Primeira Guerra Mundial

A partilha da Ásia e da África no final do século XIX resultou em um grande descontentamento entre alemães e italianos, sendo inclusive apontada como umas das causas da Primeira Grande Guerra.

Embora se trate de uma guerra de proporções globais, a Primeira Guerra Mundial foi centrada na Europa – diferentemente da Segunda Grande Guerra, em que o conflito arregimentou também muitos países da Ásia e América.

A Primeira Grande Guerra iniciou em julho de 1904 e terminou em novembro de 1918, deixando como saldo mais de nove milhões de mortos neste que foi o sexto conflito mais mortal na história da humanidade e que posteriormente abriu caminho para várias mudanças políticas, inclusive para uma segunda guerra mundial. Um total de 70 milhões de militares, incluindo 60 milhões de europeus, foi mobilizado durante o embate.

Contexto

A Revolução Industrial, iniciada na Inglaterra em meados do século XVIII, apresentou um novo modo de produção, baseado no trabalho assalariado, livre competição de mercado. A partir da metade do século XIX, as transformações tecnológicas oriundas do período levaram ao aperfeiçoamento do processo de produção do aço e ao crescimento da indústria bélica. A política imperialista advinda do modo capitalista de produção acirrou a disputa por novos mercados consumidores, principalmente com o aumento da produção nas indústrias. Assim, as potências europeias tinham muito interesse na formação de impérios coloniais. Novos territórios na Ásia e África foram então tomados pelos europeus, dessa forma garantindo também o uso de importantes recursos naturais como matéria-prima para a indústria e controle de portos no caso de guerras.

Metralhadora Vickers utilizada por soldados britânicos (1917). Imagem: Wikimedia Commons.
Metralhadora Vickers utilizada por soldados britânicos (1917). Imagem: Wikimedia Commons.

Essa divisão territorial de colônias na Ásia e África, aliada as políticas imperialistas dos países europeus, foi uma das maiores causas da Primeira Grande Guerra principalmente pela insatisfação de alemães e italianos com a divisão da Ásia e África. No início do século XX, França e Inglaterra possuíam diversas colônias com grandes riquezas para explorar, enquanto Alemanha e Itália foram prejudicadas neste processo.

O início

O ponto crucial para o início da guerra foi o evento de 28 de junho de 1914, no qual o arquiduque Francisco Fernando da Áustria, o herdeiro do trono da Áustria-Hungria, foi assassinato durante sua visita a Sarajevo. Foi apontado como culpado um jovem integrante de um grupo sérvio contrário à influência da Áustria-Hungria na região dos Balcãs. A forma como a Sérvia se posicionou em relação ao crime desagradou o império austro-húngaro que, em 28 de julho de 1914, declarou guerra à Servia. Logo  as grandes potências da Europa estavam em guerra e, através de suas colônias, o conflito se espalhou ao redor do mundo.

Alianças

As grandes potências europeias organizaram-se em duas alianças opostas: os aliados (a chamada Tríplice Entente, que unia Reino Unido, França e Império Russo) e os Impérios Centrais (originalmente a Tríplice Aliança, unindo o Império Alemão, Áustria-Hungria e Itália). Porém, como a Áustria-Hungria tomou a ofensiva contra o acordo a Itália não entrou em guerra e terminou lutando pelos Aliados.

Alianças militares europeias em 1910. Os aliados da Tríplice Entente em verde escuro e as Potências Centrais da Tríplice Aliança em verde oliva. Imagem: Wikimedia Commons.
Alianças militares europeias em 1910. Os aliados da Tríplice Entente em verde escuro e as Potências Centrais da Tríplice Aliança em verde oliva. Imagem: Wikimedia Commons.

Batalhas

A grande maioria das batalhas travadas durante a Primeira Guerra Mundial ocorreu nas tricheiras. O uso das novas tecnologias bélicas teve papel fundamental no desenvolvimento do conflito, como uso de tanques de guerra e aviões. Homens lutavam na guerra enquanto mulheres eram empregadas em empresas da indústria bélica.

Alguns ataques iniciais aconteceram contra colônias no continente africano e no oceano pacífico. A África do Sul, cujas terras pertenciam ao Império Britânico, foi atacada pelos alemães em 10 de agosto. Em resposta, uma série de ataques da Tríplice Entente logo dominou todos os territórios alemães na região do Pacífico, sendo que a Nova Zelândia invadiu a Samoa e a Austrália a região chamada de Nova Guiné Alemã. O Japão, então, invadiu as colônias micronésias e o porto alemão que abastecia carvão na península chinesa de Shandog.

Soldados franceses em ataques com gás e lança-chamas contra alemães entrincheirados na região de Flandres (Bélgica). Imagem: Wikimedia Commons.
Soldados franceses em ataques com gás e lança-chamas contra alemães entrincheirados na região de Flandres (Bélgica). Imagem: Wikimedia Commons.

Fim do conflito

Em 1917, os Estados Unidos entraram na guerra ao lado da Tríplice Entente. Acordos comerciais de grande valor monetário haviam sido firmados entre Estados Unidos e os aliados Inglaterra e França. Esta união foi o ponto crucial na vitória da Tríplice Entente.

Foi então instituído o Tratado de Versalhes, que impôs aos derrotados fortes restrições. A Alemanha foi extremamente prejudicada pelo Tratado, sendo obrigada a reduzir seu exército, a manter controle sobre sua indústria bélica e a devolver a região da Alsácia-Lorena à França, além de ter que pagar os danos causados pela guerra aos países vencedores.

Consequências

Como resultado da Primeira Guerra, quatro grandes potências imperiais deixaram de existir: Império Alemão, Império Russo, Império Austro-Húngaro e Império Otomano. Os alemães e russos perderam boa parte de seu território, enquanto os Impérios Austro-Húngaro e Otomano foram completamente desmontados, alterando todo o mapa da Europa Central.

As imposições do Tratado de Versalhes, juntamente com as penalidades aplicadas à Alemanha, são apontadas como possíveis fatores que contribuíram para o inicio da Segunda Grande Guerra Mundial.

Você sabia?

“Retrato mais marcante da Primeira Guerra Mundial (1914-1918), as linhas de trincheiras surgiram em setembro de 1914, quando os alemães, que haviam invadido a França, foram barrados perto de Paris. Decididos a não retroceder nenhum palmo de território conquistado, eles iniciaram a construção das valas ao longo de toda a frente de combate. Vendo os alemães fortificarem-se, os aliados também cavaram seus próprios abrigos. Em poucos meses, as linhas de trincheiras estenderam-se da suíça até o litoral norte da França, por mais de 600 quilômetros.” (Vicentino & Dorigo, 2013, pg. 42)

Trincheira cavada durante a Primeira Guerra Mundial. Imagem: Wikimedia Commons.
Trincheira cavada durante a Primeira Guerra Mundial. Imagem: Wikimedia Commons.

Referências

VICENTINO, C.; DORIGO, G. História geral e do Brasil. 2ª Edição. Volume 3. São Paulo: Scipione, 2013.

AZEVEDO, G.; SERIACOPI, R. História em Movimento: O mundo Moderno e a Sociedade Contemporânea. 2ª Edição. Volume 2. São Paulo: Ática, 2013.

Por Carlos Ferreira
Teste seu conhecimento

1. (UEL/2009) A Grande Guerra de 1914 foi uma consequência da remobilização contemporânea dos anciens regimes da Europa. Embora perdendo terreno para as forças do capitalismo industrial, as forças da antiga ordem ainda estavam suficientemente dispostas e poderosas para resistir e retardar o curso da história, se necessário recorrendo à violência. A Grande Guerra foi antes a expressão da decadência e queda da antiga ordem, lutando para prolongar sua vida, que do explosivo crescimento do capitalismo industrial, resolvido a impor a sua primazia. Por toda a Europa, a partir de 1917, as pressões de uma guerra prolongada afinal abalaram e romperam os alicerces da velha ordem entricheirada, que havia sido sua incubadora. Mesmo assim, à exceção da Rússia, onde se desmoronou o antigo regime mais obstinado e tradicional, após 1918 – 1919 as forças da permanência se recobraram o suficiente para agravar a crise geral da Europa, promover o fascismo e contribuir para retomada da guerra total em 1939.

(MAYER, A. “A força da tradição: a persistência do Antigo Regime”. São Paulo: Companhia das Letras, 1987. p. 13 – 14.)

De acordo com o texto, é correto afirmar que a Primeira Guerra Mundial:

a) Teria sido resultado dos conflitos entre as forças da antiga ordem feudal e as da nova ordem socialista, especialmente depois do triunfo da Revolução Russa.

b) Resultou do confronto entre as forças da permanência e as forças de mudança, isto é, do escravismo decadente e do capitalismo em ascensão.

c) Foi consequência do triunfo da indústria sobre a manufatura, o que provocou uma concorrência em nível mundial, levando ao choque das potências capitalistas imperialistas.

d) Foi produto de um momento histórico específico em que as mudanças se processavam mais lentamente do que fazem crer os historiadores que tratam a guerra como resultado do imperialismo.

e) Engendrou o nazi-fascismo, pois a burguesia europeia, tendo apoiado os comunistas russos, criaram o terreno propício ao surgimento e à expansão dos regimes totalitários do final do século.

2. (Enem/2009) A primeira metade do século XX foi marcada por conflitos e processos que a inscreveram como um dos mais violentos períodos da história humana. Entre os principais fatores que estiveram na origem dos conflitos ocorridos durante a primeira metade do século XX estão:

a) a crise do colonialismo, a ascensão do nacionalismo e do totalitarismo.

b) o enfraquecimento do império britânico, a Grande Depressão e a corrida nuclear.

c) o declínio britânico, o fracasso da Liga das Nações e a Revolução Cubana.

d) a corrida armamentista, o terceiro-mundismo e o expansionismo soviético.

e) a Revolução Bolchevique, o imperialismo e a unificação da Alemanha.

1. [d]

a) Resultou do conflito entre nações imperialistas.

b) Não havia mais regime escravidão durante o período, visto que ocorreu pós revolução industrial.

c) O aumento da produção industrial gerou uma necessidade por ampliação de mercados consumidores, necessidade esta que foi aliada a busca por expansão dos domínios das potências europeias. Este foi o contexto que levou ao conflito.

d) Correta

e) Não houve apoio da burguesia aos comunistas.

 

2. [a]

b; c; d; e) Estes eventos ocorreram em outros momentos e nem todos influenciaram o conflito.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO