Os Maias

A civilização maia foi uma das mais misteriosas civilizações que habitaram a América antes da chegada dos europeus. Se estabeleceram nos atuais territórios do México, Guatemala, Belize e Honduras

Antes que os Maias se radicassem em alguma regiões da América Central, existiam aí povos originários, como os otomies e otoncas.

Vindos da América do Norte, após décadas vagando pela América Central, os maias estabeleceram-se no Yucatán e áreas próximas, por volta de 900 a.C.

Maias
Imagem: Reprodução

A produção do milho e a influência dos olmecas foram muito importantes para o seu desenvolvimento.

A área ocupada pelos maias pode ser dividida em duas regiões. A das terras altas (área abrangida hoje por El Salvador e Guatemala) estava voltada para o Pacífico e, apesar de possuir boas condições naturais, não teve muita importância para a construção da civilização maia.

É comum dividir-se o processo de construção da civilização maia em uma primeira fase (317-987) e uma segunda fase (987-1697).

A primeira fase teria se iniciado em 317 d.C. Essa data, na realidade, tem como referência o mais antigo objeto maia encontrado até hoje. Sabe-se que essa civilização já existia antes de 317, mas não se dispõe ainda de informações precisas a respeito desse período.

Sociedade dos Maias

A sociedade começou a desenvolver-se, com destaque para três cidades: Chichen-Itzá, Mayapan e Uxmal.

estruturas Maias
Imagem: Reprodução

Cada cidade tinha um chefe supremo (halach uinc), e o cargo era hereditário.

Os camponeses e artesãos compunham a maioria da população (mazehualob) eram obrigados a pagar os tributos, a trabalhar nas grandes obras. Moravam nos bairros mais distantes dos centros.

Os escravos, geralmente por conquista serviam a um senhor, mas não trabalhavam na produção.

Em 1004 foi criado a Confederação Maia, que reuniu essas três grandes cidades. Dezenas de cidades e povoados são criados ao longo dos duzentos anos seguintes, expandindo seu poder político na região.

Após o período de união (entre os séculos X e XI), as cidades da Confederação entram em confronto, sendo Mayapan a vitoriosa.

A hegemonia política dessa cidade foi sustentada por uma forte base guerreira. Inúmeras revoltas explodem na região, e em 1441 Mayapan é incendiada; As grandes cidades são abandonadas por causa das guerras.

As lutas internas, as catástrofes naturais (terremotos, epidemias, etc.), as guerras externas e principalmente, o declínio da agricultura levaram a sociedade maia à decadência.

Quando os europeus chegaram à região (1559), os sinais de enfraquecimento dos maias eram evidentes, tornando a conquista mais fácil.

Em 1697, a última cidade maia, Tayasal, é conquistada e destruída pelos colonizadores.

Religião Maia

A sociedade maia tinha um caráter fortemente religioso. A religião dava legitimidade ao poder, que era exercido basicamente por algumas famílias.

O Ahaucan (senhor da serpente) é o supremo sacerdote. Ele indica os outros sacerdotes, rege as cerimônias, recebe tributos e decide sobre as coisas do estado.

Existiam também sacerdotes com funções específicas, como os adivinhos, os encarregados dos sacrifícios humanos, os escribas, etc.

A organização do Estado

Os maias não chegaram a organizar um forte e poderoso Estado centralizado.

Na realidade, as cidades maias importantes controlavam as aldeias e terras próximas. Não havia nenhum poder ou instituição que as unificasse.

Elas tinham autonomia econômica e política, e geralmente eram governadas por famílias.

Houve períodos em que a unidade foi estabelecida entre algumas cidades, como durante a Confederação Maia.

No entanto, a regra era a independência e a luta entre cidades por novas terras, tributos, matérias primas, etc.

Economia Maia

A economia dos maias baseava-se na agricultura. A tecnologia empregada nas atividades agrícolas era bastante primitiva.

Contudo, eles conseguiam uma extraordinária produtividade, principalmente do milho.

É justamente em virtude dessa produção do milho, gerando excedentes, que um grande contingente de mão-de-obra podia ser liberado das atividades agrícolas para a construção de templos, pirâmides, reservatórios de água, etc.

As terras pouco férteis da região obrigavam os maias a realizar um rodízio, que geralmente mantinha a terra boa durante oito a dez anos. Após esse período era necessário procurar novas terras, cada vez mais distantes das aldeias e cidades.

O esgotamento das terras, as distâncias cada vez maiores entre elas e as cidades e o aumento da população inseram à civilização maia uma dura realidade. A fome, um dos fatores que a levaram à decadência.

Cultura Maia

Os conhecimentos de astronomia dos mais eram realmente avançados, e seus observatórios, bem-equipados.

Eles podiam prever eclipses e elaboraram um calendário de 365 dias.

Imagem: Reprodução

Para o desenvolvimento da astronomia, matemática era um elemento fundamental, daí terem acumulado conhecimento nessa área.

A atividade médica e a farmacêutica também eram bastante desenvolvidas, o que foi reconhecido até pelos colonizadores.

As peças teatrais, os poemas, as crônicas, as canções, tinham uma função literário-religiosa bem evidente.

Mas a arquitetura e a engenharia representam as áreas do conhecimento mais desenvolvidas pelos maias.

Seus grandes centros religiosos, as pirâmides, as cidades com edifícios de vários andares, os canais de irrigação e os reservatórios de água maravilham os conquistadores europeus.

Referências

História Integrada Geral e Brasil : Caminho das civilizações – José Geraldo Vinci de Moraes

Luana Bernardes
Por Luana Bernardes

Graduada em História pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pós-graduada em Psicopedagogia Institucional e Clínica pela mesma Universidade.

Como referenciar este conteúdo

Bernardes, Luana. Os Maias. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/historia/os-maias. Acesso em: 29 de July de 2021.

Teste seu conhecimento

01. [UGF-RJ]: A cultura maia, uma das mais importantes do mundo pré-colombiano, floresceu na região que hoje corresponde ao(s):

a) Uruguai, Argentina e sul do Chile.

b) Paraguai e Bolívia.

c) Brasil e Venezuela.

d) norte de Guatemala, Belize, parte de El Salvador, Honduras e sudeste do México.

e) Andes peruanos

 

02. [UNIFAP]: O poder na civilização maia era realizado por um representante chamado de “Halach Uinic“, que era visto pelos maias como um representante dos deuses na Terra. O “Halach Uinic” concentrava o poder para as funções civis, religiosas e militares dos maias. Essa forma de governo é conhecida como:

a) Teocracia

b) Democracia

c) Autocracia

d) Ditadura

e) Anarquia

01. [UGF-RJ]

Resposta: D

A Civilização Maia desenvolveu-se na Mesoamérica, nas regiões onde hoje se localizam a Guatemala, Belize, El Salvador, Honduras e o México. Ruínas e artefatos típicos da cultura maia foram encontrados pelos arqueólogos em todos esses países.

 

02. [UNIFAP]

Resposta: A

A Teocracia é uma forma de governo que submete os assuntos relativos ao Estado ao controle de uma religião. No caso dos maias, o governante era considerado um representante de deus na Terra e, além de ser o representante maior da religião maia, também era o líder nos assuntos relativos à administração local.

 

 

Compartilhe

TOPO