Advérbios

Advérbios são palavras invariáveis que se associam aos verbos, indicando as circunstâncias da ação verbal.

Em alguns casos, os advérbios associam-se aos adjetivos, especificando as qualidades por eles expressa, e a outros advérbios, intensificando seu sentido.

Dessa forma, os advérbios têm como principal função na língua caracterizar com mais precisão o processo ou o estado indicado pelo verbo.

Logo, podemos concluir que os advérbios funcionam pois, com modificadores dos verbos.

Exemplos:

  • Rodrigo chegou ontem em casa.
  • Cláudia nada bem
  • Mônica dorme muito
advérbios
Imagem: Reprodução

Tipos de advérbio

Na classificação, utiliza-se um critério de ordem semântica, de acordo com as circunstâncias que eles exprimem com relação aos verbos, adjetivos ou outros advérbios por eles modificados:

  • Lugar: aí, aqui, acolá, lá, além, atrás, detrás, através, cá, longe, onde, perto, dentro, fora, junto, acima, abaixo, adiante, defronte.
  • Tempo: hoje, ontem, anteontem, amanhã, sempre, nunca, jamais, brevemente, cedo, tarde, antes, depois, ora, já, logo, outrora, então, aí, quando.
  • Modo: bem, mal, assim, depressa, devagar e quase todos os advérbios formados pelo acréscimo do sufixo -mente: lentamente, rapidamente, velozmente, tranquilamente, facilmente, alegremente, etc.
  • Intensidade muito, pouco, bastante, meio, quase, mais, menos, ainda, assaz, bem, mal, apenas, tão, quanto, tanto.
  • Dúvida: talvez, quiçá, acaso, porventura, provavelmente, possivelmente, eventualmente.
  • Afirmação: sim, efetivamente, certamente, seguramente, realmente.
  • Negação: não, absolutamente.

Algumas vezes, são utilizados na mesma frase dois ou mais advérbios de modo formados pelo acréscimo do sufixo -mente.

Nesses casos, recomenda-se que o sufixo seja utilizado apenas no último advérbio da sequência. Conforme o exemplo:

“Os assaltantes atravessaram a portaria rápida e sorrateiramente para evitar serem filmados pelas câmeras de vigilância.”

Variações de grau nos advérbios

Alguns advérbios, semelhantemente aos adjetivos, apresentam variações de grau, podendo manifestar-se no grau comparativo ou no grau superlativo .

Observe:

  • Grau comparativo de igualdade: A polícia por vezes age tão violentamente quanto os bandidos.
  • Grau comparativo de superioridade: A polícia por vezes age mais violentamente (do) que os bandidos.
  • Grau comparativo de inferioridade: Os bandidos por vezes agem menos violentamente (do) que a polícia.
  • Grau superlativo analítico: É formado pela anteposição, ao advérbio, de outro advérbio de intensidade. Exemplo: Hoje o dia está bastante frio.
  • Grau superlativo sintético: É formado pelo acréscimo, ao advérbio, do sufixo -íssimo. Exemplos: O povo daquela região valoriza muitíssimo as tradições culturais locais.

Para identificar os graus superlativos, a regra é simples: basta pensar que eles funcionam como intensificadores.

Lembre-se da palavra “super” que justamente quer dizer algo que é intensificado.

Referências

Gramática. Texto: análise e construção de sentido – Maria Luiza M. Abaurre, Marcela Pontara

Características morfossintáticas do advérbios no português brasileiro – Rafael Bezerra de Lima

Luana Bernardes
Prof. Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Teste seu conhecimento

01. [UFV]: Em todas as alternativas há dois advérbios, exceto em:

a)  Ele permaneceu muito calado.

b) Amanhã, não iremos ao cinema.

c)  O menino, ontem, cantou desafinadamente.

d) Tranquilamente, realizou-se, hoje, o jogo.

e ) Ela falou calma e sabiamente.

 

02. [ITA]: A questão a seguir refere-se ao texto abaixo.

(…) As angústias dos brasileiros em relação ao português são de duas ordens. Para uma parte da população, a que não teve acesso a uma boa escola e, mesmo assim, conseguiu galgar posições, o problema é sobretudo com a gramática. É esse o público que consome avidamente os fascículos e livros do professor Pasquale, em que as regras básicas do idioma são apresentadas de forma clara e bem-humorada. Para o segmento que teve oportunidade de estudar em bons colégios, a principal dificuldade é com clareza. É para satisfazer a essa demanda que um novo tipo de profissional surgiu: o professor de português especializado em adestrar funcionários de empresas. Antigamente, os cursos dados no escritório eram de gramática básica e se destinavam principalmente a secretárias. De uns tempos para cá, eles passaram a atender primordialmente gente de nível superior. Em geral, os professores que atuam em firmas são acadêmicos que fazem esse tipo de trabalho esporadicamente para ganhar um dinheiro extra. “É fascinante, porque deixamos de viver a teoria para enfrentar a língua do mundo real”, diz Antônio Suárez Abreu, livre-docente pela Universidade de São Paulo (…)

(JOÃO GABRIEL DE LIMA. Falar e escrever, eis a questão. Veja, 7/11/2001, n. 1725)

O adjetivo “principal” (em a principal dificuldade é com clareza) permite inferir que a clareza é apenas um elemento dentro de um conjunto de dificuldades, talvez o mais significativo. Semelhante inferência pode ser realizada pelos advérbios:

a) avidamente, principalmente, primordialmente.

b) sobretudo, avidamente, principalmente.

c) avidamente, antigamente, principalmente.

d) sobretudo, principalmente, primordialmente.

e) principalmente, primordialmente, esporadicamente.

01. [UFV]

Resposta: A

A alternativa “A” apresenta apenas um advérbio (sendo de intensidade): “muito”.

 

02. [ITA]

Resposta: B

Os advérbios “sobretudo, avidamente ou principalmente” se assemelham ao sentido dado pelo adjetivo “principal” usado no texto.

 

 

Compartilhe nas redes sociais
Discussão

TOPO