Taj Mahal

O Taj Mahal é um mausoléu indiano projetado pelo imperador Shah Jahan, no século XVII, em homenagem à imperatriz Arjumand.

Esta matéria apresenta aspectos históricos do Taj Mahal, um monumento dedicado pelo quinto imperador mongol, Shah Jahan, à sua amada imperatriz, Arjumand. Além disso, também aborda informações relativas à localização e à arquitetura, comentando sobre a simetria e a cúpula, os minaretes, os jardins, os mausoléus secundários e as curiosidades do monumento. Acompanhe:

Índice do conteúdo:

História do Taj Mahal

iStock

O Taj Mahal é um mausoléu indiano e sua história remonta ao século XVII, sendo perpassada por uma história de amor. Nesse monumento fúnebre, estão sepultados os corpos de Shah Jahan e de Arjumand. O mausoléu recebeu esse nome em homenagem à amada esposa do imperador, nomeada Mumtaz Mahal. Desse modo, foi denominado de Taj Mahal, que significa “coroa de Mahal”.

Taj Mahal: obra do amor entre Shah Jahan e Arjumand

Segundo as narrativas históricas, Shahabuddin Mohammed Shah Jahan (1592-1666), mais conhecido como Shah Jahan e posteriormente coroado imperador do Império Mongol (1628-1658), consumou matrimônio com a princesa muçulmana Arjumand Banu Begum (1592-1631), de vertente xiita. O casamento ocorreu no dia 10 de maio de 1612, quando a então princesa possuía 19 anos, tornando-se, assim, a terceira esposa do imperador mongol.

Contam as narrativas que, embora exercesse a poligamia, uma vez que possuía 5 esposas, o imperador mongol tinha predileção por Arjumand. Devido a essa predileção, essa esposa foi nomeada Mumtaz Mahal, que significa “amado ornamento do palácio”. A história de amor entre Shah Jahan e Arjumand, porém, foi interrompida após 19 anos de matrimônio, com o falecimento da imperatriz devido a complicações no parto do 14º filho do casal.

Arjumand faleceu na cidade de Burhanpur, onde foi sepultada temporariamente no jardim Zainab, próximo ao rio Tapti, visto que o imperador almejava um lugar mais digno ao descanso de sua amada. Então, no ano em que permaneceu em Burhanpur, Shah Jahan planejou a construção do mausoléu. Assim, o corpo de Mumtaz Mahal foi desenterrado em dezembro de 1631 e conduzido até Agra, sua cidade natal, em um caixão de ouro.

Contexto da construção

Na época, o Império Mongol prosperava economicamente, investindo na construção de jardins e de edifícios imperiais, portanto não foram poupados recursos para a construção do Taj Mahal, que contou com empreitada de aproximadamente 20 mil homens. Segundo dados da Unesco, a construção do mausoléu, às margens do rio Yamuna, foi iniciada no ano do translado do corpo da imperatriz e concluída em 1648 – ou seja, durou mais de duas décadas.

Em 1658, Shah Jahan adoeceu e foi afastado do cargo de imperador, sendo sucedido por Dara (1658-1659), seu filho mais velho com Arjumand. A sucessão imperial gerou um conflito entre os filhos, levando o filho Aurangzeb ao cargo. Durante seu governo (1685-1705), Shah Jahan, mesmo recuperado, ficou em prisão domiciliar até sua morte, em 22 de janeiro de 1666, sendo sepultado ao lado de sua amada após uma procissão fúnebre estatal.

Localização do Taj Mahal

O Taj Mahal está localizado ao norte do Índia, no estado de Uttar Pradesh, na cidade de Agra. Terra natal da imperatriz Arjumand, Agra está a uma distância aproximada de 223 km ao sul de Nova Delhi, capital da Índia. A cidade foi fundada no século XVI, entre 1501 e 1504, às margens do rio Yamuna.

Arquitetura do Taj Mahal

iStock

O Taj Mahal ocupa uma área de 17 hectares e possui um complexo arquitetônico formado por jardins, mesquitas e minaretes, além do mausoléu. De acordo com dados do governo indiano, o mausoléu incorpora referências de tradições arquitetônicas islâmicas da Pérsia e da Índia e também da tradição mongol, baseando-se em edifícios como o Gur-e-Amir e a Tumba de Humayun, além de complementos do próprio Shah Jahan.

O monumento possui formato octogonal, edificado com tijolos comuns e revestido em mármore branco, combinando elementos persas, indianos e islâmicos. Além disso, o Taj Mahal foi decorado externamente aos moldes da cultura islâmica (caligrafias corânicas, elementos vegetais e elementos geométricos abstratos) e com pinturas, esculturas e incrustação de pedras semipreciosas.

Internamente, o monumento encanta pela presença de escritos corânicos e pela incrustação de gemas de pedras preciosas e semipreciosas, como safiras, ametistas, cristais, jades, pedras turquesa e lápis-lazúlis. Ao todo, o governo indiano afirma que foram utilizados 28 tipos de pedras preciosas e semipreciosas na ornamentação do Taj Mahal, ressaltando que os materiais utilizados para sua construção e decoração vieram de diversas regiões da Ásia Central, além da Índia.

Simetria

A simetria é um elemento de destaque no Taj Mahal, com sua estrutura octogonal devidamente disposta em uma base quadrada com minaretes em suas extremidades. Além disso, as faces principais do mausoléu, que possuem arcos de 33 metros de altura, são idênticas e perfeitamente simétricas. Há ainda as quatro chattri (colunas em formato de cúpula), que também são elementos arquitetônicos que reforçam aspectos simétricos do mausoléu.

As chattri são monumentos memoriais decorativos que ladeiam a cúpula central do Taj Mahal. Além disso, o cenotáfio ou túmulo de Arjumand foi inserido simetricamente ao centro do mausoléu. Essa simetria, porém, foi rompida em 1666, com o sepultamento de Shah Jahan em um cenotáfio disposto ao lado do de Arjumand. Além dos minaretes, as cúpulas e os jardins do mausoléu também contribuem expressivamente para a simetria do conjunto arquitetônico.

Minaretes

Os minaretes são elementos comuns na arquitetura islâmica e também estão presentes no conjunto arquitetônico do Taj Mahal. Essas torres, com mais de 40 metros de altura, foram construídas em mármore branco e dispostas nas extremidades de um quadrado que circunda o mausoléu central.

Jardins

O Chahar Bagh ou Jardim Persa compõe todo o conjunto arquitetônico do monumento. Intentando representar o paraíso islâmico, os jardins do Taj Mahal possuem as dimensões de 320 x 300 metros. Composto por 16 canteiros de flores posicionados nos 4 quadrantes, o jardim é composto também por caminhos ladeados de arbustos e possui, em seus centros, cursos e espelhos d’agua que refletem a beleza do Taj Mahal.

Cúpula

Ao centro do mausoléu, se encontra uma amrud – cúpula com formato de cebola característica da arquitetura islâmica. A amrud do Taj Mahal possui 35 metros de altura, foi construída em mármore branco e possui um anel de flores de lótus esculpido em alto relevo, além de fios de ouro como ornamento. Em seu topo, vislumbra-se um adorno em formato de agulha, cujo ápice contém uma lua crescente, símbolo do Islamismo.

Mausoléus secundários

Além dos corpos de Shah Jahan e Arjumand, encontram-se sepultados nos mausoléus secundários os corpos das viúvas do quinto imperador mongol. Estes estão localizados nas laterais da darwaza (entrada principal do conjunto arquitetônico). Diferentemente do Taj Mahal, que foi revestido em mármore branco, os mausoléus secundários foram construídos em pedra vermelha, aos moldes da tradição mongol de construção funerária.

Curiosidades sobre o monumento

iStock

Veja, a seguir, algumas curiosidades a respeito do Taj Mahal:

  • Além do uso da força humana de aproximadamente 20 mil trabalhadores, foram utilizados em torno de mil elefantes no processo de transporte de materiais da construção do monumento.
  • Conta uma lenda sobre o monumento que Shah Jahan pretendia construir um mausoléu idêntico ao Taj Mahal do outro lado do rio Yamuna. Diferentemente do Taj Mahal, que é revestido em mármore branco, sua réplica seria revestida em mármore negro, de modo a ser reconhecido como o “Taj Mahal Negro”.
  • Essa mesma lenda conta que, após a construção do monumento, Shah Jahan ordenou a mutilação dos artesãos responsáveis pela edificação e decoração do Taj Mahal. De acordo com essa lenda, o quinto imperador mongol teria ordenado que todos os artesãos envolvidos na construção do mausoléu fossem cegados e tivessem as mãos decepadas, para que nunca mais pudessem construir um monumento tão belo quanto aquele destinado à sua esposa amada.
  • A poluição da cidade de Agra é um fator de risco à preservação do Taj Mahal. Em 1978, um comitê de especialistas apresentou um relatório de saúde pública alertando para o alto índice de dióxido de enxofre na cidade. Posteriormente, a Unesco elaborou um relatório demonstrando a periculosidade da poluição de Agra, favorecendo chuvas ácidas e partículas suspensas na atmosfera que estavam corroendo o Taj Mahal e o deixando amarelado.
  • Além de ter sido eleito patrimônio mundial da humanidade pela Unesco em 1983, o Taj Mahal também foi eleito uma das nove maravilhas do mundo. Em 2007, foi realizada uma votação, pela internet e por ligações telefônicas, para a eleição das “Sete maravilhas do Mundo Moderno”, e o monumento ficou entre as nove mais votadas – junto ao Cristo Redentor, situado no Rio de Janeiro.
  • Após um fechamento temporário de 6 meses, devido à Pandemia de Covid-19, o Taj Mahal foi reaberto aos visitantes em 21 de setembro de 2020. Seguindo recomendações das entidades internacionais de saúde, protocolos sanitários foram adotados e o número de visitantes foi reduzido para 5 mil visitas diárias. Antes do período pandêmico, o Taj Mahal, monumento mais visitado da Índia, recebia em torno de 20 mil pessoas por dia.
  • Inspirando-se na história de amor de Shah Jahan e de Arjumand, no ano do de 1972, o cantor brasileiro Jorge Ben Jor lançou a música “Taj Mahal”, uma de suas composições mais famosas. A música é uma das 11 canções que compõem o 9º álbum de Jorge Ben Jor, lançado pela gravadora Philips Records com o título de “Ben”.

Esta matéria apresentou aspectos históricos do Taj Mahal, um monumento indiano que compõe o patrimônio mundial da humanidade. Continue seus estudos aprendendo também sobre a história das Pirâmides do Egito!

Referências

Malala, a menina que queria ir para escola (2016) – Adriana Carranca
Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura [on-line] – Disponível em: https://whc.unesco.org/en/list/252/ – Acesso em 13 dez. 2020
Taj Mahal [on-line] – Disponível em: www.tajmahal.gov.in – Acesso em 13 dez. 2020

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor mestrando em Educação Física formado pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Taj Mahal. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/taj-mahal. Acesso em: 01 de September de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [UNIT-2010]

Considere as seguintes situações.

Monumentos como o Taj Mahal, a catedral de Colônia e a estátua da Liberdade estão sofrendo processos de lenta decomposição.
Em 25% dos lagos da Suécia, os peixes não conseguem sobreviver.
80% dos lagos e corredeiras do sul da Noruega estão tecnicamente mortos.

O problema ambiental responsável pelas situações acima é:

(A) a chuva ácida.
(B) a inversão térmica.
(C) o efeito estufa.
(D) a diminuição da camada de ozônio.
(E) o aumento da amplitude térmica.

A resposta correta é a alternativa A.

A chuva ácida é um fenômeno comum em áreas com altas taxas de poluição, como é o caso da cidade de Agra. Esse fenômeno decorre de componentes químicos, como os óxidos de enxofre e de nitrogênio, que são lançados na atmosfera por agentes poluidores. Esses agentes reagem com a água das chuvas, aumentando, assim, a acidez do líquido e gerando o fenômeno denominado chuva ácida. Em contato com a arquitetura de construções e monumentos históricos, como o Taj Mahal, a chuva ácida desencadeia reações inorgânicas – denominadas de reação de dupla-troca –, em que o ácido da chuva é trocado pelos sais presentes nos monumentos. Essa reação acaba por desencadear o desgaste e a decomposição lenta e gradativa da arquitetura das construções.

2. [UDESC-2010]

As principais religiões praticadas na Ásia Meridional e no Sudeste são o hinduísmo (dominante na Índia), o islamismo (Paquistão, Bangladesh e Indonésia), o budismo (Indochina e península Malaia) e o catolicismo (Filipinas). O hinduísmo é o grande fator de unidade nacional na Índia, país onde se falam cerca de 17 línguas e 1600 dialetos.

Analise as proposições sobre a Índia.

I – O domínio britânico na Índia trouxe sérias implicações econômicas: desarticulou a indústria artesanal, proibiu o surgimento de fábricas e forçou os indianos a abrirem grandes espaços para as culturas industriais como o algodão, o chá e a juta, agravando o problema de escassez de alimentos.
II – As reações mais fortes à presença britânica, na região, datam do fim do século XIX e cresceram após o fim da Primeira Guerra Mundial, sob a liderança de Mohandas Karamchand Gandhi chamado de Mahatma, que quer dizer “Grande Alma”.
III – A campanha de independência da Índia comandada por Gandhi contra o governo britânico era pacífica; como armas eram utilizadas as greves e o boicote aos produtos britânicos.
IV – A Índia conquistou sua independência após o término da Segunda Guerra Mundial, em 1947.
V – Após a independência da Índia, veio à tona o conflito entre hindus e muçulmanos – que já existia e que Gandhi inutilmente tentara resolver. Este conflito resultou na divisão do território indiano em dois países: a Índia (de maioria hindu) e o Paquistão (de maioria muçulmana).

Assinale a alternativa correta.

A) Somente as afirmativas III, IV e V são verdadeiras.
B) Somente as afirmativas II e IV são verdadeiras.
C) Somente as afirmativas I e V são verdadeiras.
D) Somente as afirmativas I, II e III são verdadeiras.
E) Todas as afirmativas são verdadeiras.

A resposta correta é a alternativa E.

O domínio inglês na Índia culminou na decadência das indústrias artesanais que os europeus conquistaram no período das rotas da seda, assim como da produção de agricultura básica na região. A independência da Índia quanto a esse domínio se deu a partir da Segunda Guerra Mundial, com forte influência de Mahatma Gandhi. Gandhi lutava a favor da resistência pacifica aos ingleses e também da busca por direitos civis, políticos e libertários. Assim, após a independência da Índia, seu território foi dividido entre muçulmanos e hindus, culminando na constituição de dois países – conhecidos atualmente como Índia (de maioria hindu) e Paquistão (de maioria muçulmana).

Compartilhe

TOPO