Função conativa

A função conativa é usada quando o objetivo da mensagem é persuadir o destinatário. Por isso, é muito usada na publicidade.

A função conativa também conhecida como apelativa, é uma das funções da linguagem estudadas pelo linguista russo Roman Jakobson.

O linguista tornou-se famoso pelas seis funções que apontou para a linguagem: referencial, emotiva, conativa (ou apelativa) poética, fática e metalinguística.

Essas funções, segundo ele, não esgotariam o papel da língua, pois tais funções dizem respeito ao papel maior, que é o da comunicação.

As funções da linguagem, apontadas por Jakobson, dizem respeito, na verdade, aos usos particulares da língua que podem estar total ou parcialmente presentes em uma situação comunicativa.

Função conativa ou apelativa – ênfase no receptor

Quando o objetivo da mensagem do texto é persuadir o destinatário, influenciando seu comportamento, dizemos que a função predominante do texto é a conativa.

A linguagem da propaganda é a expressão típica da função conativa.

As expressões linguísticas com vocativos e formas verbais no imperativo também exemplificam essa função, como é o caso das preces.

As autoras Maria Luiza Abaurre e Marcela Pontara, chamam a atenção para uma peça publicitária, que faz uma adaptação da estrutura de uma prece para chamar a atenção para angústia dos publicitários quando as campanhas que fazem são avaliadas pelos seus clientes. Veja abaixo:

função conativa
Imagem: Reprodução

O texto, de forma bem humorada, todo em primeira pessoa, dirige-se a uma suposta “Nossa Senhora da Aprovação”, pedindo que esta interceda junto ao “Nosso Senhor do Clientes” em nome do autor dessa prece (no caso, um publicitário).

Ao longo do texto, observamos a manutenção da interlocução marcada pelo uso frequente de vocativos: Minha Nossa Senhora da Aprovação

Pronomes: Minha Nossa Senhora; Interceda por mim; Socorra-me; Vós que sois; etc;

E verbos no imperativo: interceda, socorra-me, proteja-me, ajude-me, dê-me, atenda, devolva-me.

O uso dos verbos explicita aquilo que o autor do texto deseja conseguir por meio dessa prece: que suas campanhas publicitárias sejam aprovadas pelos clientes, deixando claro o uso da função conativa no texto.

Referências

Roman Jakobson – Adriano Steffler

Gramática: texto e construção de sentido – Maria Luiza M. Abaurre, Marcela Pontara

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [Enem]:

A biosfera, que reúne todos os ambientes onde se desenvolvem os seres vivos, se divide em unidades menores chamadas ecossistemas, que podem ser uma floresta, um deserto e até um lago. Um ecossistema tem múltiplos mecanismos que regulam o número de organismos dentro dele, controlando sua reprodução, crescimento e migrações.

DUARTE, M. O guia dos curiosos. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.

Predomina no texto a função da linguagem:

a) emotiva, porque o autor expressa seu sentimento em relação à ecologia.

b) fática, porque o texto testa o funcionamento do canal de comunicação.

c) poética, porque o texto chama a atenção para os recursos de linguagem.

d) conativa, porque o texto procura orientar comportamentos do leitor.

e) referencial, porque o texto trata de noções e informações conceituais

 

02. [Enem]:

Desabafo

Desculpem-me, mas não dá pra fazer uma cronicazinha divertida hoje. Simplesmente não dá. Não tem como disfarçar: esta é uma típica manhã de segunda-feira. A começar pela luz acesa da sala que esqueci ontem à noite. Seis recados para serem respondidos na secretária eletrônica. Recados chatos. Contas para pagar que venceram ontem. Estou nervoso. Estou zangado.

CARNEIRO, J. E. Veja, 11 set. 2002 (fragmento).

Nos textos em geral, é comum a manifestação simultânea de várias funções da linguagem, com o predomínio, entretanto, de uma sobre as outras. No fragmento da crônica Desabafo, a função da linguagem predominante é a emotiva ou expressiva, pois

a) o discurso do enunciador tem como foco o próprio código.

b) a atitude do enunciador se sobrepõe àquilo que está sendo dito.

c) o interlocutor é o foco do enunciador na construção da mensagem.

d) o referente é o elemento que se sobressai em detrimento dos demais.

e) o enunciador tem como objetivo principal a manutenção da comunicação.

01. [Enem]

Resposta: E

O texto conceitua de forma científica a biosfera e as unidades menores que a compõem, os ecossistemas. Tal uso da linguagem caracteriza a chamada função referencial, cujo objetivo é informar o interlocutor.

 

02. [Enem]

Resposta: B

É possível observar que a atitude do enunciador sobrepõe-se àquilo que está sendo dito, com predominância da função emotiva da linguagem, já que a mensagem está voltada para aspectos subjetivos do enunciador.

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO