Função emotiva

A expressão da subjetividade do emissor é a marca central da função emotiva.

As mensagens carregam significados diversos, a depender do contexto, e as funções da linguagem determinam os traços dessas mensagens, de acordo com a finalidade de cada ato de comunicação. Compreender tais traços é importante para interpretar os textos e o que se deseja provocar através deles. Para isso, conheça a seguir a função emotiva da linguagem e as suas características.

O que é a função emotiva

A função emotiva, também chamada de função expressiva, tem foco no emissor da mensagem que transmite o seu ponto de vista sobre algo, marcando na linguagem as suas intenções de fala através da expressão de opiniões, emoções ou sentimentos. O emissor utiliza a função emotiva com determinados objetivos, como provocar reflexões sobre o que ele sente ou como ele avalia algo. Veja abaixo algumas características dessa função:

  • Uso da 1ª pessoa do discurso;
  • Subjetividade com a expressão dos sentimentos e sensações particulares do emissor;
  • Uso de interjeições e pontuações – como exclamação e reticências – para enfatizar a mensagem;
  • Escolha de adjetivos e advérbios que demonstram uma avaliação de quem fala sobre o assunto tratado;
  • Exposição da opinião do emissor acerca de um determinado tema.

Também é importante considerar que diferentes funções da linguagem (conativa, emotiva, fática, metalinguística, poética e referencial) podem estar presentes em um mesmo contexto de comunicação a depender da intencionalidade discursiva. Agora, confira as diferenças e as aproximações entre a função emotiva e a função poética.

Função emotiva X função poética

Enquanto a função emotiva focaliza o emissor da mensagem, a função poética focaliza, justamente, a mensagem que se apresenta de um modo particular. Na função poética, há um trabalho estético com a palavra que busca atrair o interlocutor para o que se apresenta, assim, é comum o uso do sentido figurado, das figuras de linguagem e da subjetividade.

Exemplos do uso da função emotiva

A função emotiva é utilizada em diferentes gêneros textuais, sejam eles verbais ou não. As canções, as cartas pessoais, as novelas e até as pinturas podem expressar sentimentos e afetos em suas representações.

Função emotiva na música

O teor emotivo pode estar presente na letra, no canto, na frase musical, na melodia, etc., por isso a função emotiva é comumente utilizada na música. Veja alguns exemplos a seguir:

Mulher do Fim do Mundo – Elza Soares
Meu choro não é nada além de carnaval
É lágrima de samba na ponta dos pés
A multidão avança como vendaval
Me joga na avenida que não sei qualé
[…]
Na avenida, deixei lá
A pele preta e a minha voz
Na avenida, deixei lá
A minha fala, minha opinião
A minha casa, minha solidão
Joguei do alto do terceiro andar
Quebrei a cara e me livrei do resto dessa vida

Metamorfose ambulante – Raul Seixas
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Do que ter aquela velha opinião
Formada sobre tudo
Eu quero dizer
Agora o oposto do que eu disse antes
Eu prefiro ser
Essa metamorfose ambulante

Detalhes – Roberto Carlos
Não adianta nem tentar
Me esquecer
Durante muito tempo em sua vida
Eu vou viver
Detalhes tão pequenos de nós dois
São coisas muito grandes pra esquecer
E a toda hora vão estar presentes
Você vai ver

Outros exemplos da função emotiva

  • Nossa, que notícia horrível!
  • Será que eu assumo esse cargo? Já estou tão sobrecarregada…
  • E foi então que, tomada pelo desespero por não me lembrar de que cor seriam os olhos de minha mãe, naquele momento, resolvi deixar tudo e, no outro dia, voltar à cidade em que nasci. Eu precisava buscar o rosto de minha mãe, fixar o meu olhar no dela, para nunca mais esquecer a cor de seus olhos. (Trecho do conto Olhos D’água – Conceição Evaristo)
  • Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem como disfarçar: esta é uma típica manhã de segunda-feira. A começar pela luz acesa da sala que esqueci ontem à noite. Seis recados para serem respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos. Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou zangado. (Trecho da crônica Desabafo – J.E. Carneiro)
  • Amor, então,
    também, acaba?
    Não, que eu saiba
    O que eu sei
    é que se transforma
    numa matéria-prima
    que a vida se encarrega
    de transformar em raiva
    Ou em rima
    (Poema Amor – Paulo Leminski)

Conforme você viu, a função emotiva pode ser expressa em diferentes contextos de comunicação e sempre transmite os sentimentos e/ou as opiniões do criador da mensagem.

Vídeos sobre a função emotiva

Para ampliar o seu repertório de conhecimentos e trazer outros exemplos, acompanhe abaixo três vídeos sobre a função emotiva e seus usos em diferentes textos:

Funções da linguagem

Nesse vídeo, o professor Noslen apresenta o que são as funções da linguagem e os elementos que participam dela. Além disso, ele explica as funções referencial, emotiva e conativa. Confira!

A função emotiva e a subjetividade

Acompanhe as explicações do professor Adriano Alves sobre o conceito de subjetividade e a sua importância para a construção da função emotiva na linguagem.

Questões comentadas sobre a funções de linguagem

Chegou a hora de resolver exercícios para fixar o conteúdo. Nesse vídeo, confira a resolução detalhada de questões de sobre as funções da linguagem. Aproveite o momento para entender como esse conteúdo pode ser cobrado no ENEM e vestibulares.

Em conclusão, a função emotiva é marcada pelo ponto de vista do emissor da mensagem, ou seja, expressa os sentimentos, emoções e opiniões do autor. Para continuar estudando sobre as funções da linguagem, leia a matéria sobre a função poética.

Referências

Funções da Linguagem (2006) – Samira Chalhub

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Função emotiva. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/funcao-emotiva. Acesso em: 17 de September de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [INSPER ]

“Não sei onde eu tô indo,
Mas sei que eu tô no meu caminho.
Enquanto você me critica,
Eu tô meu caminho.
Você esperando respostas,
Olhando pro espaço,
E eu tão ocupado vivendo,
Eu não me pergunto, eu faço!”

Nesses versos, que pertencem a “No fundo do quintal da escola”, canção de Raul Seixas e Cláudio Roberto, há predominância da função emotiva da linguagem por causa:

a) da repetição dos verbos no presente.
b) do discurso direto constante.
c) das referências à própria linguagem.
d) dos marcadores de conversação.
e) da ênfase na primeira pessoa.

Resposta: E
Justificativa: A função emotiva está presente na canção pela ênfase na primeira pessoa.

2. [UEMG]

Assinale a alternativa em que o(s) termo(s) em negrito do fragmento citado NÃO contém (êm) traço(s) da função emotiva da linguagem.

a) Os poemas (infelizmente!) não estão nos rótulos de embalagens nem junto aos frascos de remédio.
b) A leitura ganha contornos de “cobaia de laboratório” quando sai de sua significação e cai no ambiente artificial e na situação inventada.
c) Outras leituras significativas são o rótulo de um produto que se vai comprar, os preços do bem de consumo, o tíquete do cinema, as placas do ponto de ônibus (…)
d) Ler e escrever são condutas da vida em sociedade. Não são ratinhos mortos (…) prontinhos para ser desmontados e montados, picadinhos (…)

Resposta: C
Justificativa: Na função emotiva, o emissor tem como principal objetivo transmitir emoções, sentimentos e subjetividades, o que não acontece através da expressão “rótulo” e seu emprego nessa alternativa.

3. [IFN-MG]

No TEXTO ACIMA, predomina a função:

A) Fática
B) Metalinguística
C) Conativa ou apelativa
D) Emotiva ou expressiva da linguagem

Resposta: D
Justificativa: Na tirinha, Mafalda expressa sua opinião sobre como a publicidade contra a sua a vida e a das demais pessoas, por isso predomina a função emotiva.

Compartilhe

TOPO