Classe social

A classe social é um conceito que serve para descrever as desigualdades sociais e também classificar os indivíduos conforme seus bens e propriedades.

O conceito de classe social surge com Karl Marx, dividindo a sociedade entre pessoas que detêm os meios de produção e aquelas que não os possuem. Atualmente, esse termo tem mudado de significado nos estudos. A seguir, entenda mais sobre o que ele significa e suas aplicações.

O que é classe social

A classe social diz respeito ao acesso que diferentes grupos têm aos recursos econômicos da sociedade. Portanto, falar sobre classes sociais é também descrever as desigualdades de propriedade dos bens materiais. Assim, grandes grupos de indivíduos e camadas da sociedade fazem parte de uma classe ou outra, a depender de seu poder econômico.

Classe social e estratificação social

O conceito de estratificação social descreve as relações de poder entre as classes dentro de uma sociedade. Em outras palavras, existe uma estrutura social que mantém as pessoas em determinada posição econômica.

Por exemplo, as classes altas ou burguesas são a minoria da população, e, ao longo de décadas e gerações, permanecem assim. Desse modo, por mais que toda a sociedade trabalhe e produza riqueza, existem relações de poder que sustentam um grupo muito pequeno de indivíduos na condição de ricos.

Atualmente, existem muitas formas e critérios de classificação de classes sociais. Assim, alguns estudos categorizam pessoas entre classes A, B, C, D ou E, por exemplo. Contudo, é útil pensar, a princípio, na divisão entre classe alta, média e baixa:

Classe social alta

Na tradição da sociologia marxista, o grupo mais rico na sociedade é minoritário. Desse modo, são as pessoas que pertencem a essa classe que possuem os meios de produção. Ou seja, estão inclusos nessa classe os indivíduos que possuem as grandes empresas e terras, contratando assalariados para trabalhar.

Paradoxalmente, é esse grupo minoritário que usufrui da maior parte das riquezas produzidas na sociedade. Portanto, é a classe com o maior acúmulo de propriedade.

Classe social média

A consideração da classe média pela sociologia é mais recente. Afinal, as dinâmicas sociais estão em mudança, e surgiu com o tempo um maior número de pessoas que possuem pequenos bens e propriedades.

Consequentemente, a simples separação entre classe burguesa e o proletariado deixou de explicar toda a sociedade. Logo, a classe média ocupa esse lugar intermediário, e não raramente controverso.

Classe social baixa

Conhecida também tradicionalmente como classe proletária, constitui a grande parte da população. Assim, essa camada social é aquela que possui poucos bens, e frequentemente nenhuma propriedade.

Além disso, a classe social baixa é geralmente associada com os menores índices de escolarização e maior vulnerabilidade social.

Desse modo, o conceito de classe social é importante para pensar sobre a desigualdade social. Daí surgem debates contemporâneos interessantes, como a questão da distribuição de renda.

Classe social para Marx

O conceito de classe social em Karl Marx enfatiza o conflito. É o contrário, por exemplo, da teoria de Émile Durkheim que dá atenção aos processos de ordem e equilíbrio. Desse modo, para Marx, há duas classes que sempre estiveram em conflito: a proprietária e a não-proprietária.

Tendo uma perspectiva histórica, o autor descreve como no modo de produção escravista havia a dicotomia entre os escravos e seus donos. Depois, no feudalismo, a oposição era entre os servos e os senhores feudais. Finalmente, no capitalismo, o conflito se dá no proletariado contra a burguesia. Como consequência, para Marx, é necessário resolver essa luta para acabar com o capital e a exploração dos trabalhadores.

Classe social para o IBGE

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) é um dos principais órgãos de pesquisa socioeconômica no Brasil. Em seus estudos, é utilizado o critério por faixas de salário mínimo, classificadas da classe A até a E. Por exemplo, a classe A compreende pessoas que vivem com mais de 20 salários mínimos por mês, enquanto a E é de até 2 salários.

Além do IBGE, é importante pontuar que a Associação Brasileira das Empresas de Pesquisa (ABEP) é outro órgão de referência para classificar as classes sociais. Nesse instituto, é utilizado o critério de bens e serviços – por exemplo, quantos banheiros, geladeiras ou carros o indivíduo possui, ou se a rua onde mora é pavimentada.

Classe social no Brasil

Nos estudos sociológicos atuais, é consensual que as relações de classe – ou seja, as questões econômicas – não podem ser explicadas sozinhas. Assim, outros fenômenos sociais afetam o modo como a riqueza de uma sociedade se distribui desigualmente.

No Brasil, a raça social é uma condição que afeta a renda. Afinal, a maioria da população, que é negra, carrega ainda as consequências da exploração da escravidão. Além disso, o racismo estrutural atual dificulta a entrada de pessoas negras nas classes mais abastadas.

Logo, o problema da concentração de riqueza nas mãos de poucos e uma maioria populacional pobre deve ser visto considerando questões importantes, como raça e gênero.

Nesse sentido, é importante entendermos que não somos indivíduos sem história, sem cor ou sem gênero – nós já nascemos em uma sociedade complexa e hierarquizada. Assim, é importante entender essas relações sociais.

Videoaulas sobre o que significa classe social

A partir do que já foi apresentado acima, é possível notar que a classe social se interliga com outros fenômenos sociais. Além disso, esse próprio conceito pode ser explicado de diferentes formas. Veja a seguir uma seleção de vídeos que vão abarcar esses assuntos:

Recapitulando o conceito

A ideia de classe social é antiga na sociologia. Logo, ela se transformou ao longo da história dessa ciência, com a formulação de novas teorias a seu respeito. Acima, confira um vídeo de um professor da Universidade de São Paulo explicando o assunto.

A classe média

Como será possível aprender no vídeo, há diversas formas de categorização de classe social, confira os entendimentos do conceito a partir da visão de classe média.

A luta de classes

Conforme a visão marxista, a história da humanidade tem sido a história da luta de classes: uma dominante e outra dominada. Entenda mais sobre essa perspectiva e como ela inaugura uma postura teórica e política.

Por fim, todas essas questões mostram como não é possível considerar problemas sociais importantes sem falar de classe social. Consequentemente, torna-se importante estar atento em como a sociologia explica o fenômeno para poder debater com responsabilidade.

Referências

Classe social – Joaquim Sempere;

Critérios de estratificação social – Graciette Borges da Silva;

O conceito de classe social: as contribuições de Marx e Thompson – Messias Araujo Cardozo.

Mateus Oka
Por Mateus Oka

Graduando em Ciências Sociais pela Universidade Estadual de Maringá (UEM), realiza pesquisas na área da antropologia da ciência.

Exercícios resolvidos

1. [UNIMONTES]

A questão das classes sociais ocupa um papel fundamental na teoria de Karl Marx. Para ele, existem condicionantes e determinantes na complexa relação entre indivíduo e sociedade e entre consciência e existência social. Considerando as reflexões de Karl Marx sobre esse tema, marque a alternativa INCORRETA.
a) As classes sociais sustentam-se em equilíbrios dinâmicos e solidários, sendo a produção da solidariedade social o resultado necessário à vida em sociedade.
b) A luta de classes desenvolve-se no modo de organizar o processo de trabalho e no modo de se apropriar do resultado do trabalho humano.
c) A luta de classes está presente em todas as ações dos trabalhadores quando lutam para diminuir a exploração e a dominação.
d) Em meio aos antagonismos e lutas sociais, o indivíduo pode repensar a realidade, reagir e até mesmo transformá-la, unindo-se a outros em movimentos sociais e políticos.

Resposta: a

Justificativa: a perspectiva marxista das classes sociais mostra o conflito e a desigualdade, e não o equilíbrio; o conceito se solidariedade social se aplica mais a Durkheim que Marx.

2. [UFUB]

De acordo com a teoria de Marx, a desigualdade social explica-se:
a) Pela distribuição da riqueza de acordo com o esforço de cada um no desempenho de seu trabalho.
b) Pela divisão da sociedade em classes sociais, decorrente da separação entre proprietários e não proprietários dos meios de produção.
c) Pelas diferenças de inteligência e habilidade inatas dos indivíduos, determinadas biologicamente.
d) Pela apropriação das condições de trabalho pelos homens mais capazes em contextos históricos, marcados pela igualdade de oportunidades.

Resposta: b

Justificativa: para Marx, a história da humanidade é a história da luta de classes, ou seja, entre proprietários e não proprietários. Assim, ele retira também a ideia liberal de que os bens e a riqueza que os indivíduos possuem são explicados totalmente a partir de seus esforços ou capacidades.

Compartilhe nas redes sociais

TOPO