Arte sacra

A arte sacra integra os espaços de celebração religiosa e tem por função conservar a fé das pessoas.

Desde a antiguidade, a humanidade cria templos, santuários e obras de arte para expressar o ato da fé. A arquitetura das construções, seus detalhes em pinturas, painéis, mosaicos e vitrais até as esculturas de personagens importantes para a história das religiões compõem a arte sacra. Conheça mais sobre o tema a seguir!

O que é arte sacra

Capela de Nossa Senhora do Rosário, Museu de Arte Sacra, Salvador (Fonte: WikiMedia)

A arte sacra corresponde à arte religiosa concebida para funções litúrgicas (celebrações religiosas) e devocionais. As obras têm por função despertar a religiosidade dos fiéis e podem promover representações de narrativas importantes para a religião, o que lhes atribui a qualidade de algo sagrado. Geralmente, essas narrativas estão materializadas nos livros de suas respectivas religiões e ganham leituras em esculturas, painéis, pinturas, etc.

Não há precisão sobre uma data de surgimento da arte sacra, mas a Igreja Católica foi responsável por impulsioná-la durante o Barroco. As obras de arte sacras podem se apresentar tanto no interior quanto no exterior dos espaços públicos de culto, como mesquitas, igrejas, templos, terreiros, lojas, sinagogas dentre outros diversos. Elas contribuem para as práticas das tradições religiosas.

Arquitetura sacra

A arquitetura é uma das materialidades artísticas com maior impacto visual na arte sacra. Os estilos das construções dependem da religião, da região do mundo e do período histórico em que foram planejadas e construídas. Alguns exemplos de espaços religiosos com rica arquitetura são: Templo Angkor Wat (Camboja – Budismo), Mesquita Al-Haram (Arábia Saudita – Islamismo), Basílica de São Pedro (Vaticano – Catolicismo) e Templo de Meenakshi Amman (Índia – Hinduísmo).

Arte sacra X arte religiosa

A arte sacra corresponde às obras que se destinam à finalidade do culto ou ritual religioso, ou seja, que ornam os locais onde as celebrações acontecem, assim, despertam as sensações de grandiosidade espiritual e fé no culto ao divino. Já a arte religiosa corresponde às obras que se destinam à finalidade da devoção individual, logo, expressam os valores da religião, mas não compõem os espaços públicos de cultos e rituais.

Principais artistas e obras

As obras sacras podem ser expressas em diversas materialidades como a cerâmica, o mosaico, a pintura, o artesanato, o vitral, a caligrafia e os manuscritos iluminados, dentre outros. Veja alguns exemplos de artistas e suas obras:

Michelangelo

Michelangelo (Caprese, 1475 — Roma, 1564) foi um pintor, escultor, poeta e arquiteto italiano. Realizou muitos trabalhos por encomenda de papas e cardeais romanos. Influenciado pela arte da Antiguidade, muitas de suas obras representam a figura humana, como os exemplos abaixo:

Pieta, Basílica de São Pedro (Fonte: WikiMedia)
David (Fonte: WikiMedia)

Teto da Capela Sistina (Fonte: WikiMedia)

Rafael

Rafael Sanzio (Urbino, 1483 — Roma, 1520) foi um pintor e arquiteto italiano. Com Michelangelo e Leonardo da Vinci, ele formou a tríade mais reconhecida da arte renascentista italiana. Veja algumas de suas pinturas em igrejas:

Escola de Atenas, Vaticano (Fonte: WikiMedia)
Alegoria da Virtude, Vaticano (Fonte: WikiMedia)
A Disputa do Santo Sacramento, Palácio Apostólico (Fonte: WikiMedia)

Leonardo da Vinci

Leonardo da Vinci (Anchiano, 1452 – Amboise, 1519) foi um artista e cientista italiano com alto grau de conhecimento em diversas áreas. Uma de suas obras sacras mais famosas é o painel A Última Ceia, produzido de 1495 a 1498 no refeitório do Convento Santa Maria Delle Grazie:

A Última Ceia (Fonte: WikiMedia)
O batismo de Cristo (Fonte: WikiMedia)
Pequena Madona e o Menino de Verrocchio (Fonte: WikiMedia)

Mestre Ataíde

Manuel da Costa Ataíde (Mariana, 1762 – idem, 1830) foi um pintor e decorador brasileiro. Grande nome do Barroco, o Mestre Ataíde trabalhou com escultor Aleijadinho na composição de muitas obras sacras para as igrejas de Minas Gerais no período colonial.

Ascensão de Cristo, Matriz de Santo Antônio em Santa Bárbara (Fonte: Wikiart)

A Coroação da Virgem pela Santíssima Trindade, Igreja Matriz de Santo Antonio (Fonte: Wikiart)

Gaudí

Antoni Gaudí i Cornet (Reus ou Riudoms, 1852 — Barcelona, 1926) foi um arquiteto espanhol com uma obra inspirada pela natureza e pela religião. Gaudí cuidava de todos os detalhes dos projetos,
incorporando cerâmica, vitral e marcenaria. Sua obra-prima é a inacabada Basílica da Sagrada Família, com todos os elementos adaptados aos ritos litúrgicos:

Basílica da Sagrada Família, Barcelona (Fonte: WikiMedia)
Coroação de Maria, detalhe do Pórtico da Fé da Basílica da Sagrada Família (Fonte: WikiMedia)

Além desses exemplos, ressalta-se que a literatura e a música sacra são outras expressões artísticas importantes para as celebrações religiosas.

Vídeos sobre uma arte sagrada

Para aprofundar o que você aprendeu até aqui, separamos três vídeos sobre a produção de arte sacra no Brasil e no mundo com detalhes sobre obras famosas. Assista!

Arte Sacra

Nesse vídeo, a professora Adriana explica o que é arte sacra e a diferença entre arte sacra e arte religiosa. Aproveite para ver exemplos brasileiros de artistas e igrejas com muitas obras.

A Capela Sistina pintada por Michelangelo

Conheça detalhes sobre a Capela Sistina, de Michelangelo, com a Patricia de Camargo que apresenta curiosidades e significados sobre as 300 figuras pintadas durante 4 anos.

Rafael e suas obras

Nesse vídeo, a Vivi aborda 50 fatos sobre a história de vida do pintor Rafael, analisando os detalhes de obras sacras mais conhecidas. Confira!

Nesta matéria você aprendeu que a arte sacra mantém uma relação direta com as celebrações religiosas, buscando despertar a fé das pessoas. Agora, conheça melhor o movimento artístico que impulsionou a arte sacra no mundo: o Barroco.

Referências

As conferências do Museu: Questões de Arte Sacra (2018) – Museu de Arte Sacra do Funchal.

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Arte sacra. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/arte-sacra. Acesso em: 07 de May de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [SEDU/ES]

O estilo Barroco chega ao Brasil pelas mãos dos colonizadores, sobretudo portugueses. Seu desenvolvimento pleno se dá no século XVIII, 100 anos após o surgimento do Barroco na Europa.
Pode-se considerar que a temática predominante do Barroco brasileiro e a alcunha de seu escultor mais famoso são, respectivamente:

A. Arte sacra, Aleijadinho.
B. Arte sincrética, Mestre Athaíde.
C. Sincretismo religioso, mestre Vitalino.
D. Arte Acadêmica, Francisco Vieira.
E. Ex-votos, Aleijadinho.

Resposta: A
Justificativa: O Barroco brasileiro caracterizou-se por construir obras de arte vinculadas à arte sacra e Aleijadinho é o seu escultor mais famoso.

2. [UNICAMP]

A arte colonial mineira seguia as proposições do Concílio de Trento (1545-1553), dando visibilidade ao catolicismo reformado. O artífice deveria representar passagens sacras. Não era, portanto, plenamente livre na definição dos traços e temas das obras. Sua função era criar, segundo os padrões da Igreja, as peças encomendadas pelas confrarias, grandes mecenas das artes em Minas Gerais.

(Adaptado de Camila F. G. Santiago, “Traços europeus, cores mineiras: três pinturas coloniais inspiradas em uma gravura de Joaquim Carneiro da Silva”, em Junia Furtado (org.), Sons, formas, cores e movimentos na modernidade atlântica. Europa, Américas e África. São Paulo: Annablume, 2008, p. 385.)

Considerando as informações do enunciado, a arte colonial mineira pode ser definida como:

a) renascentista, pois criava na colônia uma arte sacra própria do catolicismo reformado, resgatando os ideais clássicos, segundo os padrões do Concílio de Trento.
b) barroca, já que seguia os preceitos da Contrarreforma. Era financiada e encomendada pelas confrarias e criada pelos artífices locais.
c) escolástica, porque seguia as proposições do Concílio de Trento. Os artífices locais, financiados pela Igreja, apenas reproduziam as obras de arte sacra europeias.
d) popular, por ser criada por artífices locais, que incluíam escravos, libertos, mulatos e brancos pobres que se colocavam sob a proteção das confrarias.

Resposta: B
Justificativa: As artes plásticas do barroco brasileiro se desenvolveram no século XVIII momento em que as igrejas seguiam as influências barrocas em sua construção, junto aos preceitos da Contrarreforma, com o intuito de reforçar o sentimento religioso.

Compartilhe

TOPO