Hipertexto

O hipertexto é um texto múltiplo, que funde e sobrepõe inúmeros textos simultaneamente acessíveis ao simples toque do mouse.

Hipertexto é o conjunto de dados e seus relacionamentos, organizados em uma estrutura e construídos para uma determinada aplicação, segundo a filosofia hipertexto.

Essa estrutura é utilizada por um sistema hipertexto como uma base de dados, permitindo que um usuário possa deslocar-se, ou navegar, fazendo consulta ou alterando a estrutura.

Em outras palavras, hipertexto é a habilidade de associar qualquer lugar de um documento arquivado em um computador com qualquer outro lugar no mesmo documento, ou em qualquer outro documento (local ou remoto), permitindo rápido acesso aos mesmos através de links.

hipertexto
Imagem: Reprodução

Assim, o hipertexto é um documento eletrônico composto de nodos ou de unidades textuais interconectados que formam uma rede de estrutura não-linear, por meio de links, que são as conexões feitas entre nós em um hipertexto.

Estrutura dos hipertextos

A estrutura de um hipertexto determina e descreve o sistema de ligações ou relacionamentos entre os nós ou unidades de informação, sendo um fator decisivo na facilidade de criação, uso e atualização do hiperdocumento.

Ela deve refletir a estrutura organizacional do assunto relacionado ou a uma rede semântica de um especialista. Se a informação for disposta de maneira organizada, será fácil recuperar e achar quando o usuário estiver procurando.

Dependendo da aplicação e do tipo de informação, um hiperdocumento estruturado pode ter o formato hierárquico, de uma rede ou de filas.

Dessa forma, os hipertextos possuem uma estrutura complexa, potencialmente não sequencial, onde diferentes caminhos podem ser percorridos para acessar a informação ou fragmentos delas.

Assim, são, ao mesmo tempo, uma ferramenta de autoria e uma mídia de leitura.

Elementos componentes do hipertexto

Não-linearidade

Não há uma ordem ou percurso predefinido a ser seguido. O autor é quem escolhe o percurso que irá seguir.

O leitor percorre vários caminhos solicitados no hipertexto sem a observação de uma seqüência linear, na qual se valoriza princípio, meio e fim.

No hipertexto, a organização do texto não depende de um eixo central que sustenta um conjunto hierarquicamente organizado de informações secundárias; exige que o leitor faça escolhas e solicita, também, que determine tanto a ordem de acesso aos diferentes segmentos disponibilizados no hipertexto, quanto o eixo coesivo que confere um
sentido global ao texto lido.

Interatividade

Possibilidade de interromper uma seqüência de informações e de reorientar com precisão o fluxo informacional em tempo real.

É uma ferramenta para desenvolver e utilizar estruturas, pois apresenta ao usuário uma realização física dos múltiplos enlaces e inter-relações conceituais existentes em um texto, o que só pode ser representado simbolicamente no livro tradicional.

Pluritextualidade

Viabiliza a absorção de diferentes aportes sígnicos numa mesma superfície de leitura tais como palavras, ícones animados, efeitos sonoros, diagramas e tabelas tridimensionais, provocando um grande impacto na percepção e processamento da leitura.

Intertextualidade

O hipertexto é um texto múltiplo, que funde e sobrepõe inúmeros textos. Os links possibilitam um passeio por múltiplos textos, cuja ligação é determinada pelos programadores por meio de uma palavra.

Nesse sentindo, o link é uma ponte, um encontro entre produções textuais diferentes que propicia o fim das rígidas fronteiras entre os textos.

Referências

Hipertexto: visão geral de uma nova tecnologia de informação – Jayme Leiro Vilan Filho

Os desafios da escrita – Roger Chartier

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [ENEM]:

Diferentemente do texto escrito, que em geral compele os leitores a lerem numa onda linear – da esquerda para a direita e de cima para baixo, na página impressa – hipertextos encorajam os leitores a moverem-se de um bloco de texto a outro, rapidamente e não sequencialmente. Considerando que o hipertexto oferece uma multiplicidade de caminhos a seguir, podendo ainda o leitor incorporar seus caminhos e suas decisões como novos caminhos, inserindo informações novas, o leitor navegador passa a ter um papel mais ativo e uma oportunidade diferente da de um leitor de texto impresso. Dificilmente dois leitores de hipertextos farão os mesmos caminhos e tomarão as mesmas decisões.

MARCUSCHI, L. A. Cognição, linguagem e práticas interacionais. Rio: Lucerna, 2007.

No que diz respeito à relação entre o hipertexto e o conhecimento por ele produzido, o texto apresentado deixa claro que o hipertexto muda a noção tradicional de autoria, porque

a) é o leitor que constrói a versão final do texto.

b) o autor detém o controle absoluto do que escreve.

c) aclara os limites entre o leitor e o autor.

d) propicia um evento textual-interativo em que apenas oautor é ativo.

e) só o autor conhece o que eletronicamente se dispõe para o leitor.

02. [ENEM]:

O hipertexto permite — ou, de certo modo, em alguns casos, até mesmo exige — a participação de diversos autores na sua construção, a redefinição dos papéis de autor e leitor e a revisão dos modelos tradicionais de leitura e de escrita. Por seu enorme potencial para se estabelecerem conexões, ele facilita o desenvolvimento de trabalhos coletivamente, o estabelecimento da comunicação e a aquisição de informação de maneira cooperativa.

Embora haja quem identifique o hipertexto exclusivamente com os textos eletrônicos, produzidos em determinado tipo de meio ou de tecnologia, ele não deve ser limitado a isso, já que consiste numa forma organizacional que tanto pode ser concebida para o papel como para os ambientes digitais. É claro que o texto virtual permite concretizar certos aspectos que, no papel, são praticamente inviáveis: a conexão imediata, a comparação de trechos de textos na mesma tela, o “mergulho” nos diversos aprofundamentos de um tema, como se o texto tivesse camadas, dimensões ou planos.

RAMAL, A. C. Educação na cibercultura: hipertextualidade, leitura, escrita e aprendizagem.
Porto Alegre: Artmed, 2002.

Considerando-se a linguagem específica de cada sistema de comunicação, como rádio, jornal, TV, internet, segundo o texto, a hipertextualidade configura-se como um (a)

a) elemento originário dos textos eletrônicos.

b) conexão imediata e reduzida ao texto digital.

c) novo modo de leitura e de organização da escrita.

d) estratégia de manutenção do papel do leitor com perfil definido.

e) modelo de leitura baseado nas informações da superfície do texto

01. [ENEM]:
Resposta: A

O texto apresentado deixa claro que o hipertexto muda a noção tradicional de autoria porque estimula os leitores a moverem-se de um texto para o outro, interagindo assim com as informações disponíveis. Essa interação possibilita que o leitor seja também autor, pois é ele quem constrói a versão final do texto.

02. [ENEM]:
Resposta: C

A hipertextualidade, de acordo com o texto, configura-se como um novo modo de leitura e de organização da escrita. Logo no primeiro parágrafo do texto essa informação pode ser encontrada, onde se lê “a redefinição dos papéis de autor e leitor e a revisão dos modelos tradicionais de leitura e de escrita”.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO