Expressionismo

O movimento expressionista começou na Alemanha, no início do século XX, quando artistas procuraram pintar sobre suas emoções, como medo, raiva e ansiedade.

O expressionismo surgiu no início do século XX na Europa, mais precisamente na Alemanha, quando artistas passaram a explorar seus sentimentos em suas obras, procurando transmitir principalmente o isolamento e a ansiedade da existência moderna através de traços fortes e cores vibrantes.

Contexto histórico e como surgiu

Privilegiando a experiência emocional acima de tudo, o estilo encontrou suas raízes nas obras de Edvard Munch e Vincent van Gogh e apresentava uma abordagem artística diferente daquelas conhecidas até então.

Diferentemente dos impressionistas que se ocuparam em interpretar a natureza como tal, os expressionistas buscavam interpretar a sua própria psique, isso é, seus próprios sentimentos e angústias.

É importante lembrarmos que durante esse período, a Europa se encontrava mergulhada na Primeira Guerra Mundial (1914 – 1918), fato que influenciou o surgimento do expressionismo, pois os artistas do período passaram a se questionar sobre sua importância e existência, explorando sentimentos tais como medo, ansiedade e raiva em suas obras.

Quando o nazismo ascendeu ao poder na Alemanha durante os anos 1930, o expressionismo chegou ao fim.

Classificada como “arte degenerada”, termo genérico para a arte considerada moralmente suspeita, judaica ou comunista, as obras expressionistas foram removidas dos museus e confiscadas de coleções particulares da Alemanha nazista.

Expressionismo na literatura

Sem dúvidas, a maior influência para a literatura expressionista foi o pensamento niilista de Friedrich Nietzsche que manifestava seu vazio existencial, o qual podemos resumir em sua famosa frase: “Deus está morto”.

E assim como acontecia nas artes visuais, os escritores do expressionismo também se ocuparam da subjetividade e da psique (aquele conceito que leva em conta a mente de cada um).

Dessa forma, as emoções dos personagens começaram a ser bastante exploradas nas obras literárias de modo experimental e nem sempre linear.

São autores do expressionismo alemão: Carl Einstein, Gerorg Trakl e Kasimir Edschmid. No entanto, o autor tcheco Franz Kafka é muitas vezes considerado expressionista por causa das visões de pesadelo de seus personagens, perdidos na burocracia e na mecanização cotidiana como fez em obras importantes: “A Metamorfose” (1915), “O Processo” (1925) e “O Castelo” (1926), por exemplo.

Características do expressionismo

  • Cores vivas;
  • Traços fortes;
  • Exploração da subjetividade, emoções e sentimentos;
  • Apelo dramático;
  • Técnica do “pincel visível”, que permite aos observadores experimentar o ato de criar seguindo os gestos que o artista usou ao criar a obra de arte;
  • Uso não ortodoxo das cores, isto é, um céu amarelo, árvores roxas ou uma grama vermelha, por exemplo;
  • Distorção das formas: as imagens podem ser alongadas, comprimidas ou de qualquer outro modo que o artista preferir.

Principais artistas e obras do expressionismo

Confira abaixo um resumo sobre os principais artistas do movimento expressionista.

Vincent van Gogh (1853 – 1890)

Auto-retrato com chapéu de feltro cinza – 1887

Vincent Willem van Gogh é considerado um dos artistas mais influentes da arte ocidental. O artista começou pintando naturezas-mortas e camponeses, até encontrar seu próprio estilo no qual cores vibrantes e pinceladas impulsivas eram usadas para expressar sua solidão e depressão.

Van Gogh pintou quase 900 telas, a maioria nos seus dois últimos anos de vida e só obteve reconhecimento depois falecer.

Edvard Munch (1863 — 1944)

O Grito – 1893

O pintor norueguês Edvard Munch é considerado um dos precursores do expressionismo alemão e sua obra “O Grito”, além de ser seu trabalho mais famoso, também é considerada um dos marcos desse movimento.

As criações de Munch relembravam sentimentos como medo e desespero, influenciando vários artistas que se identificavam com as suas telas.

Paul Gauguin (1848 — 1903)

Cristo Amarelo – 1889

O artista francês pós-impressionista Eugène Henri Paul Gauguin foi uma figura importante nos movimentos artísticos do início dos anos 1900 como o expressionismo.

Conhecido pelo uso de cores ousadas, proporções corporais exageradas e contrastes marcantes, Gauguin é frequentemente associado tanto ao expressionismo quanto ao primitivismo.

Paul Klee (1879 – 1940)

Flor Myto (1918)

Pintor nascido na Suíça, Paul Klee foi originalmente associado ao expressionismo alemão e, posteriormente, lecionou na Bauhaus, importante escola de arte alemã muito influente do período entre-guerras.

No entanto, seu trabalho bastante variado impede que categorizemos o artista num único movimento artístico, de tal forma que as obras de Paul Klee serviram de inspiração tanto para a fundação da Escola de Nova York quanto para muitos outros artistas do século XX.

Expressionismo no Brasil

No Brasil, esse movimento influenciou artistas que encontraram no expressionismo uma nova e potente forma de se comunicar com o mundo, no início do século XX.

Entre os mais importantes, estão os paulistas Anita Malfatti (1889 – 1964), Cândido Portinari (1903 – 1962) e também o artista lituânio que viveu boa parte de sua vida por aqui, Lasar Segall (1891 – 1957).

Portinari se tornou internacionalmente famoso com seus trabalhos em tons de vermelho que destacavam as desigualdades existentes no Brasil.

Já Malfatti se tornou referencial para a nossa arte moderna, porque mesmo sem usar técnicas acadêmicas, essa artista conseguia exprimir sentimentos variados, indo do medo à alegria em suas telas vibrantes.

Enquanto isso, Lasar Segall se dedicou a temas tipicamente brasileiros, pintando personagens marginalizados da nossa sociedade em telas que expressavam o sofrimento e opressão pelos quais esses grupos passavam.

E foi dessa forma, repleto de questionamentos existenciais e com uma forte carga psicológica, que o expressionismo se fez presente no Brasil e influenciou os artistas de vanguarda que viriam a seguir.

Referências

Isso é arte? – Will Gompertz
História da Arte – Graça Proença
A História da Arte – E. H. Gombrich

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Exercícios resolvidos

1. [CESGRANRIO]

O expressionismo foi um movimento artístico do final do século XIX, que procurava expressar nas obras as emoções e a subjetividade do artista, ou seja, seu mundo interior. Desenvolvendo-se numa época de grande crise da sociedade europeia, em que as emoções eram muitas vezes de angústia e depressão, essa arte criou imagens fortes e contundentes.
Van Gogh e Munch são dois importantes nomes do expressionismo que, no Brasil, consagrou:

a) Tomie Ohtake

b) Lygia Clark

c) Anita Malfati

d) Abrahan Palatnik

e) Aldemir Martins

Resposta: C

2. [UEL]

ENSOR, James. The Intrigue. 1890, óleo sobre tela.

Com base na imagem do pintor expressionista James Ensor e nos conhecimentos sobre o Expressionismo, assinale a alternativa correta.

a) A pintura expressionista trabalha com partes de uma mesma imagem, recompondo-as e utilizando-as ao mesmo tempo, a fim de criar várias perspectivas e dar a impressão de que um objeto pode ser visto ao mesmo tempo sob todos os ângulos.

b) Pintando diretamente sobre a tela branca, utilizando somente cores puras justapostas em vez de misturá-las previamente na paleta, os pintores expressionistas buscavam obter a vibração da luz; pesquisavam os cambiantes efeitos da luz na atmosfera e nos objetos a fim de fixá-los na tela.

c) A proposta do Expressionismo é de que a arte flua livremente a partir do inconsciente, da livre associação, com a incorporação de elementos ilógicos do sonho, da fantasia, sem se submeter a qualquer teoria vigente e a nenhuma lógica.

d) O expressionista é inclinado a deformar a realidade de modo cruel, caricatural, muitas vezes hilário; o exagero, a distorção e a dramaticidade das formas, linhas e cores revelam uma atitude emocional do artista.

e) O movimento expressionista propõe a construção de valores burgueses, utilizando-se do lirismo para afirmar conceitos da sociedade; suas manifestações são intencionalmente ordenadas e objetivam conquistar a crítica.

Resposta: D
Assim como explicado no texto, os artistas expressionistas procuraram dar vazão às emoções, através do exagero, dramaticidade, cores e traços fortes, etc.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO