Barroco no Brasil

O movimento do Barroco no Brasil tem início no século XVII, em uma tendência artística de forte influência nas artes como um todo.

Com início do século XVII, o Barroco no Brasil se transformaria na tendência artística mais forte à época. No país, o Barroco teve grandes destaques no campo da literatura, da escultura, da arquitetura e da pintura.

Contexto histórico

O Barroco no Brasil tem início após forte influência do movimento que se consolidava na Europa, mais especificamente em Portugal. O estilo se propagou no Brasil, principalmente, durante o chamado Século do Ouro.

De forma mais precisa, o movimento tem como o marco inicial o ano de 1601, após publicação do poema épico Prosopopeia, de Bento Teixeira. Confira o trecho separado do poema:

I.

Cantem Poetas o Poder Romano,
Sobmetendo Nações ao jugo duro;
O Mantuano pinte o Rei Troiano,
Descendo à confusão do Reino escuro;
Que eu canto um Albuquerque soberano,
Da Fé, da cara Pátria firme muro,
Cujo valor e ser, que o Ceo lhe inspira,
Pode estancar a Lácia e Grega lira.

Durante o ciclo do ouro, a exploração do minério era tida como a principal atividade econômica exercida no Brasil. O grande polo da extração mineral foi Minas Gerais, local onde inúmeras jazidas foram descobertas.

No mesmo período, a então capital do Brasil, Salvador, foi transferida para o Rio de Janeiro. O número de habitantes no país aumentou significativamente, e um forte desenvolvimento da economia foi propiciado.

O barroco no Brasil teve grande importância a partir do momento em que reforça os valores religiosos propagados no período colonial. No entanto, o movimento começa a perder força na segunda metade do século XVIII.

Características do barroco brasileiro

  • Presença forte de hipérboles (exageros);
  • Linguagem dramática e rebuscada;
  • Forte presença de figuras de linguagem;
  • Racionalismo;
  • Religião e profano unidos em uma mesma obra;
  • Dualidade na arte;
  • Jogo de contrastes (da arte visual à literatura);
  • Detalhes valorizados;
  • Cultismo (jogo de palavras adotado);
  • Conceptismo (jogo de ideologias e ideias);

Literatura barroca brasileira

Autores e obras importantes

Bento Teixeira é considerado o precursor do Barroco no Brasil, no ano de 1601. Com seu poema épico, ele praticamente dá início ao movimento barroco no país. Ao lado dele, Gregório de Matos e Manuel Botelho de Oliveira se destacam na literatura.

  • Bento Teixeira (1561-1618): no autor destaca-se a sua poesia de exaltação e exagero (hipérboles). Na própria Prosopopeia (1601) ele faz referência à Jorge de Albuquerque Coelho, um dos donatários da capitania de Pernambuco.
  • Gregório de Matos (1633-1696): dos grandes representantes do barroco no Brasil, destacando-se pelo lirismo poético, religiosidade, linguagem erótica e satírica – essa última tornando-o conhecido como “boca do inferno”. Entre suas principais obras estão: Define Sua Cidade, Senhora Dona Bahia e Anjo Bento.
  • Manuel Botelho de Oliveira (1636-1711): um dos primeiros brasileiros a publicar os versos no estilo do barroco. A obra Música do Parnaso (1705) é o seu grande destaque.

Frei Vicente de Salvador (1564-1636) e Frei Manuel da Santa Maria de Itaparica (1704-1768) foram outros dois expoentes nomes da literatura barroca no Brasil.

Barroco brasileiro nas artes e arquitetura

Nas artes e na arquitetura, o Barroco no Brasil também teve seus grandes nomes. Aleijadinho, pelas suas arquiteturas e esculturas, e Mestre Ataíde, por seu talento na pintura, tornaram-se os dois grandes nomes da representação do barroco.

Mestre Ataíde (1762-1830)

Mestre Ataíde foi militar e um dos grandes nomes da pintura barroca no Brasil. Importante nome do Rococó-Barroco em Minas Gerais, Ataíde tinha como método de composição e inspiração os tetos das igrejas da região.

Aleijadinho (1730-1814)

Foi, provavelmente, o principal nome da escultura, arquitetura e entalhamento do Brasil. Apesar de pouco se saber exatamente sobre sua precisa biografia, Aleijadinho refletiu em sua obra uma projeção arquitetônica única.

Dessa forma, tanto nas artes e arquitetura, quanto na própria literatura, o movimento Barroco no Brasil tem grande importância na história artística do país. Como reflexo do Brasil Colonial, o barroco conta a história de um período áureo no país.

Referências

AZEVEDO, Gislane e SERIACOPI, Reinaldo. História Volume Único. Editora Ática, São Paulo-SP, 1ª edição. 2007, 592 p.

Mateus Bunde
Por Mateus Bunde

Graduado em Jornalismo pela Universidade Federal de Pelotas (UFPel), Especialista em Linguagens pelo Instituto Federal Sul-Rio-Grandense (IFSul) e Mestrando em Comunicação pela Universidade do Porto, de Portugal (UP/PT).

Exercícios resolvidos

1. [PUC]

“Que falta nesta cidade? Verdade.
Que mais por sua desonra? Honra.
Falta mais que se lhe ponha? Vergonha.
O demo a viver se exponha,
Por mais que a fama a exalta,
Numa cidade onde falta
Verdade, honra, vergonha.”

Pode-se reconhecer nos versos acima de Gregório de Matos:

a) caráter de jogo verbal próprio do estilo barroco, a serviço de uma crítica, em tom de sátira, do perfil moral da cidade da Bahia.

b) caráter de jogo verbal próprio da poesia religiosa do século XVI, sustentando piedosa lamentação pela falta de fé do gentio.

c) estilo pedagógico da poesia neoclássica, por meio da qual o poeta se investe das funções de um autêntico moralizador.

d) caráter de jogo verbal próprio do estilo barroco, a serviço da expressão lírica do arrependimento do poeta pecador.

e) estilo pedagógico da poesia neoclássica, sustentando em tom lírico as reflexões do poeta sobre o perfil moral da cidade da Bahia.

Resposta: A

2. [VUNESP]

“Ardor em firme coração nascido;
pranto por belos olhos derramado;
incêndio em mares de água disfarçado;
rio de neve em fogo convertido:
tu, que em um peito abrasas escondido;
tu, que em um rosto corres desatado;
quando fogo, em cristais aprisionado;
quando crista, em chamas derretido.
Se és fogo, como passas brandamente,
se és fogo, como queimas com porfia?
Mas ai, que andou Amor em ti prudente!
Pois para temperar a tirania,
como quis que aqui fosse a neve ardente,
permitiu parecesse a chama fria.”
 
O texto pertencente a Gregório de Matos apresenta todas as seguintes características:

a) Trocadilhos, predomínio de metonímias e de símiles, a dualidade temática da sensualidade e do refreamento, antíteses claras dispostas em ordem direta.

b) Sintaxe segundo a ordem lógica do Classicismo, a qual o autor buscava imitar, predomínio das metáforas e das antíteses, temática da fugacidade do tempo e da vida.

c) Dualidade temática da sensualidade e do refreamento, construção sintática simétrica por simetrias sucessivas, predomínio figurativo das metáforas e pares antitéticos que tendem para o paradoxo.

d) Técnica naturalista, assimetria total de construção, ordem direta inversa, imagens que prenunciam o Romantismo.

e) Verificação clássica, temática neoclássica, sintaxe preciosista evidente no uso das antíteses, dos anacolutos e das alegorias, construção assimétrica.

Resposta: C

Compartilhe nas redes sociais

TOPO