Sistema imunológico

O sistema imunológico é a parte responsável pela defesa do nosso organismo.

O sistema imunológico é formado pelo conjunto de glóbulos brancos ou leucócitos e pelos órgãos que produzem essas células.

Os glóbulos brancos, ou leucócitos, são produzidos na medula óssea vermelha ou em órgãos linfáticos.

Há vários tipos de leucócitos em nosso organismo e eles podem ser de cinco tipos básicos: neutrófilos, eosinófilos, basófilos, monócitos e linfócitos

A importância da fagocitose no sistema imunológico

Os leucócitos têm a capacidade de fagocitar, isto é, digerir e destruir microrganismos invasores.

sistema imunológico
Imagem: Reprodução

Vale ressaltar que, por esse processo, os leucócitos emitem expansões que envolvem e englobam os organismos invasores.

Então, os lisossomos liberam enzimas digestivas, que destroem o microrganismo englobado.

Logo, no momento de um corte no dedo, por exemplo, são principalmente os neutrófilos que se dirigem até o local do ferimento, fagocitando os microrganismos.

Porém, nesta ação, muitos neutrófilos morrem juntamente com as bactérias.

O conjunto dos glóbulos brancos e das bactérias mortas, além de células mortas do tecido lesado, formam o pus, comum nos ferimentos.

Uma porção de pus é a amostra da ação entre as células de defesa do sistema imunológico e os agentes microbianos: células danificadas do tecido atingido, leucócitos mortos e organismos invasores destruídos.

A reação contra uma infecção geralmente é localizada, consistindo em dor e inchaço na área afetada.

Quando essa ação de defesa do organismo não é bem sucedida, surge uma resposta mais generalizada do corpo, tais como os sintomas de febre e o aumento do número de glóbulos brancos no sangue.

A produção de anticorpos

Os organismos invasores produzem proteínas estranhas ao nosso corpo. Essas substâncias são denominadas antígenos.

O corpo humano produz por meio dos órgãos linfoides, um tipo de leucócito chamado de linfócitos. São os linfócitos que produzem proteínas especiais, capazes de neutralizar a ação tóxica dos antígenos.

Essas proteínas são chamadas de anticorpos. Os linfócitos constituem cerca de 20 a 30% dos leucócitos do sangue humano.

Eles se originam de células-tronco da medula óssea e podem ser de dois tipos principais: linfócitos T e linfócitos B.

Tipos de linfócitos

Os linfócitos B são especializados na produção de anticorpos, enquanto que os linfócitos T, apresentam funções bem diversificadas.

Podemos identificar três tipos de linfócitos T: linfócitos T – auxiliadores (células CD4); linfócitos T citotóxicos (células CD8) e linfócitos T – reguladores.

Alguns linfócitos atuam como “células de memória”. Assim, mesmo depois que uma doença foi curada, essas células são capazes de voltar a produzir anticorpos, caso o organismo seja outra vez infectado.

É como se os linfócitos se “lembrassem” dos organismos invasores que já atacaram.

Exemplos práticos e presentes

Por isso, se você já teve sarampo uma vez, não deverá ter nunca mais; o mesmo ocorre com outras doenças como caxumba, catapora etc.

Quando uma pessoa é infectada pelo vírus da catapora, por exemplo, seu sistema imunológico entra em ação e produz anticorpos contra aquele vírus.

A partir de então, a pessoa fica imune à catapora. Ou seja, toda vez que ela entrar em contato com o vírus (que passaram a ser antígenos), os anticorpos os destruirão, impedindo que provoquem a doença.

Com o tempo, vamos adquirindo imunidade a um número cada vez maior de doenças.

Dessa forma, os leucócitos ou glóbulos brancos participam da defesa do nosso organismo, fagocitando microrganismos ou produzindo anticorpos que combatem os antígenos.

Podemos nos defender de organismos invasores também com remédios (agentes químicos). Os antibióticos, por exemplo, são eficazes no combate a bactérias.

Contudo, ao longo dos anos, bactérias naturalmente resistentes são cada vez mais selecionadas por esses agentes químicos.

Ou seja, contra elas os antibióticos só devem ser tomados sob orientação médica, nas doses e nos períodos indicados.

Caso contrário, podem não fazer efeito ou até prejudicar a saúde. Porém, os vírus não podem ser destruídos por antibióticos.

O nosso corpo é que deve produzir anticorpos específicos para combatê-los.

O que são as vacinas?

As vacinas são medicamentos constituídos por microrganismos mortos ou atenuados ou, ainda, por toxinas inativas que esses microrganismos produzem.

Assim, as vacinas contêm antígenos incapazes de provocar a doença, mas capazes de induzir o nosso organismo a produzir anticorpos.

Dessa forma, quando o indivíduo entra em contato com esses microrganismos, o seu organismo já terá anticorpos suficientes para defendê-lo.

Referências

Introdução ao sistema imunológico: Fundamentos da imunidade – PUC MINAS

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [PUC]: Gripe e AIDS são doenças provocadas por vírus. Entretanto, a gripe tem uma evolução benigna, e a AIDS já não tem. Isso ocorre porque:

a) o vírus da gripe é mais fraco que o vírus da AIDS.

b) o vírus da AIDS destrói as células responsáveis pela defesa imunológica.

c) nosso organismo já é naturalmente imune ao vírus da gripe.

d) o vírus da AIDS não é reconhecido como antígeno pelo sistema imunológico.

e) os mecanismos de infecção são diferentes.

02. [PUC]: Consideramos uma vacina um material que contém:

a) anticorpos contra determinado patógeno, que estimulam a resposta imunológica do indivíduo.

b) anticorpos contra determinado patógeno produzidos por outro animal e que fornecem proteção imunológica.

c) soro de indivíduos previamente imunizados contra aquele patógeno.

d) células brancas produzidas por animais, que se multiplicam no corpo do indivíduo que recebe a vacina.

e) um patógeno vivo enfraquecido ou partes dele para estimular a resposta imunológica, mas não causar a doença.

01. [PUC]

Resposta: B

O vírus HIV infecta as células de defesa do organismo, sendo as mais atingidas os linfócitos T CD4+. Com o tempo, pode ocorrer uma alta redução dessas células, fazendo com que o corpo fique sujeito a doenças oportunistas.

 

02. [PUC]

Resposta: E

As vacinas são compostas por antígenos mortos ou atenuados incapazes de desencadear a doença, mas capazes de estimular o sistema imunológico a produzir anticorpos específicos.

 

Compartilhe nas redes sociais

TOPO