Escalada

Escalada é o nome utilizado para designar diferentes estilos de subidas em paredes, blocos rochosos, picos, montanhas e falésias.

A escalada é uma modalidade esportiva que abrange diferentes disciplinas. Trata-se da subida de superfícies verticais, englobando paredões de rocha ou gelo, blocos de pedra (boulders), falésias (costas) e montanhas rochosas. Pensando nisso, preparamos esta matéria com conteúdos a respeito da prática, para que você a conheça melhor. Acompanhe!

Origens históricas

A história em torno das primeiras práticas de escalada esportiva remete às práticas de montanhismo e de alpinismo, das quais o termo “escalada” teria sido generalizado, passando então a englobar diferentes manifestações. Desse modo, a origem da escalada é atribuída ao ano de 1786, quando os franceses Jacques Balmat e Michel Paccard escalaram o Mont Blanc – montanha localizada nos Alpes, na fronteira entre França e Itália.

Esse evento é considerado o marco inicial para as práticas de escalada porque, até então, não se tinha notícia de acontecimentos similares. Além disso, representa a origem da escalada, pois, pouco tempo depois, alguns esportistas ingleses e alemães estavam se dedicando à prática. Eles realizavam escaladas em paredões e com caráter de treinamento, ou seja, com o intuito de desenvolver habilidades e qualidades físicas para subir montanhas.

Primeiras competições

Considerada até então um treino para praticar o montanhismo, a escalada foi adquirindo diferentes configurações com o passar dos anos. Com isso, foram sendo desenvolvidas técnicas específicas, equipamentos mais funcionais e também passaram a ser realizadas competições esportivas. Logo, esse caráter esportivo e competitivo levou à organização dos primeiros campeonatos da modalidade.

Assim, em 1985, na cidade de Bardonecchia (Itália), foi realizado o primeiro campeonato de escalada em parede natural. O evento foi nomeado Sport Raccia e teve como local da disputa uma falésia de Valle Stretta. Esse evento deu abertura para que, no ano seguinte, a Federação Francesa dos Clubes Alpinos e de Montanha (FFCAM) realizasse o primeiro campeonato indoor de escalada, ou seja, com parede artificial.

Organização esportiva

Com os primeiros campeonatos, centralizados na Itália e na França, começaram a ser organizados na Europa ginásios dedicados exclusivamente à prática de escalada. Isso fez com que a modalidade fosse adquirindo diferentes estilos, variando conforme os locais em que era praticada. Em função disso, a Union Internationale des Associations d’Alpinisme (UIAA) criou regras para a competição e promoveu treinamento para juízes e precursores da modalidade durante 1990.

A década de 1990 foi muito importante para o desenvolvimento dessa modalidade. Isso porque, nesse período, foram realizados eventos tanto em locais da Europa quanto do Japão e dos Estados Unidos. Assim, com a difusão do esporte, decidiu-se por organizar as competições internacionais apenas no formato indoor, eliminando-se possíveis impactos ambientais.

Assim, foi realizado na Alemanha, em 1991, o primeiro Campeonato Mundial de escalada e, no ano posterior, a primeira edição juvenil, em Basileia (Suíça). Ainda nessa década, em 1997, foi criado o Conselho Internacional de Escalada de Competição (ICC) – uma organização interna da UIAA responsável por garantir a autonomia do esporte. A partir de então, foram anunciadas novas disciplinas na modalidade, sendo o boulder a primeira delas.

Escalada no Brasil

O primeiro registro histórico da prática de escaladas de montanhas no Brasil com caráter intencional e não exploratório data de 1817. Nesse ano, a inglesa Henrietta Carsteirs, residente na cidade do Rio de Janeiro, escalou até o cume do Pão de Açúcar, fincando lá a bandeira de seu país. Com isso, sentimentos nacionalistas foram despertados nos portugueses colonizadores.

Considerando uma audácia o comportamento de Carsteirs, o soldado Lusiano José Maria Gonçalves escalou o Pão de Açúcar no dia seguinte ao feito da inglesa, trocando sua bandeira pela bandeira do Pavilhão Real Português. Com isso, uma nova prática teve início no país, culminando na “conquista” de diversas montanhas nesse mesmo século – a exemplo do Corcovado (1824), da Pedra da Gávea (1828), do Monte Olimpo (1879) e também do Pico das Agulhas Negras (1898).

A conquista do Dedo de Deus

Apesar dessas e de outras conquistas, o início da escalada no Brasil é marcado efetivamente pela ascensão ao pico Dedo de Deus, no Rio de Janeiro, no século seguinte, em 1912. Esse marco deve-se a certo confronto e/ou desafio estabelecido por um grupo de alemães que, tendo falhado em escalar a montanha, afirmaram que, se eles não haviam conseguido, ninguém mais conseguiria.

Com isso, o ferreiro pernambucano José Teixeira Guimarães, residente em Teresópolis, sentiu-se motivado a escalar o pico. Logo, reuniu um grupo de escaladores para tal feito, contando, entre os integrantes, com o caçador Raul Carneiro, que teria guiado os alemães nas matas da serra. Assim, após dias de acampamento e improvisação, o grupo alcançou o cume do pico, sendo recebidos em sua volta com congratulações da comunidade de Teresópolis.

Posteriormente, em 1919, viria a ser fundado o Centro Excursionista Brasileiro (ECB), primeiro clube de montanhismo do Brasil. Esse clube foi responsável por grandes excursões e também por disseminar informações a respeito dessa modalidade, especialmente por meio do boletim “O Excursionista”. Com isso, contribuiu para que a prática de escalada e de montanhismo se popularizasse no país.

Estilos de escalada

O percurso histórico da escalada fez com que ela se organizasse em diferentes estilos, os quais podem ser praticados tanto em livre (usando apenas o próprio corpo para percorrer a parede) quanto artificial (usando equipamentos que auxiliam no deslocamento). Veja, a seguir, quais são esses estilos e as características que os distinguem:

Escalada Tradicional ou “Trad”

Essa modalidade busca se manter o mais próxima possível do formato praticado até meados da década de 1980, quando começou a se desenvolver a escalada esportiva. Na escalada tradicional, portanto, os escaladores utilizam suas próprias proteções para criar a via a ser percorrida, colocando-as no momento em que escalam. O preparo técnico e o conhecimento adequado sobre o uso dos equipamentos são fundamentais nessa modalidade.

É realizada sempre com dois escaladores. Isso porque são utilizados equipamentos móveis, os quais são colocados por um escalador ao subir a parede. Em seguida, um segundo escalador percorre a via criada e vai retirando os equipamentos fixados pelo primeiro. Isso garante tanto a boa realização da escalada quanto a preservação da parede.

Escalada em Alta Montanha

Esse estilo exige o domínio de habilidades e técnicas de escalada em rocha e também em gelo, além dos preparos físico, psicológico e logístico adequados. Isso porque trata-se da subida de montanhas com alturas extremas e que tem por objetivo chegar ao cume. Assim, é fundamental que o preparo para a escalada considere as condições objetivas (relacionadas ao clima) e subjetivas (relacionadas ao escalador).

Devido às alturas elevadas das montanhas escaladas nessa modalidade (mais de 3.000 metros acima do nível do mar), as condições climáticas variam bastante no decurso da via. Além disso, há uma longa distância a ser percorrida em escalada. Desse modo, na escalada de alta montanha, os escaladores utilizam equipamentos móveis e carregam consigo todos os itens necessários, incluindo equipamentos de segurança, alimentos e barracas para descanso.

Escalada Alpina

Esse estilo apresenta aspectos similares à escalada em alta montanha. Seu objetivo também é chegar ao cume da montanha e as condições da prática são semelhantes. É considerado um estilo diferente devido à sua origem e ao local de prática, já que o estilo alpino ou alpinismo denomina as práticas de montanhismo realizadas especificamente na região dos Alpes suíços.

Como vimos anteriormente, a escalada historicamente reconhecida como marco para as práticas de montanhismo foi a de uma montanha dos Alpes, o Mont Banc. Desse modo, essa escalada tornou-se referência para o desenvolvimento das demais. Por esse motivo, a expressão “estilo alpino” acaba sendo utilizada para denominar a escalada de altas montanhas, mas o termo “alpinismo” denomina um estilo próprio do montanhismo, realizado na região dos Alpes, na Europa.

Escalada Big Wall

Esse estilo consiste na escalada de grandes paredes (acima de 600 metros), sendo considerada uma modalidade de longa duração. Não é a altura das paredes, contudo, que define a escalada como sendo ou não big wall, e sim a via a ser percorrida. Nessa modalidade, portanto, os escaladores passam dias escalando uma parede até concluírem a via.

Devido à duração do percurso até o topo da parede, o preparo para escaladas desse estilo é primordial. Desse modo, a escalada big wall requer dos escaladores grande habilidade de logística – necessária para planejarem a duração da escalada, prevendo possíveis variações de tempo e trajetória. Além disso, devem organizar os equipamentos e mantimentos de modo a serem carregados consigo (em mochilas próprias para a prática) durante todo o percurso.

Escalada em Boulder

Esse estio de escalada é praticado em blocos de pedra com alturas menores (em geral, inferiores a 6 metros). Além disso, a escalada em boulder não requer o uso de tantos equipamentos de proteção quanto as demais. Desse modo, os escaladores desse estilo utilizam sapatilhas de escalada, mochilas com carbonato de magnésio (para eliminar o suor das mãos) e colchões (chamados crash pad) para amortecer possíveis quedas.

Devido ao perigo relativamente menor e à flexibilização quanto aos equipamentos de segurança, é comum que os praticantes desse estilo realizem as escaladas em duplas ou grupos. Isso porque, desse modo, há sempre o auxílio de outro escalador para movimentar o colchão conforme o deslocamento do escalador pela rocha e também para dar suporte caso ele venha a cair ou desistir da escalada.

Escalada Esportiva

Essa modalidade é ideal para aqueles que desejam iniciar no esporte, pois é relativamente mais segura, já que a via de escalada é previamente equipada. Isso significa que a parede de escalada já teve o percurso identificado e equipado com pinos, grampos e/ou chapas, permitindo melhor utilização dos equipamentos de segurança. Além disso, como nessa modalidade a via já é equipada, os escaladores conseguem visualizá-la com mais facilidade.

Desse modo, a preocupação do escalador desse estilo centra-se em entender o movimento e aplicar as técnicas corretamente para, assim, completar o percurso da via. Em geral, esse estilo é praticado em pequenas falésias de aproximadamente 50 metros de altura, sendo considerada uma modalidade de baixo risco, devido à disposição prévia dos equipamentos de segurança. Isso também possibilita que o escalador focalize o aprimoramento técnico dos movimentos.

Escalada Indoor

Esse estilo compreende a modalidade oficialmente disputada em competições esportivas, incluindo os Jogos Olímpicos, nos quais fará sua primeira participação na edição de Tóquio 2020. Logo, como o próprio nome sugere, essa modalidade ocorre em locais fechados – geralmente ginásios esportivos, mas também em clubes e academias. Nesses locais, há uma parede artificial com agarras simulando as rochas de escaladas.

As agarras são dispostas na parede de modo a proporcionar possibilidades de via para os praticantes chegarem até o topo. Em competições oficiais, as vias são previamente estabelecidas e seguem um padrão de disposição nas paredes. Além disso, é importante destacar que as competições de estilo indoor são compostas por três modalidades de provas: lead (dificuldade), boulder e speed (velocidade).

Vale ressaltar que, a depender da fonte consultada, algumas nomenclaturas podem variar e também serem generalizadas. Por exemplo, o termo “escalada artificial” é comumente utilizado para se referir às modalidades em que a escalada se dá por meio de equipamentos de proteção (fixos ou móveis). E, como indicam os estilos apresentados acima, essa generalização deixa de considerar algumas peculiaridades das modalidades.

Além disso, é importante ter em mente que grande parte desses estilos não apresenta regras rígidas ou específicas para a prática. Há, no entanto, instruções e técnicas para prevenir acidentes e também promover a prática de modo adequado e seguro. Especificamente no caso de competições – o que envolve a escalada indoor e a escalada esportiva -, algumas regras são estabelecidas para a prática.

Regras e equipamentos do esporte

Veja, a seguir, as principais regras estabelecidas pela Federação Internacional de Esportes de Escalada (IFSC) para disputas esportivas de escalada e, na sequência, os equipamentos fundamentais desse esporte.

Regras básicas

  • As competições são organizadas por categorias de idade e ocorrem a partir da disputa de três modalidades combinadas: boulder, lead e speed.
  • No boulder, é realizada a escalada individual de uma parede de, no máximo, 5 metros de altura em um período de tempo de 5 minutos. Nessa prova, os atletas não utilizam equipamentos de segurança e têm como objetivo superar os obstáculos de cinco paredes no menor número de tentativas possível.
  • A prova de dificuldade (lead) é realizada a partir da progressão individual em vias de, no mínimo, 12 metros de altura. Nessas vias, há agarras nas quais o atleta deve passar a corda de segurança. Cada agarra possui uma pontuação, e o objetivo do atleta é chegar ao topo sem cair. Assim, ao finalizar o percurso ou cair, ele recebe uma pontuação para cada agarra percorrida (indicada pela corda inserida).
  • Na prova de velocidade (speed), dois atletas realizam uma corrida até o topo da parede, onde se encontra uma campainha. Assim, o atleta que chegar primeiro ao topo e tocar a campainha ganha a corrida, recebendo assim sua pontuação.
  • Ao final da competição, vence o atleta com a melhor pontuação nas três provas. Para isso, as pontuações de cada prova são multiplicadas, determinando sua pontuação e, consequente, a classificação entre os competidores.

Equipamentos básicos

  • Capacete
  • Cadeirinha
  • Sapatilhas
  • Fitas tubulares ou chatas
  • Cordins (5 cm a 1,2 m)
  • Freio
  • Mosquetões (HMS e D)
  • Saco de magnésio

É importante ressaltar que todos os equipamentos listados acima são propriamente confeccionados para a prática de escalada. Além disso, alguns sofrem variações para se adequar aos estilos de escalada. Nesse sentido, apresentamos um vídeo instrutivo ao fim desta matéria, para que você conheça as características desses equipamentos e entenda melhor sobre as formas de usá-los.

Saiba mais sobre a escalada

A seguir, você confere vídeos para complementar o conteúdo apresentado nesta matéria. Eles tratam dos estilos de escalada e também das técnicas e dos equipamentos utilizados para praticá-los. Assista para compreender melhor essa modalidade!

Modalidades

Nesse vídeo, o escalador Alberto Bueno explica as características das modalidades de escalada, comentando sobre seus objetivos, uso de aparelhos em cada uma e também distinções entre elas. O vídeo também apresenta alguns equívocos ao se tratar do assunto, como a confusão comum entre escalada e montanhismo. Assista para entender melhor!

Técnicas gerais de escalada artificial

Confira, nesse vídeo, técnicas básicas para a escalada, explicadas pelo escalador Victor Carvalho. As técnicas apresentadas referem-se especificamente à escalada artificial, mas algumas noções básicas aplicam-se aos demais estilos, como a organização de algumas medidas preventivas. Não deixe de assistir!

Equipamentos

Aqui, o instrutor Joel Fernandes apresenta as características e as funções dos equipamentos básicos para praticar a escalada. Ele também explica como utilizar esses equipamentos e dá dicas sobre o uso adequado durante a prática. Confira para entender melhor sobre os procedimentos de segurança durante a escalada!

A escalada é um esporte desafiador e emocionante, oferecendo diferentes estilos para quem deseja se aventurar e conhecê-la. Continue seus estudos a respeito dos esportes radicais conferindo também sobre o parkour!

Referências

Associação Brasileira de Escalada Esportiva [online] – Disponível em: https://abee.com.br/. Acesso em: 08 fev. 2021
Comitê Olímpico do Brasil [online] – Disponível em: https://www.cob.org.br/. Acesso em: 08 fev. 2021
Confederação Brasileira de Montanhismo e Escalada [online] – Disponível em: http://www.cbme.org.br/novo/. Acesso em: 08 fev. 2021
Federação de Montanhismo do Estado do Rio de Janeiro [online] – Disponível em: http://www.femerj.org/. Acesso em: 08 fev. 2021
International Federations of Sport Climbing [online] – Disponível em: https://www.ifsc-climbing.org/. Acesso em: 08 fev. 2021
Principais características dos estilos de escalada em rocha e indoor (2013) – Rômulo Bertuzzi e Adriano Eduardo Lima-Silva

João Paulo Marques
Por João Paulo Marques

Bacharel e mestrando em Educação Física pela Universidade Estadual de Maringá. Pesquisador integrante do Grupo de Pesquisa Corpo, Cultura e Ludicidade (GPCCL/UEM/CNPq) e do Grupo de Estudos Foucaultianos (GEF/ UEM/CNPq). Temáticas estudadas envolvem corpo, subjetividade, discurso, cultura e saúde.

Como referenciar este conteúdo

Marques, João Paulo. Escalada. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/educacao-fisica/escalada. Acesso em: 07 de May de 2021.

Exercícios resolvidos

1.

Sobre os estilos de escalada, é incorreto afirmar que:

I) Entre os estilos de menor risco, estão as escaladas esportivas e em boulder.
II) O primeiro estilo a ser constituído ao longo da história dessa modalidade foi a escalada indoor.
III) Duas categorias gerais e amplas para se referir aos estilos dessa modalidade são estilo livre (sem uso de equipamentos de proteção) e estilo artificial (com equipamentos de proteção).
IV) A prática desse esporte pressupõe que os escaladores se organizem em duplas ou pequenos grupos para a realização das escaladas, de modo a primar pela segurança dos praticantes.

A alternativa incorreta é a II.

O estilo de escalada que originou os demais foi o alpinismo, posteriormente denominado de estilo alpino para se referir a escaladas similares, porém realizadas em regiões que não a dos Alpes, na Europa.

2. [UEM-2019]

Sobre práticas corporais de aventura, assinale o que for correto.

01) As práticas corporais de aventura podem ser realizadas no ar, na terra e na água.
02) A escalada, surgida no século XV como prática aventureira, é atualmente realizada somente por atletas de alto rendimento.
04) O parkour é uma prática corporal que desenvolve, no praticante, diversas habilidades, como correr, suspender, saltar, dependurar e rastejar.
08) O arvorismo é uma prática corporal urbana que consiste em ultrapassar diferentes plataformas de blocos de concreto por meio de escaladas, tirolesas ou pontes.
16) A corrida de orientação é uma prática corporal conhecida também pelos nomes rali a pé, trekking ou enduro a pé, em que o praticante se orienta por meio de bússola e mapa.

A resposta correta é 21 = 1 + 4 + 16.

A alternativa 02 está incorreta, pois considera-se que a escalada surgiu oficialmente no século XVIII, com a ascensão do Mont Blanc. Além disso, a modalidade não se restringe à prática por atletas de alto rendimento, pois é praticada tanto com finalidade esportiva e competitiva quanto por lazer.
A alternativa 08 está incorreta, pois o arvorismo consiste em realizar trilhas, geralmente de cordas e/ou madeiras, criadas entre as árvores, deslocando-se entre e por meio delas.

Compartilhe

TOPO