Surgimento da Sociologia

A sociologia é uma ciência que se baseia nas mudanças e permanências sociais. Desde o século XIX, ela vem desempenhando um papel importante na sociedade. Abaixo, confira mais sobre o seu surgimento!

Estudar a vida social humana é o objetivo da sociologia enquanto ciência. O ser humano, habituado em suas próprias ideias, raramente tem a disposição de pensar além de si mesmo e das dimensões da sociedade em que ele está inserido. Estudar o surgimento da sociologia convida a pensar um mundo de mudanças e continuidades – além das aparências.

O que é e como surgiu

A Sociologia é a ciência e disciplina que busca estudar e analisar a vida social humana em suas diversas dimensões – política, econômica, cultural e social, propriamente dita. Uma das finalidades dessa área do conhecimento é desnaturalizar as vivências presentes no meio social, como também investigar a natureza das mudanças (e permanências) existentes na sociedade.

Falar em sociologia, portanto, é ter em vista o conceito de “Sociedade”; em princípio, pode-se compreender a sociedade como uma teia de relações sociais, voluntárias e contratuais, que envolve diversos aspectos, como a comunicação, as diferenças e semelhanças entre os indivíduos em sua coletividade. Sendo assim, as relações sociais e a comunicação são aquilo que poderíamos denominar de “teias de sociabilidade”, isto é, meios fundamentais da vida social.

Ser social é a natureza do próprio ser humano. Segundo o sociólogo alemão Nobert Elias, “o que une os indivíduos não é o cimento. Basta pensarmos no burburinho das ruas das grandes cidades: a maioria das pessoas não se conhece. Umas quase nada têm a ver com as outras. Elas se cruzam aos trancos, cada qual perseguindo suas próprias metas e projetos. Vão e vêm como lhes apraz […] Mas há, sem dúvida, um aspecto diferente nesse quadro: funcionando nesse tumulto de gente apressada apesar de toda a sua liberdade individual de movimento, há também, claramente, uma ordem oculta e não diretamente perceptível aos sentidos […] A sociedade, com sua regularidade, não é nada externo aos indivíduos […] ela é aquilo que todo indivíduo quer dizer quando diz ‘nós’“.

Esse “nós” é o que a sociologia aborda, entendendo o indivíduo em suas sociabilidades.

A Sociologia nasce da transformação

A sociologia tem como marco de surgimento da sua cientificidade o século XIX, mas mesmo sendo formalmente reconhecida nesse período temporal, a sua criação é fruto de um intenso processo de mudanças e transformações sociais desencadeadas pelas revoluções burguesas, dentre elas: a primeira Revolução Industrial, a Revolução Francesa e o Iluminismo. Em suma, o nascimento da sociologia é uma espécie de resposta aos novos contextos sociais que surgiam no século XVIII e XIX.

Diante de profundas rupturas políticas e de pensamento ocorridas nesse arco temporal, uma nova maneira do ser humano se compreender na sociedade foi se instalando, e a concepção de que um grupo de indivíduos poderia promover transformações nas estruturas sociais contribuiu para uma nova mentalidade: a de um indivíduo autônomo. O protagonismo histórico foi um aspecto central para a formação de um modelo de sociedade.

E diante das mudanças ocorridas na política, economia, artes, ideias e na sociedade surgiu também a necessidade de haver uma teoria social que tentasse explicar, de alguma forma, a nova realidade que emergia. E foi nessa busca de tentar explicar as transformações sociais que a Sociologia nasce, criando um conhecimento sistematizado sobre como os seres humanos se formam em sociedade.

Sendo assim, essa nova ciência partiu das mudanças e rupturas a fim de entender os novos contextos sociais que surgiam. Para tal, a sociologia parte do conhecimento científico para analisar e investigar uma sociedade que se forma baseada na razão, autonomia, no progresso e na representação política.

Apesar de ter sido proposta inicialmente como “Filosofia social” de modo a estudar a natureza das mudanças mencionadas, a Sociologia se firma enquanto ciência autônoma em fins do século XIX devido a contribuição do pensador francês Émile Durkheim. Mas muitos autores contribuíram para isso, como os franceses Auguste Comte e Alfred Espinas, os pensadores alemães Max Weber, Karl Marx e, sobretudo, o brilhante sociólogo Georg Simmel.

Principais fatos históricos que influenciaram no seu surgimento

Com as mudanças originadas na Europa entre os séculos XV e XIX e com o surgimento do fenômeno “sociedade”, em suas dimensões políticas, econômicas, culturais e religiosas, houve a necessidade, em fins do século XVIII, de uma nova forma de analisar e compreender essas transformações de forma sistemática. Mas afinal, quais acontecimentos ou fatores históricos foram esses que influenciaram o surgimento da Sociologia? Pode-se elencar 5 fatores, conforme abaixo:

Renascimento

Com o advento do Renascimento enquanto movimento intelectual que busca novas ideias e formas de compreender o mundo, e o crescimento da burguesia, devido ao renascimento comercial e urbano em algumas regiões da Europa, houve uma significativa mudança na forma como a estrutura política e social se apresentava. Isso porque a burguesia enquanto novo grupo econômico almejou a sua própria inserção nos espaços políticos de influencia.

Essas alterações na estrutura política europeias foi, lentamente, modificando a ordem social como um todo. O Renascimento, além de incorporar novas ideias e concepções, também tenta resgatar aspectos da cultura greco-romana da Antiguidade, tanto no campo filosófico, científico, etc. Sendo assim, percebe-se esse fator histórico como um dos responsáveis pela mudança da mentalidade social.

Conhecimento Metódico-cartesiano

Já no século XVII, percebe-se que físicos e matemáticos já cultivavam uma noção de que o Universo e a natureza não resultavam das forças divinas, mas havia uma submissão dos fenômenos naturais às leis naturais existentes.

As explicações para esses fenômenos naturais passa por uma mudança fundamental: passam a ser buscadas por meio da investigação que, cientificamente e sistematicamente, provasse a sua veracidade absoluta e objetiva. A razão cartesiana e a lógica empírica foram importantes nessa nova concepção de entender o mundo, conforme proposto pelo filósofo René Descartes.

Foi partindo dessa necessidade de prova e investigação sistemática dos fenômenos que a Sociologia nasce como método científico voltado para o estudo e análise do ser humano em sociedade.

Primeira Revolução industrial

Já no âmbito econômico, percebe-se também mudanças qualitativas inauguradas com o mercantilismo e desembocadas no surgimento do capitalismo comercial e industrial através da Revolução Industrial, no século XVIII. A ascensão da burguesia durante a modernidade levou esse grupo social à participação no exercício político e no Estado, fortalecendo também o domínio dessa classe dos meios de produção, inaugurando, portanto, novas relações de trabalho.

A Revolução Industrial foi pioneira na Inglaterra, mas não limitou-se a ela. Além de transformar a forma de produzir, modificou também o modo de os seres humanos de relacionarem. Somado a isso, surge o aperfeiçoamento de técnicas e as inovações tecnológicas, a criação da máquina a vapor, a liberação de mão de obras para as cidades e, consequentemente, o crescimento populacional acelerado.

Com a destituição de suas terras devido ao cercamento, muitos camponeses se viram na necessidade de partir para as áreas industriais em busca de emprego; empregados nas fábricas, com baixos salários e uma jornada extensa de trabalho, uma nova forma de trabalho se consolida.

Diante dessas mudanças, a Revolução Industrial consolida o Capitalismo, sistema econômico que se caracteriza, nas palavras de Karl Marx, pela propriedade privada dos meios de produção, mediante a divisão técnica e social do trabalho; pela busca de novos mercados e lucros. Há não só um novo sistema econômico, mas uma nova maneira de viver em sociedade.

Iluminismo

O Iluminismo foi um dos fatores que contribuiu indiretamente para o surgimento da Sociologia. Os seus ideais protagonizaram novas formas de ser e estar no mundo, não apenas no campo intelectual, mas no cenário político e jurídico. O iluminismo se manifestou de formas distintas em diferentes lugares, mas foi projetado por inúmeros pensadores, dentre eles os ingleses Thomas Hobbes, John Locke e o francês Charles de Montesquieu.

Somado a isso, esse movimento também foi marcado por contribuir na formação do imaginário que orientou as grandes transformações e revoluções políticas, como a Revolução Francesa. Mas não só isso, visto que cooperou no ideal da participação ativa dos indivíduos em seus direitos civis, no surgimento dos Estados-nação e no desmantelamento das hierarquias rígidas até então existentes.

Revolução Francesa

Como fruto dos fatores anteriormente citados, a Revolução Francesa almejou o fim da estrutura política do Antigo Regime baseada no “direito divino”. A lógica absolutista de governo foi totalmente derrubada durante a Revolução dando origem à consolidação dos ideais de igualdade, liberdade e fraternidade entre os seres humanos e da primazia da razão lógica como orientadora da vida como um todo.

A configuração social francesa foi totalmente mudada diante das aspirações por Estado mais justo e que garantisse a participação do próprio povo. Houve, portanto, o desenvolvimento de um novo modo de ser político, ancorado na laicidade e no republicanismo. A simbólica Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, de 1789, retratou bem esse momento de reordenamento social.

Conforme analisado, o surgimento da Sociologia é fruto de um processo histórico marcado por diversos fatores que contribuíram para a sua formulação.

A sociologia como ciência

A Sociologia, portanto, nasce de uma sociedade que se desenvolvia sob novas bases e fundamentos. A própria sociedade passou a ser objeto de conhecimento científico. Todas as transformações que ocorreram nas sociedade europeias que romperam com valores e modos de vida até então vivenciados apontaram para a necessidade de uma teoria social que explicasse sistematicamente as novas realidades que se originavam.

Inicialmente, a Sociologia foi proposta como uma forma de Filosofia Social, e os primeiros pensadores sociais acreditavam que por meio da investigação e análise metódica da sociedade haveria a possibilidade de ação para intervir na sociedade de forma objetiva com normas e fórmulas objetivas, e assim buscar o reordenamento da sociedade diante de possíveis crises.

Em sua gênese, a sociologia se firma como nova área de investigação tendo como objetivo a manutenção da ordem social. Sob influência das Ciências Naturais, os primeiros pensadores compreendiam a ciência da sociedade como uma ciência equiparada à Física ou como uma espécie de Biologia Social. Um dos pensadores que mais se destacaram nesse processo foi o francês Auguste Comte.

Ou seja, por parte desse pensador, haveriam leis objetivas e independentes da ação humana e elas conduziriam a sociedade num processo evolutivo rumo ao progresso e à ordem. Mas foi com o francês Émile Durkheim que a Sociologia se consolida como uma ciência autônoma com seu próprio método de investigação e análise.

Em sua obra As regras do método sociológico, de 1895, Durkheim se posiciona afirmando que os métodos das ciências naturais não são suficientes e adequados ára compreender as vivencias humanas. Ele preferiu submeter o que ele denominou como “fatos sociais” a métodos científicos próprios do estudo sociológico. Cabe aqui mencionar que Durkheim também foi o fundador do primeiro periódico francês de teoria e pesquisa sociológica, o L’Année Sociologique.

Para Durkherim, a sociedade é resultado da combinação das consciências individuais, e tende à integração e se organiza pelas normas e costumes, e a sociologia se enquadraria como uma ciência que objetiva leis gerais sobre a realidade social. Outros pensadores trariam inaugurariam novas interpretações da sociologia enquanto ciência, como Max Weber, Karl Marx, dentre outros, mas no momento, nos determos à Durkheim

Como surgiu a sociologia no Brasil

No artigo intitulado “A Sociologia no Brasil”, o sociólogo brasileiro Antonio Candido faz um panorama geral do surgimento da sociologia no país. Segundo o sociólogo, deve-se compreender o surgimento da sociologia a partir de dois fundamentos distintos, mas interligados em certa medida. Os anos de 1930 foram divisores de água nesse processo.

Anteriormente aos anos 30, os principais pensadores que produziam conhecimento a respeito dos fenômenos sociais eram os historiadores, filósofos e intelectuais, mas grande parte das análises partiam da necessidade de entender as “raízes” do Brasil, e tais análises não seguiam um método científico das ciências sociais propriamente dito. Muitos nomes importantes marcaram esse período, dentre eles Sérgio Buarque de Holanda com a sua obra “Raízes do Brasil”, Gilberto Freyre com “Casa Grande e Senzala” e Caio Prado Júnior com o seu livro “Formação do Brasil Contemporâneo”.

O marco do surgimento da Sociologia enquanto área do conhecimento é o ano 1933, quando foi inaugurado o curso superior de Sociologia no Brasil (Ciências sociais), na Escola Livre de Sociologia e Política de São Paulo. Um ano depois, em 1934, o mesmo curso foi inaugurado na Universidade de São Paulo (USP) contando com um corpo docente altamente especializado nos métodos dessa ciência recém fundada no Brasil.

Os primeiros profissionais da área foram formados no ano 1936, contando com todo o rigor teórico e metodológico em torno dos estudos dos fenômenos sociais. Um dos mais notáveis sociólogos desse momento foi Florestan Fernandes, considerado hoje como patrono da Sociologia brasileira.

Mapa mental

Como forma de resumir todo esse processo histórico complexo e marcado por tantas contribuições, confira abaixo um mapa mental esquemático a fim de facilitar e otimizar os seus estudos.

[montagem – resumo cronológico simples]
Sociologia surgiu na França;
Primeiro, ela foi idealizada por Auguste Comte;
Émile Durkheim criou o primeiro método sociológico e desenvolveu a Sociologia como uma ciência autônoma;
Vários fatores acumulados desde o Renascentismo, passando pela Revolução burguesa e pela Revolução Industrial contribuíram para a criação da Sociologia enquanto ciência;
A Sociologia chegou ao Brasil por pensadores não especialistas a partir do fim do século XIX;
Em 1933, foi criado o primeiro curso superior de Sociologia no Brasil, o que fez surgir uma nova leva de sociólogos especializados que consolidaram de vez os estudos sociológicos brasileiros.

Gostou desse esquema visual bem resumido? Abaixo, assista a alguns vídeos que separamos para contribuir ainda mais no seu entendimento em torno do tema.

Vídeos sobre a Sociologia e seus objetivos

De modo a aprofundar os seus estudos no tema, confira abaixo alguns vídeos que explicam o processo de surgimento da sociologia e seus objetivos.

Afinal, o que pretende a Sociologia?

Neste vídeo, a professora Gabi apresenta em poucos minutos o que é a sociologia, assim como expõe os objetivos e pretensões dessa ciência e disciplina tão importante para a vida em sociedade.

Um breve resumo da Sociologia

Afinal o que é sociologia? Quais as principais definições? Como surgiu o pensamento sociológico? Essas são algumas das perguntas que o canal “A Filosofia Explica” tenta explicar!

Para que serve a Sociologia?

A sociologia “serve” para alguma coisa? Essa é uma pergunta capciosa pra se responder. O professor do canal “Parabólica” mostra que essa ciência tem muita importância para o desenvolvimento de um imaginário mais crítico na vida em sociedade – algo cada vez mais preciso nos dias de hoje.

Há na sociedade uma contradição que marca o ser humano enquanto ser social: o ser humano é fruto do seu meio e o meio social é fruto das ações humanas. A sociologia tem o humano e suas sociabilidades como maior finalidade de investigação. Para saber mais, saiba sobre as desigualdades sociais no Brasil. Desnaturalize aquilo que é aparentemente natural no meio social.

Referências

Introdução ao pensamento sociológico (1974) — Raymond Aron
Tratado de Sociologia (1995) — Raymond Aron
Homem e Sociedade: leituras básicas da sociologia geral (1973) — Fernando Henrique Cardoso e Octávio Ianni

Thiago Abercio
Por Thiago Abercio

Historiador e mentor educacional formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor de História e de Repertório cultural e Ideias, redator e analista de conteúdo. Atualmente realiza pesquisas na área de História da arte e das mentalidades.

Como referenciar este conteúdo

Abercio, Thiago. Surgimento da Sociologia. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/sociologia/surgimento-da-sociologia. Acesso em: 12 de May de 2022.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

A sociologia ainda não ultrapassou a era das construções e das sínteses filosóficas. Em vez de assumir a tarefa de lançar luz sobre uma parcela restrita do campo social, ela prefere buscar as brilhantes generalidades em que todas as questões são levantadas sem que nenhuma seja expressamente tratada. Não é com exames sumários e por meio de intuições rápidas que se pode chegar a descobrir as leis de uma realidade tão complexa. Sobretudo, generalizações às vezes tão amplas e tão apressadas não são suscetíveis de nenhum tipo de prova.
DURKHEIM, E. O suicídio: estudo de sociologia. São Paulo: Martins Fontes, 2000.

O texto expressa o esforço de Émile Durkheim em construir uma sociologia com base na:

A) vinculação com a filosofia como saber unificado.

B) reunião de percepções intuitivas para demonstração.

C) formulação de hipóteses subjetivas sobre a vida social.

D) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.

E) incorporação de um conhecimento alimentado pelo engajamento político.

D) adesão aos padrões de investigação típicos das ciências naturais.

Para Durkheim, a sociologia deveria ter como finalidade recorrer aos padrões de investigação próprios da Sociologia.

2. [UNESPAR]

A sociologia, enquanto ciência da sociedade, é definida a partir de um método, bem como de um objeto clarificado, a saber, funcionalismo (método) e fato social (objeto). Ainda que Augusto Comte, com seu curso de filosofia positiva, tenha construído uma filosofia da história, que se desdobra, a partir de Emile Durkheim, na denominada ciência da sociedade, sociologia, não se pode, do ponto de vista de um método e também de um objeto, atribuir a Augusto Comte a paternidade da sociologia, mas sim ao pensador francês, Emile Durkheim, pois é dele a construção de um objeto para a sociologia.

Desse modo, assinale, das alternativas abaixo, a obra que representa, no expediente de Durkheim, o nascimento da sociologia como ciência a partir da definição do fato social.

A) As Regras do Método Sociológico;

B) A divisão do Trabalho social;

C) O suicídio;

D) Sociologia;

E) Educação e Moral.

A) As Regras do Método Sociológico;

Definir a formulação de métodos próprios foi o maior objetivo de Durkheim no século XIX.

Compartilhe

TOPO