Biblioteca de Alexandria

A Biblioteca de Alexandria foi a maior e mais importante biblioteca do mundo antigo, construída por volta do século III a.C em Alexandria, Egito.

A Biblioteca de Alexandria, durante seis séculos, foi o centro cultural do mundo. Reuniu sábios, das mais diferentes procedências, que nela desenvolveram trabalhos e pesquisas de importância fundamental para o conhecimento. Nela, bibliotecários eruditos tornaram acessível ao mundo ocidental obras de toda origem.

A antiga Biblioteca de Alexandria foi uma das maiores bibliotecas do mundo antigo. Floresceu sob o patrocínio da dinastia ptolomaica, no Egito, foi totalmente destruída por um incêndio cujas causas são controversas.

Esta famosa biblioteca, continha praticamente todo o saber da Antiguidade. Seu lema era “adquirir um exemplar de cada manuscrito existente na face da Terra”.

Considera-se que tenha sido fundada no início do século III a.C., durante o reinado de Ptolomeu II, após seu pai ter construído o Templo das Musas, durante o período helenístico, sob a dominação de Alexandre, O Grande, na África e Ásia menor. É atribuída a Demétrio de Faleros sua organização inicial.

Biblioteca de Alexandria e suas histórias além dos escritos

Um dos incêndios da histórica biblioteca alexandrina teria sido provocado por Júlio César. Em caçada a Pompeu, o seu inimigo de Triunvirato (formado por Pompeu, Crasso e ele), César deparou-se com a cidade de Alexandria, governada na época por Ptolomeu XII, irmão de Cleópatra.

Perdidamente apaixonado por Cleópatra, César conseguiu colocá-la no poder através da força. Os tutores do jovem faraó Ptolomeu II foram mortos, mas um conseguiu escapar. Temendo que o homem pudesse fugir de navio mandou incendiar todos, inclusive os seus. O incêndio então teria alastrado-se e atingido uma parte da famosa biblioteca.

A instituição da antiga biblioteca de Alexandria tinha como o principal objetivo preservar e divulgar os valores de sua época enquanto que a cidade de Alexandria se tornava um grande centro de comércio e fabricação de papiros e possuía cerca de 700 mil rolos de papiro e pergaminhos.

Biblioteca de Alexandria
Imagem: Reprodução

De fato, existiram duas grandes Bibliotecas de Alexandria. A Biblioteca Mãe e a Filha. De início a Filha era usada apenas como complemento da primeira, mas com o incêndio acidental (atribuído a Júlio César), no século I, da Biblioteca Mãe, a Filha ganhou uma nova importância.

Vinham sábios de todo o mundo para Alexandria e debatiam os mais variados temas. Em 272 d.C., durante a guerra entre o imperador Aureliano e a rainha Zenóbia, a Biblioteca Filha foi provavelmente destruída, quando as legiões de Aureliano tomaram a cidade de assalto.

Na lista dos grandes pensadores que frequentaram a biblioteca e o museu de Alexandria inclui nomes de grandes gênios do passado. Importantes obras sobre geometria, trigonometria e astronomia, bem como sobre idiomas, literatura e medicina, são creditados a eruditos de Alexandria.

Destruição da Biblioteca

A destruição da biblioteca é um evento que divide os historiadores, pelo menos desde o século XVII a versão mais difundida é a de que a biblioteca foi destruída por ordem de Amr ibn al-As, governador provincial do Egito em nome do califa Rashidun Omar ibn al-Khattab, pouco depois da conquista do Egito comandada por Amr em 642, porém, existem controvérsias.

Em termos mais objetivos, o mais provável é que a Biblioteca tenha sucumbido a vários incêndios, e muitos deles foram apontados como os que causaram a destruição da Biblioteca que teve de todo modo, sobreviveu por mais de dez séculos.

Uma nova Biblioteca de Alexandria

Construída em 2002, a nova biblioteca de Alexandria, também chamada de Biblioteca Alexandrina, é a maior do Egito. Ao custo de 65 milhões de dólares, tornou-se referência no norte da África. Não somente um mero local de armazenamento de livros, a edificação abriga museus, auditórios, laboratórios e um planetário.

Biblioteca de Alexandria arquitetura
Imagem: Reprodução

Seu design arquitetônico foi internacionalmente elogiado e é considerado uma das mais belas edificações da cidade de Alexandria, abrigando a maior coleção de livros na África e a maior coleção de livros em francês no mundo árabe

Referências

A antiga Biblioteca de Alexandria – Nuno Barbosa

A Biblioteca de Alexandria – Rainer Gonçalves

Bibalex.org (Bibliotheca Alexandrina)

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [FAAP]: As consequências das conquistas de Alexandre, o Grande, entre outras, foram:

1. Formação de grandes focos da cultura helenística: Alexandre fomentou a fusão entre vencedores e vencidos. Generais gregos e macedônicos casaram-se com mulheres persas. Ele mesmo desposou a filha do rei Dário III, Roxana.

2. Difusão da cultura grega: a língua grega foi assimilada por muitos povos. A escrita grega substituiu a escrita cuneiforme e demótica. A indumentária grega e o mobiliário foram adotados pelos vencidos, bem como cerimônias, danças e canções.

3. Progresso econômico: com o desenvolvimento do comércio e da agricultura, o tráfico da seda e da porcelana intensificou-se. As cidades tornaram-se grandes centros mercantis. Os portos foram restaurados. Estradas foram abertas. Levantaram-se fortalezas para proteger as caravanas de mercadores.

Responda com apoio no seguinte código:

a) desde que apenas 1 esteja correta.

b) desde que apenas 2 esteja correta.

c) desde que apenas 3 esteja correta.

d) desde que todas estejam corretas.

e) desde que todas estejam erradas.

 

02.  [PUC]:  “Lá fica a casa de Afrodite. Pois tudo que existe pode ser encontrado no Egito: riquezas, esportes, poder, clima agradável, glória, espetáculos, filósofos, joias de ouro, belos jovens, templo dos deuses irmão e irmã, excelente rei, museu, vinho, todos os prazeres que desejais, mulheres em tão grande número que […] o céu não pode se vangloriar de um igual número de estrelas: e são as mulheres tão bonitas quanto as deusas que, no passado, pediram a Páris para julgar quem era a mais bela.”

Herondas, Mimo I, A alcoviteira, v. 26-35. In: SALLES, Catherine. Nos submundos da Antiguidade. São Paulo: Brasiliense, 1982. p. 42.

O texto acima é um dos mimos de Herondas, comédias que retratavam com detalhes a vida urbana, e refere-se à cidade de Alexandria no Egito. Há uma clara referência à mescla cultural entre o Ocidente e o Oriente, ao mostrar a presença da cultura grega em uma cidade localizada no Egito.

O texto apresenta os elementos que caracterizaram na Grécia Antiga o período conhecido como:

a) Homérico.

b) Clássico.

c) Minoico.

d) Helenístico.

01. [FAAP]

Resposta: D

O helenismo foi uma ação de Alexandre para fundir as culturas ocidental e oriental, dos gregos e demais povos que foram conquistados.

 

02.  [PUC]

Resposta: D

O período helenístico teve como principal característica, além da expansão territorial, a assimilação dos principais traços culturais entre o mundo ocidental e o mundo oriental da Antiguidade.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO