Tratado de Versalhes

O Tratado de Versalhes foi o documento assinado entre os países que venceram a Primeira Guerra Mundial e a Alemanha, declarada culpada por inicia-la e pelas destruições e mortes causadas.

O Tratado de Versalhes, assinado em 1919, foi um documento que responsabilizou a Alemanha pela Primeira Guerra Mundial e por toda destruição e mortes causada por esse conflito, dando fim a ele. Nesta matéria, abordaremos o contexto histórico em que esse tratado ocorreu, o que ele representa para os países europeus e suas consequências.

Contexto histórico do Tratado de Versalhes

Tensões precedentes

O Tratado de Versalhes foi assinado no contexto de fim da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), na Conferência de Paz de Paris, em 1919. A Primeira Guerra Mundial se deu em função de disputas imperialistas e do movimento de nacionalismo exacerbado vivido não apenas na Europa, mas globalmente. Por sua vez, esses dois aspectos se associavam a um contexto de tensões econômicas, políticas e sociais mais amplo, decorrente das transformações geradas pela Revolução Industrial. Somaram-se ainda às tensões da virada do século XIX para o século XX da corrida armamentista, que culminou na batalha da Paz Armada, iniciada pelos países europeus, e a Guerra franco-prussiana, uma tensão que precede as demais e que gerou uma revanche entre França e Alemanha.

Esse cenário de tensões, rivalidades e disputas contribuiu para o início da Primeira Guerra Mundial. Contudo, o início da Guerra foi declarado após o assassinato de Francisco Ferdinando, em 1914. Ferdinando era o herdeiro do Império Austro-Húngaro e seu assassinato gerou um grande descontentamento desse Império com o nacionalismo sérvico, em função da identidade do assassino, Gavrilo Princip: um nacionalista sérvio. Desse modo, com a morte do sucessor do Império Austro-Húngaro, o país declara guerra à Sérvia, situação que gerou um clima de desconfiança e que levou a Sérvia a se recusar a cooperar com as investigações do assassinato.

Cenário da Primeira Guerra Mundial

Com a declaração da Guerra, a Tríplice Entente, composta pela Inglaterra, pelo Império Russo e pela França, passa a defender os sérvios. A Tríplice Aliança, por sua vez, composta pelo Império Austro-Húngaro, pela Alemanha e pela Itália, passa a apoiar a declaração Austro-Húngara. Vale pontuar que a Itália iniciou na Guerra em um acordo com a Alemanha de que só entraria em combate se esta fosse atacada. Como a Alemanha não foi atacada, mas sim, saiu para o ataque, a Itália, que se mantinha neutra até então, aceitou um acordo proposto pela Inglaterra e, em troca de porções de terra e de colônias na África que jamais viria a receber, passou a apoiar a Tríplice Entente na Guerra contra a o Império Alemão e o Império Austro-Húngaro.

Pelo fato de os dois lados estarem confiantes na vitória, a guerra, declarada em agosto de 1914 para aproximadamente três meses, acabou durando quatro anos. Isso fez com que, com o tempo, a Guerra perdesse apoio popular, especialmente devido às condições de grande escassez e necessidades em que se encontravam os países envolvidos. Outro fator que agravou a desaprovação da Guerra foi o grande trauma psicológico que se instituiu na população e nos combatentes. Em 1917, após o naufrágio de uma embarcação, o EUA entra na Guerra. No mesmo ano, Vladimir Lênin retirou a Rússia da Guerra em função da Revolução Russa. Essas situações convergiram com o declínio do apoio popular, levando o Império Otomano e a Alemanha a se renderam.

Em seus quatro anos, a Guerra teve duas fases: a fase de movimento, com o avanço das tropas alemãs e francesas até a fronteira que divide esses países; e a fase de trincheiras, com a estagnação do avanço desses países por três anos. Essa estagnação se deu porque os países não puderam combater corporalmente, em decorrência do grande número de armamentos utilizados na Guerra, os quais eram expressões do avanço tecnológico vivido após a Revolução Industrial. Com a rendição desses países, portanto, foi declarado o fim da Primeira Guerra Mundial. Após essa declaração, diversos acordos de paz foram assinados entre os países europeus que participaram da Guerra, dentre eles, o Tratado de Versalhes.

O que foi o Tratado de Versalhes?

Junto com outros tratados, como o de Saint Germain, o Tratado de Versalhes buscava estabelecer acordos de paz entre os países outrora em confronto na Primeira Guerra Mundial. A importância desse tratado se deve ao fato de ter colocado fim ao conflito ideológico que perdurou após o fim da Guerra. Isso porque, apesar de o conflito armado ter se findado com a assinatura do Armistício de Compiègne, em novembro de 1918, ainda não haviam estabelecido um responsável pela Guerra e pelas destruições e crises geradas e agravadas nos países europeus. Daí a importância desse tratado, uma vez que culpabiliza e pune a Alemanha pela Guerra e por suas consequências.

Desse modo, o Tratado de Versalhes se apresenta como o mais importante dos acordos de paz propostos na Conferência de Paris de 1919. Ele foi assinado pela Alemanha e pelos países vencedores da Primeira Guerra Mundial: a França, o EUA e a Inglaterra. É importante notar que o Tratado de Versalhes foi precedido pela proposta do então presidente do EUA, Woodrow Wilson. Essa proposta não foi aceita pelos demais países vencedores, uma vez que determinava que não haveriam vencedores, além de não apresentar um culpado pela Guerra.

Apesar de recusada, a proposta dos quatorze pontos de Wilson – forma como ficou conhecida a tese do presidente americano acerca de como deveria terminar a Guerra– foi fundamental para a elaboração das cláusulas do Tratado de Versalhes. Além disso, essa tese deu subsídios para a criação da Liga das Nações Unidas, que buscava assegurar a paz entre os países envolvidos na Guerra – posteriormente, a partir da Liga, seria fundada a Organizações das Nações Unidas, órgão internacionalmente operante nos dias atuais.

Consequências do Tratado de Versalhes

A reconfiguração territorial dos países da Europa e da África, bem como o fim do Império Otomano e do Império Austro-Húngaro, culminando na iminência dos regimes republicanos, podem ser citados como algumas outras consequências do Tratado de Versalhes. No entanto, a maior das consequências foi a Segunda Guerra Mundial, que aconteceria vinte anos depois, entre os anos de 1939 e 1945, em decorrência do revanchismo alemão instituído pelo ditador alemão Adolf Hitler.

A Segunda Guerra é mencionada como a principal consequência, pois, a vergonha e a desonra nacional e internacional às quais foi submetida a Alemanha com a assinatura do tratado, fez com que a população partilhasse de uma insatisfação imensa. Foi essa insatisfação que tornou possível a ascensão de Hitler ao poder na Alemanha nazista. Com sua ascensão, iniciou-se um plano de vingança contra os países declarados vencedores da Primeira Guerra, o que culminou na Segunda Guerra Mundial, com estimativa de 50 a 80 milhões de mortos e com danos irreparáveis para a humanidade em todo o globo.

Consequências para a Alemanha

As consequências mais diretas para a Alemanha em decorrência da assinatura do Tratado de Versalhes dizem respeito às cláusulas estabelecidas por esse acordo, composto por 440 artigos, os quais foram distribuídos em cinco capítulos que versam sobre: O Pacto da Sociedade das Nações; Cláusulas de Segurança; Cláusulas Territoriais; Cláusulas Financeiras e Econômicas; Cláusulas Diversas. Entre essas cláusulas, constava o desarme da Alemanha; a devolução do território da Alsácia-Lorena à França; a renúncia a todas as colônias em posse do país; a entrega de parte de sua marinha mercantil, de suas locomotivas, de suas cabeças de gado, de seus materiais de construção e produtos químicos; a entrega das jazidas carboníferas por quinze anos para exploração pelos franceses; o mantimento da Bélgica e da Itália com carvão durante dez anos e; o pagamento de uma indenização de 420 bilhões de marcos, equivalentes a aproximadamente 33 bilhões de dólares.

Por essas cláusulas, a Alemanha se sentiu e foi considerada humilhada ao fim da Guerra. Essa humilhação gerou uma indignação muito grande na população alemã, sendo também essa indignação considerada uma das consequências do Tratado de Versalhes. Isso porque o nacionalismo exacerbado que incursionava pelos países à época fez com que o tratado se tornasse um símbolo de derrota e de vergonha nacional para a Alemanha. A indenização cobrada da Alemanha pelos países vencedores fez ruir sua economia, o que a levou a experienciar, nas duas décadas posteriores, uma enorme crise, marcada por desemprego, inflação e desvalorização da moeda. Esse abalo econômico, moral e político reacendeu o nacionalismo alemão e fez com que, mais tarde, o país enfrentasse o conflito armado que originou a Segunda Guerra Mundial.

Entenda mais sobre o Tratado de Versalhes

A seguir você encontra vídeos com explicações mais adensadas a respeito do contexto em que se deu a assinatura do Tratado de Versalhes, além de suas consequências para a Alemanha e para os demais países envolvidos.

Primeira Guerra Mndial

O vídeo explica como se deu a Primeira Guerra Mundial, em linguagem de fácil compreensão e com riquezas de informações, apresentando o Tratado de Versalhes e seu envolvimento com a Guerra.

Tratado de Versalhes

O vídeo comenta sobre o Tratado de Versalhes, explicando como se formulou, o contexto de negociação e algumas de suas consequências para a Alemanha e demais países.

Segunda Guerra Mundial

O vídeo explica o contexto da Segunda Guerra Mundial, comentando a respeito da importância do Tratado de Versalhes para o início dessa guerra.

Referências

RODRIGUES, Luiz Cesar B. A Primeira Guerra Mundial. São Paulo: Brasiliense, 1985.

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Bacharel em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Pesquisas focalizando Cultura Física, Discurso, Corpo e Subjetividade.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Tratado de Versalhes. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/tratado-de-versalhes. Acesso em: 07 de August de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [(UFPR – Adaptada)]

Com base nas consequências da Primeira Guerra Mundial e do Tratado de Versalhes, é correto afirmar:
a) Apesar de grande parte do território europeu ter sido devastado, o mapa geopolítico do continente não se alterou.
b) A Primeira Guerra Mundial levou ao fim o Império Austro-Húngaro e Otomano, que se dividiram em países independentes.
c) Alemanha e Itália foram os países que mais se beneficiaram com o Tratado de Versalhes.
d) Uma das principais consequências desse tratado foi inflar a visibilidade do presidente americano Woodrow Wilson.

A resposta correta é “b) A Primeira Guerra Mundial levou ao fim o Império Austro-Húngaro e Otomano, que se dividiram em países independentes.”

2.

O Tratado de Versalhes, assinado durante a Conferência de Paz de Paris, em 1919, versou, entre outros aspectos, sobre:
a) O início da Revolução Russa
b) O culpado pela Guerra e cláusulas para assegurar o acordo de paz.
c) A implementação do comunismo na região europeia.
d) O fim da Primeira Guerra Mundial e suas consequências para os países envolvidos.
Em relação às afirmações apresentadas, assinale a alternativa correspondente à(s) verdadeira(s):
I) a e b são verdadeiras.
II) b e c são verdadeiras.
III) b e d são verdadeiras.
IV) a e d são verdadeiras.

A resposta certa é “III) b e d são verdadeiras.”

3.

A respeito dos países que compunham a Tríplice Entente, assinale a alternativa correta:
a) França, Império Russo e Itália.
b) Inglaterra, Alemanha e Império Austro-Húngaro.
c) França, Sérvia e Inglaterra.
d) França, Império Russo e Inglaterra.

A resposta certa é “d) França, Império Russo e Inglaterra.”

4.

A respeito dos países que compunham a Tríplice Aliança, assinale a alternativa correta:
a) Império Austro-Húngaro, Sérvia e URSS.
b) Alemanha, Sérvia e URSS.
c) Império Austro-Húngaro, Alemanha e Itália.
d) Alemanha, URSS e Itália.

A resposta certa é “c) Império Austro-Húngaro, Alemanha e Itália.”

Compartilhe

TOPO