Escolas Literárias

Escolas Literárias são formas de dividir a literatura, bem como os autores, em diferentes categorias segundo suas características em comum.

Escolas Literárias são maneiras de divisão da literatura segundo características apresentadas em uma obra. Ou seja, as escolas literárias serão as responsáveis por abordar um combinado de obras/autores de similar característica.

Basicamente, essa divisão corresponderá a inúmeros aspectos, sobretudo históricos.  Além disso, as escolas literárias recebem o nome de movimentos literários, sendo, no Brasil, divididas em: era colônia e era nacional.

escolas literárias
(Imagem: Reprodução)

Escolas literárias da Era Colonial

Os movimentos literários da era colonial buscaram a reflexão de uma literatura ainda muito presa à lusitana. Surgindo com o descobrimento do Brasil e durando até anos antes da Independência.

Quinhentismo (1500 – 1601)

Primeira das escolas literárias do Brasil, o Quinhetismo tinha como característica os textos pedagógicos e informativos sobre a nova terra. Os principais autores foram Pero Vaz de Caminha, Gândavo e José de Anchieta.

Barroco (1601 – 1768)

O barroco surgiu após a consolidação do Brasil como uma nação. Envolvendo-se conflitos, vida social e uma cultura que emergia em cenário nacional. Caracterizado, sobretudo, pelo apreço aos detalhes, o exagero (hipérboles) e linguagem rebuscada.

Dentro do Barroco destacam-se o cultismo e o conceptismo como linhas literárias dentro do movimento. Os principais autores foram Bento Teixeira, Gregório de Matos e Botelho de Oliveira.

Arcadismo (1768 – 1808)

A última das escolas literárias da era colonial. O arcadismo se caracterizava pela exaltação à natureza, a linguagem simples e, igualmente, a simplicidade dos temas abordados.

Entre os principais autores destacam-se Tomás Antônio Gonzaga, Cláudio Manuel da Costa e Santa Rita Durão.

Escolas Literárias da era nacional

Havendo um período de transição entre os anos de 1808 e 1836, surge, loco em seguida as escolas literárias da era nacional. Estas tinha como característica a autonomia literária do Brasil, exaltando-se o país como independente de Portugal em todas as esferas.

Romantismo (1836 – 1881)

Cada fase do romantismo no Brasil apresenta diferentes características, bem como autores de destaque. Assim, terá:

  • Primeira fase: indianismo e nacionalismo (Autor: Gonçalves Dias);
  • Segunda fase: egocentrismo e pessimismo (Autor: Álvares de Azevedo);
  • Terceira fase: liberdade (Autor: Castro Alves);

Realismo, Naturalismo e Parnasianismo (1881 – 1893)

Com a terceira fase do romantismo, emerge-se novos conceitos de exaltação à natureza e ao real Brasil por trás de todos conflitos do período. Caracterizam-se, assim, cada uma das escolas literárias:

  • Realismo: apelo social e objetivo (Autor: Machado de Assis);
  • Naturalismo: coloquialismo e opiniões polêmicas (Aluísio de Azevedo);
  • Parnasianismo: linguagem poética e culto à forma (Olavo Bilac);

Simbolismo (1893 – 1910)

Os simbolistas eram mais subjetivos, metafísicos e místicos. As características refletiam muito mais aos signos culturais do que propriamente à realidade – em contradição à escola literária anterior. Principais autores: Cruz e Souza e Augusto dos Anjos.

Pré-Modernismo (1910 – 1922)

Rompimento com a linguagem mais rebuscada, e dando mais voz às ruas, de modo a aproximar a literatura das classes mais pobres. Principais autores: Euclides da Cunha e Lima Barreto.

Modernismo (1922 – 1950)

O modernismo chega ao seu apogeu após a Semana de Arte Moderna, realizada em São Paulo, em 1922. Dividido em três fases, ele se caracterizaria em:

  • Primeira fase: radicalismo e renovação (Autor: Manuel Bandeira);
  • Segunda fase: nacionalismo forte (Autor: Graciliano Ramos);
  • Terceira fase: nova linguagem e experimentações de arte (Autora: Clarice Linspector);

Pós-Modernismo (1950 – atual)

O pós-modernismo surge da espontaneidade. Dentre as escolas literárias, a mais abrangente, vigorando a liberdade do artista, múltiplos gêneros e estilos, além de tendências e linhas literárias combinadas.

Dentre os principais autores pós-modernistas é possível citar Paulo Lemninski e Adriano Suassuna.

Referências

História da literatura brasileira: Das origens ao romantismo Livro – Massaud Moisés

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Como referenciar este conteúdo

Bunde, Mateus. Escolas Literárias. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/escolas-literarias. Acesso em: 22 de September de 2020.

Exercícios resolvidos

1.

Assinale a opção correta.

a) O Modernismo relaciona-se com um modo de escrever que pretende discutir a criação literária e produzir a simplicidade e a métrica do pastoralismo.

b) O Neoclassicismo relaciona-se com um modo de escrever que reproduz a arte barroca tal como ela era.

c) O Realismo relaciona-se com um modo de escrever que se caracteriza pela musicalidade, pela sinestesia e pelas aliterações.

d) O Simbolismo relaciona-se com um modo de escrever que apresenta a realidade tal como ela é.

e) O Romantismo relaciona-se com um modo de escrever que adota a estética da expressão do eu autoral.

Resposta: E

2. [UFSM]

Numere a primeira coluna de acordo com a segunda:

( ) Compensação de frustrações sentimentais na fuga da realidade através da imaginação.

( ) Literatura de informação que resgata as origens da nacionalidade brasileira, refletindo um certo didatismo.

( ) Reconhecimento da realidade através dos sentidos, revelando uma preocupação com aspectos religiosos.

( ) Utilização de linguagem simbólica para a expressão da fugacidade das coisas, marcadas pelo paradoxo e pela gradação.

( ) Utilização de linguagem metafórica para expressar sentimentos individuais e de culto à nacionalidade.

(1) Romantismo

(2) Barroco

(3) Quinhentismo

A sequência correta é:

a) 3, 2, 2, 1, 1
b) 3, 1, 3, 1, 2
c) 1, 3, 2, 2, 1
d) 1, 3, 2, 1, 2
e) 2, 1, 3, 1, 3

Resposta: C

Compartilhe

TOPO