Derivação regressiva

Derivação regressiva é o processo de formação de palavras mais controverso entre os estudiosos da língua portuguesa. Entenda o porquê!

A derivação regressiva é o processo morfológico de formação de palavras mais controverso entre os estudiosos da língua portuguesa. Por isso, a seguir, esse processo será abordado com base na Gramática Normativa (ou seja, aquela que está presente nos livros didáticos).

Publicidade

Índice do conteúdo:

O que é derivação regressiva?

Em português, bem como em outras línguas românicas, os substantivos deverbais são distribuídos em três grupos: os que são formados por derivação regressiva (caça, de caçar; ataque, de atacar); os que resultam do acréscimo de um sufixo ao radical/tema verbal (construção, desmoronamento), designados como deverbais sufixais; e os resultantes da deslocação do acento tônico com relação à forma verbal correspondente (réplica – substantivo, e replica – verbo), isto é, representam um caso de alternância acentual.

Aqui, o foco é apenas a derivação regressiva. De acordo com a gramática normativa, esse termo nomeia um processo em que a forma derivada é menor que a forma derivante, por isso, parece haver uma regressão na palavra. Há dois critérios semânticos para classificar esse processo: se o nome denotar uma ação, deriva do verbo; se denotar um objeto ou uma substância, é o derivante. Seguindo esse critério, em falar/fala, há uma derivação regressiva; já em martelar/martelo, uma derivação sufixal. Isso porque fala denota uma ação e martelo, um objeto.

Os derivados regressivos procedem da primeira ou da terceira pessoa do singular do presente do indicativo, o que explica sua distribuição em substantivos de tema em -o (se provindos da 1.ª pessoa) ou de tema em -a ou -e (se provindos da 3.ª pessoa), sem que se possa prever a opção da norma para a escolha da vogal temática. Os de tema em -o têm maior vitalidade no português moderno, especialmente na variedade informal: o amasso, o agito, o chego, o sufoco, o apago.

Considerando o gênero gramatical, a distribuição dos derivados regressivos é feita em quatro grupos: 1) Masculino em -o: atraso, assento, emprego, voo, esforço, choro, degelo, remo, mergulho, suspiro, mando, confronto, rodeio, galanteio, festejo, gargarejo etc.; 2) Masculino em -e: embarque, desembarque, combate, corte, toque etc.; 3) Feminino em -a: amarra, pesca, sobra, suplica, leva, engorda, desova, renúncia, rega, esfrega, entrega, escolha etc.; 4) Masculinos e femininos: pago, paga, custo, custa, troco, troca, achego, achega, grito, grita, ameaço, ameaça.

Para retomar um critério importante, lembre-se de que, nesse processo, os substantivos tirados de verbos denotam ação, enquanto os substantivos que dão origem aos verbos denotam, em geral, objeto ou substância, como arquivo – arquivar; timbre – timbrar; apelido – apelidar, e assim por diante.

Publicidade

Exemplos de derivação regressiva

A seguir, confira alguns exemplos de derivação regressiva e a classificação correspondente de cada um dos vocábulos apresentados.

  • Renúncia – renunciar: substantivo feminino de gênero gramatical –a, que expressa ação e deriva do verbo “renunciar”;
  • Atraso – atrasar: substantivo masculino de gênero gramatical –o, que expressa ação e deriva do verbo “atrasar”;
  • Desembarque – desembarcar: substantivo masculino de gênero gramatical e-, que expressa ação e deriva do verbo “desembarcar”;
  • Grito – gritar: substantivo masculino, que expressa ação e deriva do verbo “gritar”;
  • Ameaça – ameaçar: substantivo feminino, que expressa ação e deriva do verbo “ameaçar”.

Até aqui, você aprendeu o que é derivação regressiva e como descobrir se um determinado vocábulo da língua portuguesa foi formado a partir desse processo. Para fixar seus conhecimentos e aprender ainda mais, assista às aulas a seguir. Bons estudos!

Vídeos sobre derivação regressiva

Com essa seleção de vídeos, você poderá aprofundar os seus conhecimentos sobre o processo de formação de palavras que acontece por meio da derivação regressiva. Assista!

Publicidade

Derivação regressiva: aprenda a partir da prática

Nessa aula, o professor Laércio explica, de forma didática, o que é a derivação regressiva, o porquê ela tem essa nomenclatura e como ela funciona na prática. Confira!

Análise de exemplos de derivação regressiva

Nesse vídeo, a professora Alda explica o que é derivação regressiva e analisa diversos exemplos. Porém, atenção, ela aborda uma perspectiva que adota os conceitos “derivação regressiva verbal” e “derivação regressiva nominal”. O que muda é apenas a nomenclatura, o processo de formação é o mesmo.

Estrutura e formação de palavras (composição e derivação)

Publicidade

Nessa aula, a professora Letícia Goés apresenta a estrutura e os processos de formação de palavras (não só a derivação verbal). A aula é bem completa. Você aprenderá como se dá a derivação prefixal, sufixal, prefixal e sufixal, parassintética, regressiva e imprópria. Imperdível!

Se você gostou de aprender mais sobre a derivação regressiva, com certeza, gostará deste conteúdo: Singular e plural. Aproveite!

Referências

Moderna gramática portuguesa (2009). Evanildo Bechara.

Por Beatriz Yoshida Protazio
Como referenciar este conteúdo

Yoshida Protazio, Beatriz. Derivação regressiva. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/portugues/derivacao-regressiva. Acesso em: 18 de May de 2022.

Exercícios resolvidos

1. [CESGRANRIO ]

As palavras esquartejar, desculpa e irreconhecível foram formadas, respectivamente, pelos processos de:

a) sufixação – prefixação – parassíntese

b) sufixação – derivação regressiva – prefixação

c) composição por aglutinação – prefixação – sufixação

d) parassíntese – derivação regressiva – prefixação

e) parassíntese – derivação imprópria – parassíntese

Alternativa correta é a letra d) parassíntese – derivação regressiva – prefixação.

A parassíntese é o processo de formação de palavra por prefixação e sufixação, simultaneamente (es- + quarto + -ejar); Já “desculpa” deriva do verbo “desculpar” [der. regressiva]; e irreconhecível é uma palavra formada a partir do prefixo ir + reconhecível.

2. [UnirG TO, 2020]

A palavra “intergeracional” ainda não possui uma presença consolidada nos dicionários de língua portuguesa, mas pelo contexto compreendemos seu sentido como o de uma transmissão de conhecimentos e práticas entre gerações. Essa palavra relativamente nova foi formada a partir dos processos conhecidos como

a) subordinação e hibridismo.
b) imprópria e regressiva.
c) combinação e aglutinação.
d) prefixal e sufixal.

A alternativa correta é a letra c) combinação e aglutinação.

Não é possível que haja uma derivação regressiva nesse exemplo, pois o vocábulo é o resultado da combinação e aglutinação do prefixo inter- com o vocábulo geracional.

Compartilhe

TOPO