Identidade de gênero

O conceito de identidade de gênero mostra as possibilidades sociais de existir em nossa cultura, seja como homem, mulher ou outras.

O conceito de identidade de gênero surge da necessidade de descrever as diferentes feminilidades e masculinidades que pessoas apresentam. Por essa razão, ela cumpre também a função política de falar sobre diversidade. No entanto, algumas culturas ocidentais tratam com violência as expressões de gênero que não se conformam a um padrão. Entenda:

O que é identidade de gênero?

A identidade de gênero compreende as diferentes formas de masculinidade ou feminilidade no mundo.

Assim, ela descreve um fenômeno diferente do sexo biológico: embora um indivíduo possa nascer do sexo masculino, feminino ou intersexo, ao crescer, essa pessoa pode se identificar como homem, como mulher, ou não se sentir confortável em nenhum desses papeis.

Então, o que determina o gênero de uma pessoa? Uma das respostas é que não existe nenhum fator determinante. Outro fato é que aprendemos nosso gênero ao longo da nossa vida – somos ensinados e reinventamos as formas de ser homem, mulher ou outros papeis na sociedade.

Outra pergunta recorrente nas discussões políticas atuais é: o que é ideologia de gênero? Esse termo foi criado por alguns líderes políticos para acusar os estudos e os projetos que defendem o respeito à diversidade de gênero.

Desse modo, a simples constatação da existência das identidades de gênero é algo que tem causado incômodos em alguns setores poderosos da sociedade. Nesse contexto, é importante estimular o debate respeitoso e democrático.

Tipos de identidade de gênero

  • Cisgênero: pessoas cisgênero podem ser homem ou mulher – são indivíduos que nasceram com um sexo biológico feminino ou masculino e se identificam com o gênero que lhe foi ensinado. Exemplo: um homem (identidade de gênero) com o sexo designado como masculino (sexo biológico).
  • Transgênero: também podem ser homem ou mulher. Entretanto, elas não nasceram com o sexo biológico que lhes foram impostos ao nascer. Assim, elas transcendem os padrões. Exemplo: um homem (identidade de gênero) com o sexo designado como feminino (sexo biológico).
  • Não-binário: são indivíduos que não se sentem confortáveis completamente nem como homens, nem como mulheres. Desse modo, pessoas não-binárias podem se sentir metade-metade, ou mesmo fluindo entre o feminino e o masculino. Exemplo: uma pessoa que não se mostra nem homem, nem mulher (identidade de gênero), com o sexo designado como feminino (sexo biológico).

A partir dessas definições, é importante constatar um fato: o “gênero” é ensinado a todas os indivíduos, independentemente da identidade que apresentarão no futuro.

Assim, pessoas transgênero ou não-binárias não são desvios ou falhas de uma educação. Na verdade, elas mostram possibilidades em relação ao que a própria sociedade lhes ensinou – aprender a “ser homem” ou “ser mulher”.

Identidade de gênero e orientação sexual

Se a identidade de gênero diz respeito à forma como nos apresentamos ao mundo – como homens, mulheres, ou exatamente nenhum deles –, a orientação sexual fala sobre o desejo sexual. Ou seja, aborda sobre quem somos e por quem nos sentimos atraídos.

Portanto, a orientação sexual de alguém pode ser, por exemplo, heterossexual: um homem que geralmente possui desejo sexual por mulheres, ou vice-versa. Ainda, pode ser homossexual: uma mulher que sente-se atraída por outras mulheres, ou um homem que deseja também homens.

Além dessas categorias, existem outras como bissexual, pansexual e assexual. Dentre todas elas, é necessário entender que nenhuma dá conta de explicar completamente como é a sexualidade de um indivíduo. O importante é respeitar as orientações sexuais e defender uma vida saudável e pacífica a todas as pessoas.

Vídeos para se aprofundar sobre a diversidade

No mundo atual há diversos projetos políticos que nos fazem ter consciência das violências da sociedade e da tentativa de respeitar o outro. Ao mesmo tempo, há grupos poderosos que se opõem a aderir a esses objetivos. Para entender mais desse tema no que tange a identidade de gênero, confira os vídeos abaixo:

Dando nome às coisas

O vídeo acima é bastante didático para revisar e entender melhor sobre os termos tratados anteriormente. A partir desse material audiovisual, será possível iniciar qualquer debate sobre o assunto de um modo mais responsável e democrático.

Questionando a dualidade

Em nossa cultura, falar sobre “gênero” é, muitas vezes, discutir sobre uma dualidade existente entre os ideais de “homem” e de “mulher”. Entenda mais sobre como pesquisas mais atuais têm demonstrado a pluralidade dos nossos corpos e expressões.

Sobre a “ideologia de gênero”

A ideologia de gênero é um termo utilizado por alguns líderes políticos com grande poder na sociedade para atacar os projetos políticos de respeito à diversidade. Nesse contexto, é importante compreender os conflitos de interesses marcados entre os grupos.

Transgêneros e identidade

As pessoas transgênero não são uma falha ou resultado de uma doença, sendo o fato comprovado por muitas pesquisas científicas. Ao invés disso, é necessário escutar o que essas pessoas têm a dizer para promover uma sociedade mais democrática e respeitosa.

Assim, a identidade de gênero é um assunto importante e urgente na contemporaneidade. Concordar ou não com determinadas opiniões deve ocorrer após o respeito e a possibilidade de alianças com a diversidade de existências humanas.

Referências

Identidade de gênero e sexualidade – Miriam Pillar Grossi;

Problemas de gênero – Judith Butler;

Transgeneridade: um complexo desafio – Edith Modesto.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Cientista social pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [ENEM]

No Brasil, assim como em vários outros países, os modernos movimentos LGBT representam um desafio às formas de condenação e perseguição social contra desejos e comportamentos sexuais anticonvencionais associados à vergonha, imoralidade, pecado, degeneração, doença. Falar do movimento LGBT implica, portanto, chamar a atenção para a sexualidade como fonte de estigmas, intolerância, opressão.
In: BOTELHO, A.; SCHWARCZ, L. M. Cidadania, um projeto em construção. São Paulo: Claro Enigma, 2012 (adaptado).

O movimento social abordado justifica-se pela defesa do direito de
a) organização sindical.
b) participação partidária.
c) manifestação religiosa.
d) formação profissional.
e) afirmação identitária.

Resposta: e

Justificativa: os movimentos LGBT representam uma forma de afirmação identitária e, principalmente no caso da população trans, de identidade de gênero.

2. [UNIOESTE]

No dia 22 de junho de 2015, a Assembleia Legislativa do Paraná colocou como pauta de discussão o debate sobre a “ideologia de gênero” nas escolas do Paraná. Sabe-se que o conceito de gênero é fundamental para a compreensão das desigualdades entre homens e mulheres e coloca em xeque as atribuições relacionais que a sociedade constrói para homens e mulheres. Dada a repercussão do tema e a relevância da temática, é CORRETO afirmar sobre questões de gênero.
a) O debate sobre gênero na educação interessa apenas aos homens e para as pessoas que só têm atração sexual por pessoas do sexo oposto.
b) Nas concepções sobre gênero, o sexo biológico corresponde a uma identidade cultural que se mantém inalterada até o final da vida.
c) A identidade de gênero é determinada biologicamente e não pode ser modificada pela cultura, pelo meio social, pela educação nem por todas as relações sociais que fazem parte da vida dos indivíduos.
d) A compreensão da temática de gênero perpassa um sistema de relações de poder, baseadas em um conjunto de papéis, identidade, comportamentos e estereótipos atribuídos a mulheres e homens.
e) As relações de gênero não estão ligadas a contextos de relações de poder e desigualdade, ao contrário das relações travadas entre as classes sociais e os grupos étnicos.

Resposta: d

Justificativa: uma vez que aprendemos socialmente a nos tornarmos homens, mulheres ou outras formas identitárias, diversos processos sociais se envolvem. Por exemplo, a própria reação de líderes políticos com a acusação de “ideologia de gênero” mostra que existem relações de poder que são modificadas ao discutir sobre o assunto.

3. [UNICENTRO]

Considerando-se as teorias sociológicas a respeito das questões sobre gênero, assinale V nas afirmativas verdadeiras e F, nas falsas.
( ) O termo gênero faz referência a uma construção cultural, enfatizando o caráter social e histórico das diferenças sexuais.
( ) Vários elementos estão envolvidos na constituição das relações de gênero, tais como a organização política, econômica e social.
( ) A referência a gênero leva a pensar nas maneiras como as sociedades entendem o que é “ser homem” e “ser mulher”, o que consideram “masculino” e “feminino”.
( ) O termo gênero se refere às diferenças biológicas e naturais dos seres humanos.

A alternativa que contém a sequência correta, de cima para baixo, é a
a) F F V F
b) V V V F
c) V F F V
d) F V V F
e) V V V V

Resposta: b

Justificativa: o conceito de gênero não se restringe aos atributos biológicos ou supostamente “naturais” (ou seja, essenciais ou rígidos) de seres humanos. Ao contrário, pensando junto com a biologia, o conceito revela as diversas formas de expressão de gênero, entrelaçadas com os processos e contextos sociais, culturais e políticos.

4. [UNESP]

Uma mãe canadense defendeu a decisão tomada por ela e por seu marido de manter em segredo o sexo de seu filho mais novo, para dar à criança a oportunidade de desenvolver a sua identidade sexual por conta própria. A decisão tomada por Kathy Witterick, 38 anos, e David Stocker, 39, de não revelar o gênero de seu bebê Storm, de quatro meses de idade, gerou uma avalanche de reações – positivas e negativas – após reportagem do jornal “Toronto Star”, publicada nesta semana [28.05.2011].
(www.g1.globo.com. Adaptado.)

De acordo com o texto, pode-se afirmar que:
a) O ponto de vista adotado pela mãe canadense pressupõe a adoção do determinismo biológico no campo da sexualidade.
b) O fato descrito pela reportagem revela a influência da fé religiosa nos padrões comportamentais contemporâneos.
c) Sob o ponto de vista moral, a decisão tomada pelo casal canadense expressa um perfil conservador.
d) O fato em questão revela que, para os pais da criança canadense, identidade sexual é um tema pertencente exclusivamente à esfera da autonomia individual.
e) A postura adotada pelos pais da criança em questão revela intolerância no campo das diferenças sexuais.

Resposta: d

Justificativa: para os pais canadenses, a escolha tomada é a de deixar a criança crescer e decidir sua identidade de gênero de modo autônomo. É importante lembrar que esse não é o único caminho possível para se respeitar as identidades de gênero e defender a diversidade.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO