Revolução Russa

A Revolução Russa aconteceu em decorrência da insatisfação da população quanto à forma de governo aplicada na época, o Czarismo.

O cenário da Rússia antes da Revolução Russa, no começo do século XX, era de uma economia atrasada e bastante dependente da agricultura, uma vez que 80% da economia era proveniente dessa atividade. A miséria e a pobreza faziam parte da realidade dos trabalhadores rurais que tinham, ainda, que pagar altos impostos de forma a manter a base do sistema Czarista de Nicolau II. O governo era absolutista, de forma que somente o Czar tinha poderes em suas mãos, e todos viviam descontentes com essa forma de governo. No ano de 1905, houve um episódio que ficou conhecido como o Domingo Sangrento, em que Nicolau II manda fuzilar manifestantes.

A partir de então, houve uma organização dos sovietes, que era uma organização dos trabalhadores russos sob a liderança de Lênin, e os bolcheviques já começavam a preparar a queda da monarquia, além da revolução socialista. Durante a Primeira Guerra Mundial, havia escassez de alimentos, assim como de empregos, democracia e salários dignos, mas ainda assim Nicolau II entrou na guerra, tendo prejuízos imensuráveis que causaram um aumento na insatisfação do povo com relação ao czar.

Assim, começaram a acontecer e se espalhar por todo o território russo greves de trabalhadores urbanos e rurais, assim como motins inclusive dentro do próprio exército. Os pedidos eram democracia, o fim da monarquia czarista, mais empregos e melhores salários. Os ideais da Revolução eram baseados na doutrina comunista de Karl Marx, filósofo alemão. No ano de 1917, o povo conseguiu a retirada de Nicolau II do poder, e como governo provisório, assumiu Kerensky.

A Revolução Russa de 1917

Imagem: Reprodução

Pouca coisa, entretanto, mudou após Kerensky assumir o poder. Uma nova revolução foi planejada e organizada pelos bolcheviques que eram liderados por Lênin. Lênin então assumiu o poder da Rússia implantando o socialismo e prometendo paz, trabalho, liberdade, terras e pão para a população em outubro de 1917. Houve, então, uma redistribuição das terras para os trabalhadores do campo, as fábricas passaram para as mãos dos trabalhadores e os bancos foram nacionalizados. Houve a perseguição e condenação à morte de muitos dos integrantes da monarquia e simpatizantes, além dos opositores ao regime socialista nesse período. No ano seguinte, Lênin retirou a Rússia da Primeira Guerra Mundial.

URSS

Imagem: Reprodução

Foi, então, após essa revolução, implantada a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas, a URSS, onde houve um grande crescimento econômico após a Nova Política Econômica. Nas mãos de Lênin, a Rússia se tornou uma grande potência não só econômica, mas também militar, que algum tempo depois ainda seria rival dos Estados Unidos na Guerra Fria. A situação da população e dos trabalhadores, entretanto, não mudou muito no que se refere à democracia, já que o Partido Comunista, partido único, reprimia qualquer forma de manifestação que fosse contrária aos ideais socialistas. Havia, portanto, falta de democracia, assim como era antes da Revolução, e muitos opositores foram perseguidos e presos, além de condenados à morte.

Referências

História Geral – Claudio Vicentino

Por Natália Petrin
Teste seu conhecimento

01. [UFFRJ] Em 1921, o problema nacional central era o da recuperação econômica – o índice de desespero do país é eloquente: naquele ano, 36 milhões de pessoas não tinham o que comer. Nas novas e ruinosas condições da paz, o “comunismo de guerra” revelava-se insuficiente: era preciso estimular mais efetivamente os mecanismos econômicos da sociedade. Assim, ainda em 1921, no X Congresso do Partido, Lenin propõe um plano econômico de emergência: a Nova Política Econômica.
NETO, J. P. “O que é Stalinismo”. São Paulo: Brasiliense, 1981.

Sobre a chamada Nova Política Econômica é correto afirmar que:

a) ela reintroduziu práticas de exploração econômica anteriores à Revolução Russa de 1917, que se traduziram num abandono temporário de todas as transformações socialistas já feitas e um retorno ao capitalismo.

b) ela consistiu na manutenção de elementos econômicos socialistas, na organização da economia (como o planejamento) e na permissão para o estabelecimento de elementos capitalistas por meio da livre iniciativa em certos setores.

c) ela significou fundamentalmente uma reforma agrária radical que promoveu a coletivização forçada das propriedades agrárias e a construção de fazendas coletiva, os Kolkhozes.

d) seu resultado foi catastrófico, mesmo permitindo a volta controlada de relações capitalistas na economia, já que ela ampliou ainda mais o nível de desemprego e produziu fome em grande escala.

e) ela significou, com a abertura para o capitalismo, um aumento substancial da produção industrial, mas, ao mesmo tempo, por ter retirado todos os incentivos anteriormente concedidos à produção agrícola, foi a razão da ruína do campo.

02. [UFPR] Leia o texto a seguir.

“Que a Rússia czarista estava madura para a revolução, merecia muitíssimo uma revolução, e na verdade essa revolução certamente derrubaria o czarismo, já fora aceito por todo observador sensato do panorama mundial desde a década de 1870” – Eric J. Hobsbawn

a) Com base nessa afirmação, destaque a situação econômica da Rússia antes que o processo revolucionário de 1917 acontecesse.

b) Identifique e explique dois levantes que antecederam a Revolução Russa.

 

 

01. [B]

02. [a) Antes que a revolução acontecesse, a Rússia vivia uma situação econômica marcada pela questão do atraso. A grande parte do país dependia da produção agrícola e os camponeses viviam subordinados ao mando de uma pequena faixa de grandes proprietários de terra. Ao mesmo tempo, a industrialização do país se dava pela força do capital estrangeiro e da exploração sistemática de uma classe operária em formação.

b) O Domingo Sangrento e a rebelião do Encouraçado Potemkin foram dois eventos que indicavam a grave crise que ameaçava o regime czarista, ambos realizados no ano de 1905. No primeiro, um grupo de operários foi assassinado durante uma manifestação pacífica onde reivindicavam aumento de salários e melhores condições de vida. No segundo, um grupo de militares tomou uma embarcação oficial em sinal de protesto à manutenção do país na Guerra Russo-japonesa.]

Compartilhe nas redes sociais

TOPO