Parangolés (Fonte: Rio e Cultura)
Grand Nucleus (1966) (Fonte: WikiArt)
Mangúe Bangúe (Fonte: WikiArt)

Lygia Clark

Lygia Pimentel Lins (Belo Horizonte, 1920 – Rio de Janeiro, 1988) foi pintora e escultora, além de trabalhar com body art e instalações envolvendo o corpo. Também fundou o grupo Neoconcreto com alguns colegas participando da 1ª Exposição Neoconcreta, em 1959.


Dialogue goggles (1968) (Fonte: WikiArt)
Bichos (1965) (Fonte: WikiArt)
Máscara Abismo (1968) (Fonte: WikiArt)

Como você viu, o pós-modernismo esteve atrelado a um novo jeito de pensar e se compreender no mundo frente às tecnologias e aos meios de comunicação que mudaram o modo de viver no século XX. Por isso sua multiplicidade de expressões em diferentes áreas artísticas.

Vídeos sobre uma arte sem limites estéticos

Para reforçar o que você aprendeu até aqui, separamos três vídeos sobre produções pós-modernas. Confira!

O parangolé do Oiticica

Neste vídeo, a Vivi explica as múltiplas influências do artista Helio Oiticica e fala um pouco sobre o processo de criação dos parangolés e suas experiências performáticas.

Arquitetura pós-moderna

Este vídeo aborda o contexto de desenvolvimento da arquitetura pós-moderna no mundo e ainda fala sobre suas três correntes básicas. Assista!

Minimalismo

O vídeo do canal Arte e Educação apresenta o minimalismo, uma tendência artística que surgiu na década de 1950 e utiliza poucos elementos para compor a obra.

Agora que você já conhece um pouco sobre a intensa produção do pós-modernismo, aprofunde seus conhecimentos sobre a performance arte!

Referências

Lygia Clark (2020) – Enciclopédia Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras
Pintura, fotografia e a crítica de arte na pós-modernidade (2013) – Marcos Fabris
Os primeiros pós-modernos (2001) – Rodrigo Moura

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Pós-modernismo. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/pos-modernismo. Acesso em: 18 de April de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [UEM]

Excertos
“Pós-modernismo é o nome aplicado às mudanças ocorridas nas ciências, nas artes e nas sociedades avançadas desde 1950, quando, por convenção, se encerra o modernismo (1900-1950). Ele nasce com a arquitetura e a computação nos anos 50. Toma corpo com a arte Pop nos anos 60. Cresce ao entrar pela filosofia, durante os anos 70, como crítica da cultura ocidental. E amadurece hoje, alastrando-se na moda, no cinema, na música e no cotidiano programado pela tecnociência, (…) sem que ninguém saiba se é decadência ou renascimento cultural.” (SANTOS, Jair Ferreira dos. O Que é Pós-Moderno. São Paulo: Brasiliense, 1988, p. 7-8).
“Entre as muitas tendências em que se dividem as criações artísticas chamadas de pós-modernas estão o Happening, a Arte Conceitual, a Arte por Computador, a Minimal Art e a Body Art.” (…) “Conhecer cada um desses movimentos não é uma tarefa simples, pois sua definição não é uma questão plenamente resolvida pelos críticos de arte. E para tempos em que as próprias obras de arte estão em questão, qual a relevância de identificar características particularizadoras desses movimentos?” (PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2007, p. 357).

A leitura dos excertos permite concluir que termos como “pós-moderno” e “pós-modernismo”

01) são tão imprecisos que não convém continuar a empregá-los para falar de aspectos da Arte Contemporânea.
02) são válidos, quando se referem a certas práticas artísticas características dos últimos 50 anos, mas deve-se evitar aplicá-los a um passado mais distante.
04) apesar das dificuldades para defini-los ajudam-nos a estabelecer as diferenças entre esculturas feitas com materiais convencionais e as esculturas feitas com novos materiais.
08) possuem um significado eminentemente mercadológico e não têm nada a ver com as características propriamente artísticas das obras de pintura, escultura ou arquitetura.
16) indicam a pluralidade de estilos e a busca de novas linguagens estéticas, que constituem traços muitos acentuados de várias vertentes das Artes Contemporâneas.

Resposta: Somatória 18.
Justificativa: Apenas as alternativas 02 e 16 apresentam todas as informações corretas.

2. [UEM]

Excertos
“Pós-modernismo é o nome aplicado às mudanças ocorridas nas ciências, nas artes e nas sociedades avançadas desde 1950, quando, por convenção, se encerra o modernismo (1900-1950). Ele nasce com a arquitetura e a computação nos anos 50. Toma corpo com a arte Pop nos anos 60. Cresce ao entrar pela filosofia, durante os anos 70, como crítica da cultura ocidental. E amadurece hoje, alastrando-se na moda, no cinema, na música e no cotidiano programado pela tecnociência, (…) sem que ninguém saiba se é decadência ou renascimento cultural.” (SANTOS, Jair Ferreira dos. O Que é Pós-Moderno. São Paulo: Brasiliense, 1988, p. 7-8).
“Entre as muitas tendências em que se dividem as criações artísticas chamadas de pós-modernas estão o Happening, a Arte Conceitual, a Arte por Computador, a Minimal Art e a Body Art.” (…) “Conhecer cada um desses movimentos não é uma tarefa simples, pois sua definição não é uma questão plenamente resolvida pelos críticos de arte. E para tempos em que as próprias obras de arte estão em questão, qual a relevância de identificar características particularizadoras desses movimentos?” (PROENÇA, Graça. História da Arte. São Paulo: Ática, 2007, p. 357).

As noções de “pós-moderno” e “pós-modernismo”, apresentadas nos excertos, embora sejam de uso corrente, estão associadas a fenômenos artísticos, intelectuais, políticos e sociais bastante diversos. A esse respeito, assinale o que for correto.

01) “Pós-moderno” e “pós-modernismo” são termos que têm sido usados para denominar uma nova época histórica no mundo das artes, cujas origens remontam aos debates entre os escolásticos durante o período barroco.
02) Uma parte da arquitetura pós-moderna tem a ver não com a reformulação total do modo moderno de habitar, mas com a valorização de atitudes ousadas, como, por exemplo, o recurso a elementos decorativos de diversas épocas históricas na composição de um imóvel.
04) Pintores renascentistas como Bosch e Bruegel, cujas obras não expressavam nenhum significado para os apreciadores, podem ser considerados os precursores da arte pós-moderna.
08) “Pós-moderno” e “pós-modernismo” são termos empregados por alguns filósofos para falar de situações contemporâneas como a fragmentação das identidades e a dificuldade de se criarem teorias que expliquem globalmente o funcionamento da realidade.
16) Para muitos, as ideias advindas do pós-modernismo têm a ver com relatividade absoluta dos valores, com ausência de critérios estéticos e éticos sólidos capazes de orientar o julgamento das obras de arte e dos comportamentos humanos.

Resposta: Somatória 26.
Justificativa: Apenas as alternativas 02, 08 e 16 apresentam todas as informações corretas.

Compartilhe

TOPO