Cubismo

Cubismo empreende uma outra visão das coisas e do mundo. Trata-se de um movimento artístico surgido em 1907 que tem como precursores Pablo Picasso e Georges Braque.

O Cubismo foi um movimento artístico de vanguarda que ocorreu na França no início do século XX, entre 1908 e a Primeira Guerra Mundial (1914-1918). Entre suas características, encontra-se a valorização das formas geométricas e não a representação da realidade. A prestação da natureza se dá pela observação das formas em si e não pela representação idealizada de como as coisas são.

A origem do cubismo

Les demoiselles d’Avignon (1907), Pablo Picasso. Fonte: WikiArt

Influenciados por algumas obras de Cézanne, pintor pós-impressionista, o Cubismo passa a representar as figuras de forma não realista e num mesmo plano, frontal em relação ao observador. Considerado revolucionário por representar natureza, usavam-se formas geométricas destoando da representação mimética da realidade feita até então. Enquanto temática, representa a fragmentação do ser humano em sociedade.

Características

O Cubismo se tornou um grande movimento artístico por apresentar características na sua forma que exploravam outros modos de produzir e compreender a arte. Acompanhe algumas delas:

  • Geometrismo: os artistas cubistas usavam em suas obras diferentes formas geométricas para a representação das figuras e da natureza. Essa é a característica mais visível do movimento;
  • Plano único: as pinturas cubistas representam os diferentes ângulos de uma imagem num mesmo plano, suprimindo a noção de perspectiva realista;
  • Decomposição da imagem: com a utilização das formas geométricas, o movimentou decompôs as formas reais e as reconstrói explorando a formação de uma nova imagem;
  • Ausência da representação da realidade: principalmente na sua fase analítica, os artista cubistas criavam imagens totalmente desligadas da realidade como conhecemos. Entretanto, alguns elementos podem auxiliar o observador a compreender o que está sendo retratado em cada obra;
  • Fragmentação: além da essência formalista, a fragmentação representa as múltiplas sensações e estado do ser humano que vive em sociedade.

Com a grande profusão do trabalho de alguns artistas, como Pablo Picasso, o movimento ganhou aderência e transformou-se com o passar dos anos e a devolutiva dos observadores e críticos das obras. Veja as fases do movimento no tópico a seguir.

Fases do cubismo

Como muitos outros movimentos, o Cubismo apresentou tendências de quanto ao uso de formas, cores e complexidade das imagens. O movimento é compreendido em três momentos, o início, marcado pelas influências de Paul Cézanne, o Cubismo Analítico e o Cubismo Sintético.

Cezanniano

Terraço do Hotel “Mistral” em Estaque (1907), Georges Braque. Fonte: WikiArt

O pintor pós-impressionista Cézanne teve sua relevância ao usar de cones cilíndricos e esferas para representar a natureza. Essa característica inspirou os cubistas que passaram a usar formas geométricas para a representação dos objetos, porém num mesmo plano.

Analítico

Violino e Paleta (1909), Georges Braque. Fonte: WikiArt

As obras da fase Analítica são marcadas pela decomposição das imagens, pela grande fragmentação, por apresentar grande complexidade na formação das imagens, renunciar a perspectiva nas imagens e usar uma combinação de cores entre preto, branco, cinza e ocre.

Sintético

Garrafa, vidro, violino (1912), Pablo Picasso. Fonte: WikiArt

As obras da fase Sintética apresentam figuras mais reconhecíveis ao observadores, exploram o uso de cores vibrantes, apresentam uso de outros materiais, com textura, letras e fazem o uso da técnica de colagem.

É possível perceber a comunicação e consenso entre os artistas que aderiram ao movimento, é possível observar a semelhança entre as obras produzidas e também as transições entre uma fase e outra.

Cubismo na literatura

O movimento Cubista influenciou também as produções na literatura, tanto na Europa quanto no Brasil. As características são assimiladas principalmente quanto à forma de escrita, à desconstrução e reconstrução de alguns elementos, à colagem de diferentes gêneros num mesmo texto e à fragmentação. Podemos observar essas características em alguns poemas de Oswald de Andrade.

Principais artistas e obras

Houveram alguns nomes que contribuíram para o desenvolvimento do Cubismo na França, entre eles, Picasso e Braque. Esses dois artistas marcam o movimento com suas obras consideradas revolucionárias e audaciosas para o contexto. Confira esses e outros nomes e suas principais obras.

Pablo Picasso

Pablo Picasso (1881-1973), espanhol, foi um dos artistas que liderou o Cubismo. Sua obra Les Demoiselles d’Avignon é considerada a obra marco do movimento:

Guernica (1937), Pablo Picasso. Fonte: WikiArt
Homem com violão (1912), Pablo Picasso. Fonte: WikiArt
Harlequinesque (1913), Pablo Picasso. Fonte: WikiArt

Georges Braque

Georges Braque (1882-1963), pintor e escultor francês, fundou o Cubismo em conjunto com Picasso. Suas obras evidenciam as características do movimento. Observe:

Mulher com um Bandolin (1912), Georges Braque. Fonte: WikiArt
Fruteira e vidro (1912), Georges Braque. Fonte: WikiArt
Aria de Bach (1913), Georges Braque. Fonte: WikiArt

Fernand Léger

Fernand Léger (1881-1955) foi um pintor francês que se destacou como Cubista:

Retrato de André Mare (1901), Fernand Léger. Fonte: WikiArt
Fumaça (1912), Fernand Léger. Fonte: WikiArt
Acrobatas no circo (1918), Fernand Léger. Fonte: WikiArt

Albert Gleizes

Albert Gleizes (1881-1953), foi um pintor francês que se autodeclarou como fundador do Cubismo, suas obras apresentam as principais características do movimento:

Retrato de Jacques Nayral (1913), Albert Gleizes. Fonte: WikiArt
Paisagem (1913), Albert Gleizes. Fonte: WikiArt
Mulher com animais (1914), Albert Gleizes. Fonte: WikiArt

Rafael Zabaleta

Rafael Zabaleta (1907-1960) foi um pintor espanhol que também aderiu ao movimento Cubista em suas pinturas, posteriormente ao acontecimento do Cubismo. Veja as influências:

O Sátiro (1958), Rafael Zabaleta. Fonte: WikiArt
Pintora e modelo (1954), Rafael Zabaleta. Fonte: WikiArt
Autorretrato e modelo con bodegón (1955), Rafael Zabaleta. Fonte: WikiArt

Esses são apenas alguns dos artistas considerados cubistas. O movimento influenciou outras vanguardas que estavam por vir e artistas brasileiros no período do modernismo.

Vídeos sobre a vanguarda das geometrias

O Cubismo foi um movimento complexo que contribui de forma positiva para o desenvolvimento da arte moderna. Confira com mais detalhes:

Revisando

Este vídeo é uma revisão com outras imagens que pode te ajudar a fixar todas as informações deste importante movimento artístico.

Fases

Os três momentos do Cubismo possuíram características bem distintas, mas, ainda assim, mantiveram uma opinião formal concisa. Veja este vídeo e compreenda as características detalhadas de cada um deles.

Grande nome

O grande nome do Cubismo é Pablo Picasso e este vídeo pode te ajudar a compreender o porquê o trabalho do artista foi tão reconhecido mundialmente.

O Cubismo foi uma das portas de entrada para a arte moderna na Europa, influenciou diversos movimentos e artistas pelo mundo todo, inclusive a brasileira Tarsila do Amaral. Não deixe de conferir também sobre as vanguardas europeias para complementar seus estudos.

Referências

PROENÇA, Graça. História da Arte. 17ª ed. São Paulo: Editora ABDR, 2012.

Por Vanderlei Bachega Junior
Como referenciar este conteúdo

Bachega Junior, Vanderlei. Cubismo. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/cubismo. Acesso em: 29 de October de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UFES]

Sobre o Cubismo, é INCORRETO afirmar:
A) É considerado fonte da corrente formalista e, por consequência, da pintura abstrata da arte do século XX.
B) Questiona os pressupostos fundamentais da tradição da arte ocidental.
C) Manifesta interesse pela arte não ocidental, como a arte africana e a arte primitiva.
D) Foi bem aceito pela sociedade da época, desde sua origem, na primeira década do século XX.
E) Apresenta pintura de caráter revolucionário, principalmente em relação à formalização das imagens.

Resposta: D

2. [ENEM]

Na criação do texto, o chargista Iotti usa criativamente um intertexto: os traços reconstroem uma cena de Guernica, painel de Pablo Picasso que retrata os horrores e a destruição provocados pelo bombardeio a uma pequena cidade da Espanha. Na charge, publicada no período de carnaval, recebe destaque a figura do carro, elemento introduzido por Iotti no intertexto. Além dessa figura, a linguagem verbal contribui para estabelecer um diálogo entre a obra de Picasso e a charge, ao explorar:

A) uma referência ao contexto, “trânsito no feriadão”, esclarecendo-se o referente tanto do texto de Iotti quanto da obra de Picasso.
B) uma referência ao tempo presente, com o emprego da forma verbal “é”, evidenciando-se a atualidade do tema abordado tanto pelo pintor espanhol quanto pelo chargista brasileiro.
C) um termo pejorativo, “trânsito”, reforçando-se a imagem negativa de mundo caótico presente tanto em Guernica quanto na charge.
D) uma referência temporal, “sempre”, referindose à permanência de tragédias retratadas tanto em Guernica quanto na charge.
E) uma expressão polissêmica, “quadro dramático”, remetendo-se tanto à obra pictórica quanto ao contexto do trânsito brasileiro

Resposta: E

Compartilhe

TOPO