Nado sincronizado

Nado sincronizado é um esporte em que séries coreográficas são apresentadas em uma piscina com acompanhamento musical.

O nado sincronizado é um esporte de caráter hibrido, composto por elementos de ginástica, dança e natação, apresentados em uma piscina no formato de séries coreográficas. Para que você conheça melhor a modalidade, esta matéria apresenta suas regras, rotinas e funcionamento, além de um pouco sobre sua trajetória histórica. Acompanhe:

História

Embora tenha origem incerta, acredita-se que o nado sincronizado tenha surgido a partir da realização de acrobacias em ambientes aquáticos, inicialmente referidas como “balé aquático”. A formalização da modalidade inicia-se por intermédio da professora norte-americana Katherine Curtis, na década de 1920, especialmente ao criar coreografias com fundo musical em que era perceptível a formação de figuras feitas a partir dos corpos e das movimentações das nadadoras.

Posteriormente, em 1933, o nadador Norman Ross usou o termo “nado sincronizado” durante a Feira Mundial de Chicago ao se referir a uma apresentação feita por alunos de Katherine. Com isso, a data e o evento passaram a ser considerados um marco na oficialização da prática. Seu caráter esportivo, porém, decorre das primeiras regras propostas pelo professor norte-americano Frank Havlicek para as execuções coreográficas, em 1939.

A primeira aparição do esporte nos Jogos Olímpicos ocorreu na edição de Londres 1948. Depois, em 1952, ele teve suas regras oficializadas pela Federação Internacional de Natação (FINA), passando a integrar o quadro olímpico esportivo oficialmente no ano seguinte, embora seu status como modalidade olímpica tenha se originado apenas após a disputa na edição de Los Angeles 1984.

No Brasil

A precursora do nado sincronizado no Brasil foi a nadadora Maria Lenk, que introduziu a modalidade no país após ter contato com ela em suas participações em eventos esportivos internacionais. Desse modo, ela montou uma equipe de “ballet aquático” no Rio de Janeiro, em 1943. Sua equipe era composta, então, por estudantes da Escola Nacional de Educação Física e Desportos, atual Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Devido ao pouco interesse pela modalidade, Maria Lenk organizou uma competição de ballet aquático na Associação Cristã de Moços, em 1948. Com isso, conseguiu despertar o interesse na prática a ponto de surgirem novos clubes esportivos. Desde então, a prática foi gradualmente se popularizando no país, de modo que, em 1963, o Brasil disputou a modalidade pela primeira vez nos Jogos Pan-Americanos.

Regras

Veja a seguir as principais regras do nado sincronizado, conforme determinado pela Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) e pela FINA:

  • As atletas apresentam uma coreografia na piscina, utilizando acompanhamento musical e sendo avaliadas em diferentes quesitos por três painéis de cinco juízes cada.
  • Cada painel de juízes é responsável por avaliar um quesito: execução, impressão artística e dificuldade das coreografias. Assim, ao final das avaliações, as notas são somadas e uma pontuação é atribuída à rotina.
  • As equipes são compostas por 9 atletas. Cada país deve inscrever 9 atletas para ser incluso nas competições.
  • As provas da etapa preliminar são organizadas em duas apresentações diferentes: a rotina técnica e a rotina livre. Na etapa final da competição, as atletas devem apresentar apenas uma rotina livre.
  • Ao final de cada apresentação, as piores e as melhores notas atribuídas pelos juízes de cada painel são descartadas. Assim, a nota resultante é somada às outras duas para se chegar à pontuação final da rotina.
  • Após as apresentações, a nota final para cada país é atribuída a partir da soma das notas contabilizadas pelas duas rotinas, a técnica e a livre.
  • São descontados pontos em caso de não apresentação de um elemento obrigatório na rotina técnica, toque no fundo da piscina ou demora na apresentação fora d’água.

Essas são as principais regras do nado sincronizado, as quais fundamentam as competições da modalidade em seus aspectos gerais. Agora que você já se familiarizou com elas, entenda melhor o funcionamento da modalidade.

Como funciona?

O nado sincronizado consiste na apresentação de coreografias na piscina. Desse modo, ele é organizado a partir de duas provas, chamadas de rotinas: a rotina técnica e a rotina livre. Além disso, a modalidade também se configura por movimentos gerais, estabelecidos como norma, a serem executados por todas as competidoras. Veja detalhes desses aspectos a seguir:

Rotinas

  • Rotina técnica: nessa prova, as atletas possuem uma lista de elementos obrigatórios a serem apresentados e avaliados pelos juízes. As duplas possuem até 2 minutos e 20 segundos para realizarem a apresentação, enquanto as equipes possuem 2 minutos e 50 segundos para se apresentarem.
  • Rotina livre: diferentemente da rotina técnica, na rotina livre, não há restrições quanto aos elementos coreográficos. Além disso, o tempo nessa prova é maior, sendo de 3 minutos para os duetos e de 4 minutos para as equipes.

Movimentos básicos do nado sincronizado

  • Ação em cadência: consiste na realização idêntica do mesmo movimento pelas atletas, uma a uma, em sequência, de modo a formar um “efeito cascata”.
  • Alçada de tronco: configura uma subida rápida da atleta até a superfície da água, com a cabeça emergindo antes do restante do corpo e em posição vertical.
  • Can Can: nesse movimento, a atleta permanece deitada na superfície da água com uma perna levantada perpendicularmente ao corpo.
  • Carpa de frente: as movimentações na posição carpada correspondem a figuras em que os quadris são flexionados em um ângulo de 90°, com as pernas ao nível da superfície e o restante do corpo em imersão.
  • Flamingo: essa movimentação consiste em manter o corpo na posição horizontal, com o quadril levemente imerso e o rosto na superfície. Além disso, a atleta deve estender uma perna na superfície, enquanto mantém a outra flexionada junto ao peito, formando assim a figura que representa a posição característica do flamingo.
  • Guindaste: essa posição é caracterizada pela inversão do eixo vertical, em que a atleta fica com o corpo ereto, sustentando as duas pernas na superfície, ambas estendidas, de modo a formar um ângulo de 90° entre elas.

Esses são alguns dos principais movimentos realizados no nado sincronizado, contudo há outros movimentos básicos da modalidade. Você pode conferi-los nos vídeos disponibilizados no fim desta matéria.

Curiosidades

  • O nado sincronizado era inicialmente referido como ballet artístico. Além disso, a modalidade também já recebeu outros nomes, pelos quais ainda é referida em situações extraoficiais. Alguns deles são nado artístico, ballet aquático, natação sincronizada, ballet subaquático, natação rítmica e acrobacias aquáticas.
  • De suas origens até a década de 1920, o nado sincronizado era praticado apenas por homens – em função da proibição de que mulheres usassem roupas de banho na presença de outros homens que não seus familiares, além das limitações que as roupas de banho da época implicavam na mobilidade dos movimentos.
  • A partir da década de 1920, percebeu-se que a estética e a plasticidade dos movimentos da modalidade (até então de força, destreza e equilíbrio) teriam grande contribuição se praticados por mulheres. Desse modo, no período subsequente, a modalidade – que, até então, era praticada por homens individualmente – passou a ser praticada em duplas mistas até perder adesão dos nadadores, restringindo-se então às mulheres.
  • Entre as atletas brasileiras de nado sincronizado, a nadadora Nayara Figueira é uma das que possuem maior prestígio no cenário esportivo. Ela iniciou na modalidade aos 7 anos de idade, ingressando na seleção brasileira aos 15 anos, em 2004. O reconhecimento por sua atuação no esporte já rendeu destaques em várias competições dos Jogos Pan-Americanos, assim como indicação ao Prêmio Brasil Olímpico.
  • No cenário internacional, o grande destaque é a nadadora russa Anastasia Davydova. A atleta é considerada a maior vencedora olímpica de nado sincronizado, tendo conquistado o maior número de medalhas na modalidade. Em campeonatos mundiais, Davydova obteve o terceiro maior número de medalhas, ficando atrás de suas duas companheiras de equipe, Natalia Ischenko e Svetlana Romashina.

Essas são algumas curiosidades relacionadas ao esporte e suas atletas. Ficou com vontade de saber mais sobre a modalidade? Então confira os vídeos a seguir!

Saiba mais sobre o nado sincronizado

Confira, a seguir, vídeos complementares ao conteúdo apresentado nesta matéria para compreender melhor a modalidade:

Rotina livre em dupla

Nesse vídeo, você confere a apresentação da rotina livre da dupla russa Natalia Ishchenko e Svetlana Romashina, apresentada no Campeonato Europeu de Natação de Londres, em 2016.

Rotina técnica em equipe

Assista, nesse vídeo, à rotina técnica realizada pela equipe mexicana durante as disputas dos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019.

Regras e movimentações do nado sincronizado

Confira, nesse vídeo, informações complementares sobre a modalidade a respeito de equipamentos, movimentos realizados, organização das provas das competições e avaliações pelos árbitros.

Esta matéria apresentou aspectos históricos e características do nado sincronizado, como suas regras, rotinas e organização das competições. Continue estudando a respeito das modalidades esportivas aquáticas conferindo também sobre a canoagem!

Referências

Comitê Olímpico do Brasil [online] – Disponível em: https://www.cob.org.br/pt/
Dicionário Olímpico [online] – Disponível em: http://www.dicionarioolimpico.com.br/
Nado Sincronizado (2015) – Inteligência Esportiva
Rede Nacional do Esporte [online] – Disponível em: http://rededoesporte.gov.br/pt-br

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor mestrando em Educação Física formado pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Nado sincronizado. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/nado-sincronizado. Acesso em: 30 de July de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [CIEE-2015]

Em julho de 2015, na primeira prova desta modalidade esportiva, nos Jogos Pan-Americanos de Toronto, o dueto brasileiro, com o tema ‘Capoeira’, terminou na quarta posição na rotina (coreografia) técnica, com 80,9667 pontos (divididos em 24,7000 de Execução; 24,4000 de Impressão geral; e 31,8667 de Elementos). Diante do exposto, assinale a alternativa que apresenta a modalidade esportiva da qual a descrição trata.

A) Nado sincronizado.
B) Judô.
C) Tênis.
D) Ginástica Artística.

A resposta correta é a alternativa A.

O enunciado em questão apresenta aspectos referentes à participação da modalidade de nado sincronizado nos Jogos Pan-Americanos, um evento esportivo de notoriedade internacional e que conta com a participação de grandes atletas de nado sincronizado de diversos países do globo.

2. [FUNCERN-2019]

Levando em consideração as características que definem os esportes, a opção que apresenta uma sequência, respectivamente, de: esporte individual, esporte coletivo, esporte individual com interação e esporte coletivo com interação é:

A) atletismo, remo, peteca e nado sincronizado.
B) natação, nado sincronizado, judô e voleibol.
C) ginástica olímpica, nado sincronizado, futsal e basquetebol.
D) natação, softbol, tênis e futebol.

A resposta correta é a alternativa A.

Como visto na matéria, as características do nado sincronizado fazem que ele seja classificado como um esporte coletivo com interação, uma vez que as séries coreográficas são realizadas em duplas ou conjuntos de forma dinâmica e colaborativa.

Compartilhe

TOPO