Salto em distância

Salto em distância é uma modalidade de atletismo disputada individualmente, cujo objetivo consiste em saltar a maior distância possível.

O salto em distância é uma modalidade de atletismo em que o atleta salta a maior distância possível, utilizando apenas o próprio corpo. Para você conhecer mais a respeito, apresentamos, nesta matéria, algumas características históricas dessa modalidade, além de suas principais regras e descrições sobre as fases do movimento de salto. Acompanhe.

História

O início da prática de salto em distância remete aos Jogos Olímpicos da Antiguidade (776 a. C.–392 a. C.), em que era disputado como uma das provas do Pentatlo. No entanto, diferentemente do formato moderno, os atletas desse período saltavam em uma espécie de escavação, chamada “Skamma”. Atualmente, utiliza-se a caixa de areia para compor o local de queda.

Com o domínio romano na Grécia, portanto, em 392 a. C., as disputas olímpicas passaram a ser proibidas pelo imperador Teodósio I. Desse modo, foram retomadas apenas em 1896, a partir de Pierre de Coubertin. Assim, com a retomada dos Jogos Olímpicos na modernidade, o salto em distância passou a compor as modalidades de salto do atletismo, integrando o evento olímpico.

Atualmente, o recorde mundial feminino pertence à russa Galina Chistyakova, com a marca de 7 m 52 cm. A atleta alcançou essa pontuação durante o Meeting de Leningrado, realizado em 1988 na União Soviética. Já o recorde masculino é de 8 m 95 cm. Essa marca foi estabelecida pelo norte-americano Mike Powell no Mundial de Atletismo de Tóquio, em 1991.

Como funciona o esporte?

No salto em distância, o atleta percorre uma pista com comprimento de 40 metros para adquirir velocidade e saltar em uma caixa de areia com 10 metros de comprimento. Nessa modalidade, portanto, vence o atleta que saltar a maior distância, marcada do local do salto (tábua de precisão) ao da queda. Sendo assim, veja as regras e características do salto em distância.

Regras do salto em distância

Assim como na Antiguidade, o objetivo do salto em distância é saltar o mais longe possível, utilizando apenas o próprio corpo para isso. Logo, algumas regras devem ser observadas pelos praticantes para o desenvolvimento esportivo da prática, como descritas a seguir.

  • Os saltadores têm direito a um número específico de tentativas para saltar suas melhores distâncias. Embora esse número varie conforme o regulamento das competições, em geral, são permitidas apenas três tentativas de salto por atleta.
  • Ao final da disputa, apenas a melhor marca (maior distância) obtida entre as três tentativas é contabilizada para definir a classificação dos competidores.
  • A marca obtida é medida em metros, a partir da linha limite de corrida (sinalizada na tábua) e o local do primeiro contato do atleta com o solo (na caixa de areia).
  • A tábua (fixada ao final da pista de corrida) é utilizada para indicar o limite entre a corrida de aproximação e o salto propriamente dito. Nela, portanto, há uma linha que não pode ser pisada e/ou ultrapassada no momento de impulsão para o salto.
  • Caso o saltador pise ou ultrapasse a linha demarcada, o salto é invalidado. Logo, o atleta desperdiça uma de suas chances de obter uma boa colocação. Quando isso ocorre, diz-se que ele “queima o salto”.
  • Além dessas observações, uma normativa importante é quanto à liberdade do atleta para incrementar seu salto com ações (grupado, arco e passadas no ar) que lhe permitam alcançar uma boa marca.
  • Ao final da competição, a classificação é definida a partir da melhor marca obtida (1ª colocação).

Essas são as principais regras que orientam os saltadores durante as competições de salto em distância. Agora que já as conhece, veja, a seguir, as fases relacionadas ao movimento do salto em distância.

Fases do movimento

  • Corrida de aproximação: fase em que o atleta adquire velocidade para impulsionar o salto. Ao mesmo tempo, também deve coordenar suas passadas para que pise no espaço correto da tábua e não queime o salto.
  • Impulsão: corresponde ao momento de impulsão para o salto. Nessa fase, o atleta busca manter a velocidade horizontal decorrente da corrida e adquirir, também, velocidade vertical. Com isso, o salto é realizado em movimento angular parabólico que potencializa a distância saltada.
  • Voo (flutuação): essa fase define o estilo do salto, pois nela os atletas realizam técnicas complementares para aumentar a distância saltada. Entre os estilos estão, principalmente, os saltos grupado, arco e com passadas no ar, sendo este o de execução mais complexa. Também ocorre, nessa fase, a preparação para a queda.
  • Queda: parte final do salto, em que o atleta aterrissa ainda buscando a maior eficiência do movimento. Nessa fase, portanto, deve-se projetar o corpo para frente, de modo favorecer que os pés toquem o solo na posição mais distante possível.

Essas quatro fases descritas compõem o movimento do salto em distância como um todo. Por fim, após a realização do salto, ocorre a medição da distância obtida pelo atleta para, assim, ser mensurada a marca obtida.

Saiba mais sobre o salto em distância

A seguir são apresentados vídeos que separamos para auxiliar seus estudos e sua compreensão a respeito do salto em distância. Não deixe de assisti-los e complementar o conteúdo abordado na matéria.

Saltos horizontais e saltos queimados

A professora Suelen Sousa explica, nesse vídeo, as características do salto em distância e do salto triplo, as duas modalidades de salto horizontal do atletismo. No vídeo, ao comentar o esporte, ela apresenta dois saltos queimados por atletas que pisaram na linha estabelecida na tábua de impulsão. Portanto, esta é uma indicação de vídeo para observar características dessas modalidades e desse elemento das regras (queima do salto).

Fases do movimento do salto em distância

Nesse vídeo, o professor Moacir Pereira Comenta a respeito de aspectos pedagógicos do ensino do salto em distância. Entre esses aspectos, ele explica as fases do movimento apresentadas nesta matéria. Portanto, o vídeo é uma indicação para que você confira essa explicação e entenda melhor as características dessas fases.

Salto em distância adaptado

Nesse vídeo, o professor Thiago apresenta e explica a organização de uma possibilidade de jogo adaptado para a prática do salto em distância por deficientes visuais. Assista para conhecer e entender como realizar essa atividade.

Salto em casa

Esse vídeo apresenta outra atividade para você conhecer e também para vivenciar o salto em distância. Nesse vídeo, o professor Guilherme Machado explica como realizar a medição nesse esporte por meio de uma atividade adaptada. Assista e entenda como realizar a atividade. Se possível, com muito cuidado e atenção, tente fazer na sua casa e vivenciar o movimento de salto horizontal que compõe o esporte estudado.

O salto em distância é uma das provas de atletismo disputadas nas Olimpíadas desde a Antiguidade. Nesta matéria vimos algumas características, regras e descrições de movimento relacionadas a ela. Continue estudando as modalidades do atletismo conferindo a matéria sobre arremesso de peso.

Referências

O efeito do comando de transição do atleta-guia sobre o desempenho do salto em distância de atletas com deficiência visual (2018) – Carlos Antonio Silva.

Padrão cinemático da fase de impulsão utilizado pelos atletas de salto em distância de elite (2015) – Amom Vidal do Nascimento Oliveira.

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Professor mestrando em Educação Física formado pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Salto em distância. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/salto-em-distancia. Acesso em: 19 de June de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [ADM&TEC/PE-2019]

Leia as afirmativas a seguir:
I. No atletismo, a prova de salto pode ser feita em duas modalidades: em salto vertical e em salto horizontal.
II. No salto em distância, o atleta corre e salta após passar 5 metros da marca estabelecida.
Marque a alternativa correta:
A) As duas afirmativas são verdadeiras.
B) A afirmativa I é verdadeira, e a II é falsa.
C) A afirmativa II é verdadeira, e a I é falsa.
D) As duas afirmativas são falsas

A resposta correta é a alternativa B. A afirmativa II é falsa, pois, no salto em distância a marca estabelecida (tábua de precisão) é o ponto em que o salto deve ser iniciado, constituindo a fase de impulsão descrita na matéria.

2. [IFB-2017]

Uma das provas clássicas do atletismo é o salto em distância que, independente do estilo de salto adotado, apresenta uma fase de preparação, envolvendo a concentração inicial do atleta e a corrida de aproximação; o impulso, que deverá ser realizado com a perna de impulsão; uma fase de deslocamento ou flutuação, que é diferenciada de acordo com a técnica de movimento empregada; a queda, que concluirá o salto em distância (MATTHIESEN, 2010). Segundo a referida autora, são considerados erros comuns na execução do salto em distância, exceto:
A) utilização do movimento dos braços no momento da elevação e flutuação;
B) chegada na tábua com inversão da perna de impulsão;
C) última passada da corrida que antecede a impulsão, demasiadamente ampla;
D) na queda, cair para trás, apoiando os braços ou outras partes do corpo para além da marca registrada pelos pés;
E) impulsão lenta ou impulsão realizada com impacto demasiadamente acentuado do pé de impulso.

A resposta correta refere-se à alternativa A. Como comentado na matéria, os atletas utilizam algumas ações estrategicamente com a finalidade de potencializar seus ganhos durante os saltos. Entre essas estratégias está o movimento dos braços como forma de impulsionar o corpo em deslocamento (flutuação) para a frente. Por esse motivo, essa alternativa é a exceção para os erros comumente cometidos na execução do salto.

Compartilhe

TOPO