Cultura popular

As culturas populares mostram a importância de se atentar às relações de poder e como nos identificamos ou consumimos com determinados elementos culturais.

Não é fácil definir o que é cultura popular. Por muito tempo, ela foi considerada como algo simplesmente tradicional e até um sinal da alienação do povo. Contudo, essa visão tem sido contestada por estudos que comprovam que a cultura popular é rica, mutável, e está sempre em uma relação de tensão com os blocos de poder dominantes. Saiba mais.

O que é cultura popular

O conceito de cultura popular engloba manifestações, atividades e símbolos produzidos na tradição e na experiência cotidiana de um povo. Além disso, ela pode se relacionar favorecendo ou combatendo a cultura dos poderosos ou dominantes em uma sociedade.

Relações com a cultura dominante

A cultura popular por muito tempo já foi chamada de folclore, em oposição aos conhecimentos e as tradições acadêmicas e intelectuais. Ou seja, as manifestações culturais do povo seriam algo sem reflexão, sem crítica social, de origem na experiência do dia-a-dia.

Interessante é notar que, apesar de geralmente a cultura popular ser desqualificada, ela toma outro sentido quando é consumida pelas classes dominantes, na forma de cultura popular individualizada. Por exemplo, Caetano Veloso e Zeca Baleiro são ‘populares’, mas são prestigiados individualmente pelos grupos abastados.

Portanto, falar de culturas populares é discutir sobre as relações de poder entre símbolos e manifestações culturais. De fato, quando consumida por classes dominantes, a cultura popular é prestigiada. Entretanto, em certas ocasiões, essa cultura se manifesta também contestando o poder dominante.

Por essa razão, a cultura popular é uma manifestação do povo, sempre em uma relação de diferença com a cultura dominante. Às vezes, as expressões populares podem ser conformistas ou resistentes aos blocos de poder, mas sempre como um ponto crítico.

Exemplos de cultura popular

  • Na festa: as festas são importantes na cultura popular. O Carnaval, por exemplo, é uma expressão cultural brasileira famosa, sendo prestigiada tanto pelas classes abastadas quanto pelas mais pobres. Contudo, de tempos em tempos, sempre surgem manifestações no Carnaval que mostram seu descontentamento com os poderosos e dominantes.
  • Na religião (1): na religiosidade, o catolicismo popular é uma manifestação religiosa característica no Brasil, mostrando como as pessoas se relacionaram com o catolicismo “oficial”, de origem europeia.
  • Na religião (2): outro exemplo da importância desse aspecto é a umbanda – uma religião brasileira, de matriz africana, se definindo como “a manifestação do espírito para a prática da caridade”. Ela surgiu com o hibridismo, sendo uma ilustração de como as expressões culturais são mutáveis e criativas.
  • Na alimentação: esse é um campo bastante rico das comunidades humanas. Afinal, a alimentação não está relacionada apenas com o suprimento de necessidades fisiológicas, mas a toda uma lógica cultural. Os hábitos alimentares de um povo ou as chamadas comidas típicas são exemplos ilustrativos para pensar essa questão.
  • Na música: também presente nas festas, na religião e em outros âmbitos, a música é um aspecto bastante importante para diversas culturas populares. No caso brasileiro, existem algumas expressões conhecidas e características, como o samba.

Portanto, as culturas populares são amplas, diversas e ricas. Não são, assim, uma expressão de ignorância, mas possuem um conhecimento próprio sobre o mundo vivido pelas pessoas.

Cultura popular e cultura erudita

A chamada cultura erudita compreende elementos intelectualizados e elitizados, como a música erudita, as bibliotecas, os grandes teatros, as óperas e os museus. Logo, são também expressões culturais que a classe mais abastada possui acesso.

No tópico anterior, foi explicado como a cultura popular é frequentemente desvalorizada em relação à cultura dominante. Nesse sentido, a cultura erudita está geralmente associada a essa camada poderosa da sociedade, que pode considerar superior a erudição, em detrimento do popular.

Cultura popular e cultura de massa

Enquanto a cultura popular geralmente diz respeito às manifestações simbólicas que aparecem na tradição de uma comunidade ou povo, o conceito de cultura de massa está relacionada com a de indústria cultural.

Ou seja, a cultura de massa está contextualizada em um cenário de consumo e de produção em escala global de músicas, filmes e outros produtos para entretenimento. Entretanto, isso não quer dizer que ambas não possam estar relacionadas.

Uma das similaridades entre as culturas populares e as culturas de massa é a de que ambas são frequentemente desvalorizadas frente à cultura erudita, por exemplo. Erroneamente, elas são consideradas menos refletidas, críticas, ou sem valor intelectual.

Cultura popular no Brasil

As culturas populares no Brasil são diversas, e estão relacionadas com a história do país, sua riqueza cultural, a colonização, a desigualdade social e o racismo. A seguir, veja alguns exemplos dessas expressões:

5 manifestações de cultura popular brasileira

  • Coco: é uma dança originária do norte e do nordeste do Brasil, organizada em filas e rodas, composta de sapateados, palmas, umbigadas, e se utiliza de instrumentos de percussão.
  • Congada: é um folguedo composto de danças e cantos em homenagem a São Benedito e Nossa Senhora do Rosário. Sua origem é atribuída a grupos de escravos no nordeste.
  • Literatura de cordel: é uma típica representante da cultura popular. Ela é vendida em feiras, no formato de folhetos pendurados em barbantes, narrando histórias.
  • Boi-bumbá: também é um folguedo, ocorrendo no Pará e no Amazonas, tendo também formas de manifestação específicas a depender do local. Ele conta uma história da ressurreição do boi, misturando elementos cristãos, indígenas e africanos.
  • Folia de reis: também conta uma história, a da viagem dos Três Reis Magos até Belém, ao encontro do menino Jesus. É composta por diversos instrumentos musicais, vestimentas e cantos.

Desse modo, a cultura popular está presente nas mais diversas regiões, podendo ser importantes para contar parte da história do Brasil e pensar sobre como nossas relações sociais se organizam.

Vídeos sobre as culturas populares

Para entender mais sobre a importância das culturas populares e seu lugar na sociedade, confira uma seleção de vídeos que tratarão do assunto sob diversas perspectivas:

Pensando sobre a cultura popular

Para iniciar o debate, veja uma definição possível de cultura popular, pensando justamente sobre o que significa o segundo termo: o que é, afinal, “popular”? Como foi discutido nos tópicos anteriores, a resposta pode estar relacionada com o poder.

E a cultura de massa?

Com o objetivo de adensar a discussão sobre as relações de poder para caracterizar o que é cultura popular, veja as suas relações com a cultura de massa. Assim, será possível ampliar o debate em uma perspectiva sociológica.

O etnocentrismo

Uma vez que as culturas populares colocam em questão as relações de poder, o etnocentrismo é um conceito que pode ajudar a tornar essa abordagem mais evidente. Logo, será possível entender como algumas expressões populares são alvos de preconceito.

Cultura popular e negritude

No Brasil, um dos aspectos mais relevantes quando se pautam as culturas populares é a implicação da população negra nessa história e o racismo presente na sociedade. No vídeo acima, essa discussão poderá ser aprofundada.

Sobre a umbanda

A umbanda é uma religião brasileira. Com ela, é possível também compreender suas influências em diversas culturas populares, retirando também alguns preconceitos religiosos que a cercam.

Como já é possível notar, a valorização de uma ou outra manifestação cultural está relacionada com os poderes de uma classe. Nesse contexto, é necessário perguntar: a cultura popular é valorizada por quem? E para quem? Para entender melhor esse assunto, leia mais sobre desigualdade social e cultura.

Referências

Catolicismo popular enquanto expressão da cultura popular: práticas e apropriações em Quirinópolis (GO) – Wesley Lima de Andrade; Wanderleia Silva Nogueira;

Cultura brasileira e culturas brasileiras – Alfredo Bosi;

Cultura popular: as construções de um conceito na produção etnográfica – Petrônio Domingues;

Tesauro de folclore e cultura popular brasileira – Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular;

Umbanda: história, cultura e resistência – Tatiana Jardim.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Cientista social pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

Própria dos festejos juninos, a quadrilha nasceu como dança aristocrática, oriunda dos salões franceses, depois difundida por toda a Europa.
No Brasil, foi introduzida como dança de salão e, por sua vez, apropriada e adaptada pelo gosto popular. Para sua ocorrência, é importante a presença de um mestre “marcante” ou “marcador”, pois é quem determina as figurações diversas que os dançadores desenvolvem. Observa-se a constância das seguintes marcações: “Tour”, “En avant”, “Chez des dames”, “Chez des chevaliê”, “Cestinha de flor”, “Balancê”, “Caminho da roça”, “Olha a chuva”, “Garranchê”, “Passeio”, “Coroa de flores”, “Coroa de espinhos” etc.
No Rio de Janeiro, em contexto urbano, apresenta transformações: surgem novas figurações, o francês aportuguesado inexiste, o uso de gravações substitui a música ao vivo, além do aspecto de competição, que sustenta os festivais de quadrilha, promovidos por órgãos de turismo.
CASCUDO, L. C. Dicionário do folclore brasileiro. Rio de Janeiro: Melhoramentos, 1976.
As diversas formas de dança são demonstrações da diversidade cultural do nosso país. Entre elas, a quadrilha é considerada uma dança folclórica por

a) possuir como característica principal os atributos divinos e religiosos e, por isso, identificar uma nação ou região.
b) abordar as tradições e costumes de determinados povos ou regiões distintas de uma mesma nação.
c) apresentar cunho artístico e técnicas apuradas, sendo, também, considerada dança-espetáculo.
d) necessitar de vestuário específico para a sua prática, o qual define seu país de origem.
e) acontecer em salões e festas e ser influenciada por diversos gêneros musicais.

Resposta: b

Justificativa: o folclore, também relacionado às culturas populares, são definidas como tais pela sua ligação com as tradições de um povo e suas manifestações simbólicas e culturais.

2. [UFU]

A estética nas diferentes sociedades vem geralmente acompanhada de marcas corporais que individualizam seus sujeitos e sua coletividade.
Discos labiais, piercings, tatuagens, mutilações, pinturas, vestimentas, penteados e cortes de cabelo são algumas marcas reconhecíveis de um inventário possível das técnicas corporais em toda sua riqueza e diversidade.
Embora universal, as formas das quais se valem os grupos e indivíduos para se marcarem corporalmente são vistas, às vezes, como estranhas a indivíduos que pertencem a outros grupos.
Essa atitude de estranhamento em relação ao diferente é considerada conceitualmente como

a) preconceito: reconhece no valor das raças o que é correto ou não na estética corporal.
b) relativização: o outro é entendido nos seus próprios termos.
c) etnocentrismo: só reconhece valor nos seus próprios elementos culturais.
d) etnocídio: afasta o diferente e procura transformá-lo num igual.

Resposta: c

Justificativa: a atitude de partir de suas próprias premissas culturas e, geralmente, considerando a sua cultura como superior às demais, é denominada etnocentrismo.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO