Sinais de pontuação

os sinais de pontuação são destinados a organizar as relações e a proporção das partes do discurso e das pausas orais e escritas.

Quando escrevemos, por não estabelecermos uma relação direta com quem estamos nos comunicando, corremos o risco de que nossos enunciados não sejam entendidos. Isso porque, ao escrever, não contamos com os recursos prosódicos que, dentre outras funções, servem para delimitar as unidades de forma/sentido na fala. Por esse motivo, os chamados sinais de pontuação se desenvolveram no registro escrito.

Índice do conteúdo:

O que são sinais de pontuação

De acordo com o professor Evanildo Bechara, a pontuação é um sistema de reforço da escrita, o qual se constituí de sinais sintáticos destinados a organizar as relações e a proporção das partes do discurso e das pausas orais e escritas.

Na escrita, em especial, é importantíssimo nos atentarmos para o uso adequado dos sinais gráficos – sinais de pontuação –, haja vista que não contamos, como na comunicação oral, com os recursos prosódicos, os quais, dentre outras funções, nos ajudam a precisar os sentidos dos enunciados.

A pontuação, nesse sentido, nos auxilia a sinalizar as pausas, marcar a dúvida, adequar a entonação etc. Além disso, esses sinais gráficos sinalizam em nossos textos onde começa e onde terminam as ideias, facilitando a articulação do pensamento e a organização textual.

Os 10 sinais de pontuação

Um enunciado não se constrói a partir de um amontoado de palavras e orações. As palavras e orações se organizam desde princípios gerais de dependência e independência sintática e semântica com o auxílio de unidades melódicas e rítmicas que apontam para estes princípios.

Quando palavras e orações são proferidas ou organizadas em material escrito sem esses aspectos melódicos e rítmicos, o enunciado fica prejudicado em sua função comunicativa.
Nesse sentido, em relação ao texto escrito, os sinais de pontuação procuram garantir o estabelecimento dessas relações sintáticas e semânticas.

Por isso, uma pontuação inadequada resulta em uma comunicação ineficaz e improdutiva. Assim, para garantir que a mensagem seja entendida por nossos interlocutores, é necessário garantir um uso adequado dos sinais gráficos. Nesse sentido, veremos, a seguir, 10 sinais de pontuação e os seus usos.

1. Ponto (.)

O ponto “final”, dentre todos os sinais, é o que denota maior pausa e serve para encerrar períodos.

Usos: marcar o fim de um período.

  • Fechamento de período.

    “A noite de ontem foi a mais fria do ano.”

2. Dois-pontos (:)

Este sinal gráfico é usado para introduzir um discurso direto ou uma enumeração.

Usos: marcar discurso diretor; enumerar.

  • Enumeração

    “Carlos comprou quatro presentes para mim: um livro; uma caneta; uma agenda; uma camiseta da minha banda preferida.”

3. Reticências (…)

As reticências denotam interrupção ou incompletude do pensamento. Este sinal pode, ainda, marcar uma suspensão do pensamento, ou uma hesitação.

Usos: interrupção; incompletude; suspensão; ou hesitação.

  • Hesitação

    “Não sei muito bem como lhe dizer isso, mas… nossa conta de luz subiu novamente.”

4. Parêntesis ( )

Os parênteses assinalam um isolamento sintático e semântico mais completo dentro de um enunciado.

Usos: marca o isolamento de um termo dentro de um enunciado.

  • Isolamento de termo dentro do enunciado

    “A imprensa (quem o contesta?) é o mais poderoso meio que se tem inventado para a divulgação do pensamento.”
    – Carta inserta nos Anais da Biblioteca Nacional, vol. I, Carlos de Laet.

5. Ponto de exclamação (!)

Deve-se colocar no fim das orações enunciadas com entonação exclamativa.

Usos: marcar exclamação.

  • Exclamar

    “Até logo!”

6. Ponto de interrogação (?)

O ponto de interrogação é marcado no fim de uma oração enunciada com entonação interrogativa ou de incerteza.

Usos: marcar dúvida; incerteza.

  • Dúvida

    “Você lembrou de recolher as roupas?”

7. Vírgula (,)

A vírgula, de modo geral, é usada para marcar pausa no enunciado.
A seguir, apresentamos algumas situações específicas que pedem o uso deste sinal gráfico:
A vírgula é usada para separar termos coordenados, ainda quando ligados por conjunção (no caso de haver pausa), separar orações coordenadas aditivas ainda que sejam iniciadas pela conjunção “e” proferidas com pausa, separar orações coordenadas alternativas (ou, quer etc) quando proferidas com pausa, nas aposições, para separar ou intercalar vocativos, separar as orações adjetivas de valor explicativo, para separar as conjunções e advérbios adversativos (porém, todavia, contudo, entretanto), principalmente quando pospostos e, por fim, para indicar a elipse de um verbo.

Usos: marcar pausa; separar termos coordenados, separar orações coordenadas aditivas; separar orações coordenadas alternativas; sinalizar aposto; sinalizar vocativo; separar orações adjetivas de valor explicativo; separar conjunções e advérbios adversativos; para indicar uma elipse.

  • Vocativo

    “Olá, Maria, como está?”

8. Ponto e vírgula (;)

Representa uma pausa mais forte que a vírgula e menos que o ponto e é empregado em um trecho longo, no qual já existam vírgulas, para enunciar pausa mais forte; para separar as adversativas em que se quer ressaltar o contraste; e na redação oficial separa os diversos itens de um considerando, lei ou outro documento.

Usos: em um trecho longo, marca uma pausa mais forte; separa as orações adversativas, buscando realçar um contraste; na redação de textos oficiais.

  • Em trechos longos, para marcar uma pausa mais forte

    “Enfim, cheguei-me a Virgília, que estava sentada, e travei-lhe da mão; D. Plácida foi à janela.”
    – Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas.

9. Travessão (-)

O travessão pode substituir vírgulas, parênteses, colchetes, para assinalar uma expressão intercalada. Existem dois tipos de travessão: simples e duplo.
Usa-se o simples se a intercalação termina o texto; em caso contrário, usa-se o travessão duplo. O travessão pode denotar uma pausa mais forte ou indicar a mudança de interlocutor na transcrição de um diálogo, com ou sem aspas.

Usos: marca uma pausa; indica a mudança de interlocutor em uma diálogo.

  • Indicação de mudança de interlocutor

    ” – Ah! respirou Lobo Neves, sentando-se preguiçosamente no sofá.
    – Cansado? perguntei eu.
    – Muito; aturei duas maçadas de primeira ordem (…).”
    – Machado de Assis, Memórias Póstumas de Brás Cubas.

10. Aspas (“ ”)

De modo geral, usamos como aspas o sinal ( “ ” ); mas pode haver, para empregos diferentes, as aspas simples ( ‘ ’ ), ou invertidas (simples ou duplas) (‘ ’), (“ ”).
As aspas simples, em geral, indicam significados ou sentidos e são usadas ainda para indicar a existência de uma citação dentro de outra citação. As aspas também são empregadas para dar a certa expressão sentido particular, para ressaltar uma expressão dentro do contexto ou para apontar uma palavra como estrangeirismo ou gíria.

Usos: indicar sentido; citação dentro de citação; dar sentido particular a uma expressão; apontar estrangeirismo ou gíria.

  • Citação dentro de citação

    Segundo Sá: “[…] por meio da mesma ‘arte de conversação’ que abrange tão extensa e significativa parte da nossa existência cotidiana.”

Esperamos que, a partir da exposição desses 10 tipos de sinais gráficos, você tenha conseguido aprender um pouco mais sobre os diferentes sinais de pontuação e os usos possíveis de cada um deles. O objetivo deste tópico é possibilitar o aprimoramento do uso desses sinais no dia a dia no momento de construir textos. Isso porque esses recursos linguísticos servem para que possamos nos comunicar melhor e de forma adequada em relação aos mais diversos contextos.

Vídeos sobre os sinais de pontuação

A essa altura, você já percebeu que é indispensável saber pontuar um texto adequadamente. Para que isso ocorra, o importante é buscar, no hábito de leitura, um exercício capaz de melhorar nossa capacidade de escrita e de interpretação dos mais diversos tipos de texto. Além disso, o estudo sistemático das normas gramaticais e do uso dos diferentes recursos linguísticos é também essencial! Neste sentido, convidamos você a continuar seus estudos assistindo os vídeos disponibilizados a seguir. Bons estudos!

Pontuação – vírgula, ponto e vírgula e dois pontos

Neste vídeo, o professor Noslen reflete sobre os usos da vírgula, ponto e vírgula e dois pontos. Ao falar da vírgula, o professor trata de seu uso para marcar o vocativo, o aposto, datas e endereços, isolar elipses, isolar conjunções adversativas e conclusivas etc.
Para tratar do ponto e vírgula, o professor explica a função deste sinal gráfico e alguns usos, como as situações de enumeração. Por fim, ele trata do sinal gráfico dois pontos indicando o seu uso na abertura de discursos diretos, para começar uma explicação ou uma enumeração etc. Assista para saber mais e aprender!

Pontuação – Aspas, travessão e parênteses

Neste vídeo, o professor Noslen reflete sobre os usos das aspas, travessão e parêntesis. Num primeiro momento, o professor trabalha os usos das aspas na marcação de estrangeirismo, gírias, neologismos, citação etc. Na sequência, o professor Noslen trata da função e uso dos parêntesis em diversas situações, como na supressão de trechos de textos. Por fim, ele explica o uso do travessão nas enumerações, nos diálogos etc. Assista para entender melhor e aprender mais!

Exercícios de Pontuação

Neste vídeo, o professor Noslen resolve conosco diversos exercícios para treinarmos nossos conhecimento a respeito da: PONTUAÇÃO! No vídeo, podemos conferir não apenas as respostas corretas dos exercícios, mas também a explicação do motivo pelo qual alternativa x ou y está correta! Não daremos spoiler das resoluções! Confira o vídeo!

UFA! Chegamos ao fim! O tópico de hoje é um pouco denso, não é mesmo? Usar adequadamente os sinais gráficos nos ajuda a estabelecer uma comunicação mais efetiva com nossos interlocutores no dia a dia. Além disso, para escrever bem, é preciso estudar esses sinais a fim de organizar melhor as ideias dentro dos textos, aprimorando, dessa forma, nossas habilidades na produção do texto escrito.

Aproveite os conhecimentos adquiridos ou aprofundados aqui para fazer alguns exercícios e treinar para as provas Vestibular e ENEM! Confira nosso conteúdo sobre ponto de interrogação!

Referências

Moderna Gramática da Língua Portuguesa (2009). Evanildo Bechara.

Por Beatriz Yoshida Protazio
Como referenciar este conteúdo

Yoshida Protazio, Beatriz. Sinais de pontuação. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/sinais-de-pontuacao. Acesso em: 23 de November de 2021.

Exercícios resolvidos

1. [MPE-GO - 2018 - MPE-GO - Secretário Auxiliar - Águas Lindas]

Escolha a alternativa em que o texto é apresentado com a pontuação mais adequada:

a) Depois que há algumas gerações, o arsênico deixou de ser vendido, em farmácias, não diminuíram os casos de suicídio, ou envenenamento criminoso, mas aumentou e — quanto… o número de ratos.

b) Depois que há algumas gerações o arsênico, deixou de ser vendido em farmácias, não diminuíram os casos de suicídio ou envenenamento criminoso, mas aumentou: e quanto! o número de ratos.

c) Depois que, há algumas gerações, o arsênico deixou de ser vendido em farmácias, não diminuíram os casos de suicídio ou envenenamento criminoso, mas aumentou — e quanto! — o número de ratos.

d) Depois que há algumas gerações o arsênico deixou de ser vendido em farmácias — não diminuíram os casos de suicídio, ou envenenamento criminoso, mas aumentou; e quanto — o número de ratos.

e) Depois que, há algumas gerações o arsênico deixou de ser vendido em farmácias, não diminuíram os casos de suicídio ou envenenamento criminoso, mas aumentou; e quanto, o número de ratos!

A alternativa c) emprega adequadamente a vírgula, isolando o termos deslocado “há algumas gerações” e separando as orações; além disso, preserva os efeitos de sentido pretendidos pelo autor.

2. [MPE-GO - 2018 - MPE-GO - Secretário Auxiliar - Águas Lindas]

Aponte a alternativa que justifica corretamente o emprego das vírgulas na seguinte frase:

“Guri que finta banco, escritório, repartição, fila, balcão, pedido de certidão, imposto a pagar.”

(Lourenço Diaféria)

a) Separar o aposto.

b) Separar o vocativo.

c) Separar orações coordenadas assindéticas.

d) Separar oração subordinada adverbial da oração principal.

e) Separar palavras com a mesma função sintática.

A alternativa correta é a e).

Palavras de mesma função sintática são separadas por vírgula se não vierem unidas por e, ou e nem. Essas palavras podem ser sujeito, predicado, adjunto adverbial e adnominal, substantivo, vocativo, aposto etc.

3. [VUNESP - 2018 - Câmara de Itaquaquecetuba - SP - Vigia]

Assinale a alternativa que apresenta a frase pontuada conforme a norma-padrão da língua portuguesa.
a) Os amigos, de Lucas acabaram chegando, atrasados.
b) Naquela tarde meus colegas, não foram, à escola.
c) O que importa, de fato é a qualidade, das amizades.
d) Escolher, bom amigos só se aprende, com o tempo.
e) Cláudio, o amigo de Ana, também irá ao cinema.

A resposta correta é a alternativa e), em que o aposto é isolado pelas vírgulas.

4. [UFRGS - 2016 - UFRGS - 2º DIA - Língua Portuguesa]

A questão focaliza uma passagem da comédia O juiz de paz da roça do escritor Martins Pena (1815-1848).

JUIZ (assentando-se): Sr. Escrivão, leia o outro requerimento.
ESCRIVÃO (lendo): Diz Francisco Antônio, natural de Portugal, porém brasileiro, que tendo ele casado com Rosa de Jesus, trouxe esta por dote uma égua. “Ora, acontecendo ter a égua de minha mulher um filho, o meu vizinho José da Silva diz que é dele, só porque o dito filho da égua de minha mulher saiu malhado como o seu cavalo. Ora, como os filhos pertencem às mães, e a prova disto é que a minha escrava Maria tem um filho que é meu, peço a V. Sa. mande o dito meu vizinho entregar-me o filho da égua que é de minha mulher”.
JUIZ: É verdade que o senhor tem o filho da égua preso?
JOSÉ DA SILVA: É verdade; porém o filho me pertence, pois é meu, que é do cavalo.
JUIZ: Terá a bondade de entregar o filho a seu dono, pois é aqui da mulher do senhor.
JOSÉ DA SILVA: Mas, Sr. Juiz…
JUIZ: Nem mais nem meios mais; entregue o filho, senão, cadeia.

(Martins Pena. Comédias (1833-1844), 2007.)
O emprego das aspas no interior da fala do escrivão indica que tal trecho

a) reproduz a solicitação de Francisco Antônio.
b) recorre a jargão próprio da área jurídica.
c) reproduz a fala da mulher de Francisco Antônio.
d) é desacreditado pelo próprio escrivão.
e) deve ser interpretado em chave irônica.

Aponte a alternativa que justifica corretamente o emprego das vírgulas na seguinte frase:

“Guri que finta banco, escritório, repartição, fila, balcão, pedido de certidão, imposto a pagar.”

(Lourenço Diaféria)

a) Separar o aposto.

b) Separar o vocativo.

c) Separar orações coordenadas assindéticas.

d) Separar oração subordinada adverbial da oração principal.

e) Separar palavras com a mesma função sintática.

Compartilhe

TOPO