Arte minimalista

Formas simples, poucas informações e a ausência de uma narrativa são as principais características do movimento minimalista

A arte minimalista é um movimento artístico que valoriza formas geométricas, a simplicidade e a quantidade mínima de objetos. As formas, as cores e as superfícies buscam remeter ao aqui e ao agora, negando a construção metafórica e figurativa. Os artistas estão distantes das suas próprias obras.

Contexto histórico

A arte minimalista tem origem em meados da década de 1950 e 1960. Contemporâneo ao expressionismo abstrato, surge nos Estados Unidos como uma negação à arte ilusionista e metafórica. Temporalmente ligado ao pós-guerra, evidencia a valorização dos modos industriais da produção. Em oposição ao caos da visualidade e das informações, as obras dos artistas utilizam as formas para que o espectador esteja presente no aqui e no agora.

Características

As características estéticas da arte minimalista são resultantes do contexto de industrialização e modernização da vida cotidiana. Os materiais são industriais e os artistas dependem da indústria para produzir. O interesse pela geometria está no seu potencial estético

  • Formas geométricas simples;
  • Negação à narrativa ou a metáfora;
  • Não influência da subjetividade na apreciação da obra;
  • Obras entre a fronteira da pintura e a escultura;
  • Apenas as informações essenciais são mantidas;
  • Uso de materiais de manuseio industrial;
  • Obras seriadas;
  • Cor, forma e superfície trabalhadas em unidade.

O efeito estético das obras minimalistas visa encurtar as distâncias entre corpo, mente e objeto, se abstendo da construção de uma narrativa fictícia durante a leitura da obra. Apenas o essencial é mantido na ordenação da obra.

Pop Art e minimalismo

O Por Art e arte minimalista são movimentos que aconteceram em tempos parecidos. Contudo, mesmo com a valorização das formas e das cores, são distintos. A Pop Art insere uma grande quantidade de informações, signos e elementos do cotidiano e da cultura de massa na criação do objeto artístico. Mesmo que se negue a separação entre vida e arte, a criação é carregada de elementos referenciados pelos observadores.

Já a arte minimalista se afasta da poluição visual intencionada pela Pop Art, as informações são selecionadas com cuidado e apreço estético. A produção artística está descolada do mundo e as formas são responsáveis pela produção de um efeito de afastamento ao caos cotidiano.

Principais artistas e obras

Mesmo que denominados posteriormente, os artistas minimalistas se fizeram presentes em diferentes países. A efervescência do minimalismo se deu nos Estados Unidos, assim os nomes mais expoentes são norte-americanos. O estilo também tem seus representantes brasileiros. Conheça alguns:

Donald Judd (1928-1994)

Artista estadunidense, é considerado o nome mais relevante da arte minimalista. Interessado pela escultura, procura superar o aspecto ilusório e narrativo das obras pictóricas. Suas obras prezam pelo aqui e agora. Veja as principais:

Sem título – 1991 – Donald Judd – Fonte: WikiArt

Sem título – 1969 – Donald Judd – Fonte: WikiArt

Agnes Martin (1912-2004)

Artista canadense, tem em suas produções grande influência do expressionismo abstrato. Suas obras destacam a presença da interioridade e do silêncio. Conheça algumas:

Drops – 1961 – Agnes Martin – Fonte: WikiArt

Stars – Agnes Martin – 1963 – Fonte: WikiArt

Sol LeWitt (1928-2007)

De origem norte-americana, o artista foi considerado um dos principais nomes do minimalismo. Suas obras valorizam o volume e a superfície dos objetos. Suas obras derivam principalmente das formas do cubo. Veja as mais conhecidas:

Escultura aberta preta – 1964 – Sol LeWitt – Fonte: WikiArt

Wall drawing – 2004 – Sol LeWitt – Fonte: WikiArt

Ana Maria Tavares (1958)

Artista mineira e professora universitária, transitou pela investigação da instalação e da escultura. O seu trabalho com as formas é característico do minimalismo. Observe:

Guarda Corpo – 1996 – Ana Maria Tavares – Fonte: Itaú Cultural

Serpentina – 1996 – Ana Maria Tavares – Fonte: Itaú Cultural

Carlos Fajardo (1941)

De origem paulista, inicia seu trabalho na pintura e no desenho. Com o passar dos anos passa a investigar a escultura e a instalação. Observe algumas das obras do seu repertório:

Sem título – 1996 – Carlos Fajardo – Fonte: Itaú Cultural

Sem título – Carlos Fajardo – Fonte: Itaú Cultural

A arte minimalista se desenvolveu com mais afinco na América do Norte na Europa e teve diversos artistas adeptos aos preceitos estilísticos propostos. Existem outros nomes para serem estudados, inclusive brasileiros.

Minimalismo no Brasil

A arte minimalista não se desenvolveu em grandes proporções no Brasil. A 8ª Bienal Internacional de São Paulo recebeu as obras de Donald Judd e Frank Stella. Carlos Fajardo, Ana Maria Tavares, Fábio Miguez, Carlito Carvalhosa e Cássio Michalany são artistas brasileiro que se aproximaram da estética estrangeira, propondo outras adequações estéticas.

Vídeos sobre a arte do essencial

Para complementar seus estudos, selecionamos alguns vídeos com informações extras. Neles você pode apreciar outras obras dos artistas já mencionados e conhecer outros

O minimalismo a partir de Donald Judd

A youtuber Patrícia Camargo apresenta as principais características da arte minimalista a partir da obra de Donald Judd. No vídeo, ela elenca 10 elementos que sintetizam os principais aspectos do movimento.

Contexto, características e mais artistas…

Nesse vídeo, o Zaac do canal Arte e Educação faz uma contextualização histórica, cita as principais características e apresenta obras de artistas do movimento. É um ótimo vídeo para revisar o conteúdo!

O que a arte minimalista pode ensinar?

O youtuber Lucas Conchetto apresenta neste vídeo alguns aspectos da arte minimalista e as relaciona com a vida cotidiana. Não é uma videoaula sobre história da arte, mas é um ótimo exercício de contextualização do assunto na vida cotidiana.

Formas geométricas simples, organização e unidade. A arte minimalista é uma resposta ao mundo caótico e moderno. Foi inspirada pelo expressionismo abstrato de Jackson Pollock. Para complementar seus estudos, leia a matéria sobre a Arte Abstrata.

Referências

MINIMALISMO . In: ENCICLOPÉDIA Itaú Cultural de Arte e Cultura Brasileiras. São Paulo: Itaú Cultural, 2021

Por Vanderlei Bachega Junior
Como referenciar este conteúdo

Bachega Junior, Vanderlei. Arte minimalista. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/arte-minimalista. Acesso em: 20 de September de 2021.

Exercícios resolvidos

1.

Como movimento da Arte Moderna, NÃO se pode afirmar quanto ao Minimalismo:

A) SoL Le Witt é um dos grandes nomes do minimalismo.

B) A repetição, a serialidade e o uso da cor monocromática são requisitos específicos necessários para a criação da obra de arte minimalista

C) O Minimalismo foi considerado como análogo da contracultura dos anos 60: “ateísta, comunista, materialista” nas palavras de Carl Andre e também foi considerado como arte do status quo: revelando “a face capital, a face da autoridade, a face do pai” (Chave 1990)

D) Atualmente, uma grande quantidade de arte contemporânea é criada a partir dos mesmos materiais e por meios similares aos trabalhos minimalistas, ainda que não seja feita para servir aos mesmos fins.

E)Um dos pontos-chave do pós-minimalismo são as frequentes referências distintas aos objetos sem representação direta

Resposta: B. Não há requisitos para uma obra ser considerada minimalista. Mas sim uma intenção de simplificação das formas e dos elementos.

2.

O Minimalismo é um movimento artístico que surgiu nos Estados Unidos na década de 1960 e foi denominado de arte “ABC” ou minimal art. Influenciado pelas correntes abstracionistas das vanguardas artísticas do início do século XX tais como o suprematismo e o neoplasticismo, entre outros, o Minimalismo se expandiu pela arte e pela arquitetura. Para Giulio Carlo Argan (1909-1992) historiador e teórico da arte, o objetivo da minimal art seria realizar uma síntese de volume e cor, criando formas elementares a partir de estruturas geométricas primárias, capazes de se impor na paisagem em simultâneo, apinhada e desolada das megalópoles industriais.

A partir do texto acima e considerando as relações estabelecidas com outras manifestações artísticas, conclui-se que o Minimalismo

a) adotou, como o neoplasticismo, a ideia de que uma obra de arte deve ser concebida durante sua execução.

b) celebrou o racionalismo e um modo matemático de pensar, tal como o expressionismo abstrato.

c) compartilhou com o impressionismo, um compromisso com o rigor conceitual, relacionando a arte com a ciência e a tecnologia.

d) descreveu o ambiente consumista e sua mentalidade, assim como a pop art na década de 1950.

e) substituiu a instantaneidade perceptiva de base gestáltica pela leitura sequencial e relacional do cubismo.

Resposta: A. O expressionismo abstrato não era racional. O impressionismo não relaciona arte e tecnologia. Foi contra ao consumismo da época.

Compartilhe

TOPO