Giordano Bruno

O filósofo que foi queimado vivo em praça pública, conhecido como o mártir da ciência e defensor dos múltiplos mundos. Conheça a vida e o pensamento de Giordano Bruno.

Giordano Bruno foi um filósofo italiano conhecido por defender a tese de que o Universo é infinito. Por isso e outros motivos, foi excomungado da Igreja e condenado à morte. Foi queimado vivo em praça pública e hoje é considerado um mártir da liberdade de pensamento.

Índice do conteúdo:

Biografia

Retrato de Giordano Bruno.

Giordano Bruno, batizado como Filippo Bruno, nasceu em 1548 em Nola – Itália. Único filho dos nobres Giovanni Bruno e Fraulissa Savolino. Ele foi um frade dominicano, filósofo, teólogo, escritor, matemático, poeta, teórico de cosmologia e ocultista hermético.

Como sua família considerava que ele tinha vocação religiosa, aos 13 anos, Bruno foi mandado a um convento em Nápoles. Lá, estudou Humanidades, Lógica e Dialética. Quando recebeu o hábito dominicano, aos 17 anos, mudou seu nome para Giordano Bruno.

Sua vida é composta por uma série de expulsões, porque tinha uma pensamento diferente do da Igreja e acabou sendo considerado um herege. Em 1575, Bruno terminou teologia e logo no ano seguinte foi expulso de Nápoles. Resolveu, então, se aproximar do Calvinismo, em Genebra, mas novamente é expulso.

Em 1582, o filósofo se muda para Paris, onde começa a lecionar e publica seu primeiro trabalho “A sombra das ideias”. A teoria de Bruno era voltada para o estudo do cosmo. Apoiado pelas ideias de Lucrécio, um filósofo romando de 94 a.C., Giordano Bruno defendia o heliocentrismo e também elaborou a tese de que o universo era infinito, tese essa que contrariava todas as posições e dogmas da Igreja.

Bruno viaja para Alemanha, Inglaterra e França e é banido de todos esses lugares. Foi excomungado da Igreja Católia e condenado por prática de magia (dado aos seus estudos sobre a memória), ocultismo, panteísmo e heresia. Ficou preso durante oito anos.

A Igreja exigiu que ele se retratasse completamente e negasse tudo o que pensava e pregava, contudo, Bruno não se rendeu às pressões e às séries de tortura. Ele foi condenado à morte pelo papa Clemente VIII (1592-1605), a sentença proferida foi ser queimado vivo na fogueira em praça pública. Bruno foi morto em 17 de fevereiro de 1600 em Campo de’ Fiori em Roma e todas as suas obras foram postas no Índice de Livros Proibidos pela inquisição.

Em 1889, o escultor Ettore Ferrari dedicou um monumento a Bruno, no local exato de sua morte. A estátua fica de frente para o Vaticano, como uma forma de desafiar a Igreja. Bruno foi considerado um mártir da liberdade de pensamento na Itália, após a Unificação do país.

Teorias e obras

As ideias de Giordano Bruno partiram das leituras de Lucrécio, Copérnico e Nicolau da Cusa e diziam respeito ao cosmo e à natureza do universo. Para Bruno, Deus era infinito, o universo também e existiriam múltiplos mundos, porque não teria como um Deus infinito criar um universo limitado e um único mundo.

Para Bruno, o universo está em constante mudança e transformação; diferente do posicionamento da Igreja, que entendia o universo como um sistema rígido, fechado e acabado. A tese do universo infinito continha a ideia de que também existiria uma infinidade de estrelas, como o Sol e de planetas que – assim como a Terra – teria vida inteligente. Além disso, Giordano Bruno também defendia a tese do heliocentrismo, outro pensamento contrário à Igreja, que defendia fortemente o geocentrismo.

Bruno entendia Deus como uma força criadora perfeita que forma o mundo e que seria imanente a ele, ou seja, Deus está presente no mundo e há uma parte dele em todas as criaturas. Defender a imanência e não a transcendência de Deus foi um dos principais motivos para Bruno ter sido condenado à morte. Ele também era hilozoísta, ou seja, pensava que tudo tinha vida e panpsiquista, o que significa pensar que tudo tem uma natureza psíquica ou uma alma.

Seus pensamentos foram expostos em obras como:

  • A sombra das ideias (1582);
  • A causa, o Princípio e o Uno (1584);
  • Acerca do Infinito Universo e Mundos (1584);
  • Tratado da magia (1591);
  • Sobre o Tríplice Mínimo e a Tríplice Medida (1591);
  • A Mônada, o Número e a Figura (1591);
  • Sobre o inumerável, imenso e não configurável (1591).

Giordano Bruno escreveu diversos livros e tratados, esses são alguns dos mais importantes, em que se pode encontrar a discussão sobre o infinito e a imanência de Deus.

5 frases de Giordano Bruno

Bruno, além de escrever muitos livros, proferiu aulas e palestras. Estes são alguns de seus pensamentos mais conhecidos:

  1. “O mundo é infinito porque Deus é infinito. Como acreditar que Deus, ser infinito, possa ter se limitado a si mesmo criando um mundo fechado e limitado?”
  2. “Décimo quarto [argumento a favor da infinidade do Universo], se a potência infinita ativa realiza o ser corpóreo e dimensível, este deve ser necessariamente infinito; doutro modo deprecia-se a natureza e a dignidade de quem pode fazer, e de quem pode ter feito”.
  3. “A Terra e os astros […], como eles dispensam vida e alimento às coisas, restituindo toda matéria que emprestam, são eles próprios dotados de vida, em uma medida bem maior ainda; e sendo vivos, é de maneira voluntária, ordenada e natural, segundo um princípio intrínseco, que eles se movem em direção às coisas e aos espaços que lhes convêm”.
  4. “Não é fora de nós que devemos procurar a divindade, pois que ela está do nosso lado, ou melhor, em nosso foro interior, mais intimamente em nós do que estamos em nós mesmos”.
  5. “Não se deve procurar se fora do céu existe lugar, vácuo ou tempo; porque único é o lugar geral, único o espaço imenso, que podemos livremente chamar de vácuo, onde existem inumeráveis e infinitos globos, como existe este, onde vivemos e vegetamos. Esse espaço nós chamamos infinito, porque não existe razão, conveniência, possibilidade, sentido ou natureza que deva limitá-lo. Nele estão contidos infinitos mundos semelhantes a este”.

Nessas frases, pode-se ver os argumentos de Giordano Bruno para a defesa do Universo infinito e da imanência de Deus, dois dos seus pensamentos mais fortemente defendidos e dos quais ele não abdicou para se ver livre da sentença de morte.

3 vídeos sobre a vida e as ideias de Giordano Bruno

Nestes três vídeos, você poderá conhecer com mais detalhes a vida do filósofo, bem como ver como o pensamento de Bruno foi importante para o seu tempo e serviu de impulso para o advento da ciência.

Resumo das ideias de Giordano Bruno

O canal Conhecimentos da Humanidade comenta sobre as teorias de Bruno acerca da infinidade do Universo, além disso, fala da técnica de mnemônica: a arte da memória.

Um contexto da vida e pensamento de Bruno

No vídeo do canal Curioso News, é feita uma contextualização do pensamento da época de Giordano Bruno e como as ideias do filósofo se contrastavam com os dogmas da Igreja, além do medo da santa inquisição. O vídeo também contempla o hermetismo de Bruno.

Podcast para ficar expert na filosofia de Giordano Bruno

No podcast do canal Organização Internacional Nova Acrópole do Brasil, além da contextualização da época, focando o papel da Igreja Católica, o professor Barreto comenta como Bruno iniciou o movimento de quebra dos pensamentos dogmáticos da Igreja e foi um dos pensadores que incentivaram o nascimento da ciência.

Os vídeos tratam dos conceitos que foram expostos, como a imanência de Deus e a infinidade do Universo, mas também trazem outras ideias propostas por Bruno, como a mnemônica e o hermetismo. Gostou da matéria? Veja sobre Galileu Galilei, outro grande pensador que, dez anos após a morte de Bruno, comprovou algumas de suas teorias.

Referências

A visão do cosmo no “Tratado da magia” de Giordano Bruno. ATROCH, T.J. C. (2012)
Giordano Bruno, universo infinito e finitude humana. BOMBASSARO, L. C. (2017)
Sobre o infinito, o universo e os mundos / Giordano Bruno. O ensaiador / Galileu Galilei. A cidade do sol. BRUNO, G.; GALILEI, G.; CAMPANELLA, T. (1983).

Marilia Duka
Por Marilia Duka

Graduada em Filosofia pela Universidade Estadual de Maringá em 2016. Graduanda do 4º ano de Letras Português/Francês na Universidade Estadual de Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Duka, Marilia. Giordano Bruno. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/filosofia/giordano-bruno. Acesso em: 23 de September de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [Prefeitura Municipal de Cruzeta (RN)- 2010]

Questão 1. Entre os principais nomes da filosofia medieval encontra-se o de Giordano Bruno. Sendo sua teoria semelhante à de Nicolau de Cusa e a de Copérnico, qual a razão de ter incomodado tanto a Igreja, fazendo esta oposição radical ao filósofo, a ponto de ser julgado pela inquisição e sumariamente condenado à morte?
a) Acreditar em Deus como um Ser não transcendente;
b) Ter apenas afirmado ser o sol o centro do universo;
c) Duvidar do mistério da Santíssima Trindade como dogma de fé;
d) Inaugurar as possibilidades da construção de um novo conhecimento científico para o mundo.

A alternativa A é a correta.
Embora as outras alternativas tenham aspectos verdadeiros, a alternativa A é a que melhor se encaixa, pois Bruno defendia fortemente a imanência de Deus.

2.

Questão 2. Giordano Bruno foi um filósofo controverso do período medieval. Seus principais pensamentos são:
a) a imanência e a transcendência de Deus;
b) o universo infinito e a transcendência de Deus;
c) os múltiplos mundos e o geocentrismo;
d) o heliocentrismo e a transcendência de Deus;
e) o universo infinito e a imanência de Deus.

A alternativa E está correta.
Bruno não defendia nem a transcendência de Deus nem o geocentrismo. Resta, pois, a alternativa E.

Compartilhe

TOPO