Gil Vicente

Um dos maiores nomes da dramaturgia popular, autor dos sucessos "Auto da Barca do Inferno" e "A Farsa de Inês Pereira".

Nome fundamental da literatura dramática, Gil Vicente criou um teatro sobre as pessoas e para as pessoas. Com diferentes fases e características, sua obra satírica mirou a nobreza, o clero, a burguesia e as classes populares com a criação dos tipos sociais, por vezes ridicularizados. Leia a matéria e conheça melhor esse autor que escreveu, encenou e, inclusive, atuou em muitas de suas peças!

Biografia

(Retrato de Gil Vicente (1882), por António Nunes Júnior, Fonte: Wikipedia)

Gil Vicente (Guimarães, 1465 — Évora, 1536) foi um dramaturgo português. Há poucos registros sobre sua vida pessoal, mas sabe-se que ele escreveu entre 1502 e 1536, período dos reinados de D. Manuel I e de seu filho D. João III. Assim, o teatro de Gil Vicente foi criado na corte para o entretenimento dos eventos reais, mas mesmo com o aval da monarquia portuguesa não perdeu o caráter primitivo e popular.

O dramaturgo produziu durante o período do Humanismo, momento em que o teocentrismo perdia espaço para o antropocentrismo. Assim, as ideias humanistas influenciaram sua obra que teve diversas fases. Gil Vicente é considerado o pai do teatro português e possui uma vasta produção entre autos pastoris, de moralidade e cavaleirescos, assim como farsas, comédias e tragicomédias. Acredita-se que ele faleceu em 1536, visto que depois disso não houve mais registros de sua produção.

Características de suas obras

Gil Vicente escreveu mais de quarenta peças, em espanhol e em português, com uma amplitude de temas e personagens. Veja as principais características de suas obras:

  • Abordagem dos valores populares e cristãos em retratos da vida cotidiana.
  • Crítica à sociedade de seu tempo através de personagens como: burgueses gananciosos, mulheres fofoqueiras, agiotas, padres libertinos, legisladores, juízes corruptos, etc.
  • Despreocupação com a unidade de tempo, lugar e ação, diferentemente do que acontecia no teatro clássico.
  • Abordagem de diversos temas em inúmeras situações representadas por muitos atores e figurantes na mesma peça.
  • Presença de elementos do teatro medieval, como: milagres, mistérios, moralidades, farsas, momos e entremeses.
  • Expressão de uma sátira, por vezes agressiva, sobre o clero e a nobreza através dos tipos sociais.

Conforme você viu, o teatro vicentino é muito rico, apresentando diferentes características conforme as fases de escrita do autor. Continue lendo a matéria para aprender mais sobre isso.

Importância de Gil Vicente para a literatura

A obra de Gil Vicente é um marco para a dramaturgia portuguesa, pois sedimentou a atividade que já tinha algumas manifestações, mas não era estruturada. Ele também é considerado fundador do teatro ibérico com Juan del Encina, pois escreveu muitas peças em espanhol. Com uma árdua crítica e muito humor que constrói caricaturas, sua obra reflete as mudanças da sociedade europeia na passagem da Idade Média para o Renascimento.

Fases e obras

A grandiosa obra de Gil Vicente é composta por peças que transitam do pensamento cristão para a sátira e a crítica social. Conheça as principais fases do escritor:

Primeira fase

A primeira fase ocorre no período de 1502 a 1508 com influências do teatro medieval e do poeta espanhol Juan del Encina e é composta pelos autos pastoris e demais peças de temas religiosos, com atitudes moralizantes de caráter medieval.

  • Auto Pastoril Castelhano
  • Auto dos Reis Magos
  • Monólogo do Vaqueiro
  • Auto de São Martinho

Segunda fase

A segunda fase ocorre no período de 1508 a 1516, caracterizada por uma linguagem popular que mescla os registros de diferentes classes e provoca o cômico. A crítica social é expressa através da sátira sobre os vícios e pecados das pessoas.

  • Quem Tem Farelos?
  • O Velho da Horta
  • Exortação da Guerra
  • Auto da Índia

Terceira fase

A terceira fase ocorre de 1516 a 1536. Junto a crítica de costumes, os tipos sociais se ampliam com personagens que vão da marginalidade à nobreza representando flagrantes da vida social quinhentista. Nessa fase, Gil Vicente faz da tragicomédia um grande espetáculo usando elementos como a mitologia, a alegoria e o enredo novelesco.

  • Farsa de Inês Pereira
  • Comédia do Viúvo
  • Auto das Barcas do Inferno
  • Auto da Barca do Purgatório
  • Auto da Barca da Glória

O teatro de Gil Vicente tem por base o improviso e a espontaneidade com uma grande potência poética e dramática. A Trilogia das Barcas (três últimos títulos citados acima) é a sua grande produção.

Vídeos sobre a vida e a obra de Gil Vicente

Para ampliar o seu repertório de estudos, escolhemos três vídeos com conteúdos sobre a biografia de Gil Vicente, o contexto em que sua obra foi escrita, além de duas das principais peças do autor. Confira!

Teatro Vicentino

Aprenda as características do teatro vicentino, desde os aspectos do humanismo presentes nas peças, até o caráter crítico, a estrutura cênica e as categorias de personagens que caracterizam a obra de Gil Vicente.

A Farsa de Inês Pereira

Nesse vídeo, o professor Newtão fala sobre A Farsa de Inês Pereira com muito humor, interpretando a protagonista nas três fases da peça que ele resume como: “Inês fantasiosa”; “Inês malmaridada” e “Inês quite e desforrada”. Dê o play e prepare as risadas!

Auto da Barca do Inferno

Aqui, o professor Beto Brito fala sobre o contexto histórico que influencia Gil Vicente na construção da obra Auto da Barca do Inferno, explica o que é um auto e apresenta as principais características da peça, além de fazer um resumão dela. Acompanhe!

Nessa matéria você conheceu Gil Vicente e a literatura produzida no início do Renascimento. Aproveite e continue os estudos em literatura portuguesa lendo sobre o poeta Bocage.

Referências

As marcas da cultura popular do Teatro Vicentino na obra “O Santo e a Porca” de Ariano Suassuna (2011) – Krishna Monique de Andrade
Para uma história do humanismo em Portugal (2013) – Américo da Costa Ramalho

Érica Paiva Rosa
Por Érica Paiva Rosa

Professora, redatora e produtora cultural. Mestre em Letras pela UEM.

Como referenciar este conteúdo

Paiva Rosa, Érica. Gil Vicente. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/gil-vicente. Acesso em: 02 de August de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [FUVEST]

Aponte a alternativa correta em relação a Gil Vicente:

a) Compôs peças de caráter sacro e satírico.
b) Introduziu a lírica trovadoresca em Portugal.
c) Escreveu a novela Amadis de Gaula.
d) Só escreveu peças em português.
e) Representa o melhor do teatro clássico português.

Resposta: A
Justificativa: A obra de Gil Vicente é caracterizada pelo caráter sacro e satírico. Todas as demais alternativas são incorretas.

2. [IFSP ]

Leia as estrofes abaixo, que se referem a uma peça teatral de Gil Vicente.

[…]
Renego deste lavrar
E do primeiro que o usou;
Ó diabo que o eu dou,
Que tão mau é d’aturar.
Oh Jesus! Que enfadamento,
E que raiva e que tormento,
Que cegueira, e que canseira!
Eu hei de buscar maneira
D’algum outro aviamento.

Coitada, assi hei de estar
Encerrada nesta casa
Como panela sem asa,
Que sempre está num lugar?
E assi hão de ser logrados
Dous dias amargurados,
Que eu possa durar viva?
E assim hei de estar cativa
Em poder de desfiados?
[…]

Assinale a alternativa correta acerca da obra a que estas estrofes pertencem.

a) As estrofes apresentadas referem-se à peça teatral Auto da Barca do Purgatório, em que a personagem principal é encarregada de conduzir as almas ao destino apropriado, após a morte. Pode-se observar que, nesta obra, a característica do Humanismo predominante é o antropocentrismo.
b) As estrofes apresentadas referem-se à peça teatral Auto da Barca do Inferno; as cenas ocorrem à margem de um rio, onde estão ancorados dois barcos: um é dirigido por um anjo e o outro é dirigido pelo diabo. Pode-se depreender que esta obra apresenta uma característica bem marcante do Humanismo: as decisões do homem prevalecem e o indivíduo possui em vida livre-arbítrio.
c) Farsa de Inês Pereira é o título dado à peça, cujas estrofes foram apresentadas. Esta peça, considerada a mais humanista de Gil Vicente, retrata o comportamento amoral da degradante sociedade da época; os versos correspondem às falas de Inês, uma moça insatisfeita ao se ocupar das prendas domésticas.
d) O nome da peça cujas estrofes foram apresentadas é Breve sumário da história de Deus, obra em que Gil Vicente reafirma a certeza quanto à existência do inferno e ressalta uma importante característica do Humanismo: a demonstração da figura humana e suas expressões.
e) As estrofes apresentadas foram extraídas da seguinte obra de Gil Vicente: O velho da horta, peça de enredo, na qual se desenvolve uma ação contínua e encadeada em torno de um episódio extraído da vida real, em que a individualidade, característica do Humanismo, é valorizada.

Resposta: C
Justificativa: “A Farsa de Inês Pereira” é o título dado à peça cujas estrofes foram apresentadas. Tal peça, considerada a mais humanista de Gil Vicente, retrata o comportamento amoral da degradante sociedade da época; os versos correspondem às falas de Inês, uma moça insatisfeita ao se ocupar das prendas domésticas.

Compartilhe

TOPO