Poesia concreta

A Poesia Concreta no Brasil representou uma grande quebra de paradigmas. Seus idealizadores foram Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari.

A Poesia Concreta, também chamada de Concretismo, foi um movimento que dialogou diretamente com o Modernismo no Brasil que buscava novas formas de expressão verbal, rompendo completamente com o ideal de poesia até então difundido.

O que é a poesia concreta

A Poesia Concreta emergiu no Brasil próximo aos anos de 1950 e foi coordenada pelos irmãos Augusto de Campos e Haroldo de Campos, além de Décio Pignatari. O movimento foi fortemente influenciado pelas vanguardas europeias – ou Concretismo europeu – e propunha uma nova linguagem literária, trazendo aspectos visuais em vista de superar a ideia de verso enquanto unidade rítmica-formal.

Características

Os artistas procuravam uma nova forma de fazer arte após a Segunda Grande Guerra Mundial. O movimento concretista inspirou a Literatura, a música, as artes visuais e possuía grande contato com o movimento abstracionista.

No Brasil, o Concretismo surgiu no ano de 1956, durante o governo de Juscelino Kubitschek, quando se vivia um intenso desenvolvimento econômico e democratização da política. A época foi marcada pela construção de Brasília e idealização de um país mais moderno e desenvolvido.

O movimento foi fundado, primordialemnte, pelos poetas Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari. Os autores formaram um grupo de poetas e inauguraram revista literária Noigandres, onde publicavam seus poemas. As principais características do movimento são:

  • anulação do verso tradicional;
  • uso dos espaços em branco da página;
  • valorização da sonoridade e dos aspectos gráficos;
  • valorização do aspecto visual;
  • linguagem verbal e não verbal;
  • linguagem coloquial;
  • efeito semântico;
  • transformação das palavras;
  • neologismos;
  • racionalismo.

Em 1956, os escritores publicaram “O Manifesto da Poesia Concreta” e, em 1958, o “Plano Piloto da Poesia Concreta”, ambos pela revista Noigandres. Nestas obras, apresentaram os objetivos do movimento propondo uma nova linguagem literária que não se restringisse apenas ao escrito, mas que ultrapassasse a representação verbal trabalhando com os sons, imagens, formas e sentidos.

A Poesia Concreta também ficou conhecida por poema-objeto e desenvolveu o projeto verbivocovisual que diz respeito à criação poética ancorada em aspectos visuais e sonoros das palavras.

Principais autores

Como já salientado, os principais idealizadores da Poesia Concreta no Brasil foram Angusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari. Abaixo, você poderá conferir um pouco mais sobre cada um dos autores.

  • Augusto de Campos: nasceu em 14 de fevereiro de 1931, em São Paulo. Formou-se em Direito pela Faculdade do Largo de São Francisco, mas ficou conhecido pelo envolvimento com o Concretismo no Brasil. Poeta, ensaísta, tradutor e crítico literário e musical publicou seu primeiro livro, O rei menos o reino, em 1951, mas é Viva Vaia, publicada em 1979, a sua grande obra. Recebeu diversos prêmios, como o Jabuti em 1979 e 1993, além do Prêmio Pablo Neruda em 2015. Tornou-se um dos fundadores e principais nomes da Poesia Concreta no Brasil.
  • Haroldo de Campos: irmão de Augusto de Campos, Haroldo Eurico Browne de Campos nasceu no dia 19 de agosto de 1929 em São Paulo e morreu aos 73 anos em 16 de agosto de 2003. Graduou-se em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo (USP). Entretanto, ficou conhecido pelo seu envolvimento com a poesia brasileira. Poeta, tradutor, crítico literário e ensaísta, publicou seu primeiro livro “A arte no horizonte do provável” em 1972, considerada também sua grande obra. Recebeu o prêmio Jabuti em 1991 e o Prêmio da Associação Paulista dos Críticos de Arte em 2009. Inaugurou, junto de seu irmão e Décio Pignatari, o movimento concretista no Brasil.
  • Décio Pignatari: poeta, tradutor, romancista, dramaturgo, ensaísta e professor, Décio Pignatari nasceu em 20 de agosto de 1927, em Jundiaí, e morreu aos 85 anos em 2 de dezembro de 2012 na cidade de São Paulo. Formou-se em Direito pela Universidade de São Paulo (USP), mas ficou conhecido por fundar a revista Noigandres junto dos irmãos Augusto e Haroldo de Campos. Recebeu o prêmio Jabuti em 1962.

Além dos autores citados, outros também desenvolveram a poesia concreta no Brasil como Ronaldo Azeredo e José Lino Grünewal.

Exemplos

Além da teoria sobre a Poesia Concreta, é importante analisar as obras e verificar como elas são distintas em relação à poesia tradicional.

Augusto de Campos

Poesia concreta - Augusto de Campos
Poema de Augusto de Campos.

Haroldo de Campos

Poesia concreta - Haroldo de Campos
Poema de Haroldo de Campos.

Décio Pignatari

Décio Pignatari
Poema de Décio Pignatari.

Ronaldo Azeredo

Ronaldo Azeredo
Poema de Ronaldo de Azeredo.

Os exemplos apresentados são os mais populares da Poesia Concreta no Brasil e são sempre lembrados nos estudos sobre este conteúdo.

3 vídeos sobre a Poesia Concreta

Para sedimentar seu conhecimento sobre a Poesia Concreta, é importante sempre procurar novas formas formas de se estudar o assunto. Abaixo você poderá conferir um pouco mais sobre este movimento que quebrou paradigmas na poesia brasileira.

O que é a Poesia Concreta?

Aqui será possível verificar uma revisão geral sobre os conceitos relacionados à Poesia Concreta.

5 minutos sobre a Poesia Concreta

Neste vídeo, você poderá conhecer um pouco mais sobre a poesia concreta e mais algumas curiosidade a respeito do movimento.

Um pouco mais sobre Poesia Concreta

Neste vídeo, você poderá conhecer mais sobre o Concretismo, como o foco na época em que o movimento foi desenvolvido no Brasil

Como você pôde ver, o Concretismo representou uma grande quebra de paradigmas na poesia brasileira, fruto de todo o processo de mudanças provocadas pelo Modernismo no Brasil. É importante revisar sobre cada autor e tentar fazer a interpretação de vários poemas para sedimentar seu conhecimento sobre este movimento.

Referências

Curso de literatura brasileira – Sergius Gonzaga;
História concisa da literatura brasileira – Alfredo Bosi;
Literatura – Fábio D’Ávila. e Danton Pedro dos Santos;
Teoria da poesia concreta: textos críticos e manifestos 1950-1960 – Augusto de Campos, Haroldo de Campos e Décio Pignatari.

Leonardo Ferrari
Por Leonardo Ferrari

Graduando em Letras pela Universidade Estadual de Maringá onde desenvolve pesquisa na área de Literatura Pós-Colonial e participa do projeto de extensão Letras na Web. É professor assistente em colégio de ensino médio. Nas horas livres dedica-se à família, aos amigos, à sétima arte e à leitura.

Como referenciar este conteúdo

Ferrari, Leonardo. Poesia concreta. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/literatura/poesia-concreta. Acesso em: 04 de August de 2020.

Exercícios resolvidos

1. [PUC]

de sol a sol
soldado
de sal a sal
salgado
de sova a sova
sovado
de suco a suco
sugado
de sono a sono
sonado
sangrado
de sangue a sangue

O poema concretista, acima indicado, apresenta as seguintes inovações no campo verbal e visual:
a) abolição do verso tradicional; desintegração do sistema em seus morfemas; a palavra dá lugar ao símbolo gráfico.
b) apresentação de um ideograma; uso de estrangeirismos, esfacelamento da linguagem.
c) ausência de sinais de pontuação; uso intensivo de certos fonemas; jogos sonoros e uso de justaposição.
d) uso construtivo dos espaços brancos; neologismo; separação dos sufixos e dos prefixos; uso de versos alexandrinos.
e) apresentação de trocadilhos; uso de termos plurilinguísticos; desintegração da palavra e emprego de símbolos gráficos.

Resposta: a.

Justificativa: Um dos principais aspectos da Poesia Concreta é o abandono as formalidades do verso tradicional e apego as formas gráficas.

2. [FCC]

O concretismo brasileiro caracteriza-se por:

a) renovação de temas, privilegiando a revelação expressionista dos estados psíquicos do poeta.
b) exploração poética do som, da letra impressa, da linha, dos espaços brancos da página.
c) preocupação com a correção sintática, desinteresse pela exploração dos campos semânticos novos.
d) descaso pelos aspectos formais do poema.
e) preferência pela linguagem formalmente correta.

Reposta: b.

Justificativa: O concretismo brasileiro é conhecido justamente pela utilização dos recursos sonoros e gráficos, além do aproveitamento dos espaços.

Compartilhe

TOPO