Segunda Guerra Mundial

Um dos conflitos bélicos mais relevantes da História, a Segunda Grande Guerra dividiu as maiores potências mundiais entre 1939 e 1945.

Todo um conjunto de fatores contribuiu para o início de um dos embates mais relevantes da história da humanidade. Ao Tratado de Versalhes e à ascensão de ditaduras totalitárias em diversos países europeus somou-se ainda a crise econômica que culminaria na quebra da bolsa de Nova York em 1930.

Tratado de Versalhes

Ao final da Primeira Grande Guerra, em 1919, a Alemanha foi punida como a responsável pelo início do conflito. O principal ponto do Tratado obrigava os alemães a repararem o dano causado a um grupo de países prejudicados, do qual faziam parte a França, Reino Unido e Império Russo, sob a denominação de Tríplice Entente. Além disso, a Alemanha ainda perdeu parte de seu território para a Áustria e todas as suas colônias no continente africano e sob o oceano. Dentre as imposições do Tratado de Versalhes, também consta a restrição ao tamanho do exército alemão e várias indenizações por prejuízos decorrentes da guerra.

O Regime Nazista

“Os conflitos originados do Tratado de Versalhes (1919) exacerbaram-se com os efeitos da grande crise de 1929. A reação às condições de paz acabaram por disseminar um forte sentimento nacionalista, culminando no totalitarismo nazifascista.”(Vicentino & Dorigo, 2013)

Hitler durante comício do partido Nacional Socialista alemão. Imagem: Wikimedia Commons.
Hitler durante comício do partido Nacional Socialista alemão. Imagem: Wikimedia Commons.

A população alemã recebeu com grande choque as exigências do Tratado de Versalhes. A queda da República de Weimar foi inevitável, diante do sentimento de humilhação do povo alemão. Esse cenário contribuiu fortemente para a ascensão do nazismo de Hitler, no ano de 1933. Paralelamente, surgiam na Europa outros regimes totalitários semelhantes, como o fascismo de Mussolini na Itália e a ditadura franquista na Espanha de Francisco Franco.

O início da guerra

Foi com a invasão da Polônia, em 1939, que França e Reino Unido oficialmente declararam guerra à Alemanha. No mesmo ano, a União Soviética também invadiu a Polônia, ficando assim o território polonês dividido entre Alemanha e União Soviética. Um acordo comercial foi feito entre alemães e soviéticos em 1940, no qual foi estabelecido que os soviéticos recebessem equipamento militar e industrial alemão. Em troca, a USSR se responsabilizaria pelo fornecimento de matérias-primas, a fim de ajudar os alemães a contornarem o bloqueio aliado.

Países do Eixo e Aliados

No final de setembro de 1940, o Pacto Tripartite unia as denominadas “Potências do Eixo”. Então, o Império do Japão, a Itália fascista e a Alemanha nazista formalizavam sua aliança. Em comum, visavam à expansão territorial. No caso da Alemanha, a retomada de territórios perdidos através do Tratado de Versalhes. Por sua vez, o Japão buscava expandir seu território até áreas vizinhas e ilhas da região. A Itália já havia invadido o território da Etiópia em 1935, e então ansiava por alargar ainda mais suas fronteiras coloniais.

Por meio do referido pacto, estipulou-se que qualquer país que atacasse qualquer uma das Potências do Eixo – com exceção da União Soviética – estaria em guerra contra os três potências em conjunto.

Após a invasão da França e a tomada japonesa da Indochina, entretanto, o Reino Unido se aliou aos Estados Unidos e a União Soviética, que fora “traída” pela Alemanha em seu tratado de não agressão.

Ocupação da França e invasão da União Soviética

Em maio de 1940, a Alemanha iniciou a invasão na França, Bélgica, Países Baixos e Luxemburg. E em junho de 1940, a Itália invadiu a França, declarando então guerra ao governo francês e ao Reino Unido. Após 12 dias, os franceses se renderam e seu território foi dividido em zonas de ocupação alemãs e italiana.

Com a França já dominada, a Alemanha inicia ataque aéreo sob o território britânico. Em junho de 1941, a Alemanha invade o território da União Soviética, numa ofensiva surpresa conhecida como Operação Barbarossa, rompendo o tratado de não agressão entre os dois países. Os alemães foram barrados pelo exército russo em 1942, mas mesmo assim conquistaram uma região importante do território soviético, principalmente na Ucrânia.

Ainda em 1941, o Japão atacava Pearl Harbor e expandia seus domínios na Ásia. Alguns dias depois, Hitler declarava guerra aos EUA.

Tanques Panzer alemães durante a invasão da Polônia. Imagem: Wikimedia Commons.

A Itália havia tentando invadir a Grécia através da Albânia, mas a operação não teve sucesso e ainda deixou os italianos em uma situação complicada, a ponto de perder o território da Albânia para os gregos. Diante disso, Hitler envia ajuda alemã para a Itália, o que acabou por atrasar a Operação Barbarossa.

Não obstante, foi esse atraso que impediu que os alemães chegassem a Moscou antes do rigoroso inverno russo. Como os soldados alemães não estavam preparados para enfrentar as temperaturas abaixo de dez graus negativos. Durante o conflito com o exército russo, conhecido como Batalha de Stalingrado, mais de 200 mil alemães pereceram ao enfrentar o exército soviético em condições meteorológicas desfavoráveis – evento que é apontado como a maior derrota alemã na guerra, responsável por iniciar a rápida queda do III Reich.

Ao final de julho de 1943, os aliados invadiram a região da Sicília. Investida que resultou na prisão e destituição de Mussolini. Em setembro do mesmo ano, os Aliados ocidentais chegam à península itálica. Então a Alemanha assume o controle militar das áreas até então controladas pela Itália, criando uma série de linhas defensivas – enquanto Mussolini, resgatado pelo exército alemão, acaba por estabelecer a República Social Italiana em um país ainda dominado pelos alemães.

O Dia D

Em 6 de junho de 1944 (conhecido como Dia D), os Aliados ocidentais invadiram a Normandia, subjugando as unidades do exército alemão na França. Nesse momento, Paris foi libertada do domínio do Eixo.

A guerra prosseguiu com mais avanços dos países Aliados. E em abril de 1945, tropas americanas, inglesas e russas invadiram a Alemanha. Mussolini tenta então fugir para a Suíça, onde é capturado e condenado à morte por fuzilamento no dia 28 de abril de 1945. Dois dias depois, Hitler se suicida, levando à inevitável rendição alemã no dia 8 de maio.

bomba atomica hiroshima

A guerra havia terminado na Europa, mas continuava na Ásia. O Japão sofria derrotas perante os EUA. Os japoneses estavam quase se rendendo quando em 6 de agosto de 45 os EUA jogaram a bomba atômica em Hiroshima, repetindo o ataque três dias depois na cidade de Nagasaki. O lançamento das bombas mataram entre 90 mil e 166 mil pessoas em Hiroshima e 60 mil e 80 mil pessoas em Nagasaki, sendo que apenas metade das mortes em cada cidade ocorreu no primeiro dia – como consequência direta do ataque. Com a destruição das duas cidades e a morte de milhares de cidadãos civis, o Japão finalmente se rende em 15 de agosto de 1945.

Consequências

A Alemanha perdeu um quarto de seu território pré-guerra e criminosos de guerra nazista foram julgados e condenados. Os Aliados formaram a Organização das Nações Unidas (ONU), que passou a existir oficialmente em 24 de outubro de 1945, visando a manutenção da paz. Pouco depois, em 1948, é promulgada a Declaração Universal dos Direitos Humanos, como um padrão comum para todos os Estados-membro.

A divisão pós-guerra do mundo foi formalizada por duas alianças militares internacionais: a Organização do Tratado do Atlântico Norte (OTAN), liderada pelos Estados Unidos, e o Pacto de Varsóvia, liderado pela União Soviética. A partir daí se inicia o longo período de tensões políticas e militares conhecido como Guerra Fria – movido sobretudo pela corrida armamentista proveniente da concorrência entre os dois novos polos globais.

Holocausto

Dá-se o nome de holocausto ao genocídio sistemático do povo judeu durante a Segunda Grande Guerra, levando à morte de cerca de seis milhões de pessoas. O regime nazista pregava a supremacia da raça ariana e a limpeza étnica na Europa. Judeus, eslavos, ciganos, homossexuais, comunistas, deficientes físicos e mentais não eram tolerados pelos nazistas.

A perseguição desses grupos pelos nazistas ocorreu em vários momentos diferentes, mesmo antes do início da guerra. Uma série de leis foi executada para banir os judeus da sociedade civil – com destaque para a Lei de Nuremberg, promulgada em 1935 na Alemanha.

Judeus húngaros em processo de seleção nazista para as câmaras de gás. Imagem: Wikimedia Commons.
Judeus húngaros em processo de seleção nazista para as câmaras de gás. Imagem: Wikimedia Commons.

Os alemães confinaram judeus e ciganos em guetos superlotados, até serem transportados, através de trens de carga, para campos de extermínio. Os presos enviados para estes locais eram submetidos a trabalhos forçados até morrerem de exaustão, fome ou por alguma doença.

Acredita-se que mais de um milhão de judeus e adversários políticos foram mortos por fuzilamentos em massa. A grande maioria dos judeus foi morta em câmaras de gás nos campos de concentração nazistas. Alguns grupos religiosos, como Testemunhas de Jeová, também foram perseguidos pelo regime nazista e enviados para campos de concentração.

O Brasil na Segunda Guerra

O Brasil governado pelo então presidente Getúlio Vargas havia assumido uma posição neutra durante a guerra até o ano de 1942. O fator que determinou a entrada do Brasil no conflito foram as embarcações brasileiras afundadas por submarinos alemães no Oceano Atlântico.

Diante do incidente, Vargas firma um acordo com o presidente americano Franklin Roosevelt, colocando assim o Brasil na Segunda Guerra ao lado dos Aliados. Cerca de 25 mil militares da FEB (Força Expedicionária Brasileira) foram enviados à Itália ocupada pelos nazistas em julho de 1944. Além disso, o Brasil forneceu bases militares aéreas e navais para os aliados e ajudou na tomada de importantes cidades, como Monte Castelo e Turin.

Getúlio Vargas e Franklin Roosevelt, Rio de Janeiro, ,1936. Imagem: Wikimedia Commons.
Getúlio Vargas e Franklin Roosevelt, Rio de Janeiro, ,1936. Imagem: Wikimedia Commons.

Você sabia?

Mais de 14 mil soldados alemães se renderam ao exército brasileiro durante a Segunda Guerra Mundial.

Referências

VICENTINO, C.; DORIGO, G. História geral e do Brasil. 2ª Edição. São Paulo: Scipione, 2013.

BOULOS JUNIOR, A. História: Sociedade e Cidadania. 9º ano. 3ª Edição. São Paulo: FTD, 2015.

Por Carlos Ferreira
Teste seu conhecimento

1. (Fatec-1997) A ocupação da Polônia marca o início da Segunda Guerra Mundial. Alternativa de manter a paz a qualquer custo, como foi feito em Munique, se revelou impossível. Hitler não se dava por satisfeito com a reconquista do “espaço vital”, queria mais e mais. Sobre a Segunda Guerra, é correto afirmar:

a) A Itália, aliada da Alemanha desde assinatura do Pacto de Aço, declarou guerra à Inglaterra e à França em junho de 1940. Em setembro do mesmo ano, a Itália atacou o Egito e a Turquia.

b) Em 1941 tropas alemãs invadiram o território Soviético dominaram definitivamente Leningrado e Moscou.

c) A partir dos sucessos na frente ocidental, da invasão e conquista da Bélgica, Holanda e França e do recuo inglês para o outro lado do canal, Hitler voltou sua atenção para a Polônia.

d) O sucesso definitivo alemão deveu-se à sua tática militar, conhecida como “guerra relâmpago”; essa consistia no uso de forças motorizadas, tanques e aviação, conjugados e combinados entre si, em uma ação defensiva.

e) A partir da declaração de guerra, feita por Inglaterra e França contra a Alemanha, outros países foram entrando no conflito, de ambos os lados. A cada novo beligerante, a relação de forças se alterava, e a guerra entrava em uma nova fase. Inicialmente uma guerra européia, estendeu-se paulatinamente à Ásia e a África.

2. (UFPR-1999) Referindo-se ao conflito que começou com a guerra da Inglaterra e França contra a Alemanha em 1939, Winston Churchill afirmava em discurso no Parlamento, em 21 de agosto de 1941: “Esta guerra, de fato, é uma continuação da anterior.” Pode-se afirmar que esta perspectiva de análise é acertada, uma vez que:

(1) os países vencedores da Primeira Guerra Mundial tiveram um comportamento revanchista em relação à Alemanha, principalmente a França, que sempre temeu a

recuperação política e econômica daquele país, seu tradicional inimigo.

(2) as indenizações exigidas pelos vencedores da Primeira Guerra Mundial foram tão pesadas que, somadas às outras cláusulas do Tratado de Versalhes, criaram na Alemanha um clima de ressentimento que alimentou a ascensão nazista.

(4) a situação interna da Alemanha, cuja recuperação após 1919 repousava em bases frágeis, deteriorou-se acentuadamente diante das conseqüências do “crack” da Bolsa de Nova York em 1929.

(8) o enfraquecimento pela derrota não impediu que a Alemanha, durante o período 1919-1939, reativasse sua influência sobre a Europa Central.

(16) derrotada na Primeira Grande Guerra e face à instabilidade política durante a década de 1920, a Itália adotou o fascismo após a crise econômica de 1929.

1. [e]

a) Itália não invadiu Egito e Turquia

b) As tropas alemãs não chegaram a tomar Leningrado e Moscou.

c) A Polônia foi o primeiro país a ser invadido.

d) Blitzkrieg, ou guerra relâmpago, consistia numa tática de ataque, não de defesa.

 

2.

A resposta deve ser a soma das afirmações corretas.

Portanto, 1+2+4+16=23.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO