Arcadismo

Um período da literatura que valorizava a vida no campo e os ideias greco-romanos.

O Arcadismo é uma estética literária que retomou a estética greco-romana, a qual também esteve presente no Renascimento. Além disso, tinha como principal característica a idealização da vida no campo. A seguir, saiba sobre a história desse período e suas principais características.

Contexto histórico

Na Grécia Antiga, havia uma parte do Peloponeso chamada Arcádia, região mitológica dominada pelo deus Pã (deus dos pastores). Trava-se de um local de montanhas e habitado por pastores, uma espécie de lugar mítico. Nessa região, os poetas versavam sobre o paraíso rústico e, ao mesmo tempo, bucólico em que viviam.

Já no século XVII, o termo arcádia passou a ser associado às academias de poetas que tinham como intuito retomar o estilo de poetas clássicos e renascentistas. Havia um objetivo específico nisso: mostrarem-se contrários à estética anterior, o Barroco, que julgavam ser rebuscada demais.

Nesse sentido, o Arcadismo buscava recriar uma nova forma de literatura que prezasse pelo espaço bucólico, típico da Arcádia grega. Os poemas dessa época normalmente apresentam situações vivenciadas no campo ou reflexões que partem da vida nesse espaço.

Assim, pastores, ovelhas e gado pastando tranquilos, árvores suntuosas, campos verdes, dias ensolarados, aves cantantes fazem parte dessa produção arcadista. Além de haver diálogos e/ou monólogos nos quais o pastor dirige-se à pastora, sua amada. Portanto, no Arcadismo, a natureza é o símbolo da pureza de espírito, ingenuidade, um ideal de paz e um convite à liberdade por meio da vida no campo.

Por fim, vale ressaltar, que nesse período, o homem era o centro do mundo. Então, a escolha por seguir uma estética baseada no clássico, com seu rigor formal não é à toa. No plano estrutural, isso confere sensação de equilíbrio e leveza.

Veja, agora, algumas das principais características da literatura produzida no Arcadismo:

Características do Arcadismo

  • Bucolismo: o eu lírico árcade é um pastor que prega a vida no campo como sendo a maneira possível de atingir a felicidade. Assim, o cenário é repleto de verde e montes.
  • Pastorismo: para os poetas árcades, o ser humano só atingiria a plenitude se estivesse integrado à natureza, pois a sociedade o corrompe (linha de pensamento de Rousseau). Desse modo, o eu lírico transfigura-se em um pastor.
  • Predomínio da poesia: o Arcadismo é um período literário composto somente de poesia, não de prosa, que só circulava na Filosofia.
  • Imitação: arcadistas não acreditavam na originalidade, mas na mímese. Nesse sentido, imitar é sublime, a inspiração poética deveria ter sido vivida, só assim a poesia atingiria a perfeição.
  • Rigor formal: uma vez que retoma ideais clássicos, sendo até chamado de neoclassicismo, o Arcadismo preza por estrofes e rimas regulares.
  • Além das características mencionadas acima, há mais algumas ligadas à temática dos poemas, focadas em situações comuns do cotidiano, e que são termos em latim. Veja a seguir:

Termos em latim

  • Carpe Diem: significa “viver o instante”, ou seja, aproveitar o dia enquanto é jovem e a velhice não chega. Os textos árcades exploravam, portanto, a efemeridade da vida.
  • Fugere urbem: trata-se de “fugir da cidade”, isto é, ir para o campo, longe da urbanidade. Poetas árcades eram acusados de pseudobucolismo porque, embora pregassem esse estilo de vida, escreviam seus poemas confortáveis em suas casas na cidade.
  • Inutila truncat: o termo refere-se a “cortar o que é inútil”, o que é excesso, para viver a simplicidade. Árcades buscavam ser concisos e simples em seus poemas, ao contrário dos escritores barrocos que empregavam uma linguagem rebuscada e repleta de conceitos.
  • Locus amoenus: significa um lugar ameno, portanto agradável, onde reina a paz e o amor.
  • Aurea meodicritas: trata-se de “ouro medíocre”, relacionado ao estilo árcade significa ter uma vida moderada, sem grandes luxos.

As características que você conheceu definem não só a forma como escreviam os poetas árcades, mas também os temas abordados em suas produções poéticas. E o que mais se destacada dentre todos os elementos apontados são a retomada do clássico e o bucolismo, ou seja, a vida campestre, em harmonia com a natureza. Conheça, a seguir, algumas especificidades do Arcadismo em nosso país.

Arcadismo no Brasil

De modo geral, a Europa, grande influenciadora da cultura brasileira, vivia momentos de conflitos e transformações. Houve muitos progressos científicos, mudanças culturais, políticas e sociais. Na Inglaterra, o avanço da industrialização; na França, cidadãos gritavam por liberdade, igualdade e fraternidade; em Portugal, a coroa acumulava riquezas oriundas de sua colônia e estava fora do domínio Espanhol.

No Brasil, havia ainda o período colonial. Assim, havia revoltas emancipatórias nas quais estavam envolvidos alguns intelectuais. Boa parte eram jovens, filhos de nobres e proprietários de terras, que tinham acabado de voltar de seus estudos na Europa trazendo ideais libertários para o país.

Tais intelectuais estavam ligados não só à Inconfidência Mineira, mas também ao Arcadismo, nomes como: Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manuel da Costa, Alvarenga Peixoto e Silva Alvarenga, os dois primeiros veremos na seção a seguir.

É importante mencionar, ainda, que o Arcadismo também ficou conhecido como Escola Mineira no Brasil e que seu início se deu com a publicação de poemas de Cláudio Manuel da Costa pela fundação Arcádia Ultramarina, sociedade de poetas árcades em Vila Rica.

Principais autores e obras

Conheça agora os nomes mais relevantes do Arcadismo e as obras que você não pode deixar de ler para compreender esse período literário.

  • Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810): embora nascido em Portugal, o autor é um dos principais arcadistas no Brasil, pois viveu boa parte de suas vida em Recife e na Bahia. Sua vida foi marcada pela paixão por Maria Dototeia, imortaliza em sua produção sob o pseudônimo de Marília. Seus poemas exploram muito o carpe diem e o locus amoenus.
    Principais obras: Marília de Dirceu (1792) e Cartas Chilenas (1845), com o pseudônimo de Critilo.
  • Cláudio Manuel da Costa (1729-1789): também conhecido como poeta das lágrimas tristes, isso se deve ao fato de seus poemas apresentarem um eu lírico bastante sofredor, rejeitado por suas pastoras.
    Principais obras: Obras poéticas (1768) e Vila Rica (1839).

Além dos dois autores citados, há outros que tiveram pouca notabilidade nesse período, como Alvarenga Peixoto (1744-1792) e Silva Alvarenga (1749-1814), mas que também incorporaram a poesia e a paisagem bucólica brasileira. A seguir, confira alguns vídeos que vão aprofundar seus conhecimentos sobre o Arcadismo.

Vídeos sobre Arcadismo em Portugal e no Brasil

A partir dos vídeos abaixo, você vai aprender um pouco mais sobre a estética literária abordada até aqui, o Arcadismo, bem como seu contexto histórico e características principais.

Arcadismo em Portugal

Nesse vídeo, o professor Noslen aborda o Arcadismo especificamente em Portugal, assunto importante para compreender como esse período literário se instalou no Brasil, por influência portuguesa. Ele foca em eventos históricos, como Iluminismo e Guerra da Reforma. Confira!

Arcadismo no Brasil

Já nesse outro vídeo, os professores Noslen e Gabriel Félix tratam do Arcadismo brasileiro, apontando como essa estética veio da Europa para este país, com certa demora, bem como suas especificidades e características centrais.

Autores arcadistas brasileiros

Nesse vídeo, o professor Beto Brito aponta dois grupos de escritores arcadistas: líricos e épicos. Ele foca nos líricos, por serem mais notáveis nesse período, Cláudio Manuel da Gosta e Tomás Antônio Gonzaga.

Agora que você já aprendeu sobre o Arcadismo, suas características e os escritores mais importantes desse período da literatura, aprofunde seus conhecimentos sobre Romantismo.

Referências

ABAURRE, Maria Luiza M.; PONTARA, Marcela. Arcadismo. In: ______. Literatura brasileira: tempos, leitores e leituras. São Paulo: Moderna, 2005, p. 184-202.

BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 2002.

SÁ, Sheila Pelegri de. Barroco e Arcadismo. São Paulo: Saraiva/Ético, s. a.

Estela Santos
Por Estela Santos

Doutoranda em Letras - Estudos Literários (UEM), professora e mediadora do #LeiaMulheres - Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Santos, Estela Pereira dos. Arcadismo. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/arcadismo. Acesso em: 21 de October de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UFPA]

O Arcadismo é um estilo de época que pode ser definido, segundo o que determina a seguinte afirmação:

a) Nesse período o homem é regido pelas leis físico-químicas, pela hereditariedade e pelo meio social
b) A poesia dessa época dá ênfase ao poder de vidência do artista
c) Destaca-se nessa fase certo gosto pelo equilíbrio, pela simplicidade e pela harmonia, a partir dos modelos clássicos antigos
d) Há nessa Escola literária uma tendência à valorização do humor, com vistas a afugentar as circunstâncias desagradáveis da vida
e) Enfatiza-se na criação poética, desse momento, a utilização do valor sugestivo da música

Afirmativa correta: C

2. [UFPB]

Na poesia arcádica ou neoclássica, NÃO se encontra

a) a influência das idéias iluministas.
b) a valorização do campo em detrimento da cidade.
c) a ênfase na interpretação subjetiva da realidade.
d) o retorno aos ideais greco-latinos.
e) a adoção de pseudônimos pelos poetas, que se figuravam pastores.

Resposta correta: C

Compartilhe

TOPO