Danças africanas

Danças africanas são manifestações corporais das culturas de povos originários de diversos países do continente africano.

Esta matéria explica o que são as danças africanas, comentando a respeito de suas características e apresentando os principais estilos que as compõem. Além disso, selecionamos vídeos e exercícios resolvidos para a fixação do conteúdo. Acompanhe!

O que são danças africanas?

As danças africanas ou danças afro são um dos vários elementos que constituem as culturas dos povos africanos, sendo originárias, portanto, dos países do continente africano. Assim, essas manifestações são entendidas, entre outras formas, como um meio para conectar os dançarinos à cultura corporal desses povos, seja em relação à atual ou de antepassados.

Por estarem intimamente relacionadas a rituais e a aspectos religiosos, as danças africanas são comumente compreendidas a partir das relações que estabelecem com a dimensão do sagrado e do profano. Assim, essas dimensões evidenciam a ligação entre o mundo terreno/material e o espiritual, que se manifesta nos corpos dançantes. Além dessa característica, as danças africanas possuem alguns outros traços particulares.

Características das danças africanas

Como mencionado, a relação entre as dimensões do sagrado e do profano, a ritualística e a ancestralidade são aspectos característicos dessas danças. Além desses, outros aspectos podem ser mencionados. Confira:

  • A organização em círculos, semicírculos ou fileiras;
  • A participação de todos, sem distinções (senso de comunidade);
  • O acompanhamento musical por instrumentos de percussão;
  • A simbologia ritualística dos ritmos e gestos.

Essas são, em termos gerais, as principais características das danças africanas, comuns a todas as manifestações.

Estilos de danças

Agora que já conhece as principais características das danças africanas, veja os principais estilos dessas danças.

Semba

Fonte: Ver Angola

A semba é uma dança de salão angolana praticada em locais urbanos. Esse estilo de dança se caracteriza por passadas aligeiradas e ritmadas entre cavalheiros e damas, os quais dançam em pares. Descrita, portanto, como uma dança de passadas, ela é acompanhada pelo estilo musical semba e praticada com fins de divertimento.

Kabetula

Fonte: Coração Africano

Originária da região do Bengo, a kabetula é uma manifestação dançante carnavalesca marcada por movimentações rápidas de quadril. Além disso, esse estilo apresenta saltos acrobáticos e vestimentas típicas, assim como a utilização de um apito por um participante específico (“comandante”), com o qual é marcada a cadência rítmica.

Ahouach

Fonte: Oficina das Artes

A ahouach é uma dança originária do norte da África voltada à valorização da união comunitária. Esse estilo de dança possui instrumentos marcados por uma tradição e pelo fabrico em pele de cabra. Além disso, possui movimentos caracterizados pelo balanceio corporal, os quais demarcam as formações coreográficas dessa dança.

Rebita

Fonte: Coração Africano

Também organizada como uma dança par, esse estilo é marcado por passos leves e generosos, os quais valorizam movimentos de rotação do corpo. Os passos também são demarcados por elementos da dança semba, como a umbigada. Além disso, ressalta-se a coordenação dos movimentos pelo chefe de roda.

Kuduro

Fonte: Tópico Pedagógico

Esse estilo se popularizou como um gênero musical, especialmente devido à simplicidade e ao humor expressos nas letras. Entretanto, o kuduro refere-se, originalmente, a um estilo de dança angolana nascido no final da década de 1980. Esse estilo pode ser praticado individualmente ou em grupos e tem como principal característica as movimentações livres de quadril.

Kizomba

Fonte: Wikimedia

Também originária de Angola, a quizomba é um ritmo que se desdobrou de alguns estilos de merengues angolanos durante as décadas de 1950 e 1970, proveniente de bailes e festas. Assim, esse estilo é caracterizado por movimentações que acompanham as batidas fortes do estilo musical que leva o mesmo nome, sendo essas movimentações realizadas em pares.

Existe uma gama de danças africanas a serem conhecidas e praticadas além das apresentadas. Entre elas, podem ser citadas as seguintes:

  • Kazukuta;
  • Schikatt;
  • Capoeira;
  • Jongo;
  • Maracatu.

Em relação aos estilos de danças africanas, é importante destacar também que, ao longo do tempo, ocorreram diversas trocas culturais que modificaram traços das danças. Desse modo, embora não se alterem essencialmente, mesmo as danças mais tradicionais sofreram alterações.

Saiba mais sobre as danças africanas

A seguir, você encontra vídeos a respeito das danças africanas para complementar o conteúdo apresentado nesta matéria e, assim, enriquecer seu conhecimento a respeito dessa manifestação da cultura corporal. Confira!

Danças africanas

Esse vídeo comenta sobre aspectos culturais das danças africanas, complementando o conteúdo apresentado nesta matéria e ilustrando-as por meio da apresentação de coreografias de alguns estilos. Veja e conheça mais sobre as características e os estilos das danças africanas!

Corpo em diáspora

Nesse vídeo, a professora, artista e criadora Luciane Ramos comenta a respeito das danças africanas e de suas relações com o corpo, com a ancestralidade e a gestualidade, perpassando por questões culturais afetas a essas manifestações. Assista para compreender melhor como elas se relacionam ao movimento corporal!

Dança semba

Esse vídeo mostra uma dança semba – apresentada nesta matéria – para contribuir na identificação de padrões de movimentos característicos. Veja e compreenda melhor o estilo!

Esta matéria apresentou características das danças africanas, comentando também a respeito de alguns estilos pelos quais elas se apresentam. Continue aprendendo sobre o universo da dança conferindo também sobre danças folclóricas!

Referências

Caminhos da pesquisa em dança: interculturalidade e diásporas (2016) – Rita Ribeiro Voss
Dança: dimensão sagrada ou profana? (1998) – Larissa Lara
Dança: dilemas e desafios na contemporaneidade (2013) – Larissa Lara

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor de Educação Física graduado pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Pesquisas focalizando corpo, subjetividade, discurso e cultura física.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Danças africanas. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/dancas-africanas. Acesso em: 25 de November de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UPE--2017]

As danças africanas desenvolvidas no Brasil têm também suas matrizes no binômio África Ocidental e África Banta (centro-oeste africano). Dos africanos ocidentais, principalmente dos iorubas, a cultura brasileira herdou as danças dos orixás, ricas em mímica e teatralidade. E dos bantos, chegaram-nos, principalmente, as danças em círculo e em cortejo, que geralmente expressam um enredo, um drama, sendo, por isso, denominadas “danças dramáticas”.

LOPES, Nei. Heranças Culturais. In: ______. História e Cultura africanas e afro-brasileira. São Paulo: Barsa Planeta, 2011, p. 86.

As danças africanas contribuíram significativamente para as manifestações culturais de Pernambuco, que estão quase sempre associadas aos principais ciclos festivos. Sobre esse assunto e de acordo com o texto, assinale a alternativa que indica uma dança pernambucana de herança banta.

A) Coco de roda
B) Baião
C) Quadrilha
D) Frevo
E) Caboclinho

A resposta correta é a alternativa A.

Como aparece no enunciado, as danças de herança banta são basicamente danças em círculo e em cortejo. Dentre as opções apresentadas, apenas a dança “Coco de roda” se enquadra nas exigências da questão.

2. [UEM-2018]

Sobre a cultura africana e suas influências na dança brasileira, assinale o que for correto.

01) A improvisação de movimentos e a utilização de instrumentos de percussão são alguns dos aspectos comuns que podem caracterizar as danças africanas.

02) O sagrado e o profano não se integram nas danças vindas do continente africano, mantendo características distintas
entre si.

04) Nas regiões do Brasil para as quais foram levados os escravos africanos, suas tradições e experiências corporais se mantiveram intactas dentro das senzalas, não se misturando a outros grupos locais.

08) As danças sagradas tinham como função harmonizar corpo e espírito, propiciando a comunicação de quem dançava com as divindades. Também são chamadas de “danças rituais”.

16) O coco, o maracatu, o tambor de crioula e a capoeira são danças nas quais estão presentes influências dos povos africanos.

A resposta correta é 25 (01+08+16).

A alternativa 02 é incorreta, pois, como explicado na matéria, as dimensões do sagrado e do profano se fazem presentes nas danças africanas.

A alternativa 04 é incorreta, pois as tradições dos escravos brasileiros tiveram de ser alteradas para serem preservadas na cultura desses povos.

Compartilhe

TOPO