Camilo Castelo Branco

Um dos escritores mais importantes do Romantismo em Portugal, Camilo Castelo Branco tem uma vasta produção literária. Conheça as características de sua literatura, principais romances e curiosidades.

Camilo Castelo Branco é um autor fundamental para compreender o Romantismo em Portugal. Sua vida foi bastante atribulada, repleta de acontecimentos dramáticos e reviravoltas amorosas, e isso serviu de base para a escrita de suas narrativas. Conheça melhor o autor nesta matéria!

Biografia

Retrato de Camilo Castelo Branco (Fonte: WikiMedia)

Camilo Castelo Branco (1825-1890) foi um escritor português, nascido em Lisboa. É um dos principais autores do Romantismo em seu país, especificamente da segunda geração. Escreveu poemas, contos, novelas, teatro e romances, sendo mais notável neste último gênero literário. Nas suas narrativas, a estética ultrarromântica é bastante visível em função da forte presença do sentimentalismo.

Além disso, o escritor teve uma vida repleta de acontecimentos dramáticos e problemas amorosos, como amores impossíveis, e um fim trágico, situações que serviram de base para sua produção literária. Saiba mais sobre as narrativas do autor português abaixo.

Características literárias

Camilo foi um escritor muito talentoso, arriscou-se em diversos gêneros e abordou várias temáticas, contudo algumas características são muito marcantes em seus romances e tipicamente românticas. Acompanhe:

  • Sentimentalismo: essa característica se faz bastante presente por meio da temática da impossibilidade amorosa. O autor mostra como as forças da sociedade acabam impedindo a concretização de uma relação amorosa, prevalecendo, assim, os valores sociais, e não o sentimento verdadeiro. Alguns de seus personagens chegam a tornar-se loucos, quando não acabam morrendo.
  • Pessimismo: aparece muitas vezes relacionado ao tema da não realização amorosa também, uma vez que o autor costuma apresentar uma visão negativa dos relacionamentos, os quais não podem se concretizar por convenções sociais.
  • Personagens burgueses: as situações amorosas apontadas nos itens anteriores são protagonizadas, de modo geral, por personagens pertencentes à burguesia portuguesa. Contudo, para além disso, há uma questão de representação. O autor, inspirado em burgueses, acaba por registrar os valores que importam para essa classe social, tais como o dinheiro e a honra.
  • Temas recorrentes: ao apontar, por meio das narrativas, os valores burgueses e suas convenções sociais, alguns temas são frequentes nos romances de Camilo Castelo Branco, como as relações familiares (por vezes conturbadas), o trato dado a filhos bastardos e órfãos, a crítica ao excesso de religião na vida dos cidadãos e os relacionamentos já mencionados. Tais temáticas levam alguns estudiosos a questionarem se o autor é, de fato, romântico.
  • Desfecho trágico: ao levarem a luta pelo amor muito a sério, os personagens de seus romances acabam tendo um final trágico, marcado pela morte, como no romance Amor de perdição.

A seguir, você terá maior conhecimento sobre essas características ao acompanhar explicações sobre as principais obras de Camilo Castelo Branco. Confira!

Principais obras

Agora, você conhecerá melhor as produções literárias desse importante escritor português – sobretudo sua obra-prima Amor de perdição, leitura essencial para quem está estudando a Segunda Geração do Romantismo português.

Amor de perdição (1862): essa obra nos faz lembrar de Romeu e Julieta, do dramaturgo William Shakespeare, em função do amor impossível entre Simão Botelho e Teresa de Albuquerque. Os dois são de famílias inimigas e, por isso, não permitem o relacionamento. Simão é enviado para Coimbra, enquanto Teresa tem duas opções possíveis: convento ou casar com Baltasar Coutinho, um primo. Os dois rapazes duelam um dia diante do convento, quando a moça e seu amado iriam fugir. A partir disso, a tragicidade toma conta da história, causando tristeza e morte.

Coração, cabeça, estômago (1862): assim como o romance anteriormente abordado, esse também fala sobre relacionamento amoroso. Cada palavra do título diz respeito a uma fase da vida do protagonista, Silvestre da Silva. Na fase do “Coração”, amores vividos sem moralismos em Lisboa. Em “Cabeça”, a racionalidade sobrepõe o coração libertino, e o personagem aproxima-se, intencionalmente, de moças ricas de Porto. Por fim, em “Estômago”, Silvestre já está cansado da vida urbana e suas exigências e vai se refugiar em Soutelo, onde viviam antepassados dele.

Além dessas duas obras comentadas, Camilo Castelo Branco publicou as seguintes:

  • Onde está a felicidade? (1856);
  • Um homem de Brios (1856);
  • Carlota Ângela (1858);
  • Amor de salvação (1864);
  • A queda dum anjo (1866);
  • A doida do candal (1867).

Que tal conhecer melhor os romances de Camilo? Para isso, confira a sequência de frases abaixo!

5 frases de Camilo Castelo Branco

A seguir, leia frases retiradas dos romances de Camilo. Assim, você terá maior contato com a escrita desse importante autor português.

  1. “A verdade é algumas vezes o escolho de um romance.” (De Amor de perdição)
  2. “A verdade! Se ela é feia, para que oferecê-la em painéis ao público?” (De Amor de perdição)
  3. “A verdade do coração humano! Se o coração humano tem filamentos de ferro que o prendem ao barro de onde saiu, ou pesam nele e o submergem no charco da culpa primitiva, para que emergi-lo, retratá-lo e pô-lo à venda?” (De Amor de perdição)
  4. “Na minha qualidade de cético, entendi que a desordem dos cabelos devia ser a imagem da minha da minha alma. Comecei, pois, por dar à cabeça um ar fatal, que chamasse a atenção e aguçasse a curiosidade dum mundo já gasto em admirar cabeças não vulgares. A anarquia dos meus cabelos custava-me dinheiro e muito trabalho. Ia, todos os dias, ao cabeleireiro calamistrar os longos anéis que me ondeavam nas espáduas; depois desfazia as espirais, riçava-as em caprichosas ondulações, dava à fronte o máximo espaço e sacudia a cabeça para desmanchar as torcidas deletriadas da madeixa. Como quer, porém, que a testa fosse menos escampada que o preciso para significar ‘desordem e génio’, comecei a barbear a testa, fazendo recuar o domínio do cabelo, a pouco e pouco, até que me criei uma fronte dilatada, e umas bossas frontais, como a natureza as não dera a Shakespeare nem a Goethe.” (De Cabeça, coração, estômago)
  5. “Eu carecia duma paixão que me sacudisse pelos cabelos, uma paixão que me levasse de inferno em inferno, que me impinasse ao apogeu da glória, ou me despenhasse na voragem da morte. Precisava disto, porque não tinha que fazer, e gozava robusta saúde, e alargava a testa há cinco meses, não sei para que destinos!” (De Cabeça, coração, estômago)

Agora que você já leu frases retiradas dos principais romances de Camilo Castelo Branco, conheça curiosidades da vida desse autor, que foi tão cheia de acontecimentos trágicos quanto suas obras ficcionais.

Curiosidades sobre Camilo Castelo Branco

A vida desse autor português é repleta de histórias que surpreendem, geralmente pela dramaticidade dos fatos. Confira:

  • Por produzir muito e publicar, foi um dos primeiros autores a viver da renda que a escrita lhe proporcionava.
  • Ficou órfão de pai e mãe muito cedo e teve uma vida amorosa repleta de intensidade: amores proibidos, casamentos, separações, abandonos e raptos fazem parte de sua história.
  • Ana Plácido foi um dos grandes amores de sua vida, mas ela era casada, ou seja, o amor dos dois era impossível. Por isso, Camilo chegou a ir para um convento, para que se tornasse padre.
  • Longe da vida no convento, o escritor manteve um caso com sua amada, Ana Plácida, contudo o marido dela descobriu e denunciou os dois. Vale ressaltar que, na época, adultério era crime.
  • Camilo foi preso, em razão do adultério. Ficar 15 dias na prisão foi suficiente para que ele escrevesse sua obra Amor de perdição, abordada nesta matéria.
  • O autor contraiu sífilis e, aos 65 anos, ficou cego em decorrência da sua péssima saúde.
  • Infelizmente, Camilo se suicidou no ano de 1890.

Viu como a vida do escritor romântico foi repleta de reviravoltas? Certamente, sua história daria um bom livro biográfico. Quer saber mais sobre esse autor? Assista aos vídeos que separamos para você!

Vídeos sobre a vida e a obra do autor português

Na sequência, você terá acesso a videoaulas sobre Camilo Castelo Branco e aprofundará seus conhecimentos adquiridos aqui a respeito da literatura produzida por esse importante autor do Romantismo em Portugal. Acompanhe:

Resumo e análise do romance Amor de perdição

Nesse vídeo, você terá acesso a uma aula sobre a vida de Camilo Castelo Branco e sua obra-prima Amor de perdição, leitura obrigatória de vestibulares. Além de um resumo do livro, você também confere uma análise, conforme as características do Romantismo.

Ironia e sátira em Coração, cabeça, estômago

Conheça mais detalhadamente o enredo de Coração, cabeça e estômago, que conta as memórias amorosas do personagem Silvestre. De acordo com a professora Feltrin, o livro é irônico e permeado por uma sátira ao Romantismo.

Contexto histórico da produção de Camilo C. Branco

Se você não conhece o contexto histórico do Romantismo em Portugal, assista a essa videoaula do professor Noslen. Desse modo, você entenderá melhor a produção literária do escritor aqui estudado.

Agora que você já conhece Camilo Castelo Branco, continue aprofundando seus estudos acerca da literatura produzida em Portugal lendo esta matéria sobre o poeta Bocage!

Referências

Amor de perdição (1997) – Camilo Castelo Branco
Coração, cabeça, estômago (1987) – Camilo Castelo Branco
Literatura: Ensino Médio (2015) – Roberta Alves Hernandes

Estela Santos
Por Estela Santos

Doutoranda em Letras - Estudos Literários (UEM), professora, redatora e mediadora do #LeiaMulheres - Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Santos, Estela Pereira dos. Camilo Castelo Branco. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/camilo-castelo-branco. Acesso em: 25 de November de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [PUC-RS]

Marque a alternativa correta sobre a obra Amor de Perdição, de Camilo Castelo Branco:

a) Trata-se de uma narrativa centrada na opressão da liberdade individual, opressão esta promovida por uma sociedade provinciana ligada a velhos preconceitos.
b) Estabelece-se, na narrativa, o conflito entre o meio social, com a consequente vitória do indivíduo através da realização de seus objetivos.
c) Nota-se que o sentimento amoroso, a imaginação e a sensibilidade são valores que realçam a liberdade individual e abrem, a expectativa de manutenção das normas sociais institucionalizadas.
d) Percebe-se que o sentimento do amor romântico entra em relação de equilíbrio com a razão, para manter a liberdade do indivíduo e o seu contato harmônico com o meio social provinciano.
e) Observa-se a pouca importância atribuída ao sentimento amoroso, que é superado pela razão equilibrada de uma sociedade provinciana e estável.

Resposta correta: A

Justificativa: Nesse romance, o autor explora as velhas convenções e os moralismos que impedem a realização amorosa; sendo assim, a sociedade priva os personagens da liberdade individual.

2. [ENC-SP ]

Amor de perdição é uma obra tipicamente romântica porque nela Camilo Castelo Branco valoriza:

a) O sentimento nativista, presentes na recusa de Simão e Teresa em fugirem de Portugal, apesar de perseguidos pela justiça.
b) A natureza, como fonte de vida e inspiração, em que Simão se refugia, no final da obra, quando não pode mais ter acesso à Teresa.
c) Os valores espirituais de Cristianismo, a que Simão se apega quando é condenado ao degredo.
d) O mundo das paixões, o excesso de sentimentos, evidentes no modo violento como Simão assassina Baltazar Coutinho.

Resposta correta: D

Justificativa: O desfecho do romance se dá com o assassinato de Baltazar, em função do amor que sente por Tereza. Assim sendo, a paixão e a valorização dos sentimentos são levados às últimas consequências.

Compartilhe

TOPO