Orações subordinadas adjetivas

Trata-se de orações que funcionam, essencialmente, como adjuntos adnominais - conferem características ao referente, ao substantivo - no período composto. Dividem-se em explicativas e restritivas.

Da mesma forma como as orações subordinadas substantivas, as orações subordinadas adjetivas fazem parte do estudo sobre o período composto e correspondem a uma função sintática do período simples. Neste texto, você poderá conferir um pouco mais sobre os tipos destas orações e suas características primordiais.

Tipos de orações subordinadas adjetivas

As orações subordinadas adjetivas funcionam como adjuntos adnominais de um substantivo – atribuindo características a ele – ou pronome anteriores. Dividem-se em dois tipos: adjetivas explicativas e adjetivas restritivas.

Oração subordinada adjetiva explicativa

Relaciona-se ao termo anterior conferindo um caráter generalizador à sentença. Sua função assemelha-se a de um aposto explicativo e, por isso, podem ser removidas sem grande prejuízo semântico. A principal marca deste tipo de oração é o uso da vírgula.

Exemplos

O homem, que é mortal, tem alma imortal.
O pátio, que se desdobrava diante do copiar, era imenso. (Graciliano Ramos)

Oração subordinada adjetiva restritiva

Ao contrário das explicativas, as restritivas, como o próprio nome sugere, delimitam o escopo semântico do substantivo anterior; por isso, são indispensáveis para o completo entendimento de uma sentença. Além disso, não são marcadas pelo uso da vírgula.

Exemplos

Os que aprendiam a ler na escola rural achavam indigna a labuta agrícola. (J. A. de Almeida)
Cada qual tem o ar que Deus lhe deu. (Machado de Assis)

Como você pôde notar, o uso da vírgula nas orações subordinadas adjetivas pode causar uma grande diferença semântica em um texto. É importante salientar também que não são conjunções integrantes que unem as orações (como ocorre nas subordinadas substantivas) e, sim, pronomes relativos que resgatam especificamente o substantivo anterior. Em resumo:

Todo Estudo

Orações subordinadas desenvolvidas ou reduzidas

As orações subordinadas adjetivas podem aparecer de duas formas: desenvolvidas ou reduzidas. A diferença está na presença ou não de um pronome relativo entre as orações e na forma como os verbos são utilizados.

  • Desenvolvidas: possuem o pronome relativo (com ou sem preposição) e os verbos estão nos modos indicativo ou subjuntivo.
    Exemplo: Não vemos os defeitos de quem amamos.
  • Reduzidas: o pronome relativo não está presente e os verbos ficam no infinitivo ou gerúndio.
    Exemplo: Pareceu ao pobre lenhador sentir, naquele vento, o som de um choro, e uma voz bradando aflita.
  • (Eça de Queiroz)

As orações subordinadas adjetivas, dessa forma, podem aparecer de diversas formas e é sempre importante ficar atento ao uso do pronome relativo e aos tempos verbais.

Vamos revisar o conteúdo em vídeo?

Após ler um pouco sobre o conteúdo, é hora de revisar com alguns vídeos e mais exemplos.

O que são orações subordinadas adjetivas?

Neste vídeo, você poderá ver um resumo sobre todas as caraterísticas das orações subordinadas adjetivas e seu funcionamento em um texto.

Alguns exercícios para sedimentar o conteúdo

Resolver exercícios é sempre importante para compreender corretamente um conteúdo, ainda mais em análises sintáticas de períodos compostos. Aqui, você poderá conferir algumas questões resolvidas.

Conjunção integrante x pronome relativo

No estudo do período composto, é importante saber diferenciar uma conjunção integrante e um pronome relativo. Veja um pouco mais sobre este assunto no vídeo.

Como vimos ao longo do texto, as orações subordinadas adjetivas possuem diversas particularidades. É sempre importante relembrar o uso dos pronomes relativos e saber diferenciar o caráter semântico de cada uma das orações que acabamos de estudar pelo uso da vírgula.

Referências

Novas lições de análise sintática – Adriano da Gama Kury.

Leonardo Ferrari
Por Leonardo Ferrari

Graduando em Letras pela Universidade Estadual de Maringá onde desenvolve pesquisa na área de Literatura Pós-Colonial e participa do projeto de extensão Letras na Web. É professor assistente em colégio de ensino médio. Nas horas livres dedica-se à família, aos amigos, à sétima arte e à leitura.

Exercícios resolvidos

1. [EsPCEX]

Assinale a alternativa que analisa corretamente a oração sublinhada na frase a seguir.

“Os animais que se alimentam de carne chamam-se carnívoros.”

a) A oração adjetiva sublinhada serve para explicar como são chamados os animais que se alimentam de carne e, portanto, por ser explicativa, deveria estar separada por vírgulas.
b) Como todos os animais carnívoros alimentam-se de carne, não há restrição. Nesse caso, a oração sublinhada só poderá ser explicativa e, portanto, deveria estar separada por vírgulas.
c) Trata-se de uma oração evidentemente explicativa, pois ensina como são chamados os animais que se alimentam de carne. Sendo assim, a oração adjetiva sublinhada deveria estar separada por vírgulas.
d) A oração adjetiva sublinhada tanto pode ser explicativa, pois esclarece, em forma de aposto, o termo antecedente, quanto pode ser restritiva, por limitar o sentido do termo “animais”.
e) A oração adjetiva sublinhada só pode ser restritiva, pois reduz a categoria dos animais e é indispensável ao sentido da frase: somente os que comem carne é que são chamados de carnívoros.

Correta: e.

Justificativa: No exemplo dado, temos uma oração subordinada adjetiva restritiva que está delimitando o grupo de animais que comem carne. Essa oração não poderia ser escrita entre vírgulas, pois construiria o sentido de que todos os animais comem carne.

2. [UFAM]

Assinale a opção em que a oração adjetiva delimita o significado do substantivo a que se refere:

a) Em sua visita à Turquia, que pertence ao mundo islâmico, Bento XVI afirmou que cristãos e muçulmanos são todos filhos do mesmo deus.
b) João Paulo II foi sucedido pelo cardeal Joseph Ratzinger, que era seu braço-direito.
c) Muito aprecio Rubem Braga, que escreveu as mais belas crônicas de nossa literatura.
d) Já ouviste dizer que cobra que não anda não engole sapo?
e) Nas folgas, costumava frequentar a Ponta Negra, onde sempre encontrava velhos e queridos amigos.

Correta: d.

Justificativa: A alternativa d é a única que não possui vírgula antes do pronome relativo que. Assim, é uma oração subordinada adjetiva restritiva e delimita o escopo semântico da palavra anterior.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO