Milton Hatoum

Memória, testemunho, ancestralidade, família e Brasil são elementos recorrentes na vasta obra do escritor brasileiro Milton Hatoum.

Milton Hatoum é um grande nome da literatura brasileira contemporânea. O escritor já acumula diversos prêmios literários e está em plena produção. Suas obras abordam questões sociopolíticas de diferentes momentos do século XX no Brasil e trazem a memória e o sujeito imigrante como temas-chave. Hatoum apresenta o Norte do Brasil, principalmente a cidade de Manaus (AM), como cenário de seus romances mais famosos. Conheça melhor a produção do escritor a seguir!

Biografia: Milton Hatoum

(Fonte: Companhia das Letras)

Milton Assi Hatoum (Manaus, 1952) é um escritor, tradutor e professor brasileiro. Descendente de libaneses, ele cresceu na cidade de Manaus. Cursou arquitetura na Universidade de São Paulo e estudou na Espanha e na França. Quando retornou ao Brasil, foi professor de língua e literatura francesas na Universidade Federal do Amazonas. Em 1998, tornou-se doutor em Teoria Literária e passou a morar em São Paulo, onde vive atualmente.

Muito valorizado na literatura brasileira contemporânea, Hatoum ganhou o prêmio Jabuti com seus três primeiros romances: Relato de um Certo Oriente, Dois Irmãos e Cinzas do Norte. Com esse último também levou os prêmios Bravo!, APCA e Portugal Telecom. Em 2017, recebeu do governo francês o título de Officier de L’Ordre des Arts et des Lettres.

Obras literárias

Conheça as produções literárias de Milton Hatoum que publicou diferentes gêneros: romances, contos, crônicas e novela.

  • Relato de um Certo Oriente (1989), romance;
  • Dois Irmãos (2000), romance;
  • Cinzas do Norte (2005), romance;
  • A cidade ilhada (2006), contos;
  • Órfãos do Eldorado (2008), novela;
  • Um solitário à espreita (2013), crônicas;
  • A noite da espera (2017), romance;
  • Pontos de fuga (2019), romance.

O romance se destaca na obra de Milton Hatoum. Abaixo, você vai conhecer um pouco melhor dois livros desse gênero que promoveram o reconhecimento do escritor nos cenários nacional e mundial.

Relato de um certo Oriente

É o livro de estreia do autor, publicado quando ele tinha 37 anos. O romance é ambientado em Manaus no período final do primeiro ciclo da borracha e da belle époque na cidade, o que configura um tom histórico à narrativa. A obra relata os conflitos de uma família de libaneses, introduzindo questões sobre a construção da identidade do imigrante, um tema característico da obra de Hatoum.

Com a morte de Emilie, a matriarca da família, sua filha adotiva volta para Manaus, depois de vinte anos longe, e tenta reorganizar a sua história e a de seus antepassados através da memória e dos acontecimentos presentes. Assim, a narrativa é contada por ela e diversas outras vozes em uma perspectiva não linear cobrindo quase um século de história.

Dois irmãos

O romance acontece em Manaus na década de 1940 e aborda um drama familiar em função do intenso conflito entre Yaqub e Omar, irmãos gêmeos. A partir da convivência desses personagens com a mãe, o pai, a irmã e a empregada Domingas, a história explora as relações de identidade e de diferença em uma família libanesa em crise.

Só conhecemos o nome do narrador, Nael, ao fim da história. Trinta anos depois, o filho de Domingas relata o que presenciou procurando saber quem daquela família seria o seu pai. A narrativa transita entre os espaços da cidade e o rio Negro que, de tão importante no enredo, pode ser compreendido como um personagem. O romance foi traduzido para 12 idiomas e adaptado para televisão, teatro e quadrinhos.

A produção de Hatoum continua a pleno vapor. Atualmente, ele está escrevendo a série O lugar mais sombrio que aborda as experiências de um grupo de jovens durante a ditadura civil-militar no Brasil. A série conta com três volumes e os dois primeiros já foram publicados: A noite da espera (2017) e Pontos de fuga (2019).

7 frases de Milton Hatoum e de obras do autor

Separamos algumas frases e trechos dos livros de Hatoum, além de uma fala do autor dada em entrevista. Assim, você poderá reconhecer a importância da memória e dos aspectos sociopolíticos brasileiros nas narrativas.

  1. A vida começa verdadeiramente com a memória. (Frase de Relato de um Certo Oriente).
  2. Aqui reina uma forma estranha de escravidão. A humilhação e a ameaça são o açoite; a comida e a integração ilusória à família do senhor são as correntes e golilhas. (Trecho de Relato de um Certo Oriente).
  3. No lugar desconhecido habita o desejo. (Frase de A Cidade Ilhada).
  4. Na minha idade, a única vantagem é saber que não vou aturar por muito tempo a estupidez humana. (Frase de A Cidade Ilhada)
  5. O que Halim havia desejado com tanto ardor, os dois irmãos realizaram: nenhum teve filhos. Alguns dos nossos desejos só se cumprem no outro, os pesadelos pertencem a nós mesmos. (Trecho de Dois Irmãos)
  6. Um dia, eu lhe disse: Ao diabo com os sonhos: ou a gente age, ou a morte de repente nos cutuca, e não há sonho na morte. Todos os sonhos estão aqui, eu dizia, e ela me olhava, cheia de palavras guardadas, ansiosa por falar. (Trecho de Dois Irmãos)
  7. As promessas de quase todos os políticos são armas eficazes do populismo, essa praga tão recorrente na política, e não apenas na América Latina. (Entrevista de Milton Hatoum ao Correio Braziliense)

Agora que você já conhece o estilo desse escritor, veja alguns vídeos que discutem a sua produção literária.

Vídeos sobre um Brasil contemporâneo na literatura

Separamos três vídeos sobre obras citadas na matéria para você fixar o que aprendeu e aprofundar os seus conhecimentos. Confira!

Dois Irmãos no romance e nos quadrinhos

Nesse vídeo, a Tatiana Feltrin fala sobre a obra Dois Irmãos e sobre a adaptação da narrativa para os quadrinhos, feita pelos irmãos Fábio Moon e Gabriel Bá. Assista!

Cinzas do Norte

Daiana Pasquim aborda o romance Cinzas do Norte nesse vídeo, explorando detalhes da narrativa com comentários de leitura e trazendo curiosidades sobre a escrita da obra.

Pontos de fuga

Neste vídeo, o escrito Milton Hatoum fala sobre a trilogia O Lugar Mais Sombrio, assim, ele apresenta Pontos de fuga, o segundo volume da série. Aproveite para ouvir o autor!

Agora eu você já entrou em contato com a obra de Milton Hatoum, conheça outro escritor brasileiro contemporâneo lendo a nossa matéria sobre Raduan Nassar!

Referências

Dois Irmãos (2000) – Milton Hatoum
Milton Hatoum lança ‘Pontos de fuga’ segunda parte de trilogia (2019) – Carlos Marcelo/Estado de Minas – Correio Braziliense
Relato de um certo Oriente (1989) – Milton Hatoum

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Milton Hatoum. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/milton-hatoum. Acesso em: 25 de November de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [UEM]

Sobre o romance Dois irmãos, de Milton Hatoum, assinale o que for correto.

01) O narrador desse romance não segue a cronologia dos episódios que narra, mas constrói seu texto com idas e vindas temporais, em um ir e vir que exige atenção do leitor para acompanhar seu percurso complexo. Sua narração se pauta pelas conversas que teve com várias personagens da trama, muitas vezes sobre os mesmos temas, que são retomados inúmeras vezes ao longo da narrativa, recontados, revistos, revisitados. A trama se torna cada vez mais densa e reiterativa, como ocorre com a memória, base do trabalho desse narrador.

02) O início do romance mostra a personagem Rânia em uma situação que será retomada perto do fim da narrativa, unindo as duas pontas do romance. Nas últimas páginas, o narrador apenas tecerá considerações sobre as personagens, sem concluir seus destinos pessoais. Ao fazer isso, cria-se um romance circular ou em espiral, sem desfecho definitivo, com final em aberto em relação às personagens principais.

04) O romance é narrado em primeira pessoa, por um narrador que participa da ação, mas não figura como um dos protagonistas da história narrada. Isso pode ser comprovado pelo fato de sua relação com as demais personagens ser explicitada aos poucos ao longo do texto. No início do romance, não sabemos quem é o narrador, apenas inferimos que não é nenhum dos gêmeos (Omar e Yaqub), nem sua mãe (Zana), nem o pai (Halim), nem a empregada (Domingas). Bem adiante, saberemos que é o filho de Domingas com um dos gêmeos e, bem perto do fim, que se chama Nael.

08) O espaço no romance Dois irmãos é o de uma Manaus entre a representação de seus recursos naturais e a crueza dos bairros periféricos, marcados pela pobreza, às vezes pela miséria. Em nenhum caso ocorre a idealização desse espaço, que diz muito sobre as personagens que ali circulam e vivem. Apesar disso, o espaço não determina ou limita as possibilidades de desenvolvimento dessas personagens. Yaqub, por exemplo, muda-se para São Paulo, cursa a Escola Politécnica e se torna um engenheiro respeitado.

16) Milton Hatoum é um dos principais nomes da literatura brasileira da primeira metade do século XX, com uma obra não muito vasta, mas de grande força e importância. Colocou a região Norte, em especial sua Manaus, no mapa dos grandes romances regionalistas dos anos 1930- 1945, período também conhecido como 2ª geração modernista, contemporâneo que é dos nordestinos José Lins do Rego e Graciliano Ramos, bem como do gaúcho Érico Veríssimo.

Resposta: Somatória – 13
Justificativa: Apenas as alternativas 1, 4 e 8 apresentam todas as informações corretas.

2. [UFPA]

Quando abri os olhos, vi o vulto de uma mulher e o de uma criança. As duas figuras estavam inertes diante de mim, e a claridade indecisa da manhã nublada devolvia os dois corpos ao sono e ao cansaço de uma noite mal dormida. Sem perceber, tinha me afastado do lugar escolhido para dormir e ingressado numa espécie de gruta vegetal, entre o globo de luz e o caramanchão que dá acesso aos fundos da casa. Deitada na grama, com o corpo encolhido por causa do sereno, sentia na pele a roupa úmida e tinha as mãos repousadas nas páginas também úmidas de um caderno aberto, onde rabiscara, meio sonolenta, algumas impressões do vôo noturno. Lembro que adormecera observando o perfil da casa fechada e quase deserta, tentando visualizar os dois leões de pedra entre as mangueiras perfiladas no outro lado da rua.

HATOUM, M. Relato de um certo Oriente. São Paulo: Companhia das Letras, 1989. (Fragmento)

Ao final da década de 80, o amazonense Milton Hatoum surpreende o mundo das letras com a excelência de seu romance de estréia, Relato de um certo Oriente, hoje traduzido para várias línguas. Abaixo, encontram-se trechos de críticos e teóricos literários, relacionados à obra em questão ou à narrativa em geral. Leia com atenção o Texto 5 e selecione, abaixo, a alternativa que pode ser corretamente associada a esse fragmento, no que concerne à narrativa:

a) As complicações da narrativa são ainda mais intensificadas pelo encaixe de histórias dentro de outras histórias, de modo que o ato de contar uma história se torna um acontecimento na história […]
(CULLER, J. Teoria literária. uma introdução. São Paulo: Beca Produções Culturais Ltda., 1999)

b) Faz-se presente […] uma linguagem que revela vacilos, titubeios, uma vez que a narradora expõe sua dúvida na forma de organizar as vozes do passado.
(CHIARELLI, S. Vidas em trânsito; as ficções de Samuel Rawet e Milton Hatoum. São Paulo: Annablume, 2007).

c) No caso do “eu” como testemunha, o ângulo de visão é, necessariamente, mais limitado. […] ele narra da periferia dos acontecimentos, não consegue saber o que se passa na cabeça dos outros, apenas pode inferir, lançar hipóteses, servindo-se também de informações, de coisas que viu ou ouviu […]
(LEITE, L. O foco narrativo. São Paulo: Ática, 2000)

d) […] É possível que o reconhecimento de certas manifestações culturais como sendo ou não literatura só seja possível quando o aparato crítico da teoria da literatura bem como os procedimentos e valores da crítica se tenham refinado o suficiente para uma (ainda que tênue) percepção da alteridade. (LAJOLO, M. Regionalismo e história da literatura: quem é o vilão da história?.
In: FREITAS, M. (org.) Historiografia brasileira em perspectiva. 6. ed. São Paulo: Contexto, 2007)

e) Essa concepção empenhada, quem sabe devida às circunstâncias da sua vida, nos leva a perguntar de que maneira as suas convicções e sentimentos se projetam na visão do homem e da sociedade, e em que medida afetam o teor da sua realização como escritor. […].
(CANDIDO, A. A educação pela noite & outros ensaios. São Paulo: Ática, 1989)

Resposta: C
Justificativa: Em “Relato de um certo Oriente” a narrativa é contada pela filha adotiva de Emilie e pelos outros personagens a quem a narradora dá voz, assim cada um narra o que viveu, presenciou ou o que lhes foi contado, não tendo conhecimento sobre o que pensavam ou sentiam os outros personagens.

Compartilhe

TOPO