Só sei que nada sei

Conheça a história de uma das afirmações mais famosas e enigmáticas da filosofia. Saiba o que significa e qual o filósofo que fez essa afirmação.

Nesta matéria você vai conhecer a história da famosa frase “só sei que nada sei”, atribuída a Sócrates, um dos filósofos mais importantes da Grécia Antiga e que marcou a filosofia até os dias de hoje. Entenda qual foi o raciocínio e o significado por trás dessa afirmação neste post.

Publicidade

Índice do conteúdo:

Quem afirmou que “Só sei que nada sei”?

Embora a famosa frase seja atribuída a Sócrates, não se pode ter certeza de que ele, de fato, afirmou uma das proposições mais conhecidas da filosofia, porque o filósofo não deixou nenhum documento escrito. O que se tem relato é de um posicionamento semelhante no Sócrates de Platão, que é uma personagem que compunha os diálogos platônicos.

Relacionadas

Sofistas
"O homem é a medida de todas as coisas". Frase atribuída a Protágoras, um dos mais conhecidos sofistas. Conheça mais sobre esses pensadores
A República de Platão
O Mito da caverna, o Mito de Giges, a crítica à poesia, a defesa do rei filósofo. Conheça um dos livros mais importantes da filosofia grega: A República de Platão.
Retórica
Conheça as diferentes compreensões do uso da retórica: a arte de falar bem

Em um trecho de Apologia de Sócrates, Platão escreve: “Mais sábio do que esse homem eu sou; é bem provável que nenhum de nós saiba nada de bom, mas ele supõe saber alguma coisa e não sabe, enquanto eu, se não sei, tampouco suponho saber. Parece que sou um nadinha mais sábio que ele exatamente em não supor que saiba o que não sei.” (PLATÃO, 1980, p.6).

Como se vê, a frase “só sei que nada sei” não aparece escrita dessa forma no diálogo platônico. A forma como essa passagem é conhecida provavelmente é uma paráfrase que os pensadores romanos fizeram desse texto, que acabou ficando mais conhecida do que a passagem original.

Sócrates

Sócrates começou um processo investigativo de busca pela verdade, após receber de seu amigo Querefonte a resposta do Oráculo de Apolo. Essa resposta dizia que o homem mais sábio era o próprio Sócrates. O filósofo, no entanto, não se entendia como o mais sábio de todos e, assim, iniciou uma vasta investigação entre os políticos, filósofos, artesãos e todos aqueles que ele considerava mais sábios do que ele.

Ele questionou o juiz sobre a justiça, o poeta sobre a poesia, o médico sobre a saúde etc. Sócrates afirmava que todos eles só eram capazes de dar a definição do objeto – ou seja, o juiz definia o que era a justiça -, mas não eram capazes de responder questionamentos sobre tais definições. O filósofo, então, chega à conclusão que eles não sabiam de fato.

Publicidade

Então, em seguida, Sócrates dirá que sabe algo a mais do que essas pessoas: ele sabe que não pensa saber aquilo que, de fato, não sabe. Ou seja, ele declara estar consciente da sua própria ignorância e não finge saber algo. Em vez disso, o filósofo busca pela verdade, por meio de questionamentos e investigação.

Assim, para o filósofo, a filosofia consiste em quatro fundamentos: processo investigativo, contínuo questionamento, amor pelo saber (buscar a verdade) e conhecer-se a si mesmo. Nesse sentido, reconhecer a própria ignorância é essencial para aquele que pretende ser filósofo.

A frase é, no limite, a aplicação do próprio método socrático de ironia, somada à maiêutica. Na fase da ironia, o filósofo questiona e reconhece que não sabe para buscar e parir a verdade maiêutica.

Publicidade

O que significa “Só sei que nada sei”?

A ideia dessa frase não é negar o conhecimento ou dizer que o filósofo não sabia nada, mas sim, reconhecer que o conhecimento humano é limitado e que sempre deve ser submetido a questionamentos. Pois, dessa forma, Sócrates entendia que a filosofia era uma investigação para chegar ao conhecimento de si e daquilo que compreende o ser humano. Mas a primeira coisa a ser reconhecida é que o homem não pode conhecer o todo e o absoluto.

Somente ao compreender isso é que o filósofo poderá assumir um posicionamento honesto frente à filosofia, que é livre da arrogância, da ingenuidade, da falsa modéstia. Ao mesmo tempo, é assim que ele terá a humildade intelectual necessária para abordar os temas filosóficos essencialmente complexos.

A frase, portanto, não se comporta como paradoxo, pois não há a intenção de afirmar que o filósofo não sabe de nada. Pelo contrário, ele afirma saber algo. O significado da frase é apontar a necessidade de um posicionamento intelectual ético, que não diz saber o que não sabe, mas que se compromete em buscar a verdade, conhecendo as próprias limitações.

A história e o significado de “só sei que nada sei”

Nestes dois vídeos você entenderá não só o significado da frase, mas a história contida em Apologia de Sócrates, da afirmação “só sei que nada sei”. Veja:

A frase não é essa!

Publicidade

No vídeo do canal Isto não é filosofia, o professor Vitor Lima explica de forma didática e concisa a frase “só sei que nada sei”. De início, o professor já deixa claro que a frase original não é essa e explica qual é o posicionamento socrático.

A história de “só sei que nada sei”

Braian, do canal Prof. Braian, conta com mais detalhes a história por trás da frase. Para isso, o professor retoma o percurso investigativo de Sócrates para entender a resposta do Oráculo de Delfos.

Gostou da explicação. Para continuar seus estudos, que tal conferir a origem da filosofia e reforçar seus conhecimentos desde a base?

Referências

Apologia de Sócrates (1980) – Platão;
Convite à Filosofia (2000) – Marilena Chauí;
Filosofando: introdução à filosofia (2009) – Maria Lúcia Aranha e Maria Helena Martins.

Marilia Duka
Por Marilia Duka

Graduada em Filosofia pela Universidade Estadual de Maringá em 2016. Graduanda do 4º ano de Letras Português/Francês na Universidade Estadual de Maringá.

Como referenciar este conteúdo

Duka, Marilia. Só sei que nada sei. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/filosofia/so-sei-que-nada-sei. Acesso em: 12 de August de 2022.

Compartilhe

TOPO