Commedia dell’arte

Entre máscaras e arquétipos corporais, atores improvisam comédia e crítica social.

O teatro é uma arte que se constrói por meio do corpo, da palavra, do espaço e do tempo. Com essas possibilidades, assumiu, desde sua origem, uma relação estreita com a sociedade, seja para reflexão, contemplação e sátira. O teatro esteve acessível para os eruditos e para os populares de distintas formas, dentre elas está a Commedia dell’arte.

O que é Commedia dell’arte

A Commedia dell’arte é uma forma teatral cuja origem exata é incerta, mas se deu inicialmente na Itália e depois por outros países da Europa como a França e a Inglaterra, entre os séculos XV e XVIII. A Commedia dell’arte surge como uma resposta ao teatro humanista erudito e fortemente literário que se desenvolveu na Europa na transição entre a Idade Média e o Renascimento.

Trata-se de um teatro popular, pautado na improvisação dos atores, que interpretam tipos sociais e peças cômicas que satirizam a organização e comportamentos sociais. É uma forma teatral pautada na improvisação que se desenvolve a partir de uma situação ou roteiro pré-estabelecido, o Canovaccio. Sua origem teve influência nos mimos da Idade Média, nos prestigiadores e no Carnaval.

Considerada a primeira escola de atores profissionais, essa forma teatral apresenta arquétipos corporais que representam figuras sociais, como empregados e servos, intelectuais e ricos. Os artistas da comédia identificaram os tipos sociais e a partir deles construíam movimentações e uma expressão fixa para cada arquétipo dos personagens. As companhias eram itinerantes e os arquétipos geravam identificação no público, independentemente do contexto regional.

Com uso de figurinos chamativos, máscaras e acrobacias, os atores improvisavam situações com base nas ações marcadas. Os atores dedicavam-se a um intenso trabalho corporal para a atuação e normalmente desempenhavam um único papel durante toda a carreia.

Commedia dell’arte e Aristóteles

Diferentemente do modelo aristotélico de tragédias e comédias, que foi retomado no Renascimento, as peças dessa forma teatral eram cômicas, grotescas e consideradas decadentes. Não obedeciam a lógica do teatro acadêmico, literário ou humanista que imperava entre os eruditos. A forma de representação dos atores era considerada escrachada e não tinha a intenção de representar fielmente a realidade.

Características do Commedia dell’arte

  • Tendência cômica e satírica;
  • Improviso dos atores;
  • Uso de máscaras expressivas;
  • Representação de estereótipos sociais por meio de arquétipos corporais;
  • Rico trabalho de expressão corporal;
  • Personagens fixos;
  • Temas populares;
  • Tendência vulgar e obscena;
  • Apropriação do dialeto do local de apresentação;
  • Figurino chamativo e fixo dos personagens, além de recursos cenográficos simples;

Mesmo com variações regionais entre os países e diferentes companhias, essas são as principais características que identificam a Commedia dell’arte como uma forma teatral cômica, improvisada e crítica.

Personagens da Commedia dell’arte

Zanni

Os Zanni são personagens de caráter cômico que representam figuras e servos de Bérgamo. As características dos Zanni são a esperteza e malícia, ou o papel de bonachão e estúpido.

Arlecchino

O Arlecchino é um servo, sucessor dos Zanni, normalmente abobalhado e estúpido, mas rápido e ágil. Esse personagem servia os filhos e aos senhores ricos, por isso, estava envolvido no conflito cômico das tramas. Umas das características do Arlecchino é a relação direta com a miséria e a fome.

Brighella

Esse personagem também é um servo sucessor aos Zanni, mas diferente do Arlecchino é mais astuto e deseja evitar o trabalho, assim, geralmente faz dupla com o Arlecchino para se aproveitar dele.

Colombina

A Colombina é uma versão feminina dos servos, associada ao interesse pelo Arlecchino. Também envolvida no conflito cômico se relacionando com os filhos dos ricos.

Pierrot

O Pierrot é um personagem da versão francesa da Commedia dell’arte. É um palhaço triste apaixonado pela Comlombina.

Dottore

Esse personagem é uma sátira a figura erudita dos mestres e sábios da época. São personagens associados ao estereótipo de um intelectual. É falante, porém, demonstra uma lógica de pensamento deslocada da realidade.

Pantallone

A figura do Pantallone é representada por um velho senil e corcunda, avarento e muito rico. Há também uma forte tensão sexual envolvida nesse personagem.

Capitano

O Capitano é um fanfarrão e covarde que tenta transparecer sua valentia e coragem, mas é um medroso e inventor de histórias. É uma referência aos oficiais espanhóis. Além disso, o personagem reforça estereótipos da figura masculina viril.

Innamorati

Os Innamoratti, também chamados de enamorados, são filhos dos ricos, como o Pantallone e o Dottore. São os únicos personagens que não utilizam máscara e o arquétipo físico não é tão exigente quanto os outros personagens. Os enamorados são dois jovens perdidamente apaixonados um pelo outro.

É importante frisar que cada personagem apresenta uma forma física e uma indumentária específica, reforçadas como uma tradição desta forma. Além disso, este são apenas alguns dos personagens mais conhecidos, pois existem outros e costumam haver pequenas variações entre as vertentes italianas e francesas.

Máscaras da Commedia dell’arte

Arlechhino

Máscara Arlecchino – Fernando Martins Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

A máscara do Arlecchino cobre metade da face do ator que a utiliza, seus olhos são pequenos e a feição busca remeter a figura de um animal. Apresenta uma marca vermelha na região da testa que remete a um falo, como uma simulação de ter apanhado. A sobrancelha e as bochechas são bem demarcadas.

Brighella

Máscara Brighella – Fernando Martins – Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

O Brighella, mais astuto que o Arlecchino, apresenta uma máscara que também cobre grande parte da sua face, podendo ou não, apresentar bigode ou barba. Seu nariz costuma ser mais longo que do Arlecchino e dos outros servos.

Zanni

Máscara Zanni – Fernando Martins – Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

A máscara do Zanni se assemelha a do Arlecchino, pois também remetia à figura de um animal. Olhos pequenos, grande parte da face coberta e um nariz bem demarcado são os principais traços desta máscara.

Dottore

Máscara Dottore – Fernando Martins – Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

A máscara do Dottore cobre apenas uma região pequena e central da face, focando na testa e no nariz, não apresenta cobertura no lábio superior e o nariz tende a ser projetado levemente para baixo, simulando sua velhice. Pode apresentar alguma plumagem na sobrancelha.

Pantallone

Máscara Pantallone – Fernando Martins Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

Reforçando o arquétipo de velho, a máscara do Pantallone reforça as rugas, pode apresentar barba ou bigode, tende a ser pontuda e inclinada para baixo. O nariz pode ser uma alusão ao falo de um idoso.

Capitano

Máscara Capitano – Fernando Martins -Fonte: Centro de Pesquisa da Máscara

A máscara do Capitano é marcada pelo nariz bem alongado projetado para frente, associado a sua masculinidade e virilidade, a testa é franzida e os olhos pequenos para valorizar a expressão da sobrancelha.

Os únicos personagens da comédia que não utilizavam máscara eram os enamorados. As máscaras potencializavam a expressão corporal e a movimentação dos atores, chamavam atenção do público e algumas vezes ajudavam na projeção do som.

Vídeos sobre a arte popular da comédia

Podemos ver que essa forma teatral é rica em detalhes e cada um deles apresenta uma origem específica e tem um significado importante para a narrativa. Assim, para complementar seus estudos, selecionamos alguns vídeos que possam contribuir com seu aprendizado, veja:

Uma síntese das principais características

Nesse vídeo, a Bruna Brunstein pontua as principais características desse movimento teatral e retoma alguns fatos históricos relevantes para compreender bem o que esse movimento representa para a história das artes cênicas.

Aprofundando a Teoria

Carlos Eduardo Carneiro, mestre em artes cênicas, nesse vídeo faz uma excelente apresentação sobre o que foi a Commedia e suas principais informações, contudo, de uma maneira bem aprofundada e fundamentada nos estudos acadêmicos sobre o assunto.

Um pouco sobre o uso das máscaras

A Lili Cabral, no seu canal do YouTube, fez uma série de vídeos sobre a Commedia Dell’Arte que são superinteressantes para complementar os estudos dessa matéria. Nesse vídeo ela apresenta as principais máscaras e explica suas principais características e funções dentro dos espetáculos e no ofício do ator.

A Commedia dell’arte rompeu padrões e abriu caminhos para a exploração da linguagem cômica. Antes dela imperavam ideias clássicas de origem greco-romana, assim, você pode acompanhar a matéria sobre o Teatro Grego e aprofundar seus estudos sobre a linguagem teatral.

Referências

História Mundial do Teatro – Margot Berthold – 2012

CAMARGO, Milla. Commedia dell’Arte: uma inspiração de gerações. Uma inspiração de gerações. 2017. Disponível em: https://arenameraki.wordpress.com/2017/10/21/commediadellarte/.

Por Vanderlei Bachega Junior
Como referenciar este conteúdo

Bachega Junior, Vanderlei. Commedia dell’arte. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/artes/commedia-dellarte. Acesso em: 04 de March de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [COPEVE]

Durante três séculos, a Commedia dell’arte fascinou o público se destacando por apresentar um teatro que requeria um grande desempenho dos atores tanto na parte prática quanto em conhecimento. Sobre suas características, assinale a alternativa correta.

A) As máscaras utilizadas eram Pantaleão um velho avarento apaixonado pelas jovens; Doutor um médico ou advogado; Arlequim uma figura desconhecida; Capitão um militar fanfarrão, entre outros.
B) Na apresentação, os atores seguiam os canevas que continham apenas os fatos principais; oportunizavam, assim, a criação, por meio de improvisação.
C) Cada personagem apresentava traços de caráter e de comportamento de forma contrária às máscaras que usavam.
D) As companhias de Commedia dell’arte começaram a se formar na França.
E) A herança da Commedia dell’arte não reflete na atualidade.

Resposta: B
O Pantaleão apresenta tensão sexual nas suas participações, mas não declarava sua paixão pelas jovens. As máscara complementavam as características dos personagens. As companhias começaram na Itália e depois desenvolveram-se na França. A Commedia tem forte influência no fazer teatro profissional.

2. [UEM]

Sobre o teatro e a prática teatral é correto afirmar que:

01) A improvisação no teatro é compreendida como a interpretação de algo sem estudo prévio, inventada e criada no momento da ação. Ela pode ser espontânea ou preparada por meio de roteiro.
02) “Espaço Cênico” é o lugar onde acontece a ação, e “espaço cenográfico” é onde acontece a interação de público e atores durante uma apresentação teatral.
04) “Jogo Dramático” é o nome dado à prática coletiva em grupo, pautada na improvisação, que tem como foco principal o preparo do ator para a execução de cenas de drama, de caráter sério e denso.
08) A Commedia Dell’Arte é uma forma de teatro popular que surgiu entre os séculos XV e XVI. A sua ação cênica é construída de forma improvisada pelos atores, baseada em um roteiro denominado Canovaccios (ou Canovacci).
16) Na Grécia Antiga, a partir do século V a.C, os teatros eram construídos nas encostas das colinas, ficando escondidos e distantes das cidades. O objetivo era proteger as construções de ataques de guerra e, ao mesmo tempo, servir de refúgio para a população.

Resposta: 11 (01-02-08)
O jogo dramático tem entre seus princípios a espontaneidade e a descontração. As construções não serviam como refúgio e não eram suscetíveis a ataques.

Compartilhe

TOPO