Povos maias

Entre os anos 250 d.C. e 900 d.C., os povos maias habitaram a região da Mesoamérica, desenvolvendo uma sociedade altamente sofisticada.

Imagina se você pudesse viajar no tempo, especificamente para o ano 800 do calendário atual, em uma floresta tropical na região da América. Provavelmente, você iria se deparar com uma das civilizações mais complexas da história: os povos maias. A seguir, acompanhe a decadência de uma sociedade altamente sofisticada.

Publicidade

Quem são os povos maias

Em linhas gerais, pode-se dizer que os maias estão entre as civilizações mais antigas da América. Ao longo da história, sabe-se que esses povos compreendiam cerca de oito milhões de pessoas distribuídas em cidades-Estado, isto é, cidades com governo, leis, costumes e uma estrutura fortemente hierarquizada.

Relacionadas

A origem dos calendários
Durante muito tempo os calendários foram estruturados até chegar às formas como são usados nos dias atuais ao redor do mundo.
Biblioteca de Alexandria
A Biblioteca de Alexandria foi um dos maiores centros culturais da antiguidade, contendo um número imenso de manuscritos em seu acervo. Aprenda sobre o contexto em que foi construída e muito mais!
Alexandre, o Grande
Alexandre, o Grande, em pouco tempo expandiu o Império macedônico para um território que incluía a Grécia, o Egito, todo o antigo Império Persa e tudo o que hoje consideramos como o Oriente Médio.

Segundo o arqueólogo Paul Gendrop, os povos maias foram capazes de muitas realizações em um território que, nos dias atuais, seria considerado inabitável. Esse possuia cerca de 325 mil quilômetros quadrados, que abrange cinco estados do México atual, quase toda a Guatemala, parte de El Salvador, parte de Honduras e Belise.

Há mais de 2.500 a.C., os ancestrais dos maias viviam nas montanhas da atual Guatemala. Já sobre a origem desses povos, sabe-se que surgiram entre 2.500 a.C. e 200 d.C. Além disso, eles foram influenciados pelos povos olmecas, principalmente na constituição do sistema social, e passaram por três paríodos: Pré-Clássico (800 a.C a 300 a.C.), Clássico (300 d.C. a 900 d.C.) e Pós-Clássico (de 900 d.C. a 1.520 d.C., correspondentes à absorção mexicana devido a conquista dos espanhóis).

Características dos maias

O termo “maia”, muitas vezes, é usado para caracterizar os descendentes de espanhóis. Entretanto, não existiu somente um povo maia, pelo contrário, havia vários grupos, cada qual compartilhando um idioma. Apesar da pluralidade, é possível identificar algumas características comuns entre esses povos:

  • Complexo sistema de escrita glífica, no qual, recentemente, identificaram 862 caracteres;
  • Conhecimentos astronômicos e matemáticos avançados;
  • Povos politeístas com práticas religiosas baseadas em sacrifícios;
  • Presença forte do comércio marítimo realizado por meio de grandes canoas;
  • Sociedade hierarquizada, dividida em grupos sociais estabelecidos;
  • Arquitetura notável cuja herança pode ser notada em Teothihucán, Monte Alban, Palenque, Copán, Yaxchillán, Uxmal, Chichén Itza, Yucatán e Tikal (a cidade dos Deuses) onde se encontra a maior pirâmide da América;

Todas essas caraterísticas fundamentavam uma das civilizações mais complexas e estruturadas do período pré-hispânico, demonstrando aos estudiosos do tempo presente que as sociedades antigas também possuíam vivências significativas.

Publicidade

Como viviam os maias

Mesmo sendo uma civilização temporalmente distante do presente, graças às informações preservadas pelos maias, é possível conhecer a vivêncial social desse povo. As primeiras grandes cidades, como Nakbe e Petén, surgiram há 3.000 e todas elas criaram, disseminaram e preservaram modos de vida altamente sofisticados.

Sociedade e Política

Wikimedia Commons

Os povos maias desenvolveram uma sociedade fortemente hierarquizada, com grupos bem delimitados e com funções estabelecidas de acordo com o lugar social que cada indivíduo ocupava. De forma geral, havia quatro grupos: os camponeses, a elite formada pela nobreza e os sacerdotes, o rei e, na base da pirâmide, os escravos prisioneiros de guerra.

Os camponeses eram responsáveis pelo sistema de abastecimento e pelas atividades agrícolas, principal fonte de comercialização. A elite era responsável pelo sistema político-administrativo das cidades-Estado e pelas práticas religiosas, no caso dos sacerdotes. Já os reis eram as figuras de autoridade máxima em cada região, isso porque o poder real era legitimado pela autoridade divina.

Publicidade

É consenso entre arqueólogos e historiadores que os maias travavam frequentes guerras entre si. Os conflitos ocorriam devido às intenções de domínio territorial que algumas cidades-Estado alimentava. A competição por povos e recursos também foram fatores que moveram muitos dos conflitos.

Em suma, conclui-se que a civilização maia não foi alicerçada em uma sociedade pacífica e pacata. Conforme afirma o arqueólogo Alexandre Navarro, “[…] trincheiras, valas, sulcos artificiais foram encontrados a 8 km em direção sul do sítio arqueológico de Tikal e a 4,5 km ao norte”. Essas barreiras foram construídas para a defesa da cidade-Estado de Tikal dos ataques de outros centros urbanos.

Economia

Inicialmente, as principais atividades econômicas dos maias eram a caça e a coleta. Porém, com o tempo, a agricultura se tornou o principal meio de subsistência e comércio. Assim, os camponeses passaram a crer que, para conseguir boas colheitas, precisavam pagar impostos aos reis – representantes da divindade.

Os impostos podiam ser pagos com produtos ou com trabalhos gratuitos para o rei. Grande parte dos camponeses vivia no campo e cultivavam feijão, algodão, cacau, abóbora, abacate e, sobretudo, o milho, considerado sagrado, pois, como escrito no Popol Vuh (livro do povo): “os deuses fizeram os primeiros homens a partir do milho”.

Uma vez que não havia a noção de propriedade privada, o senso de coletividade nas atividades econômicas era maior. O camponês poderia tirar proveito da terra com a intenção de tirar o seu alimento e suprir o coletivo. Somado a isso, os maias complementavam o cultivo com a prática da caça, pesca e artesanato, tendo como foco o comércio com locais externos.

Publicidade

Cultura e Religião

Wimedia Commons

As religiões maias eram politeístas, isto é, acreditavam na existência de vários deuses, que regiam e ordenavam todas as coisas, entre eles, os deuses do Sol, da Lua, da chuva, do vento, da morte e da vida. A natureza também era considerada sagrada. Além disso, sacrifícios humanos eram realizados com o objetivo de manter a ordem no mundo.

Para esses povos, o tempo era cíclico, o que determinava significativamente suas vivências. Eles possuíam um sistema de calendário complexo e dividido em dois: o primeiro era composto por 365 dias (HHaab), e o segundo por 260 dias (Tzolkon). O mais longo calendário existente, que durou 5.200 anos, terminando no dia 21 de dezembro de 2012, no calendário gregoriano – essa informação, compreendida de forma errônea, levou muitas pessoas a acreditar no fim do mundo, quando, na verdade, representava apenas o fim de um ciclo, segundo os maias.

No campo da cultura, economia, política e religião, a civilização maia era muito bem estruturada, entretanto, mesmo assim, ela entrou em decadência. A seguir, entenda como isso aconteceu.

A decadência dos povos maias

A partir do ano 900 d.C., começa o declínio da sociedade maia, que perdurou até o início do século XVI com a chegada dos espanhóis. Sabe-se que muitos fatores contribuíram para esse processo, entre eles: guerras locais, epidemias agravadas pela densidade populacional, períodos de seca, falta de alimentos, além de uma estrutura política baseada em dinastias familiares, que levou grande parte da civilização a migrar para o norte da península, onde os governos eram exercidos por conselhos mais plurais e não baseados em linhagem.

Com o abandono dessas regiões, os espanhóis chegaram e se depararam com um território parcialmente vazio de vida. Contudo, a glória da civilização maia, longe de ser ofuscada, permaneceu em seus vestígios materiais que, até hoje, impressionam cada vez mais os estudiosos e curiosos.

Vídeos sobre uma civilização complexa

Para entender mais sobre uma civilização tão dinâmica e complexa, confira abaixo alguns vídeos que, sem dúvidas, vão complementar todo o conhecimento estudado até aqui!

Conheça os vestígios de um dos povos mais conhecidos da antiguidade

Nesse vídeo, a historiadora Débora Aladim viaja para uma das cidades ocupadas pelos maias, Teotihuacán. Vale a pena assistir para saber mais sobre os maias e conhecer as construções até hoje preservadas.

A civilização mais poderosa do período Pré-colombiano!

Confira o vídeo do canal “Foca na História” e entenda quais foram as principais origens e características dos povos maias, conhecendo também alguns de seus segredos.

As pirâmides dos povos maias

Que tal conhecer os povos maias por meio de suas construções, especialmente as suntuosas pirâmides? Nesse vídeo, confira uma história fantástica com muitas curiosidades, conhecimento e descontração.

Aprender sobre as civilizações antigas é um verdadeiro exercício de viagem no tempo! Então, continue viajando e saiba mais sobre os Incas.

Referências

A civilização Maia (1987) – Paul Gendrop
A civilização Maia: reis e cidades na floresta tropical (2021) – Alexandre Guida Navarro
A civilização maia: contextualização historiográfica e arqueológica (2008) – Alexandre Guilda Navarro

Thiago Abercio
Por Thiago Abercio

Historiador e mentor educacional formado pela Universidade Federal de Pernambuco. Professor de História e de Repertório cultural e Ideias, redator e analista de conteúdo. Atualmente realiza pesquisas na área de História da arte e das mentalidades.

Como referenciar este conteúdo

Abercio, Thiago. Povos maias. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/povos-maias. Acesso em: 01 de July de 2022.

Exercícios resolvidos

1. [UNIFAP]

O poder na civilização maia era realizado por um representante chamado de “Halach Uinic“, que era visto pelos maias como um representante dos deuses na Terra. O “Halach Uinic” concentrava o poder para as funções civis, religiosas e militares dos maias. Essa forma de governo é conhecida como:

a) Teocracia

b) Democracia

c) Autocracia

d) Ditadura

e) Anarquia

a) Teocracia

A forma de poder exercido e legitimado pelos maias esteve muito ligada às concepções religiosas cultivadas pela civilização. Isso foi um fator central na concepção e reconhecimento do indivíduo.

2. [UGF - RJ]

A cultura maia, uma das mais importantes do mundo pré-colombiano, floresceu na região que hoje corresponde ao(s):

a) Uruguai, Argentina e sul do Chile.

b) Paraguai e Bolívia.

c) Brasil e Venezuela.

d) norte de Guatemala, Belize, parte de El Salvador, Honduras e sudeste do México.

e) Andes peruanos.

d) norte de Guatemala, Belize, parte de El Salvador, Honduras e sudeste do México.

A Civilização maia desenvolveu-se na Mesoamérica, nas regiões onde hoje se localizam a Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras e o México. As vivências desses povos foram tão enraizadas nesses locais a ponto de existirem até hoje vestígios materiais grandiosos e belos que demonstram a dimensão da vida social dos maias.

Compartilhe

TOPO