Modelo atômico de Thomson

O modelo atômico de Thomson é conhecido como o modelo do pudim de passas e foi o primeiro a admitir a existência do elétron. Veja mais sobre ele neste post.

O modelo atômico de Thomson, foi proposto pelo cientista que dá nome a esta interpretação: J. J. Thomson. Essa proposição aconteceu em 1898 e o modelo propõe que o átomo pode ser divisível e postula a existência de elétrons. Foi a primeira interpretação atomística que admitia partículas subatômicas. Nesse post você verá mais sobre esse modelo atômico.

Quem foi Joseph John Thomson

Joseph John Thomson (1856-1940) foi um físico inglês, mais conhecido como J. J. Thomson. Ele recebeu o Prêmio Nobel de Física devido à proposição e identificação do elétron, a primeira partícula subatômica aceita pela comunidade científica.

J. J. Thomson foi um dos responsáveis por estudar a estrutura atômica. Além disso, seus estudos sobre os tubos de raios catódicos apontaram para a existência de partículas menores que o átomo. As quais foram interpretadas e nomeadas como os elétrons. Consequentemente, assumiu-se a existência dos prótons.

O que é o Modelo Atômico de Thomson?

Ao realizar experimentos em um tubo de raios catódicos, J. J. Thomson concluiu que as cargas ejetadas dentro deste tubo possuíam massa. Ao longo de várias reproduções e estudos, Thomson foi capaz de observar que essas partículas tinham carga negativa, devido à sua interação com um campo elétrico. Tais partículas foram chamadas de elétrons.

Os resultados desse experimento causou estranhamento devido à natureza das interpretações, as quais poderiam ser entendidas como falhas. Contudo, Thomson propôs um novo modelo atômico. O qual era uma contraposição ao modelo de Dalton, cujo assumia o átomo como indivisível.

O modelo de Thomson apresenta o átomo composto por elétrons soltos em seu interior. Por isso, ele ficou conhecido como“modelo pudim de ameixa” ou “pudim de passas”. Contudo, essa nomenclatura pode causar estranhamento aos brasileiros, visto que o pudim nacional possui um furo no meio. Dessa forma, uma analogia melhor seria entender o modelo é comparar o átomo a um panetone ou a uma melancia. Onde os elétrons são as frutas cristalizadas ou as sementes, respectivamente.


Representação esquemática do modelo atômico de Thomson. Fonte: Wikimedia.

Qual a diferença entre o Modelo Atômico de Thomson e o Modelo Atômico de Rutherford

A proposição atomística de Thomson deixou de ser aceita pela comunidade científica quando houve a proposição do modelo atômico de Rutherford. Este segundo modelo explicava melhor os fenômenos que foram recém descritos. Por exemplo, o efeito fotoelétrico.

A principal diferença entre os dois modelos teóricos está no fato de que o modelo atômico de Rutherford assume que há uma eletrosfera, na qual os prótons estão orbitando o núcleo do átomo. Para Thomson, os elétrons estão dentro do núcleo.

Mapa mental

Para esquematizar o que foi estudado até aqui, nada melhor que um mapa mental sobre o tema. Por isso, veja o resumo esquemático feito a seguir. Com ele será possível revisar os conceitos sobre o modelo atômico de Thomson.

modelo atômico de Thomson

É importante ressaltar que os mapas mentais, são ótimos para revisar os conteúdos estudados. Contudo, não podem ser usados como base para o aprendizado.

Vídeos sobre o modelo atômico de Thomson

Alguns conceitos de Física e de Química podem ser muito abstratos. Principalmente aqueles que envolvem fenômenos que acontecem em escalas microscópicas. Por isso, as videoaulas são fundamentais para a compreensão total desses conteúdos. Dessa forma, veja os vídeos selecionados.

O modelo atômico de Dalton e o de Thomson

O modelo atômico de Dalton foi aceito pela comunidade científica por quase um século. Suas bases foram abaladas com a proposição do modelo de Thomson. Para aprender quais são as diferenças entre os dois e entender como aconteceu a mudança na teoria aceita, assista ao vídeo do canal Ciência Todo Dia.

O que é o modelo atômico de Thomson

O modelo do pudim de passas é o apelido do modelo atômico de Thomson. Para explicar os impactos na comunidade científica e os conceitos por trás dessa modelo, o professor Igor faz uma breve introdução histórica sobre os modelos atômicos e explica o que foi proposto por J. J. Thomson.

A evolução dos modelos atômicos

Desde a antiguidade o ser humano se questiona sobre o que forma a matéria e se há uma partícula indivisível. Estes questionamentos levaram aos modelos atômicos. Dessa forma, o professor Kennedy Ramos, explica brevemente como foi a evolução entre cada um deles. Confira.

Compreender os modelos atômicos é importante tanto para a Física, quanto para a Química. Contudo, é importante lembrar que todos eles são apenas modelos e teóricos e que não representam, necessariamente, o que é a natureza. Afinal, é impossível observar um átomo a olho nu. Atualmente, o modelo atômico aceito pela comunidade científica é o modelo atômico de Bohr.

Referências

Física IV: Óptica e física moderna (2016) – Hugh D. Young et al.
Física: Volume 4 (2008) – David Halliday et al.
Curso de Física Básica: Volume 4 (2014) – Herch Moysés Nussenzveig.

Hugo Shigueo Tanaka
Por Hugo Shigueo Tanaka

Divulgador Científico e co-fundador do canal do YouTube Ciência em Si. Historiador da Ciência. Professor de Física e Matemática. Licenciado em Física pela Universidade Estadual de Maringá (UEM). Mestre em Ensino de Ciências e Matemática (PCM-UEM). Doutorando em Ensino de Ciências e Matemática (PCM-UEM).

Como referenciar este conteúdo

Tanaka, Hugo Shigueo. Modelo atômico de Thomson. Todo Estudo. Disponível em: https://www.todoestudo.com.br/fisica/modelo-atomico-de-thomson. Acesso em: 12 de May de 2022.

Compartilhe

TOPO