Gentrificação

A gentrificação faz parte de um processo maior de manutenção de desigualdades sociais, mostrando como as cidades são segregadas por classe.

A construção, planejamento e desenvolvimento das cidades ocorrem sempre em um contexto histórico e social. Isso significa que a organização do lugar está relacionada às desigualdades da sociedade. Para entender como esse processo acontece, é preciso compreender o fenômeno da gentrificação. Acompanhe!

Índice do conteúdo:

O que é a gentrificação

O conceito de gentrificação diz respeito ao processo de modernização e ocupação dos bairros pobres por pessoas de classe mais abastada. O termo foi cunhado na década de 1960 pela socióloga Ruth Glass.

O termo tem origem no inglês “gentry”, isto é, uma pequena nobreza. “Gentrificar”, portanto, significa transformar um bairro, antes considerado pobre, em um lugar habitado por pessoas com maior poder aquisitivo. Com outras palavras, é a “elitização” de um bairro.

Afinal, como ocorre a gentrificação?

Geralmente, os bairros habitados pela classe trabalhadora (especificamente, os proletariados) são aqueles com menos recursos e investimentos em saúde, educação, segurança e cultura. Então, o Estado e as empresas privadas começam a investir nesses espaços. Entretanto, ao invés do empreendimento beneficiar os antigos moradores, a condição de vida no local encarece, tornando o bairro inabitável para as classes mais pobres – isso é a gentrificação.

A construção de casas e prédios, também a criação de atrativos, como bares e restaurantes, são artimanhas que motivam a migração da classe alta para o bairro. Por sua vez, os antigos moradores são pressionados a saírem, já que o custo de vida aumenta, e toda a antiga paisagem conhecida é transformada.

Em casos mais violentos, policiais são chamados para proibir festas populares em nome da segurança. Por exemplo, espaços onde ocorriam bailes funk são transformados em estabelecimentos que tocam músicas, supostamente, mais “cultas”, como MPB e jazz.

Além disso, algumas empresas fazem acordos para os moradores saírem do bairro. Comumente, antigas casas ou construções são demolidas para “revitalizar” o local, ou seja, torná-lo mais atrativo às classes média e alta. Outra estratégia utilizada pelos poderes públicos e privados é incentivar o turismo, camuflando, assim, a gentrificação.

Consequências

Repare que o processo de gentrificação de uma região atende aos interesses econômicos das classes mais poderosas, ligadas tanto ao setor público quanto ao privado. Sobretudo, a ideia de gentrificar um lugar está alinhada à ideologia capitalista de modernização: vender a imagem de uma cidade “desenvolvida”.

Tendo em vista que a gentrificação favorece a classe alta, as consequências negativas recaem sobre as classes menos poderosas, que precisam se mudar, procurar outras casas e se adaptar a um novo modo de vida. Além disso, esse processo costuma transformar um bairro em centro comercial, reduzindo as áreas residenciais.

Exemplos de gentrificação no Brasil e no mundo

  • Pelourinho: considerado um patrimônio cultural de Salvador (BA), esse bairro sofreu diversas mudanças a partir da década de 1990. Os moradores foram “retirados” para atender aos interesses do comércio e do turismo;
  • Vila Autódromo: nessa comunidade do Rio de Janeiro, cerca de 500 famílias foram removidas na época dos Jogos Olímpicos de 2016. No entorno da região, além do Parque Olímpico, construíram residências de alto padrão;
  • Favela do Vidigal: também no Rio de Janeiro, essa é uma das regiões afetadas por um processo de “pacificação”, operado pela política, que desencadeou o aumento nos valores dos imóveis do local;
  • Água Espraiada e Faria Lima: em São Paulo, a partir das Operações Água Espraiada e Faria Lima, foram removidas as favelas e construídos estabelecimentos voltados às classes mais abastadas;
  • Barnsbury: essa é uma região de Londres que, depois da Segunda Guerra Mundial, foi habitada pela classe trabalhadora. A partir de um processo de gentrificação, a classe média-alta dominou o espaço;
  • Brooklyn Heights: na cidade de Nova Iorque, essa área atraiu a especulação imobiliária, transformando o perfil econômico dos moradores.

Vale ressaltar que a gentrificação não é um problema isolado ou novo. Ela faz parte de um processo maior do mundo capitalista e das desigualdades sociais, em que as pessoas são separadas a partir de seu poder aquisitivo.

Vídeos sobre os problemas da gentrificação

A gentrificação é um termo recente, entretanto, o problema da desigualdade social, que desencadeia o processo, é antigo. A seguir, confira alguns vídeos que te ajudarão a entender mais sobre o assunto.

Revisando o tema

Neste vídeo, é possível revisar as ideias principais que envolvem o processo da gentrificação, com exemplos concretos.

Quais as causas da gentrificação?

Para analisar o fenômeno da gentrificação, bem como aprofundar a discussão, é necessário refletir sobre as causas e as consequências do problema. Com um conteúdo riquíssimo, esse vídeo é perfeito para entender os porquês desse processo excludente. Confira!

Gentrificação e sua relação com a arquitetura hostil

Nesse vídeo, você conhecerá o conceito de arquitetura hostil. Esse, assim como a gentrificação, está relacionado aos processos urbanos que visam excluir determinados grupos da sua paisagem.

Discutir a gentrificação é importante, pois traz à tona o debate sobre as desigualdades estruturais, que são muitas. Em especial, confira também a matéria sobre o racismo e entenda como ele é socialmente estruturado.

Referências

Favelas e gentrificação: ampliando o debate (On-line) – Disponível em: https://www.observatoriodasmetropoles.net.br/wp-content/uploads/2019/12/Favelas-e-Gentrificacao_ampliando-o-debate_Patricia-Novaes.pdf. Acesso em 4 de abr. de 2022.
Favelas e gentrificação: possibilidades analíticas para explicar as transformações urbanas na cidade do Rio de Janeiro (On-line) – Disponível em: http://www.cchla.ufpb.br/grem/sociabilidadesurbanas/SocUrbs%20V2N6%202018%20C2%20ArtigoDossi%C3%AA2.pdf. Acesso em 4 de abr. de 2022.
Gentrificação, a fronteira e a reestruturação do espaço urbano (On-line) – Disponível em: https://www.revistas.usp.br/geousp/article/view/74046. Acesso em 4 de abr. de 2022.
Gentrification in London and New York: an Atlantic gap? (On-line) – Disponível em: https://www.tandfonline.com/doi/abs/10.1080/02673039408720783. Acesso em 4 de abr. de 2022.
Super-gentrification: the case of Brooklyn Heights, New York City (On-line) – Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1080/0042098032000136174. Acesso em 4 de abr. de 2022.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Mestre em Antropologia Social pela Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP). Cientista social pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Como referenciar este conteúdo

Oka, Mateus. Gentrificação. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/sociologia/gentrificacao. Acesso em: 13 de May de 2022.

Exercícios resolvidos

1. [SEC-BA]

As cidades contemporâneas, há pelos menos duas décadas, se encontram em processo de reestruturação e transformação que, em diferentes ritmos e intensidades, vêm mudando seu significado. Um desses processos é a gentrificação que
a) estabelece novas áreas de implantação industrial nos pontos de entroncamentos rodoferroviários de modo a reorientar os fluxos de transporte de mercadorias e de trabalhadores.
b) configura a implantação de políticas urbanas nas periferias com o objetivo de reduzir as deficiências na infraestrutura oferecida às classes mais pobres.
c) promove a descentralização das atividades econômicas, sobretudo aquelas ligadas ao setor de comércio e serviços, para melhorar as condições de mobilidade urbana.
d) representa uma mudança social urbana, no sentido de que determinadas áreas da cidade são transformadas com a retirada da população pobre que é substituída por classes médias.
e) significa a ocupação de espaços centrais degradados por movimentos sociais que congregam trabalhadores de baixa renda e subempregados que buscam a moradia.

Resposta: D
Justificativa: no processo de gentrificação, determinados locais da cidade, geralmente habitados pela classe trabalhadora, são transformados para criar um espaço de habitação e consumo elitista.

2. [UNISC]

A Copa do Mundo de 2014 e os Jogos Olímpicos de 2016, que acontecerão no Brasil, deram início a uma série de projetos de revitalização direcionados a determinadas zonas urbanas em cidades como Rio de Janeiro (RJ), São Paulo (SP), Porto Alegre (RS), Belo Horizonte (MG) e Manaus (AM). Um dos possíveis efeitos disto diz respeito ao enobrecimento dessas zonas por meio da especulação imobiliária que ocasionará, em muitos casos, a valorização de terrenos, casas e apartamentos. Consequentemente, poderá haver uma transformação, pautada em condições econômicas, no perfil das pessoas que passarão a viver e a consumir serviços em tais áreas. Qual alternativa apresenta o nome deste processo?
a) Conurbação.
b) Macrocefalia urbana.
c) Gentrificação.
d) Verticalização.
e) Urbanização.

Resposta: C
Justificativa: o principal processo de gentrificação é a expulsão dos antigos moradores do local, criando atrativos para as classes mais abastadas ocuparem o espaço.

Compartilhe

TOPO