Padre Antônio Vieira

Padre Antônio Vieira foi um pregador e escritor do período barroco que escreveu e proferiu sermões de importância internacional.

Padre Antônio Vieira é um dos principais nomes do Barroco no Brasil. Os sermões de sua autoria ficaram famosos pela argumentação e retórica perfeitas. Tornaram-se uma importante ferramenta para divulgar os valores cristãos.

Biografia

Retrato do Padre Antônio Vieira, de autoria desconhecida do início do século XVIII. Fonte: Wikimedia.

Antônio Vieira (1608-1697) nasceu em Lisboa, mudando-se com seus pais ainda menino para Bahia, no Brasil. Estudou no Colégio dos Jesuítas e, em 1634, foi ordenado, dando início à carreira religiosa, sobretudo como pregador. Os sermões de Padre Vieira fizeram tanto sucesso que ele chegou a pregar em Londres, Paris e Roma. Graças a essa produção, tornou-se influente e conquistou a confiança de D. João IV, tornando-se embaixador do rei.

É importante ressaltar que Viera defendia os cristãos-novos (judeus convertidos ao catolicismo) e pequenos comerciantes. Nesse sentido, tinha contra si a burguesia cristã. Tais ações fizeram com que ele fosse condenado pela Inquisição, sendo preso e proibido de pregar. No entanto, o poder de sua oratória e sermões fizeram com que tivesse o perdão papal.

Características

Viera tinha grande poder de persuasão em seus sermões. Diante disso, para defender seus posicionamentos, combinava trechos formais com outros marcados pela oralidade e descontração, conquistando, assim, o público.

  • O autor pertence ao período Barroco. Seus textos demonstravam posição moral por meio de imagens associadas a um fato ou citação bíblica, tanto do Antigo quanto do Novo Testamento. Seus argumentos eram sempre baseados na realidade e na verdade histórica. Além disso, conceitos filosóficos e princípios éticos era evitados, assim o sermão não ficava rebuscado e inacessível aos fiéis.
  • Uma de suas marcas estilísticas era o uso constante do paralelismo (repetição de estruturas) e uma “amarração” constante entre a parte e o todo. Quanto à estrutura, os sermões foram divididos em intróito ou exódio (parte inicial/apresentação), desenvolvimento ou argumento (defesa de uma ideia com base em argumentação) e peroração (parte final do sermão).
    • Após aprofundar seus conhecimentos sobre Padre Vieira, conheça a produção de sermões.

      Principais obras

      O autor tem pouco mais de 200 sermões, os principais são:

      • Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as armas de Holanda (1640)
      • Sermão de Santo Antônio aos Peixes (1654)
      • Sermão da Sexagésima (1655)
      • Sermão do bom ladrão (1655)

      Sermão da Sexagésima

      Originalmente pregado na Capela Real de Lisboa, em 1655, também é conhecido como A palavra de Deus. O tema de modo geral é a arte de pregar. Faz uma crítica aos sermões rebuscados, os quais dificultam a compreensão por parte dos fiéis. Investiga porque a palavra de Deus não frutificava e quem era responsável por isso. Veja alguns trechos:

      “[…] Ora, suposto que a conversão das almas por meio da pregação depende destes três concursos: de Deus, do pregador, do ouvinte, por qual deles devemos entender a falta? Por parte do ouvinte, ou por parte de Deus?”

      “[…] Os pregadores deitam a culpa nos ouvintes, mas não é assim, se fora por parte dos ouvintes, não fizera a Palavra de Deus muito grande fruto, mas não fazer nenhum fruto e nenhum efeito, não é por parte dos ouvintes. Provo”.

      Nota-se que o pregador barroco, à maneira de Jesus, utiliza uma série de comparações, analogias, metáforas, bem como correspondências alegóricas ilustrativas como recurso retórico para instigar o raciocínio lógico do ouvinte.

      Mais trechos dos Sermões de Padre Antônio Vieira

      Confira abaixo outros sermões proferidos por Vieira:

      1. “Não são ladrões, diz o Santo, os que cortam bolsas, ou espreitam os que vão banhar, para lhes colher a roupa; os ladrões que mais própria e dignamente merecem este título, são aqueles a quem os reis encomendam os exércitos e legiões, ou o governo das províncias, ou a administração das cidades, os quais já com manha, já com força, roubam e despojam os povos” (Sermão do Bom Ladrão).
      2. O que venho a pedir ou protestar, Senhor, é que nos ajudeis e nos liberteis: Adjuva nos, et redime nos. Mui conformes são estas petições ambas ao lugar e ao tempo. Em tempo que tão oprimidos e tão cativos estamos, que devemos pedir com maior necessidade, senão que nos liberteis: Redime nos? E na casa da Senhora da Ajuda, que devemos esperar com maior confiança, senão que nos ajudeis: Adjuva nos? Não hei de pedir pedindo, senão protestando e argumentando; pois esta é a licença e liberdade que tem quem não pede favor, senão justiça (Sermão pelo Bom Sucesso das Armas de Portugal contra as de Holanda).
      Imagem/reprodução

      Agora que você leu alguns trechos de marcantes sermões de Padre Antônio Vieira, confira os vídeos abaixo.

      Vídeos sobre Barroco, Padre Antônio Vieira e sermões

      Aprenda ainda mais sobre o Barroco e a produção literária de Padre Antônio Vieira em Portugal a partir destes vídeos:

      O Barroco em Portugal

      Para compreender a produção de Padre Antônio Vieira, é necessário entender o contexto histórico no qual ele está inserido e, consequentemente, o Barroco.

      Padre Antônio Vieira e seus sermões

      Saiba um pouco mais sobre a produção de sermões de Vieira.

      Sermão de Santo Antônio aos Peixes

      Conheça o Sermão de Santo Antônio aos Peixes, de Padre Antônio Vieira.

      Para finalizar nossa breve exposição a respeito da produção barroca de Padre Antônio Vieira, fiquemos com mais um trecho do Sermão do Bom Ladrão: “O ladrão que furta para comer não vai nem leva ao inferno: os que não só vão, mas levam, de que eu trato, são os ladrões de maior calibre e de mais alta esfera […]”. Complemente seus estudos lendo sobre Barroco.

      Referências

      ABAURRE, Maria Luiza M.; PONTARA, Marcela. Literatura Brasileira: tempos, leitores e leituras. São Paulo: Moderna, 2005.
      BOSI, Alfredo. História Concisa da Literatura Brasileira. São Paulo: Cultrix, 2006.
      VIEIRA, Padre Antônio. Os sermões do Padre Vieira. São Paulo: L&PM Pocket, 2018.

Estela Santos
Por Estela Santos

Doutoranda em Letras - Estudos Literários (UEM), professora e mediadora do #LeiaMulheres - Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Santos, Estela Pereira dos. Padre Antônio Vieira. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/padre-antonio-vieira. Acesso em: 09 de August de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [FUVEST]

A respeito do Padre Antônio Vieira, pode-se afirmar:
a) Embora vivesse no Brasil, por sua formação lusitana não se ocupou de problemas locais.
b) Procurava adequar os textos bíblicos às realidades de que tratava.
c) Dada sua espiritualidade, demonstrava desinteresse por assuntos mundanos.
d) Em função de seu zelo para com Deus, utilizava-o para justificar todos os acontecimentos políticos e sociais.
e) Mostrou-se tímido diante dos interesses dos poderosos.

Resposta correta: B

De acordo com Padre Antônio Vieira, para fortificar a palavra de Deus e levá-las aos fiéis de modo claro, era fundamental adequar os textos bíblicos às realidades das quais tratava

2. [UFSM]

Leia o trecho de um sermão, do Padre Antônio Vieira:
Será porventura o estilo que hoje se usa nos púlpitos um estilo tão empeçado, um
estilo tão dificultoso, um estilo tão afetado, um estilo tão encontrado a toda parte e a toda a natureza? O estilo há de ser muito fácil e muito natural. Compara Cristo o pregar e o semear, porque o semear é uma parte que tem mais de natureza que de arte.
O objetivo do autor é
a) destacar que a naturalidade – propriedade da natureza – pode tornar mais claro o estilo das pregações religiosas.
b) salientar que o estilo usado na igreja, naquela época, não era afetado em dificultoso.
c) argumentar que o estilo usado na igreja, naquela época, não era afetado nem dificultoso.
d) argumentar que a lição de Cristo é desnecessária para os objetivos da pregação religiosa.
e) mostrar que, segundo o exemplo de Cristo, pregar e semear afetam o estilo, porque são prática inconciliáveis.

Resposta correta: B

Para Padre Antônio Viera, o estilo usado na igreja, sobretudo nos sermões, deveria ser simples, claro e direito. Uma linguagem rebuscada demais dificultaria o semear da palavra de Deus.

Compartilhe

TOPO